Jump to content
tv123

Santa Bárbara

Recommended Posts

É muito difícil perceber que drama e comédia não se deviam misturar? Eu nunca vi uma serie ou um filme de drama e suspense com pseudo comédia lá pelo meio.

 

Nisso não concordo. As novelas de agora têm de ter um pouco de tudo e os núcleos cómicos ajudam a "desenjoar" da trama principal. É importante uma novela dramática ter algumas personagens mais leves. Por exemplo, em Doce Tentação, o núcleo cómico era a melhor coisa da novela. Simplesmente porque a Sandra Santos no humor é a diva. Em Mundo ao Contrário - novela super pesada -, o núcleo cómico nunca se misturou por completo mas estava lá. Fez bem à novela ter a Sheila para não ter só drama (mais uma vez, foi a Sandra). Agora, se há autores que não sabem jogar com o núcleo cómico? Claro que sim, o Barreira é exemplo disso. DC ficou terrível também por causa do exagero e OBDE tinha personagens cómicas que não o eram. Mas eu acho bem que apostem em personagens deste tipo. É preciso é saber trabalhar com elas  :)

Edited by JoãoCruz
  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

É muito difícil perceber que drama e comédia não se deviam misturar? Eu nunca vi uma serie ou um filme de drama e suspense com pseudo comédia lá pelo meio.

Bem, então se não se devem misturar ou iam ficar coisas exclusivamente dramáticas ou cómicas. E é bom a mistura das duas coisas para equilibrar.

 

Os filmes não são o melhor exemplo, mas Game of Thornes, não sei se vês, mas aquilo de comedia pouco tem, é sempre drama e suspense a toda a hora, e não deixa de ser a melhor serie atualmente, e não têm comedia, assim como Modern Family não têm drama, já estou a imaginar alguém a decapitar o Ned Stark e depois aparece a Ana Malhoa a cantar "Eu sou latina". :lol:

Não percebi esses exemplos. Tanto em Game of Thrones existem momentos cómicos, como em Modern Family existem momentos mais dramáticos.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não percebi esses exemplos. Tanto em Game of Thrones existem momentos cómicos, como em Modern Family existem momentos mais dramáticos.

Não, não têm momentos cómicos, podem ter uma ou outra tirada, e mais não sei quê, mas personagens totalmente cómicas não têm, nem interrompem uma cena para dar destaque a essa personagem.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu adoro núcleos cómicos, desde que bem construídos, não forçados e naturais. Nisso a Sandra Santos era fantástica.

Acho que deve existir um pouco de tudo numa novela pois ver sempre a mesma coisa cansa. Todos os ingredientes contam para um bom produto. Deve-se dosear as coisas. Agora não concordo numa novela dramática e pesada, apareça lá um núcleo caído do céu e forçado. Para isso não aparece. O ideal é que esse núcleo tenha ligações com outros núcleos, não estando desenquadrando da história, mesmo tendo a história deles.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acho que a Sheila Pina de MaC foi das melhores personagens cómicas dos últimos tempos, e não aparecia de forma forçada e estava bem enquadrada com os restantes núcleos, Saudades <3

 

Já na mesma novela achei que a personagem da Maria João Abreu e o marido só foram pra lá encher e tornar a novela mais leve, e não acrescentaram nada.


Eu adorava a Liliane Marise, mas aqueles ultimos meses onde ela foi raptada pela outra velha foram tortura :mosking:

Edited by Fofusco
  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Realmente o meu comentário só gente com mestrado ou doutoramento é capaz de perceber, na volta até têm que ser tirado em Havard.

 

É muito difícil perceber que drama e comédia não se deviam misturar? Eu nunca vi uma serie ou um filme de drama e suspense com pseudo comédia lá pelo meio.

 

 

Pelo vistos, precisas mesmo desse mestrado ou doutoramento, visto que ninguém concordou contigo. lol

 

E tal como já disseram, aqui está-se a falar de novelas. Todas têm a sua dose de comédia/acção, todas. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pelo vistos, precisas mesmo desse mestrado ou doutoramento, visto que ninguém concordou contigo. lol

 

E tal como já disseram, aqui está-se a falar de novelas. Todas têm a sua dose de comédia/acção, todas. 

Primeiro desde quando se tira mestrado para concordarem connosco?

 

Segundo Tempo de Viver e Ninguém como Tu não tinham núcleos cómicos, podiam ter um alivio ou outro, algum sarcasmo mas não têm um nucleo/personagem que esteja lá só para a comédia, e não fez falta nenhuma.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu também adorei a Sheia Pina e o facto de ela ter sido interpretada pela Helena Costa foi meio caminho andando para resultar e ficar na memória de todos pelos melhores motivos, mas, para mim, a comédia mais equilibrada e natural é a da Maria João Mira, que sabe criar personagens que têm graça por si mesmas e que não perdem a humanidade por estarem inseridas num núcleo cómico nem precisam de sujeitar-se a situações especiais para nos divertirem. Este tipo de comédia não destoa das situações mais dramáticas porque não compromete o realismo da história.

Edited by Buwayh
  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu também gosto muito dos núcleos cómicos da Mira :D

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Porque a Mira não faz exatamente núcleos cómicos, faz é personagens em dado momento terem comédia, o Gil tem aquele jeito atrapalhado, mas é uma personagem que faz falta na novela, ele anda sempre metido no meio das coisas, a Dª Gloria também embora menos, assim como a Lisa e a Madalena que são vilãs, mas ao mesmo tempo conseguem soltar uma gargalhada a quem vê.

 

Em Belmonte por exemplo achei bastante piada quando os irmãos entraram no corral, e a Luísa e o Lucas estavam em preparos menos próprios, foi de rir, e nenhum deles é uma personagem cómica, eu detesto a comédia forçada, e personagens non sense inseridas para esse propósito, só acabam por atrapalhar.

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Porque a Mira não faz exatamente núcleos cómicos, faz é personagens em dado momento terem comédia, o Gil tem aquele jeito atrapalhado, mas é uma personagem que faz falta na novela, ele anda sempre metido no meio das coisas, a Dª Gloria também embora menos, assim como a Lisa e a Madalena que são vilãs, mas ao mesmo tempo conseguem soltar uma gargalhada a quem vê.

 

Em Belmonte por exemplo achei bastante piada quando os irmãos entraram no corral, e a Luísa e o Lucas estavam em preparos menos próprios, foi de rir, e nenhum deles é uma personagem cómica, eu detesto a comédia forçada, e personagens non sense inseridas para esse propósito, só acabam por atrapalhar.

 

Sim, as vezes os núcleos cómicos nem teem piada porque são forçados, e são sempre a mesma coisa... o pseudo núcleo de humor de Jardins e prova disso, que piada tem aquilo? :O

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não, não têm momentos cómicos, podem ter uma ou outra tirada, e mais não sei quê, mas personagens totalmente cómicas não têm, nem interrompem uma cena para dar destaque a essa personagem.

 

Segundo Tempo de Viver e Ninguém como Tu não tinham núcleos cómicos, podiam ter um alivio ou outro, algum sarcasmo mas não têm um nucleo/personagem que esteja lá só para a comédia, e não fez falta nenhuma.

 

Ah, o que tu não concordas é com núcleos feitos apenas com o propósito de serem cómicos.

Tinhas dito que o drama e a comédia não se deviam misturar...

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Porque a Mira não faz exatamente núcleos cómicos, faz é personagens em dado momento terem comédia, o Gil tem aquele jeito atrapalhado, mas é uma personagem que faz falta na novela, ele anda sempre metido no meio das coisas, a Dª Gloria também embora menos, assim como a Lisa e a Madalena que são vilãs, mas ao mesmo tempo conseguem soltar uma gargalhada a quem vê.

 

Em Belmonte por exemplo achei bastante piada quando os irmãos entraram no corral, e a Luísa e o Lucas estavam em preparos menos próprios, foi de rir, e nenhum deles é uma personagem cómica, eu detesto a comédia forçada, e personagens non sense inseridas para esse propósito, só acabam por atrapalhar.

 

Sob esse ponto de vista, concordo contigo. Eu também não aprecio personagens que tenham uma única função numa novela ou numa série, seja divertir, seja emocionar ou despertar ódio, mas acho que a diversidade enriquece as obras de ficção e torna-as mais apelativas para um número maior de pessoas.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu não gosto de núcleos cómicos. Gosto de personagens divertidas mas que não sejam feitas só para isso como acontecia com algumas da Doida por ti...

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu não gosto de núcleos cómicos. Gosto de personagens divertidas mas que não sejam feitas só para isso como acontecia com algumas da Doida por ti...

D Preciosa e Manuela Couto definem :D

 

Por exemplo, em BdE não podia com o núcleo cómico fake (não quero desvalorizar o trabalho dos actores), e quando surgiram as mudanças na novela, sempre pensei que alterassem esse núcleo, que era o maiis fraco, e não mexessem nos mais interessantes - vilá/Rita/Fernando, Paulo e Miguel.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Que esta novela seja uma pareceria do Matos com o Artur Ribeiro :D Ia dar qualquer coisa digna de uma série americana.

 

Eu acho tão, mas tão errado a maneira como vocês pensam de chamar escritores só porque tiverem 1/2 boas novelas... :| O Pedro Lopes também fez uma boa adaptação de Dancin' Days capaz de segurar sempre bons números, e Sol de Inverno já foi o que foi, que pouco interesse conseguia segurar nos espectadores, caso contrário mantinha os "muito" bons resultados das primeiras semanas. 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Primeiro desde quando se tira mestrado para concordarem connosco?

 

Segundo Tempo de Viver e Ninguém como Tu não tinham núcleos cómicos, podiam ter um alivio ou outro, algum sarcasmo mas não têm um nucleo/personagem que esteja lá só para a comédia, e não fez falta nenhuma.

 

Tu é que disseste isso primeiro, lol. 

 

A própria escrita irónica do Vilhena implicava já a sua dose de comédia nas personagens, que não eram 100% carne, nem peixe, eram bife de atum. Em ''Tempo de Viver'', talvez o Braúlio se assemelhe mais ao estereótipo de ''cromo''. Em ''Ninguém Como Tu'', de comédia tinhas a D. Conceição, e a guerra que ela criou com a Eugénia, por estar apaixonada pelo pai da Luíza (R.I.P.). Mas tal como já disse, não havia alguém definido como cómico, pois todas as personagens tinham os seus objetivos, os seus podres, e as suas ''saídas'' mais engraçadas, embora umas mais que outras, é claro.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu acho tão, mas tão errado a maneira como vocês pensam de chamar escritores só porque tiverem 1/2 boas novelas... :| O Pedro Lopes também fez uma boa adaptação de Dancin' Days capaz de segurar sempre bons números, e Sol de Inverno já foi o que foi, que pouco interesse conseguia segurar nos espectadores, caso contrário mantinha os "muito" bons resultados das primeiras semanas.

Não se pode resumir a vida profissional de alguém à escrita de novelas.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu gosto muito do Pedro Lopes, mas a culpa foi da SIC que não lhe dava descanso. Espero que ele volte no futuro com um novelão. :)

 

Quanto à substituta de Jardins Proibidos podia ser do Artur Ribeiro e depois vinha a nova novela do João Matos.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu acho tão, mas tão errado a maneira como vocês pensam de chamar escritores só porque tiverem 1/2 boas novelas... :| O Pedro Lopes também fez uma boa adaptação de Dancin' Days capaz de segurar sempre bons números, e Sol de Inverno já foi o que foi, que pouco interesse conseguia segurar nos espectadores, caso contrário mantinha os "muito" bons resultados das primeiras semanas. 

True Story, acho que os autores em Portugal precisam de mais tempo para voltarem a fazer boas histórias e depois há uma coisa que também deviam fazer, apostar em novos autores...

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na Globo os autores chegam a estar dois anos a preparar as suas novas novelas. Em Portugal é tudo feito em cima do joelho. :(

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na Globo os autores chegam a estar dois anos a preparar as suas novas novelas. Em Portugal é tudo feito em cima do joelho. :(

2? Às vezes até mais. O João Emanuel Carneiro teve/vai ter 3 anos de descanço após AB; o Gilberto Braga escreveu a sua última novela em 2011 e RB só estreia em 2015...

Edited by DiogoGraca
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

2? Às vezes até mais. O João Emanuel Carneiro teve/vai ter 3 anos de descanço após AB; o Giberto Braga escreveu a sua última novela em 2011 e RB só estreia em 2015...

Verdade. Em Portugal apostam quase sempre nos mesmos autores e em poucos meses já tem a novela feita.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tu é que disseste isso primeiro, lol.

A própria escrita irónica do Vilhena implicava já a sua dose de comédia nas personagens, que não eram 100% carne, nem peixe, eram bife de atum. Em ''Tempo de Viver'', talvez o Braúlio se assemelhe mais ao estereótipo de ''cromo''. Em ''Ninguém Como Tu'', de comédia tinhas a D. Conceição, e a guerra que ela criou com a Eugénia, por estar apaixonada pelo pai da Luíza (R.I.P.). Mas tal como já disse, não havia alguém definido como cómico, pois todas as personagens tinham os seus objetivos, os seus podres, e as suas ''saídas'' mais engraçadas, embora umas mais que outras, é claro.

O Vilhena era mestre na comedia, ele faz tanta falta! Adorava as novelas dele, era de longe o melhor autor de novelas nacional, pra mim.
  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tu é que disseste isso primeiro, lol.

A própria escrita irónica do Vilhena implicava já a sua dose de comédia nas personagens, que não eram 100% carne, nem peixe, eram bife de atum. Em ''Tempo de Viver'', talvez o Braúlio se assemelhe mais ao estereótipo de ''cromo''. Em ''Ninguém Como Tu'', de comédia tinhas a D. Conceição, e a guerra que ela criou com a Eugénia, por estar apaixonada pelo pai da Luíza (R.I.P.). Mas tal como já disse, não havia alguém definido como cómico, pois todas as personagens tinham os seus objetivos, os seus podres, e as suas ''saídas'' mais engraçadas, embora umas mais que outras, é claro.

No caso do Vilhena, as tiradas das personagens são espontâneas e sarcásticas e isso é que têm piada. Eu por um lado concordo com o João porque um núcleo cómico enche-chouriços devia ser banido, mesmo que a novela fosse pesada. O ideal é criar um núcleo cómico que também esteja interligado com os outros e que seja o mais natural possível. E quem diz um núcleo diz uma ou duas personagens... Não é obrigatório mas é um bom ingrediente para o produto. E fazer comédia também tem que se lhe diga, não é fácil. Não podem deixar as personagens cair no ridículo.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


×
×
  • Create New...