Jump to content
canal5

Comunicação Social em Portugal

Recommended Posts

Quanto ao tema novelas, creio que os autores podiam apostar em temáticas mais polémicas/ousadas como a eutanásia, homossexualidade (sem paninhos quentes, nem sem os típicos clichés), ciber crimes, etc..... , de modo a cativar outro tipo de públicos.

Por exemplo, Mac e Belmonte, são duas novelas que mais pareciam séries.

Joana, até podiam apostar na temática depressiva do Tio Patinhas, mas a base da novela continuará a ser mais do mesmo, continuará a ter o casal romântico que vai encontrar 1001 problemas e o vilão que vai tentar arruinar 1001 vezes a felicidade do casalinho.

E já que falaste no tema dos gays: até mesmo só no tema da homossexualidade, começa-se a cair no "mais do mesmo" e no entanto é apenas UM tema! Aliás, eu até já critiquei o facto de agora os autores terem descoberto que alguns gays são insultados na rua e façam um casal gay em toda e qualquer novela, só mesmo para dizerem que a novela é atual. Um casal seja qual a orientação, vai estar a vida inteira a pensar nos insultos que pode levar, ou com receios de isto ou daquilo? Não. Então também não há necessidade de se focarem sempre nos problemas, deste caso, dos gays, porque tenho a certeza que os casais gays também não passam 99,9% da relação a falar se são vistos pelo pai, tio, avô, José Sócrates, etc.

E por fim, a diferença não está na estrutura secundária (sim, porque esses temas que falaste são todos secundários), está na estrutura primária, na base da história! Algum dia viste uma novela ao estilo Game of Thrones? Eu não. Ao estilo Walking Dead? Não. Ao estilo NCIS/CSI? Não. Ao estilo Grey's Anatomy/Dr. House? Não. Podia continuar a noite toda assim, mas só com estes casos notas a diferença avassaladora entre os núcleos e histórias principais abordados numa novela, e aqueles abordados em séries.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em relação à TV, tudo o que que eu queria dizer, já foi praticamente dito. E de recordar ainda que há um nicho que tem crescido de dia para dia e que anda não só a ver produções norte-americanas como também europeias (não é por nada que "Sherlock" até tem sido relativamente popular por cá, e que vamos ter a RTP2 agora com séries como "Borgen" e o AXN Black a apostar em "Brön" e "Forbrydelsen"). As pessoas, especialmente os jovens, vai-se fartando cada vez mais da TV em formato "atum enlatado" que as generalistas e ultimamente a TV paga de origem portuguesa nos tem oferecido. É vira o disco e toca o mesmo. Quanto à informação na TV, cada vez mais vergonhosa. Basta ver as últimas peças que a TVI tem feito sobre a RTP, atacando visceralmente esta. Isto é jornalismo? Não sei aonde...

 

Em relação à rádio, passam sempre a mesma música porque essa é uma das formas da maioria das estações de rádio ganharem dinheiro. A maioria das estações de rádio privadas servem só como papagaios das editoras e de toda a record industry em Portugal. Não há espaço para o alternativo ou música nova nestas. Sempre a mesma música a toda e qualquer hora, mesmo que não gostes (sou capaz de ouvir a "Don't" do Ed Sheeran ou o lixo que o Kura faz na MegaHits ou na CidadeFM umas 5 vezes por dia, e passo muito raramente por estas duas estações). É nestas alturas que estimo a minha (e de todos nós) Antena 3 por ir passando alguma música diferente, variada e fazer a promoção a artistas e bandas portugueses(as) que não façam parte dos TOPs de vendas da Worten ou da Fnac (infelizmente não apanho a Vodafone FM por aqui...). Dou também graças à internet (e também ao Spotify) por me deixar descobrir música e géneros novos todos os dias.

Quanto à rádio como meio, não acredito que seja irrelevante. Continua a haver espaço para tudo, é de fácil recepção (mais fácil do que receber TV!!!) e os equipamentos para se receber emissões são baratos e qualquer um tem um. Quem é que nunca teve um rádio daqueles pequenos dos chinocas de €5 que só dava para ouvir estações FM? Até ver, a rádio (pelo menos o que eu oiço dela) faz aquilo que a TV em FTA por cá tem falhado em fazer: dá-me actualizações de notícias hora a hora, dá-me humor e entretenimento (faço uma vénia ao Luís Franco Bastos, visto que adoro o "Outra Coisa"), dá-me talk-shows e programas de debate, programas de opinião, desporto em directo. Só não me dá ficção ao estilo de um romance porque a rádio-novela acabou por cair em desuso por cá (embora ainda exista em países com o Reino Unido e a França). De resto, se não tivesse internet e tivesse um rádio à mão, ficava feliz à mesma. 87.9 ou 102.2 em FM e está a rular!!!

 

Quanto aos jornais, agora é raro comprá-los. Quando o faço é o "i" que na minha opinião, apesar de já ter sido melhor, é um dos melhores jornais que tempos cá. Grafismo simples, informação de qualidade, agrafado (dá jeito para quem o lê em cidades como Aveiro xD). Pena é ser um pouco mais carote que os restante (€1). Jornalismo em imprensa escrita ainda temos do bom, apesar dos maus exemplos que toda a gente conhece ("Correio da Manhã, um pouco o Jornal de Notícias, 24 Horas, etc.).

 

Fiquem Bem.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

A nível dos Jornais considero que o Público é dos menos sensionalistas do mercado.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

A nível dos Jornais considero que o Público é dos menos sensionalistas do mercado.

 

Se gostas do "Público" dá uma olhada pelo "i". Bastante bom também.

 

Fica Bem.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

A nível dos Jornais considero que o Público é dos menos sensionalistas do mercado.

Sem dúvida, e publica grandes artigos. Para mim é o melhor jornal que há em Portugal.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sem dúvida, e publica grandes artigos. Para mim é o melhor jornal que há em Portugal.

Concordo, também! É o melhor jornal!

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

A TVI ganha cerca de 25 milhões à custa do bombardeamento de 760 (exceto o Secret Story) em tudo quanto é programa (e isto com uma queda de 27%, atenção!) e ainda teve o descaramento de reclamar quando a Champions voltou para a RTP. Caso para dizer, viva o atraso da nossa televisão e do nosso país, merecemos estar exatamente como estamos.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Essa porcaria (pra nao dizer pior) vai ser o fim das generalistas e vai ser TAO bem feito! Teem o descaramento de estragar todos os programas com isso, e um insulto.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

A TVI ganha cerca de 25 milhões à custa do bombardeamento de 760 (exceto o Secret Story) em tudo quanto é programa (e isto com uma queda de 27%, atenção!) e ainda teve o descaramento de reclamar quando a Champions voltou para a RTP. Caso para dizer, viva o atraso da nossa televisão e do nosso país, merecemos estar exatamente como estamos.

Eles ainda acham pouco o que ganham e depois ainda vêm com frases como: "não nos compliquem a vida". Querem dinheiro e mais dinheiro mas investir em bons conteúdos e numa grelha diversificada tal como existe em Espanha, é o está quieto.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eles ainda acham pouco o que ganham e depois ainda vêm com frases como: "não nos compliquem a vida". Querem dinheiro e mais dinheiro mas investir em bons conteúdos e numa grelha diversificada tal como existe em Espanha, é o está quieto.

 

Mas eu entendo o ponto de vista deles. A grande maioria da população está habituada a ver seja lá o que foi, a ligar para qualquer número que lhe aparece à frente (qual crise). Até porque nós, as pessoas que querem diversidade na nossa TV, somos uma pequena minoria (que felizmente vai-se tornar maioria e aí é que me vou rir imenso da situação das generalistas). A filosofia dos canais é "enquanto durar, mete, quando deixar de durar, pensamos noutra coisa". E diga-se, 25M em chamadas é quase um objeto de estudo, pois é mesmo caso para dizer que somos viciados no 760. Enquanto ganharem tanto dinheiro com chamadas, eles continuam a investir em mais 760, a partir do momento que o lucro se dissipar, aí entram em pânico e metem coisas alternativas à pressa.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas eu entendo o ponto de vista deles. A grande maioria da população está habituada a ver seja lá o que foi, a ligar para qualquer número que lhe aparece à frente (qual crise). Até porque nós, as pessoas que querem diversidade na nossa TV, somos uma pequena minoria (que felizmente vai-se tornar maioria e aí é que me vou rir imenso da situação das generalistas). A filosofia dos canais é "enquanto durar, mete, quando deixar de durar, pensamos noutra coisa". E diga-se, 25M em chamadas é quase um objeto de estudo, pois é mesmo caso para dizer que somos viciados no 760. Enquanto ganharem tanto dinheiro com chamadas, eles continuam a investir em mais 760, a partir do momento que o lucro se dissipar, aí entram em pânico e metem coisas alternativas à pressa.

O nosso país só tem recordes na TV... é pena que sejam todos maus...

Share this post


Link to post
Share on other sites

A nível dos Jornais considero que o Público é dos menos sensionalistas do mercado.

 

Dos diários talvez, por acaso nunca o li, mas no geral, o Expresso faz sempre grandes investigações, todos os sábados dou-lhe uma espreitadela, considero-o o melhor jornal nacional! ;) O Jornal de Notícias, caminha a passos largos atrás do Correio da Manhã. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

O 760 devia de ser considerado crime público. Tenho dito!! :)

depende, se for para salvar ou expulsar concorrentes dos r shows ou dos talents nem acho mal.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Já que falam nos jornais eu gosto do jornal "O Diabo". :)  :haha:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Um comentário que deixei, ontem, no fórum ZWAME:

O DOG da SIC Mulher já está corrigido mas segunda-feira ia me dando uma coisinha má, quando o vi a ocupar 1/6 do ecrã. Não conseguia, simplesmente, visualizar os programas em condições. Inclusivamente, quando estava a ver o Masterchef, caras e pratos completos eram tapados pelo DOG! Se o queriam tão grande, pelo menos colocassem-no transparente. Cá em Portugal, os diretores gostam de logos pouco discretos, coloridos, bem atraentes e cheios de efeitos e enfeites. Até a Sporttv gosta de fazer isso! E aqueles brilhos, moscas, oráculos e rodapés, que ocupam 1/3 do ecrã, muitas vezes? As pessoas que aderiram a este canal, como é premium e só quem tem box pode visioná-lo, têm EPG. As programações são visíveis tanto no guia tv, como na internet, na página oficial do canal. A Radical é outra que tal. O logo de natal está péssimo, apesar de conter as proporções adequadas. Em vez de estar transparente, está branco com os habituais enfeites imbutidos no próprio logo! O terror! Não prefeririam algo que desse menos nas vistas? Dos canais generalistas nem vale a pena falar. Só de olhar para o DOG da TVI mete-me fastio. Neste post, falo ainda de outra situação que me repugna: Ontem, como sabem, a TVI emitiu os especiais da Missão Sorriso e, sempre, que atuavam músicos ou dançarinos, punham efeitos que faziam distorcer a imagem e torná-la com menos qualidade! Alguém aceita isto? Para além daqueles pouco recomendáveis efeitos, ainda surgiram barras a induzir o 16:9 Letterbox. Os responsáveis pela TVI preferem má imagem, em 4:3, em vez do 16:9 HD? Para vermos programas com qualidade, temos de aderir à Cabo? (Cada vez mais portugueses o estão a fazer e eu não fui exceção, se bem que desde 2008 tenho cabo).
Não é hora para repensar? Cada vez mais pessoas aderiram à tv por subscrição (80%) e cada vez mais são as pessoas que preferem o cabo, maioritariamente canais de séries e filmes. (30%) ou tv gravada, videojogos, rádio, plataformas interativas (10%)! Em 2008, nem 1/6 do público via, regularmente, canais por cabo e cerca de metade tinha serviços pagos.
Para além de muitos programas de baixa qualidade, a pensar num só público e target comercial, a qualidade de imagem não é a melhor (nem ocorre a migração dos privados para o 16:9), não há diversidade, variedade e os canais são poucos: É assim a TV Portuguesa.
 
Ainda assim, volto a dizer: A TV Portuguesa é menosprezada pelos jovens porque, simplesmente, só gostam de séries internacionais. Porque o que é estrangeiro é bom! (enfim). Ainda há bons programas nas nossas generalistas, apesar de terem "baixado".
Edited by Hugo3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Também ando pelo Zwame e li o teu comentário. Não me leves a mal mas acho que estás a ser um bocado incoerente.

Repara, dizes que os jovens só gostam de séries internacionais e que pensam que só "o que é estrangeiro é bom", mas antes criticas toda a porcaria que rodeia a televisão portuguesa e a falta de qualidade que tem... (isso concordo completamente) Não achas que é uma consequência disto?

Não vou bater na mesma tecla, porque já falei disto, mas os jovens não se importavam de ver bons programas portugueses, as TVs é que não os dão... (a informação ainda se safa, estou a falar mais do entretenimento)

Eu por exemplo, tenho 19 anos e sou um caso raro, porque não gosto muito de ver séries online. Prefiro sempre vê-las na TV, e se possível em HD. E o que acontece depois? Ando sempre desatualizado, ouço muitos colegas da faculdade a falarem da temporada tal ou da série tal e eu não sei nada. E porquê? Porque nem o cabo já se aproveita, com a quantidade de repetições que tem, e os pacotes e pacotinhos de canais que se tem de ter (e pagar) para ver todas as séries...

Eu não gosto nada da ideia de qualquer dia a maior parte das pessoas só verem praticamente programas americanos... Vivemos em Portugal, não era bom vermos e gostarmos realmente das nossas produções? Mas de quem é a culpa, e não muda nem um centímentro do que está a fazer?

P.S: Também não concordo nada quando dizes que só 10% das pessoas gostam de rádio... Ainda agora as Manhãs da Comercial encheram o Pavilhão Atlântico/MEO Arena, a Antena 3 angariou 410 mil euros para solidariedade no Toca a Todos... A rádio tem muito poder, e acho que vai ter mais, com o estado a que a televisão chegou...

O Moce dum Cabreste fez um vídeo com piada sobre isto, mas também diz muitas verdades... É o sentimento de muitas pessoas nesta altura com a televisão portuguesa, e vai continuar... Recomendo que vejam os comentários ao vídeo, também.

 

Também ando pelo Zwame e li o teu comentário. Não me leves a mal mas acho que estás a ser um bocado incoerente.

Repara, dizes que os jovens só gostam de séries internacionais e que pensam que só "o que é estrangeiro é bom", mas antes criticas toda a porcaria que rodeia a televisão portuguesa e a falta de qualidade que tem... (isso concordo completamente) Não achas que é uma consequência disto?

Não vou bater na mesma tecla, porque já falei disto, mas os jovens não se importavam de ver bons programas portugueses, as TVs é que não os dão... (a informação ainda se safa, estou a falar mais do entretenimento)

Eu por exemplo, tenho 19 anos e sou um caso raro, porque não gosto muito de ver séries online. Prefiro sempre vê-las na TV, e se possível em HD. E o que acontece depois? Ando sempre desatualizado, ouço muitos colegas da faculdade a falarem da temporada tal ou da série tal e eu não sei nada. E porquê? Porque nem o cabo já se aproveita, com a quantidade de repetições que tem, e os pacotes e pacotinhos de canais que se tem de ter (e pagar) para ver todas as séries...

Eu não gosto nada da ideia de qualquer dia a maior parte das pessoas só verem praticamente programas americanos... Vivemos em Portugal, não era bom vermos e gostarmos realmente das nossas produções? Mas de quem é a culpa, e não muda nem um centímentro do que está a fazer?

P.S: Também não concordo nada quando dizes que só 10% das pessoas gostam de rádio... Ainda agora as Manhãs da Comercial encheram o Pavilhão Atlântico/MEO Arena, a Antena 3 angariou 410 mil euros para solidariedade no Toca a Todos... A rádio tem muito poder, e acho que vai ter mais, com o estado a que a televisão chegou...

O Moce dum Cabreste fez um vídeo com piada sobre isto, mas também diz muitas verdades... É o sentimento de muitas pessoas nesta altura com a televisão portuguesa, e vai continuar... Recomendo que vejam os comentários ao vídeo, também.

 

Mas alguem pode condenar quem prefira ser series de qualidade a novelas recicladas sempre com a mesma historia? Eu gosto de novelas, mas reconheço que aquilo e sempre  a mesma coisa.

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

O estado da televisão portuguesa em números, segundo um estudo da Marktest:
TV_02.jpg

Resumindo, já quase 15 por cento da população portuguesa vê tv online, o que corresponde a 1 milhão e 220 mil pessoas.
Desses mais de metade são jovens (considerei 15-24 anos+25-34 anos)...

E de certeza que a maioria destas pessoas não vão à procura dos canais generalistas, mas sim das séries e filmes em streaming....

Já não estamos a falar de alguns, estamos a falar de milhões de pessoas que se sentem fartas do estado da televisão portuguesa...
E estes números vão continuar a aumentar com notícias como "Portugal em Festa mais um ano", formatos de imagem do século passado (4:3) e a falta do HD... para a SIC e a TVI principalmente: "modernices"... Só mostra que menosprezam o que muitas pessoas querem realmente ver, principalmente os jovens.


Enquanto as televisões continuarem a viver fora da realidade, vão perder cada vez mais...
Este milhão e 220 mil pessoas é mais ou menos o número que costuma fazer o programa mais visto. E acredito que vai passar para 2 ou 3 muito rapidamente se tudo continuar na mesma...




 

Edited by canal5
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Também ando pelo Zwame e li o teu comentário. Não me leves a mal mas acho que estás a ser um bocado incoerente.

Repara, dizes que os jovens só gostam de séries internacionais e que pensam que só "o que é estrangeiro é bom", mas antes criticas toda a porcaria que rodeia a televisão portuguesa e a falta de qualidade que tem... (isso concordo completamente) Não achas que é uma consequência disto?

Não vou bater na mesma tecla, porque já falei disto, mas os jovens não se importavam de ver bons programas portugueses, as TVs é que não os dão... (a informação ainda se safa, estou a falar mais do entretenimento)

Eu por exemplo, tenho 19 anos e sou um caso raro, porque não gosto muito de ver séries online. Prefiro sempre vê-las na TV, e se possível em HD. E o que acontece depois? Ando sempre desatualizado, ouço muitos colegas da faculdade a falarem da temporada tal ou da série tal e eu não sei nada. E porquê? Porque nem o cabo já se aproveita, com a quantidade de repetições que tem, e os pacotes e pacotinhos de canais que se tem de ter (e pagar) para ver todas as séries...

Eu não gosto nada da ideia de qualquer dia a maior parte das pessoas só verem praticamente programas americanos... Vivemos em Portugal, não era bom vermos e gostarmos realmente das nossas produções? Mas de quem é a culpa, e não muda nem um centímentro do que está a fazer?

P.S: Também não concordo nada quando dizes que só 10% das pessoas gostam de rádio... Ainda agora as Manhãs da Comercial encheram o Pavilhão Atlântico/MEO Arena, a Antena 3 angariou 410 mil euros para solidariedade no Toca a Todos... A rádio tem muito poder, e acho que vai ter mais, com o estado a que a televisão chegou...

O Moce dum Cabreste fez um vídeo com piada sobre isto, mas também diz muitas verdades... É o sentimento de muitas pessoas nesta altura com a televisão portuguesa, e vai continuar... Recomendo que vejam os comentários ao vídeo, também.

Muito bom, ele só disse verdades! A nossa televisão é mesmo uma treta. :haha: :haha: :haha:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muito bom, ele só disse verdades! A nossa televisão é mesmo uma treta. :haha: :haha: :haha:

 

Depende do ponto de vista. Nós temos alguns pontos a favor, tal como os intervalos. Desculpem lá mas nunca me vou habituar aos mini-breaks norte-americanos de 5 em 5 minutos. Corta totalmente o ritmo e vê-se os programas de forma totalmente fragmentada. 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Depende do ponto de vista. Nós temos alguns pontos a favor, tal como os intervalos. Desculpem lá mas nunca me vou habituar aos mini-breaks norte-americanos de 5 em 5 minutos. Corta totalmente o ritmo e vê-se os programas de forma totalmente fragmentada.

Concordo!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Depende do ponto de vista. Nós temos alguns pontos a favor, tal como os intervalos. Desculpem lá mas nunca me vou habituar aos mini-breaks norte-americanos de 5 em 5 minutos. Corta totalmente o ritmo e vê-se os programas de forma totalmente fragmentada. 

É por isso que prefiro ver tudo pela net. xD Tal como ele sugere.

Share this post


Link to post
Share on other sites

É por isso que prefiro ver tudo pela net. xD Tal como ele sugere.

 

Depende do produto. Uma série ou uma novela dá para ver na internet, mas um talk-show ou um programa de entretenimento não se adequa muito, na minha opinião.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


×
×
  • Create New...