Jump to content

Notícias TVI


Recommended Posts

há 3 horas, fscd disse:

No outro dia houve uma discussão com quem geria a grelha do canal. Na ficha técnica dos programas reparem que aparece um tal de Carlos Barata como diretor de Antena, portanto deve ser ele a gerir os produtos na grelha. 

Eu acho que quem escolhe os horários é a Cristina. O diretor de antena deve ser a pessoa que ajuda a gerir as grelhas dos canais da TVI.

O Hugo Andrade faz o quê?

Link to post
Share on other sites
  • Replies 22.4k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

Felipa Garnel nova diretora de programas. Bruno Santos está out. Felipa Garnel assume Direção de Programas da TVI https://tvi24.iol.pt/sociedade/18-07-2019/felipa-garnel-assume-direcao-de-program

Ouro Verde ganhou o Emmy!

há 16 minutos, EFernando disse:

Ganha dinheiro :read:

Eu acho que a direção da TVI tem pessoas a mais. Não me admira se qualquer dia o Nuno Santos e o Hugo Andrade saltarem fora. É uma gestão demasiado complexa esta direção da TVI.

Link to post
Share on other sites

Eu acho que é que falta um diretor: um de ficção. A Cristina não tem experiência nenhuma na área e nunca deve ter acompanhado uma novela, visto que se deitava quando elas começavam. Alguém da Plural ou o Luís Esparteiro deviam ter essa posição.

  • Like 2
  • Love 1
Link to post
Share on other sites
há 1 hora, Colorida disse:

Eu acho que é que falta um diretor: um de ficção. A Cristina não tem experiência nenhuma na área e nunca deve ter acompanhado uma novela, visto que se deitava quando elas começavam. Alguém da Plural ou o Luís Esparteiro deviam ter essa posição.

Eu já pensei que ela pode ir buscar a Gabriela Sobral.

  • Sad 1
Link to post
Share on other sites
On 16/10/2020 at 18:47, dav01 disse:

Onde dá para ver esses prémios em detalhe, é que a SIC também os ganhou, gostava de saber quantos ouros teve o respetivo canal. 

Sei que a TVI ganhou Prata pelo genérico de Amar Demais, e a SIC Bronze pelo de GdS.

Link to post
Share on other sites
há 2 horas, Colorida disse:

Eu acho que é que falta um diretor: um de ficção. A Cristina não tem experiência nenhuma na área e nunca deve ter acompanhado uma novela, visto que se deitava quando elas começavam. Alguém da Plural ou o Luís Esparteiro deviam ter essa posição.

Penso que a Felipa Garnel poderia ser mais valia, não só na ficção como no entretenimento.

Foi ela que aprovou Quer o Destino e Amar Demais. 

  • Like 2
  • Love 1
Link to post
Share on other sites
há 50 minutos, EFMR disse:

Eu já pensei que ela pode ir buscar a Gabriela Sobral.

Isso seria bom para a TVI, ela tem imensa experiência e conhece muitos atores, sendo amiga até de alguns. Mas duvido que a Cristina a vá buscar.

Mas a realidade é que a Cristina não tem experiência nenhuma nessa área o que é uma desvantagem para ela. Ela vai ter que relançar a ficção do canal e aproximá-la outra vez das pessoas, não é fácil.

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

Vocês falam da Cristina como se ela estivesse sozinha. Apesar de ela ser o rosto principal, e de parecer ainda mais "dona" por ser acionista, da direção dela fazem parte mais 3 pessoas. Um realizador, um produtor e a ex-diretora da Endemol. Tal como a analogia que utilizaram aqui, no fundo é ela e os seus secretários de estado, com grandes conhecimentos e experiência em televisão.

Link to post
Share on other sites
On 19/10/2020 at 12:50, D91 disse:

Eu acho que a direção da TVI tem pessoas a mais. Não me admira se qualquer dia o Nuno Santos e o Hugo Andrade saltarem fora. É uma gestão demasiado complexa esta direção da TVI.

O facto da direção da TVI ter pessoas a mais é resultado da chegada da Cristina. As pessoas que estavam nos lugares agora ocupados pela equipa da CF tiveram de ser colocadas noutros sítios ... e por isso foram criados cargos à medida das pessoas e não das necessidades da TVI. Não digo com isto que a estrutura não seja adequada, mas a realidade é que a TVI tem quase tantos apresentadores quanto diretores. 

Edited by AMtv99
  • Like 2
Link to post
Share on other sites

“Deteriorações de 77 milhões” no acordo de venda da Media Capital prejudicam resultados da Prisa

spacer.png

O acordo de venda da Media Capital é apontado pela espanhola Prisa, a par dos efeitos da pandemia covid-19 sobre o sector dos media, como um dos factores responsáveis por perdas de 209 milhões de euros no resultado líquido dos primeiros nove meses de 2020. No período, a empresa espanhola, que no passado mês de Setembro anunciou a venda da sua participação na Media Capital por 36,8 milhões de euros, registou um EBITDA de 82 milhões de euros, valor que representa uma quebra na ordem dos 50% face aos 165 milhões de euros alcançados no período homólogo em 2019.

“Os resultados entre Janeiro e Setembro, em conformidade com o esperado, viram-se afectados pela covid-19, especialmente no negócio dos media”, começa por justificar a Prisa em comunicado, onde refere que “a pandemia teve um efeito negativo de 166 milhões nas receitas e de 119,4 milhões no EBITDA”.

“O grupo realizou um grande esforço na contenção de custos, atingindo, em Setembro, 80% do cumprimento total do plano de contingência implementado em todas as unidades de negócio para atenuar os efeitos negativos da covid-19. Prevê-se que, no final do ano, este plano de poupança supere os 40 milhões comprometidos”, informa ainda a empresa espanhola, chamando ainda atenção para o facto de que “o tipo de câmbio também teve um efeito negativo de 44 milhões nas receitas e de 5,4 milhões no EBITDA, devido às desvalorizações no México, Argentina e Brasil”.

“Por outro lado, o resultado líquido lança perdas de 209 milhões como consequência do impacto da covid-19, das deteriorações de 77 milhões procedentes do acordo de venda da Media Capital, da deterioração da totalidade dos créditos fiscais pendentes em Espanha, avaliados em 64,55 milhões, e das deteriorações de 21,9 milhões dos activos da rádio no México e no Chile”, justifica o grupo espanhol.

No processo de venda da dona da TVI, recorde-se, a CMVM considera ter havido, entre a Pluris de Mário Ferreira e a Prisa, o “exercício concertado de influência sobre a Media Capital”. Em causa está o acordo sobre direitos de preferência na venda de acções da empresa espanhola anunciado por Mário Ferreira no passado dia 15 de Maio aquando da comunicação ao mercado de que tinha concretizado a aquisição de cerca de 30% das acções da Media Capital.

Entretanto, também a ERC decidiu abrir um processo de contraordenação contra a Vertix/Prisa e a Pluris/Mário Ferreira pela “existência de fortes indícios da ocorrência de uma alteração não autorizada de domínio sobre os operadores de rádio e de televisão a operar sob licença que compõem o universo da Media Capital”.

Fonte:https://www.meiosepublicidade.pt/2020/10/deterioracoes-77-milhoes-no-acordo-venda-da-media-capital-prejudicam-resultados-da-prisa/

Link to post
Share on other sites
On 19/10/2020 at 12:27, D91 disse:

Eu acho que quem escolhe os horários é a Cristina. O diretor de antena deve ser a pessoa que ajuda a gerir as grelhas dos canais da TVI.

O Hugo Andrade faz o quê?

O diretor de antena ajuda a gerir as grelhas? Se é diretor manda, não ajuda. A Cristina manda nos programas e nas novelas, não nos horários.

Link to post
Share on other sites
há 1 minuto, Peter disse:

O diretor de antena ajuda a gerir as grelhas? Se é diretor manda, não ajuda. A Cristina manda nos programas e nas novelas, não nos horários.

Quem escolhe os horários supostamente não é o diretor de programas?

Eu acho que na SIC, por exemplo, é o Daniel Oliveira que escolhe os horários dos programas da SIC. Na TVI deve ser a Cristina ou o Nuno Santos, é o que faz mais sentido.

Link to post
Share on other sites

:clap: q
TVI MAIS PERTO DA LIDERANÇA 

Spoiler

 

A TVI está mais perto dos portugueses e consegue, em outubro, encurtar a diferença para o canal líder.

De acordo com os dados da CAEM/GfK, a TVI alcança 16,5% de share no all day, o que representa um valor sólido pelo sétimo mês consecutivo.

Já no prime time, os 19,4% conquistados representam também uma aproximação ao canal que ocupa a primeira posição.

No principal target comercial ABCD 15/54, a TVI regista um crescimento de quase 40% face ao período homólogo do ano passado.

O entretenimento, a ficção, a informação e o desporto transmitidos na antena da TVI deram um contributo importante para a continuação do crescimento das nossas audiências.

Entretenimento 

O mês de outubro reafirmou os bons resultados das manhãs com o “Você na TV”.

No prime time, “Bem Me Quer”, a mais recente ficção da TVI, tem vindo a conquistar espectadores, registando uma audiência média superior a 1 milhão de espectadores, estabelecendo também a menor diferença para a liderança no prime time desde junho de 2019. No digital e no acumulado das redes sociais da novela no Facebook e Instagram, só nos primeiros 5 dias de emissão foram alcançadas 500,000 pessoas.

“Amar Demais” obtém mais de 1 milhão de espectadores.

Também a novela “Quer o Destino”, que terminou em outubro, se revelou determinante para os resultados mensais, já que reforçou o segundo horário de exibição, e obteve um resultado no final de quase 1 milhão e 200 mil espectadores.

“Big Brother – A Revolução”, apresentado por Teresa Guilherme cativou, em média, 858 mil espectadores, na faixa das 21h45 às 00h45 e conseguiu um share de 21,8%, reafirmando o lugar de programa favorito dos portugueses nos serões de domingo.

Durante a semana o programa é líder no importante horário do late-night com uma quota de mercado de 19,1.

Informação 

Os resultados alcançados pela Informação TVI deram um importante contributo para o desfecho do mês de outubro, tanto no J1como no J8, dois espaços noticiosos que têm vindo a gerar uma nova dinâmica na informação.

Em outubro a TVI teve duas importantes entrevistas em direto: uma com o Primeiro Ministro António Costa e outra com o presidente do Futebol Clube do Porto, Pinto da Costa (a primeira em 21 anos), que sublinham a relevância da informação do canal.

No digital a ferramenta QR Code, associada à Informação da TVI permitiu só no último dia do mês, mais de 250.000 visualizações das medidas anunciadas pelo Primeiro Ministro.

Desporto

A TVI transmitiu em outubro dois jogos da Liga dos Campeões, com o FC Porto, que alcançaram 1 milhão e 706 mil espectadores e uma quota de 33,2%, valor que sobe para os 40,1% no target masculino.

O contínuo crescimento das audiências deve-se à atenção que a TVI tem vindo a dar aos gostos e preferências dos espectadores e ao empenho em oferecer um produto de qualidade, seja através do jornalismo ou do entretenimento.

Na TVI prosseguimos o caminho de aproximação ao nosso público. A diversificação da nossa oferta de conteúdos, o profissionalismo dos nossos apresentadores, atores, jornalistas e equipa técnica, aliados à criatividade e resiliência, permitem acreditar que a TVI prossegue o seu caminho de sucesso.

Fonte:MC Share

 

 

Edited by dav01
Link to post
Share on other sites
há 27 minutos, Cusco disse:

TVI, o canal que não é líder mas está lá quase :clap:

É marketing, para convencer as pessoas acreditar e a mudar-se para a Tvi. 

  • LOL 3
Link to post
Share on other sites

A verdade é que a diferença mensal entre SIC e TVI continua assim a reduzir-se: 5 pontos percentuais de diferença em julho, 3.9 p.p. em agosto, 3.1 p.p. em setembro e agora 2.3 p.p. em outubro. É mesmo a margem mais curta entre os dois canais desde abril de 2019, altura em que estavam separados por 1.9 p.p.

Veremos mas o Novembro vem sem grandes novidades acho que é capaz de se manter perto dos 3 pontos de diferença...

  • Like 2
Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

×
×
  • Create New...