Jump to content
_zapping_

Literatura

Recommended Posts

agora mesmo, Samuel disse:

Os melhores da Christie são "As Dez Figuras Negras" e "Um Crime no Expresso do Oriente" e quem disser o contrário está a mentir.

O segundo não li porque já vi o filme, então já sei o final :ph34r:

Mas também não li muitos dela, li para aí uns 4 (e tirando o Roger, os outros 3 eram com a Miss Marple, que eu amo). Eu gosto de ir variando nos autores, para não enjoar dos mesmos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
agora mesmo, Forbidden disse:

O segundo não li porque já vi o filme, então já sei o final :ph34r:

Mas também não li muitos dela, li para aí uns 4 (e tirando o Roger, os outros 3 eram com a Miss Marple, que eu amo). Eu gosto de ir variando nos autores, para não enjoar dos mesmos.

Sim, um dos problemas que tive com a Christie foi precisamente ter lido bastantes livros seus sem variar. Claro que a dada altura me cansei um pouco.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 6 minutos, Samuel disse:

Os melhores da Christie são "As Dez Figuras Negras" e "Um Crime no Expresso do Oriente" e quem disser o contrário está a mentir.

É o meu favorito dela. O twist no final é muito bom. :D Também gosto muito dos 4 Relógios. 

Chegaste a ver a adaptação da BBC do Figuras Negras? Eu também gostei, mas nada como ler.

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 35 minutos, Bloody disse:

É o meu favorito dela. O twist no final é muito bom. :D Também gosto muito dos 4 Relógios. 

Chegaste a ver a adaptação da BBC do Figuras Negras? Eu também gostei, mas nada como ler.

Ainda não li os 4 Relógios. Atualmente estou a ler "A Casa Torta".

Sim, vi logo quando saiu e gostei bastante. Claro que sabendo como termina a história não tem tanta piada, mas foi uma adaptação bem feita.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
as minhas leituras do mês de abril:
 
Oliver Twist [Charles Dickens] - prosa
Comecei abril com o livro Oliver Twist de Charles Dickens, numa nova edição pela Saída de Emergência. É uma história com pouco de interessante para quem queira ler algo novo ou entusiasmante, porque Oliver Twist é basicamente um dramalhão sobre as aventuras e desventuras de um menino órfão. O pequeno Oliver procura sobreviver numa sociedade marcada pela fome, pela miséria e pela violência. Mas é sempre um prazer ler Charles Dickens e o seu retrato realista da Inglaterra do séc. XIX. Oliver Twist é um livro emocional e trágico, mas também esperançoso.
 
Ubik [Philip K. Dick] - prosa
Publicado pela Relógio D'Água em 2017, Ubik é um livro intemporal escrito por um dos nomes grandes da ficção científica, Philip K. Dick. É uma ficção científica interessantíssima, que debate temas como a divindade ou a vida após a morte num contexto ficcional. Ubik é um livro futurista, apesar de ser passado nos anos 90, uma vez que foi publicado no final dos 60. Estamos na Nova Iorque dos anos 90, onde uma empresa chamada Runciter Associates oferece o serviço de telepatas para espionagem industrial, fabricando estimativas e previsões para o sucesso dos negócios. Glen Runciter é-nos apresentado como um homem quebrado com a morte da esposa, Ella, ou melhor, quase morte. Quando embarca numa viagem a Luna, Runciter é o único elemento da sua equipa que morre. Ou será o contrário?
 
Kick-Ass [Mark Millar e John Romita Jr.] - BD
Pela G Floy Studio chegou Kick-Ass, novela gráfica de Mark Millar e John Romita Jr. Dave Lizewski queria ser um super-herói, e ao contrário de vocês, decidiu que ia tomar o seu destino nas mãos, e seguir o seu sonho. Com um fato de mergulho e uma máscara depois, a cidade começou a reparar no seu novo super-herói, ainda que possa não revelar grande talento para a coisa. Nunca vi a adaptação cinematográfica com Aaron Taylor-Johnson e Nicolas Cage, mas gostei bastante.
 
Admirável Mundo Novo [Aldous Huxley] - prosa
Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley é aquele clássico distópico que ninguém pode deixar de ler. Numa edição da Antígona, conheci uma nova perspectiva sobre governos autocráticos, bem diferente do que conheci em 1986. Trata-se de uma parábola fantástica sobre a desumanização dos seres humanos, realçando as características mais negativas da evolução humana e da manipulação pela ciência. O livro descreve uma sociedade futura em que as pessoas seriam condicionadas em termos genéticos e psicológicos, a fim de se conformarem com as regras sociais dominantes, que lhes oferece tudo o que precisam para serem felizes. É um aviso sério para onde a nossa sociedade tende a evoluir, caindo na ilusão de uma vida fácil e luxuosa quando apenas está a ser mantida de olhos tapados.
 
Fim de Turno [Stephen King] - prosa
Cheguei finalmente ao derradeiro volume da trilogia Bill Hodges de Stephen King. Publicado pela Bertrand, Fim de Turno volta a cimentar Bill Hodges como o grande protagonista e Brady Hartsfield como o grande vilão da trilogia. Recorrendo ao sobrenatural pela primeira vez com forte incidência nesta trilogia, King faz-nos vibrar com a ardileza de um protagonista vergado pela doença e com a inteligência calculista e cobarde de um vilão que não apresentou grande desafio como Assassino do Mercedes. Pelo menos, para o grande Hodges. Com uma conclusão consistente, competente e dramática, Fim de Turno é um thriller mas também fala muito sobre como as doenças devem ser encaradas, da descoberta tardia de um cancro à problemática do suicídio.
 
Singularidades [Jeff Lemire e Dustin Nguyen] - BD
No terceiro volume da BD Descender, Singularidades, Jeff Lemire e Dustin Nguyen trazem-nos um álbum mais reflexivo. Ele começa e termina mais ou menos no mesmo ponto em que se encerrou o segundo volume, mas essa falta de avanço prático não vem retirar qualidade à série, não obstante a sua quebra de ritmo. É um livro que serve para nos mostrar ao certo quem são estas personagens que conhecemos até agora, o porquê de estarem onde estão e o passado que, de uma maneira ou de outra, os liga. Através de flashbacks, sabemos o que aconteceu com TIM-21, TIM-22, Telsa, Bandit, Broca, Andy e Effie. Apesar de morno, foi uma leitura bem gratificante, que deixa antever um quarto volume mais vibrante para esta publicação da G Floy Studio Portugal.
 
Um Trono Negro [Kendare Blake] - prosa
Um Trono Negro é o segundo volume da série YA de Kendare Blake Três Coroas Negras, publicada entre nós pela Porto Editora. Se o primeiro volume não me agradou muito, apesar de me sentir afeiçoado às personagens e às histórias ricas e bem construídas, este segundo veio confirmar as minhas piores expectativas, com a maioria das personagens a falarem como se fossem adolescentes, independentemente da idade ou da experiência de vida. Com alguns elementos interessantes e um final apetecível, o livro que conta a luta de três irmãs gémeas por uma coroa marca também por algumas reviravoltas e momentos de ação, que não chegaram contudo para que me tenha agradado, num espectro geral.
 
O Núcleo [Peter V. Brett] - prosa
Publicado pela Coleção 1001 Mundos das Edições ASA, O Núcleo é o quinto e último volume da série Ciclo dos Demónios de Peter V. Brett. Adorei as evoluções de Leesha, Jardir, Inevera e Abban, o papel desempenhado por Arlen e o despertar de um Enxame de demónios, bem como a minúcia das descrições destes. Na senda dos livros anteriores, O Núcleo apresenta uma conclusão competentíssima (e sem flashbacks) ainda que tenha ficado claro que nem tudo acaba aqui. É lógico que haverão novas aventuras no mundo de Thesa e que as crianças terão papel de protagonistas numa série subsequente.
 
O Destino do Assassino [Robin Hobb] - prosa
E a última opinião do mês é O Destino do Assassino de Robin Hobb. O último livro da Saga Assassino e o Bobo vem dar respostas a anos de espera e finalizar a história de uma das minhas personagens preferidas, FitzCavalaria Visionário. Parte elementar da Coleção Bang! da editora Saída de Emergência, a obra de Robin Hobb fala da relação entre Fitz, o Bobo e o lobo Olhos-de-Noite, mas vem adicionando a pouco e pouco muitos elementos incríveis, como é o caso, nesta última série, do sequestro da jovem Abelha. Há uma mistura de sentimentos durante a leitura e após a conclusão do livro. Há a fome de o terminar e o desejo que não termine nunca, há o não saber o que achar, o não saber como engolir esta chuva de acontecimentos e o desfecho que Robin Hobb atribuiu aos seus personagens, que fazem invariavelmente parte de todos os que acompanham as aventuras de Fitz desde o primeiro momento. Hobb é única e incrível naquilo que faz.
 

Share this post


Link to post
Share on other sites
On ‎27‎-‎03‎-‎2019 at 19:41, Duarte disse:

 

olha, eu comecei a lê-lo uma vez e parei. depois voltei e li até ao fim. é bom e recomendo 

Entretanto comecei a lê-lo, acabei hoje. No geral achei razoável, tem umas partes chatas e as personagens principais são bem desagradáveis (tirando o Basil, que nem aparece muito), e está carregado de filosofia barata... mas é um livro bem escrito. Mas sendo um clássico esperava bem mais... mas pronto, deu para passar o tempo.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 3 horas, Forbidden disse:

Entretanto comecei a lê-lo, acabei hoje. No geral achei razoável, tem umas partes chatas e as personagens principais são bem desagradáveis (tirando o Basil, que nem aparece muito), e está carregado de filosofia barata... mas é um livro bem escrito. Mas sendo um clássico esperava bem mais... mas pronto, deu para passar o tempo.

Barata  que sentido? De não ser profunda ou muito comum e básica? 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 1 hora, Duarte disse:

Barata  que sentido? De não ser profunda ou muito comum e básica? 

De ser básica e pretensiosa... não sei, aqueles longos discursos do Henry por exemplo eram irritantes, isto para mim pelo menos. Ea maneira snob como ele falava, credo :ph34r:

Aliás, tanto o Henry como o Dorian eram extremamente snobs e irritantes, não dava para torcer ou ter simpatia por eles.

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 1 hora, Forbidden disse:

De ser básica e pretensiosa... não sei, aqueles longos discursos do Henry por exemplo eram irritantes, isto para mim pelo menos. Ea maneira snob como ele falava, credo :ph34r:

Aliás, tanto o Henry como o Dorian eram extremamente snobs e irritantes, não dava para torcer ou ter simpatia por eles.

Mas a ideia era essa... 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
há 15 minutos, Duarte disse:

Mas a ideia era essa... 

Sim, mas torna a leitura cansativa, porque não tens ninguém com quem te importes na trama, e isso é essencial em qualquer história. Mas enfim, eu falo apenas por mim, é um clássico, resistiu ao teste do tempo por isso tem o seu mérito. Mas por exemplo um livro como o "Mildred Pierce", que aparentemente é tão simples na escrita (e no entanto é bem complexo na abordagem humana que faz), para mim é muito mais cativante. Esse livro para mim foi uma surpresa, porque mesmo eu já tendo visto o filme e a minissérie, mesmo já sabendo tudo o que iria acontecer, o livro cativou-me imenso, aliás, as personagens brilham mais no livro, são melhor desenvolvidas, tem mais camadas... aliás, eu até acho que são polos opostos nesse sentido, o Mildred Pierce tem muito mais substancia sobre a forma, já o Retrato de Dorian Gray esforça-se muito para ter uma forma estilosa e sofisticada mas perde na essência.

Edited by Forbidden

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
as minhas leituras de maio:
 
O Homem de Giz [C.J. Tudor] - prosa
Publicado pela Editorial Planeta, O Homem de Giz é o romance de estreia de C.J. Tudor, laureado pelo público generalizado de thrillers. A minha opinião sobre este livro divide-se em quatro fases: primeiros dois, três capítulos bons, restante da primeira metade horrível, segunda metade muito boa, último capítulo totalmente dispensável. Em 1986, Eddie vive com os seus amigos numa pacata cidade, mas quando um acidente num parque de diversões magoa uma rapariga por quem um professor local se apaixona e a jovem é assassinada algum tempo depois, a vida deles não voltará a ser a mesma. O livro tinha tudo para me agradar, mas acabou por me parecer uma imitação pálida de Stephen King.
 
A Sombra do Vento [Carlos Ruiz Zafón] - prosa
Pelas mãos da D. Quixote, A Sombra do Vento é o primeiro volume da série Cemitério dos Livros Esquecidos e o mais famoso romance de Carlos Ruiz Zafón. O livro começa em 1945, quando o pequeno Daniel Sempere é levado pelo pai a um lugar mítico da Barcelona de então e lhe é dada a possibilidade de levar um livro à sua escolha. O menino escolhe um livro chamado A Sombra do Vento de um escritor de que nunca ouvira falar: Julián Carax. Apaixonado pela história sombria e pelo mistério em volta do escritor, uma vez que poucos foram os que ouviram falar dele, Daniel dedica-se a destrinçar a vida do autor, sem imaginar como a sua história e a sua se viriam a entrelaçar. Um romance incrível e cativante a todos os níveis.
 
Deadpool Mata os Clássicos [Cullen Bunn e Matteo Leoni] - BD
Com argumento de Cullen Bunn e arte de Matteo Leoni, Deadpool Mata os Clássicos é mais uma edição incrível publicada entre nós pela G Floy Studio. Neste novo volume que segue a narrativa iniciada em Deadpool Mata o Universo Marvel, vemos o Mercenário Desbocado em busca das personagens da literatura clássica para as assassinar, impedindo assim que estas viessem a inspirar novas histórias e, na sua visão obsessiva, inimigos. Os sketches são rapidíssimos e não se demoram minimamente, mas mesmo assim conseguem ser tensos e divertidos no pouco tempo em que são explorados. O humor de Deadpool é uma constante e nesse quesito Cullen Bunn tem grande mérito. Genial.
 
Samitério de Animais [Stephen King] - prosa
Pelas mãos da Bertrand chegou-me Samitério de Animais do mestre Stephen King. Ele fala sobre uma família que chega a uma localidade do Maine para se fixar, por conta do novo emprego do doutor Louis Creed na região. Desde logo travam conhecimento com um casal vizinho que os alerta para as coisas misteriosas que ali acontecem, nomeadamente no cemitério de animais de estimação ali perto. Louis não podia prever que aquele lugar pudesse manobrar, porém, a sua vida bem como a da sua família. Apesar de não me ter prendido desde o início, foi uma leitura muito proveitosa.
 
Black Hammer Vol. 1 e 2 [Jeff Lemire e Dean Ormston] - BD
Publicados pela Levoir, os dois primeiros volumes de Black Hammer saíram com os títulos Origens Secretas e O Evento. Com argumento de Jeff Lemire, arte de Dean Ormston e David Rubín e pintado por Dave Stewart, Black Hammer conta a história de um grupo de super-heróis que após enfrentar um inimigo, ficou preso num rancho norte-americano. O super-herói chamado Black Hammer morreu pouco depois, mas os outros seis viram-se obrigados a ficar ali e a envelhecer com os seus dramas pessoais e de enquadramento numa sociedade diferente. Com um argumento incrível, como Lemire já tão bem nos habituou e uma arte digna de nota, fiquei agradavelmente surpreendido com esta BD.
 
Doutor Jivago [Boris Pasternak] - prosa
A Sextante publicou Doutor Jivago, a grande saga épica da Rússia da primeira metade do século XX. Da autoria de Boris Pasternak, a trama narra a história da vida e os amores de um poeta, filósofo e médico nos dias turbulentos da revolução. Jivago decide levar a família de Moscovo para os montes Urais, na expectativa de aí encontrar maior segurança, mas acaba por se ver não só no centro da batalha entre as frentes branca e vermelha mas também dividido entre a sua casa e o amor desmedido pela bela enfermeira Lara. Usado como bandeira anti-comunista, o livro foi publicado primeiro no Ocidente e foi alvo da censura da URSS, que proibiu Pasternak de aceitar então o Prémio Nobel. Um livro moroso e difícil, mas um bom entretenimento.
Edited by SorNunz

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ando a ler "O Mundo de Sofia" e que livro maravilhoso :giveheart:

É literalmente um compêndio de conhecimento, uma história da filosofia, escrita de forma simples para que quem não é nenhum especialista no assunto (como eu) possa entender.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

@zent leste o livro? A reviracolta ali no meio é só genial, amei mesmo o livro.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
29 minutes ago, Forbidden said:

@zent leste o livro? A reviracolta ali no meio é só genial, amei mesmo o livro.

Não, mas tenho vontade por já várias pessoas me terem recomendado e com a descrição que fizeste acabei por o finalmente colocar na minha lista.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 13 minutos, zent disse:

Não, mas tenho vontade por já várias pessoas me terem recomendado e com a descrição que fizeste acabei por o finalmente colocar na minha lista.

Eu recomendo muito mesmo, depois quando leres diz o que achaste. Em 400 e tal páginas tens uma compilação de mais de 2000 anos de conhecimento, eu achei incrível a forma como o autor conseguiu meter tanta informação no livro de uma forma leve e natural. E para além da história da filosofia ainda existe a tal reviravolta que dá outro toque de genialidade ao livro, mas sobre isso não posso falar.

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


×
×
  • Create New...