Jump to content
João

Rádio

Recommended Posts

On 02/02/2020 at 01:52, mavb98 disse:

Açores é só S. Miguel e Portugal Continental é só Lisboa. Culpa do "estado unitário" (ver Constituição da República Portuguesa). 

Quando tiver acesso a um computador farei isso.

E é Pico da Barrosa (maldito corrector ortográfico). 

Diria mais: que os Açores é só Ponta Delgada, Rabo de Peixe e Angra.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 39 minutos, DonaldoC1997 disse:

Diria mais: que os Açores é só Ponta Delgada, Rabo de Peixe e Angra.

Sendo que a Renascença e a RFM não chegam a Angra, ora! Angra também é Açores!

Não sei a que ponto é que as rádios locais chegam a suprir as necessidades da falta de Comercial, Cidade FM e Mega Hits nos Açores (RFM e Renascença fora do grupo oriental). A queda da parceria desportiva com a Rádio Atlântida fez com que os outros grupos ficaram sem acesso à Bola Branca (o grupo ocidental, pelo que vi, parece ter sinais fraquíssimos de internet). Sei que a MEO e a NOS (e os seus respectivos serviços de satélite) cobrem tal falta também.

Curiosamente, há mais rádios açorianas na MEO do que madeirenses (da última vez que vi, não havia nada da Madeira). Quando a RTP Açores e a RTP Madeira passaram a estar disponíveis aos continentais, eu achava que as operadoras iriam oferecer a Antena 1 Açores e a Antena 1 Madeira. Até agora, nada. Nem mesmo na MEO.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Lista de rádios a emitir em FM (modulação de frequência) na Região Autónoma dos Açores

Nota: nome do emissor entre parênteses

Santa Maria

96.7     Antena 1 (Pico Alto)
103.2     Asas do Atlântico (Pico Alto)

São Miguel

87.7     Antena 3 (Pico da Barrosa)
88.5     Rádio Atlântida (Pico da Barrosa)
89.1    Rádio Nova Cidade (Ponta do Cintrão)
89.5     Antena 1 (Pico das Éguas)
89.9    Antena 2 (Pico Bartolomeu)
90.2    R80 (Pico da Barrosa)
91.0     Canal FM (Pico da Barrosa)
91.5     Canal FM (Pico Bartolomeu)
91.8    Antena 2 (Nordestinho)
92.2    Antena 1 (Cascalho Negro)
92.7    Antena 1 (Pico Bartolomeu)
93.6    Antena 1 (Furnas)
93.0     Rádio Atlântida (Cascalho Negro)
94.1    Antena 1 (Ponta Delgada)
94.2    Antena 3 (Povoação)
94.5     Canal FM (Furnas)
95.2    Rádio Renascença (Pico da Barrosa)
95.5    Antena 1 (Mosteiros)
97.2    Antena 2 (Povoação)
97.9    Antena 1 (Pico da Barrosa)
98.4     TOP FM (Sete Cidades)
99.1    Antena 3 (Pico Bartolomeu)
99.4     Rádio Comercial dos Açores/Açores TSF (Pico da Barrosa)
100.0    RFM (Pico da Barrosa)
100.8    Antena 2 (Ponta Delgada)
101.7    Antena 2 (Pico da Barrosa)
102.4     TOP FM (Pico da Barrosa)
102.8    Antena 1 (Povoação)
103.1    Antena 2 (Cascalho Negro)
103.7    Antena 1 (Nordestinho)
104.2    Antena 3 (Cascalho Negro)
104.6    Antena 1 (Nordeste)
105.0    105 FM (Pico da Barrosa)
105.2    Antena 2 (Mosteiros)
105.5    Rádio Nova Cidade  (Pico da Barrosa)
106.0    R80 (Pico Bartolomeu)
106.3     Rádio Atlântida (Ponta Delgada)
107.0    Antena 3 (Mosteiros)
107.2    Rádio Insular/Rádio Horizonte (Pico da Barrosa)

Terceira

89.2    Antena 2 (Serra do Cume)
89.6    Rádio Clube de Angra (Pico Matias Simão)
90.5    Antena 1 (Santa Bárbara)
92.4    TOP FM (Serra do Cume)
93.5    Rádio Lajes - Força Aérea Portuguesa (Serra do Cume)
94.7    Rádio Clube de Angra (Serra do Cume)
96.1    American Forces Network - United States Air Force (Base das Lajes)
96.6    TOP FM (Quatro Ribeiras)
98.1    Rádio Horizonte    (Serra do Cume)
98.9    Antena 2 (Santa Bárbara)
99.7    Antena 1 (Serra do Cume)
101.1    Rádio Clube de Angra (Santa Bárbara)
103.0    Antena 3 (Santa Bárbara)
103.9    Antena 3 (Serra do Cume)
104.4    Rádio Horizonte (Santa Bárbara)
106.6    TOP FM (Santa Bárbara)

Graciosa

97.0     Antena 1 (Pico do Jardim)
107.9    Rádio Graciosa/Canal FM (Serra Branca)

São Jorge

87.6    Antena 1 (Macela)
90.0    Rádio Lumena (Manadas)
92.2    Rádio Lumena (Luz - Graciosa)
92.7    Canal FM (Madalena - Pico)
93.2    Antena 2 (Macela)
100.5    Canal FM (Santa Bárbara - Terceira)
107.1    Rádio Lumena (Pico de Santo Amaro)

Pico

88.3    Rádio Clube das Lajes do Pico - A Voz da Montanha (Pico do Geraldo)
90.2    Rádio Pico (Pico de São Mateus)
91.9    Rádio Clube das Lajes do Pico - A Voz da Montanha (Urzelina - São Jorge)
93.5    Antena 2 (Lajes do Pico)
94.5    Antena 1 (Arrife)
96.5    Antena 1 (Lajes do Pico)
97.5    Antena 2 (Arrife)
98.6    Antena 3 (Lajes do Pico)
100.2    Rádio Pico (Cabeço Gordo - Faial)
103.4    Antena 1 (São Mateus)
103.7    Antena 1 (Pico do Geraldo)
104.7    Rádio Clube das Lajes do Pico - A Voz da Montanha (Lajes do Pico)
105.3    Rádio Clube das Lajes do Pico - A Voz da Montanha (Piedade)
106.1    Rádio Cais/Rádio Atlântida (Prainha do Norte)
107.5    Antena 2 (Pico do Geraldo)
107.7    Rádio Pico (Macela - São Jorge)

Faial

88.9    Antena 1 (Cabeço Gordo)
91.3    Antena Nove (Cabeço Gordo)
92.9    Antena 2 (Cabeço Verde)
93.8    Antena 1 (Espalamaca)
94.4    Antena Nove (Cabeço Verde)
95.9    Antena Nove (Espalhafatos)
98.1    Antena 1 (Cabeço Verde)
99.2    Antena 3 (Cabeço Gordo)
101.4    Antena 2 (Espalamaca)
102.2    Antena Nove (Espalamaca)
102.7    Antena 3 (Espalamaca)
105.8    Antena 2 (Cabeço Gordo)

Flores

87.6    Antena 1 (Ponta Ruiva)
91.9    Antena 2 (Morro Alto)
93.5    Antena 1 (Morro Alto)
95.6    Antena 3 (Morro Alto)
97.0    Antena 2 (Lajes das Flores)
97.4    Antena 2 (Monte das Cruzes)
99.8    Antena 1 (Monte das Cruzes)
100.4    Antena 1 (Fajãzinha)
102.0    Antena 3 (Monte das Cruzes)
102.6    Antena 1 (Lajes das Flores)
103.7    Antena 2 (Fajãzinha)
104.5    Canal FM (Santa Cruz das Flores)

Lista de rádios a emitir em AM (onda média) na Região Autónoma dos Açores

Santa Maria

1.566    Clube Asas do Atlântico (Vila do Porto)

São Miguel

837    Antena 1 (Pico da Barrosa)

Terceira

648    Rádio Lajes - Força Aérea Portuguesa (Lajes)
693    Antena 1 (Santa Bárbara)
909    Rádio Clube de Angra (Angra do Heroísmo)

Flores

828    Antena 1 (Monte das Cruzes)

Fontes: https://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=62313
    https://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=62283
    https://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=62284
    https://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=1055902
    https://www.anacom.pt/render.jsp?categoryId=42705
    https://www.anacom.pt/render.jsp?categoryId=1955
    http://www.mundodaradio.com/frequencias/bd/locais_acores.html

Algumas considerações:

Em Santa Maria acho que dá para apanhar algumas rádios de São Miguel, tenho a ideia que a Rádio Atlântida dá para ouvir lá (e outras também). Provavelmente aquelas que emitem através dos emissores do Pico da Barrosa e do Pico Bartolomeu. A rádio Asas do Atlântico às vezes dá para apanhar na costa sul da ilha de São Miguel e em algumas zonas com altitude elevada. A Rádio Horizonte em São Miguel teve um tempo sem emitir, mas parece que já voltou (confirmei hoje pelo telemóvel e já estava a dar).

No grupo central (Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial) penso que dá também para ouvir as rádios das outras ilhas, principalmente nas ilhas do triângulo (Faial-Pico-São Jorge).

O Corvo deve de apanhar as rádios das Flores, já que estas ilhas estão muito próximas.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Só agora descobri que a Atlântida é praticamente uma rádio micaelense (afinal, para quê ter de emitir o desporto da Renascença quando ambas só se podem ouvir lá?).

Na MEO (fibra) há a Atlântida, Horizonte, TOP FM, Rádio Lajes, Canal FM e 105FM (falo de memória). Estas rádios (ou todas menos uma ou duas) podem ser ouvidas nas boxes UMA da NOS.

A Madeira chegou a ter (não sei se ainda tem) a Antena 1/3 madeirense, PEF, Rádio Clube da Madeira, Rádio Jornal e TSF Madeira na TV Cabo/ZON (falo por memória também). As rádios apareciam nas boxes satélite mas não dava para aceder fora da Madeira, em restrições semelhantes às RTPs autónomas. Eu nem sei se as ditas ainda estão na NOS Madeira!

As únicas rádios de Braga que estão nas operadoras são a Antena Minho (NOS UMA) e a Nove3Cinco - apesar de ser de Famalicão (MEO Fibra e NOS UMA).

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parece que a parceria da Rádio Atlântida com a Rádio Renascença continua, porque agora há pouco apanhei o Bola Branca, só que não estava em simultâneo. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 01/02/2020 at 16:08, DonaldoC1997 disse:

Ainda me lembro que durante vários anos (pelo menos até ao final dos anos 2000/início dos anos 2010), a Açores TSF não tinha microfone próprio e usava um verde dizendo RCA - Rádio Comercial dos Açores e este nome ainda é usado como o nome legal da rádio.

Bom, na realidade, tinha um próprio da Açores TSF, mas houve uma altura em que ambos foram usados em alternância.

Share this post


Link to post
Share on other sites

27 de Fevereiro de 1999:

Quem sintoniza uma rádio em Portugal, tem todas as probabilidades de apanhar música. As melodias que fazem os êxitos das tabelas de sucessos e as rádios temáticas de diferentes géneros musicais, têm vindo a multiplicar-se no panorama radiofónico nacional, onde o lema é "quanto menos conversa, melhor". Este é, de resto, a receita de sucesso da rádio que mais subiu nas audiências no último ano: a Rádio Comercial. Em Espanha, aqui mesmo ao lado, são os debates, as tertúlias e as entrevistas que dominam as antenas. O que se passa afinal? Aproveitando o pretexto oferecido pelo Congresso Nacional de Rádios, que hoje se inicia em Óbidos, o PÚBLICO fez uma viagem pelas tendências actuais dos canais de rádio e tenta adivinhar o futuro do meio rádio no espaço multimédia.

A música impera no panorama de rádios a nível nacional e, sobretudo, na Grande Lisboa. Ouve-se música na RFM, na Cidade, na Nostalgia, na Comercial e na Mega FM, sem contar com os canais locais espalhados pelo país. O exemplo mais recente de uma estação musical bem sucedida é o da Rádio Comercial, que, num ano, triplicou a audiência. O palavra de ordem é "mais música e menos palavra". Quem quer ouvir informação, debate, conversa ou um "talk-show" nas ondas hertzianas tem uma escolha bastante limitada. Pode sintonizar o Canal 1 da Renascença, a Antena 1 ou o canal de informação por excelência, a TSF. Ou ainda noutras estações, mas sempre de uma forma pontual. Se procura ouvir música, a escolha é esmagadora: só nos últimos doze meses nasceram pelo menos cinco rádios de perfil musical, todas na Grande Lisboa. A Lights FM, vocacionada só para música instrumental, a Voxx, música alternativa, a Mega FM, que passa o chamado "Rock Mainstream", a Romântica, que passa todas as canções de amor, e a Luna, consagrada à música clássica. E há que não esquecer a Rádio Cidade que com sotaque brasileiro, tem vindo a provar o sucesso de um canal de música de "tabelas", aproximando-se ou mesmo ultrapassando (já aconteceu uma vez na Grande Lisboa) o líder nacional inabalável de audiências - o Canal 1 da Renascença. Mas o último ano viu nascer um projecto totalista quase exclusivamente sustentado numa fórmula musical - a Rádio Comercial. O grupo Media Capital tomou conta da Comercial o ano passado e encomendou um estudo de mercado para tentar perceber as preferências dos ouvintes. Ouviram-se pessoas entre os 25 e os 35 anos, em Lisboa e no Porto, sobre o que gostam e o que detestam numa emissão de rádio. E no fim, reuniram-se sete oportunidades de mercado a explorar com êxito garantido, todas elas formatos musicais. A que obteve maior expressão foi a do "rock clássico", o actual modelo da Comercial. A estação quer agora pôr em prática a segunda hipótese eleita pelo estudo de mercado - uma rádio só de música de dança. A pesquisa revelou que "os ouvintes queriam poucos anúncios, muita música e pouca conversa", explica Luís Montez, administrador da Comercial, ex-director da Radical e da XFM. A estação apostou na música, equilibrando as novidades com êxitos dos Pink Floyd ou dos Doors, e reduziu os noticários à sua versão minimal.A receita das preferências do público alvo estudado foi seguida à risca e em menos de um ano a Comercial passou de 1,3 por cento de Audiência Acumulada de Véspera para 5 por cento, em termos nacionais, segundo a empresa de estudos de mercado Marktest. Um salto que é difícil passar despercebido dada a estabilidade das audiências da rádio em geral. Meses depois da aquisição da Comercial, a Media Capital comprou também a Nostalgia, um projecto criado por Rui Pêgo, actual director da Rádio Paris Lisboa, e que é um modelo existente em mais de 50 países. "Quisémos optimizar porque este formato "oldie" já provou que tem sucesso", afirma. A explicação para o crescimento do número de rádios de cariz musical está longe de ficar confinada a um motivo único. Para Luís Montez é difícil que o ouvinte médio sintonize apenas uma rádio por dia: "as necessidades variam ao longo do dia - de manhã as pessoas querem entretenimento, informação sobre as horas, o tempo, o trânsito e sobre o mundo. E a partir das 10h00 ouvem música". A falta de comunicadores é uma das razões apontadas para a tendência das rádios em fugir aos formatos de palavra. "Não há uma escola profissional. Há excelentes locutores, mas poucos comunicadores", explica Montez, que aponta ainda razões culturais para explicar este fenómeno. "Ao contrário dos espanhóis, os portugueses são um povo mais introvertido", diz o administrador da Comercial reconhecendo que nas rádios musicais "os custos de execução são muito menores do que nas de informação".Para Pedro Tojal, director da Mega FM, "a escola de comunicação desapareceu e hoje o que se ouve é as pessoas anunciarem as músicas". Lançada no Verão do ano passado para agradar aos jovens entre os 15 e os 22 anos, a Mega FM é o mais recente projecto da Renascença destinado a chegar a um público mais difícil de atingir pelos dois outros canais do grupo - Canal 1 e RFM. Também neste caso as preferências dos ouvintes revelaram a mesma tendência. "Com o projecto da Mega FM percebemos que a juventude quer ouvir música", explica Pedro Tojal, referindo-se também a um estudo de mercado que apontou para uma receita de emissão musical e sem qualquer publicidade. Para justificar o aparecimento de rádios construídas à volta de um género musical, Tojal avança ainda com outra explicação. "Está a começar a acontecer em Portugal um fenómeno que já ocorre no estrangeiro - a fragmentação. No mesmo escalão etário alguns gostam de música de dança, outros só de rock e se uma rádio misturar as duas coisas, os ouvintes afastam-se", diz considerando necessária uma rádio de "notícias e de palavra". "A própria TSF não é 100 por cento de notícias - tem também música", exemplifica.

https://www.publico.pt/1999/02/27/jornal/radios-caixas-de-musica-130147

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Carlos Lopes, antigo locutor da Rádio Sim, pretende lançar uma rádio parecida em breve. Ainda não se sabe se a Renascença vai expropriar as frequências ou proceder a trocas.

Em Braga deviam era mudar a Mega Hits para o 101.1 dado que os 92.9 que ocupa a Mega Hits eram propriedade da RTM - que em 2003 deixou de ser independente para passar a emitir o RCP com o nome Rádio Clube do Minho - e que passou às mãos da Renascença (não sei se a frequência ainda é concessionada) em 2009. No ano passado eu vi que a RTM "patrocinou" um festival de blues no Nova Arcada, o que me leva a acreditar que seja uma promotora de eventos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 2/14/2020 at 2:25 PM, ATVTQsV said:

Carlos Lopes, antigo locutor da Rádio Sim, pretende lançar uma rádio parecida em breve. Ainda não se sabe se a Renascença vai expropriar as frequências ou proceder a trocas.

Em Braga deviam era mudar a Mega Hits para o 101.1 dado que os 92.9 que ocupa a Mega Hits eram propriedade da RTM - que em 2003 deixou de ser independente para passar a emitir o RCP com o nome Rádio Clube do Minho - e que passou às mãos da Renascença (não sei se a frequência ainda é concessionada) em 2009. No ano passado eu vi que a RTM "patrocinou" um festival de blues no Nova Arcada, o que me leva a acreditar que seja uma promotora de eventos.

Os 92,9 estão alugados à RR; já quanto aos 101,1 só podem ser usados para uma rádio que emita na OM (como a Sim actualmente) ou são integrados na rede FM da RR.

On 2/7/2020 at 5:50 PM, ATVTQsV said:

Em 20 anos não mudou grande coisa. Porém, se formos analisar o programa líder das manhãs, o da Comercial, passa cada vez menos música na emissão em detrimento de palavra. O programa do Rui Maria Pêgo às 20 horas também é ele em grande parte de palavra.

Com o incremento dos podcasts acho que a rádio tem no futuro de se virar para aí, e apostar menos em formatos musicais. O podcast para a rádio está um pouco para o streaming na televisão linear.  Pena a RR, Antena 1 e TSF estarem num marasmo total.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Diário do Minho já substituiu a grelha da Rádio Sim por citações do Cardeal de Lisboa (ou qualquer coisa do género já que o jornal é de inspiração católica).

Entretanto, ainda não se sabe nada do paradeiro das frequências.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Utilizadores no Fórum da Rádio defendem uma privatização da Antena 3:

"Para mim fazia todo o sentido privatizar a Antena 3... E mesmo a Antena 2 também não se perdia grande coisa... Uma rádio pública (Antena 1) chegava e sobrava."

"Na minha opinião, é muito simples... eu quero dizer que para a dimensão do nosso país, há excesso de meios de comunicação social, excesso de televisões (mas contra as privadas não se pode fazer nada), excesso de clubes de futebol na 1ª liga... e quanto às rádios, 1 rádio pública, no momento actual, parece-me suficiente. Dizem que as audiências na Antena 3 não são importantes, mas mesmo no serviço público podem e devem ser bem maiores do que são, é sinal que estão a tentar melhorar a simpatia de mais ouvintes por essa estação, e não sempre os mesmos.

Outra questão que eu queria escrever aqui, é a falta de imparcialidade e coerência, por exemplo, no Festival da Canção. Além da falta de qualidade do mesmo, que tem vindo a piorar ao longo dos anos, quase de certeza que se sabe quem vai ser o vencedor... há de ser um artista que praticamente só passa na Antena 3, já que, se não estou em erro, o organizador do Festival tem programas na estação, e no júri há uma pessoa que também trabalha na Antena 3, e há um artista que ganhou o ano passado, e que também só essa rádio lhe dá maior destaque (tendo ficado a sua canção Telemóveis no 2º lugar da lista de preferências nacionais do Sr. Organizador do Festival)."

E há também as pessoas que dizem o contrário:

"Se privatizarem a 3, muitas das regiões deste país (incluído a minha) ficam sem acesso por via hertziana a uma rádio com programas culturais como o Domínio Público, uma rádio que passa música fora da mesmisse que as restantes nacionais oferecem, com locutores jovens que não tratam o seu auditório de forma infantil e com pouco conteúdo útil a informar e outros menos jovens com uma experiência enorme e conhecimentos musicais a difundir, sem acesso a um programa de conversa interactivo como a Prova Oral...

E por falar em Prova Oral!
Quantos de vós é que ouviram o Luís Serpa a falar das suas aventuras em África, o Cunningham a falar do seu Pulitzer, a incrível história de vida da Maria Batata Doce, os neurocientistas a falarem das novas descobertas sobre cérebro humano, aquela escritora brasileira que o Alvim tanto gostou, o Paulo Betti a falar de teatro e da cultura brasileira, aquele senhor linguista a falar da origem do nosso amado português, o Manel Cruz a falar sobre a sua Vida Nova, etc.?

A Antena 3, tanto como rádio alternativa, como rádio jovem, faz serviço público sim.
Eu aqui não tenho possibilidade de escutar por vias hertzianas a Radar, nem a Vodafone, ou então, uma RUC ou uma RUM (nem a Mega).

A Antena 3 ideal para mim seria uma rádio que conciliasse a era Marino, com a era Reis e ainda com maior sentido cívico.
Uma rádio jovem, com uma linguagem leve, sempre na busca de novos valores na música portuguesa, sem amiguinhos (e aí concordo com algumas críticas), que consiga sair do mero estúdio de rádio e aposte em iniciativas como o Toca a Todos, a Quinta dos Portugueses, ou o Andamento, que vá a politécnicos, universidades e escolas deste país debater e falar com os estudantes sobre os temas que os assolam, que fosse uma escola de comunicadores para que o próprio grupo RTP e as restantes privadas os fossem repescar, uma rádio que não caia no facilitismo de uma playlist plástica e comercial, mas que também não seja tão fechada e elitista como a de 2015 a 2018, que não use o método de música a metro, que continue a apostar no grande Domínio Público (uma das maiores vitórias do Reis) e, claro, com espaço para os programas de autor que, salvo raras excepções, praticamente estão desaparecidos das rádios privadas.

Por fim, sobre música mais comercial, gostaria de vos lançar a seguinte pergunta de retórica: Na vossa óptica, BBC Radio One faz serviço público, ou não?"

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 3 horas, ATVTQsV disse:

Utilizadores no Fórum da Rádio defendem uma privatização da Antena 3:

"Para mim fazia todo o sentido privatizar a Antena 3... E mesmo a Antena 2 também não se perdia grande coisa... Uma rádio pública (Antena 1) chegava e sobrava."

"Na minha opinião, é muito simples... eu quero dizer que para a dimensão do nosso país, há excesso de meios de comunicação social, excesso de televisões (mas contra as privadas não se pode fazer nada), excesso de clubes de futebol na 1ª liga... e quanto às rádios, 1 rádio pública, no momento actual, parece-me suficiente. Dizem que as audiências na Antena 3 não são importantes, mas mesmo no serviço público podem e devem ser bem maiores do que são, é sinal que estão a tentar melhorar a simpatia de mais ouvintes por essa estação, e não sempre os mesmos.

Outra questão que eu queria escrever aqui, é a falta de imparcialidade e coerência, por exemplo, no Festival da Canção. Além da falta de qualidade do mesmo, que tem vindo a piorar ao longo dos anos, quase de certeza que se sabe quem vai ser o vencedor... há de ser um artista que praticamente só passa na Antena 3, já que, se não estou em erro, o organizador do Festival tem programas na estação, e no júri há uma pessoa que também trabalha na Antena 3, e há um artista que ganhou o ano passado, e que também só essa rádio lhe dá maior destaque (tendo ficado a sua canção Telemóveis no 2º lugar da lista de preferências nacionais do Sr. Organizador do Festival)."

E há também as pessoas que dizem o contrário:

"Se privatizarem a 3, muitas das regiões deste país (incluído a minha) ficam sem acesso por via hertziana a uma rádio com programas culturais como o Domínio Público, uma rádio que passa música fora da mesmisse que as restantes nacionais oferecem, com locutores jovens que não tratam o seu auditório de forma infantil e com pouco conteúdo útil a informar e outros menos jovens com uma experiência enorme e conhecimentos musicais a difundir, sem acesso a um programa de conversa interactivo como a Prova Oral...

E por falar em Prova Oral!
Quantos de vós é que ouviram o Luís Serpa a falar das suas aventuras em África, o Cunningham a falar do seu Pulitzer, a incrível história de vida da Maria Batata Doce, os neurocientistas a falarem das novas descobertas sobre cérebro humano, aquela escritora brasileira que o Alvim tanto gostou, o Paulo Betti a falar de teatro e da cultura brasileira, aquele senhor linguista a falar da origem do nosso amado português, o Manel Cruz a falar sobre a sua Vida Nova, etc.?

A Antena 3, tanto como rádio alternativa, como rádio jovem, faz serviço público sim.
Eu aqui não tenho possibilidade de escutar por vias hertzianas a Radar, nem a Vodafone, ou então, uma RUC ou uma RUM (nem a Mega).

A Antena 3 ideal para mim seria uma rádio que conciliasse a era Marino, com a era Reis e ainda com maior sentido cívico.
Uma rádio jovem, com uma linguagem leve, sempre na busca de novos valores na música portuguesa, sem amiguinhos (e aí concordo com algumas críticas), que consiga sair do mero estúdio de rádio e aposte em iniciativas como o Toca a Todos, a Quinta dos Portugueses, ou o Andamento, que vá a politécnicos, universidades e escolas deste país debater e falar com os estudantes sobre os temas que os assolam, que fosse uma escola de comunicadores para que o próprio grupo RTP e as restantes privadas os fossem repescar, uma rádio que não caia no facilitismo de uma playlist plástica e comercial, mas que também não seja tão fechada e elitista como a de 2015 a 2018, que não use o método de música a metro, que continue a apostar no grande Domínio Público (uma das maiores vitórias do Reis) e, claro, com espaço para os programas de autor que, salvo raras excepções, praticamente estão desaparecidos das rádios privadas.

Por fim, sobre música mais comercial, gostaria de vos lançar a seguinte pergunta de retórica: Na vossa óptica, BBC Radio One faz serviço público, ou não?"

Crede home, quase que copiavas todo o fórum para aqui.

Relativamente aos comentários da privatização, deve de ser de gente que provavelmente votaria no Chega (ou seja, fascistas). 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
agora mesmo, mavb98 disse:

Crede home, quase que copiavas todo o fórum para aqui.

Relativamente aos comentários da privatização, deve de ser de gente que provavelmente votaria no Chega (ou seja, fascistas). 

É, infelizmente a gente quer é acabar com o serviço público de rádio (ou pelo menos parte dele). O próprio já tem algumas falhas, ainda por cima até a BBC continua a insistir em programas e homenagens a músicos com grande qualidade e nós fazemos nada.

Em tempos (2013 salvo erro, junto com os supostos novos canais) falava-se sobre uma rádio web da RTP só de informação e de lá nada saiu.

Entretanto fecharam a Antena 3 Rock e Dance, do nada, e sem aviso prévio, em Janeiro de 2016 (para mim passou despercebido).

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cerca de dez meses depois de entrar no ar,  a Rádio Estádio anuncia o seu fecho.

https://mundodaradio.blogspot.com/2020/03/radio-estadio-vai-fechar.html

O jornal Record relata que há trabalhadores com dois ordenados em atraso e subsídio de Natal por receber. A frequência no Porto era da Rádio 5 e em Lisboa era tipo Rádio Clube do Minho, onde a MFM era a titular da frequência. Só o tempo dirá o que vão fazer com as frequências - se a Rádio 5 e a MFM voltam ou se a Golo FM passe a emitir nas ditas.

Noutras notícias, a Marginal, a SBSR e a Rádio Amália partilham noticiários. Pelo que vi, cheguei a ouvir os boletins com a mesma jornalista a falar sobre coisas diferentes à mesma hora - algo me diz que a Música no Coração personaliza os temas a tratar nos noticiários com base no público-alvo da rádio. A Rádio Regional é mais uma das rádios que se junta à emissão de noticiários da Antena 1, mas não é um simultâneo completo, chega com atraso e para piorar metem o indicativo deles antes de começar o boletim da Antena 1 (supostamente a partir da parte em que acaba o sumário).

  • Shock 1
  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

E depois do triste encerramento dos estúdios de Braga, Évora fechou os seus também,  depois de cerca de 35 anos de actividade.

https://www.linhasdeelvas.pt/noticias/actual/15009-renascenca-deixa-hoje-instalacoes-da-arquidiocese.html

Uma parte substancial da produção local da RRM (Rádio Renascença Multimédia) perdeu-se com a crise há anos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

Dificuldades financeiras colocam Rádio Estádio fora de jogo:
https://www.meiosepublicidade.pt/2020/03/dificuldades-financeiras-colocam-radio-estadio-jogo/

Tal como a Rádio Sim, não se sabe quando é que vai fechar. A emissão continua, só não sei se foram feitas reduções.

Uma rádio desportiva a estar tão pouco tempo lembrou-me do caso de uma rádio desportiva britãnica, a TEAMtalk 252, que esteve no ar por bem menos tempo (Janeiro a Julho de 2002).

Edited by ATVTQsV

Share this post


Link to post
Share on other sites



Dificuldades financeiras colocam Rádio Estádio fora de jogo:
https://www.meiosepublicidade.pt/2020/03/dificuldades-financeiras-colocam-radio-estadio-jogo/
Tal como a Rádio Sim, não se sabe quando é que vai fechar. A emissão continua, só não sei se foram feitas reduções.
Uma rádio desportiva a estar tão pouco tempo lembrou-me do caso de uma rádio desportiva britãnica, a TEAMtalk 252, que esteve no ar por bem menos tempo (Janeiro a Julho de 2002).


Neste momento a Estádio só passa programas repetidos.

Enviado do meu Redmi Note 7 através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Um novo significado para o termo "cassete FM". Espero que surjam as soluções para substituir a Estádio e a Sim rapidamente.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

RUM: Praça do Município suspensa devido ao vírus.

@DonaldoC1997 @mavb98 Passou algo parecido nas rádios dos Açores?

ACTUALIZAÇÃO (17:43): Pelas 12:40 estavam a tocar o tema de Quer o Destino que já estava na playlist. No noticiário das 13 foi anunciado que a RUM tinha acabado de entrar em quarentena hoje. O programa musical Clube de Combate continuou na grelha.

Edited by ATVTQsV

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 5 horas, ATVTQsV disse:

RUM: Praça do Município suspensa devido ao vírus.

@DonaldoC1997 @mavb98 Passou algo parecido nas rádios dos Açores?

ACTUALIZAÇÃO (17:43): Pelas 12:40 estavam a tocar o tema de Quer o Destino que já estava na playlist. No noticiário das 13 foi anunciado que a RUM tinha acabado de entrar em quarentena hoje. O programa musical Clube de Combate continuou na grelha.

Não sei, só costumo ouvir rádio no carro ou quando os condutores dos autocarros o têm ligado.

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 1 minuto, mavb98 disse:

Não sei, só costumo ouvir rádio no carro ou quando os condutores dos autocarros o têm ligado.

Só oiço RUM no carro, tenho preguiça em entrar no stream deles :P

Outras notícias (algumas ligadas com o vírus):

  • A Golo FM decidiu mudar de formato, passando a emitir conteúdo sobre a saúde pública em tempos de vírus (Portugal está em estado de sítio gravíssimo) - coisa que se a Rádio Estádio não tivesse problemas, estaria a fazer agora mesmo (fora programas repetidos, há programas externos por emitir).
  • A Mega Hits tem a campanha #ficamegaemcasa com as "Home Music Sessions".
  • A Ana Markl regressou para a Antena 3.
  • Alguns apresentadores da Media Capital (Comercial e afins) estão a fazer a sua emissão de casa.
  • A Inês Maria Meneses fez o seu último programa da manhã na Radar no dia 28 de Fevereiro.

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 1 hora, ATVTQsV disse:
  • A Ana Markl regressou para a Antena 3.
  • A Inês Maria Meneses fez o seu último programa da manhã na Radar no dia 28 de Fevereiro.

Aparentemente a Ana Markl já vai voltar para casa pelo menos nos próximos dias. Isto porque a Antena 3 reduziu ao mínimo o pessoal de serviço e o número de painéis a partir de segunda, passando a ser: 7h Tiago Ribeiro, 11h André Santos, 15h Luís Oliveira, 19h Prova Oral, 20h Nuno Calado.

E quanto à Inês Meneses, já passam promos implícitas a ela na Antena 1.

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 1 minuto, miguelalex23 disse:

Aparentemente a Ana Markl já vai voltar para casa pelo menos nos próximos dias. Isto porque a Antena 3 reduziu ao mínimo o pessoal de serviço e o número de painéis a partir de segunda, passando a ser: 7h Tiago Ribeiro, 11h André Santos, 15h Luís Oliveira, 19h Prova Oral, 20h Nuno Calado.

E quanto à Inês Meneses, já passam promos implícitas a ela na Antena 1.

A MCR costuma usar o Skype para situações destas.

Algumas edições da Caderneta de Cromos já foram feitas em regimes parecidos. Na passagem de ano de 2010 para 2011 foi por chamada telefónica.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


×
×
  • Create New...