Jump to content

Mundo

Membros
  • Content Count

    8,610
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    3

Mundo last won the day on July 10 2016

Mundo had the most liked content!

Community Reputation

4,309 Mera paisagem da Guia Turística

About Mundo

  • Rank
    Tenho um audímetro da GfK
  • Birthday 06/26/1999

Informações de Perfil

  • Género
    Confidencial

Recent Profile Visitors

17,118 profile views
  1. Mundo

    Música

    Morri com as duas em hambúrguer e batatas a abraçarem-se
  2. Amo A Fórmula! Estou a adorar rever...
  3. Mas não é ele que está sempre a supervisionar novelas dos outros? Parece que faz carreira disso, agora Pelo menos acho que supervisionou Rock Story.
  4. Para mim, o 4º episódio foi decididamente o melhor desta temporada! As cenas entre a Emily, a mulher e o filho foram de uma sensibilidade desconcertante, foi impossível não me emocionar O drama da Serena também promete ser uma das melhores tramas desta temporada e a revolução está a ser cozinhada de uma forma lenta mas muito saborosa. É impressionante como a série consegue com que nos emocionemos até com monstros como a Lydia, como na cena em que ela desata a chorar. Por fim, resta-me aclamar três atrizes incríveis: Elizabeth Moss (a última cena deste episódio foi brilhante), Yvonne Strahovski (a performance dela tem acompanhado a trajetória da personagem, sempre em crescendo) e Alexis Bledel (as cenas dela nesta temporada têm sido muito difíceis e ela tem dominado todas elas). Que venham mais episódios desta que para mim é a melhor série em exibição!
  5. Mundo

    O Preço Certo

    Mas já é líder.
  6. Mundo

    Faz Faísca

    Gente, alguém pode matar o voz-off da RTP nessa promo? Insuportável
  7. Eu amei o filme. Não é o meu filme favorito do ano (também não exageremos, né?) mas é definitivamente aquele que mais me surpreendeu pela positiva. Vou dar uma vista de olhos
  8. Oh, eu no ano passado adorei a prestação dele! Não, nem sabia que tinha cena pós-créditos!! É assim tão importante que valha a pena ver?
  9. Ridícula, e olha que adoro o Sam. A participação dele é muito curta, com pouco destaque e apesar de cumprir não achei que merecesse entrar roubando o lugar de atores mais merecedores. Mas pronto, gostei tanto da performance dele no ano passado que finge-se que esta nomeação ainda é fruto da admiração da Academia por ele em Three Billboards.
  10. Já vi o filme há mais de um ano e, mesmo assim, ao ler essas tuas palavras consegui recordar-me de tudo o que senti ao assistir pela primeira vez a esta história tão verdadeira e delicada. O filme é tão simples e natural que te consegue transportar para aquele universo e quando dás por ti, estás a sentir as emoções de todas as personagens. Ainda me lembro de que este foi um dos únicos filmes em que eu assisti aos créditos na totalidade, era o Elio a chorar de frente para a lareira e eu a chorar de frente para a TV. Também estou ansioso pela continuação, mas ao mesmo tempo tenho medo de que estraguem tudo. Bem, se isso acontecer, também é só fingir que o segundo filme não existiu, como fiz com o Fantastic Beasts
  11. The Favourite Que luxo de filme! O guião é delicioso, cheio de reviravoltas, confrontos e intrigas; a realização é arriscada e valoriza muito as cenas mas o que realmente se destaca neste filme é a interpretação das três atrizes. A Emma e a Rachel estiveram ótimas mas não podia deixar de salientar a força da intepretação da Olivia Colman que depois desta se tornou na minha favorita ( é difícil não fazer trocadilhos com este filme) para o Óscar de melhor atriz, embora ainda não tenha visto The Wife ou Can You Ever Forgive Me. O final do filme também é excelente e deixa-nos a pensar e refletir sobre muitas coisas. Vice Que surpresa! Fui ver o filme sabendo do criticismo com que estava ser afetado, até porque tem uma baixa classificação por parte da crítica (para o normal de um filme nomeado ao Óscar). Adorei! Concordo completamente com as nomeações a realização e ao argumento, embora concorde que este último por vezes se torna um pouco preenchido demais, quase a abarrotar de informação. O Christian Bale conseguiu a interpretação mais interessante do ano, com um Dick Cheney calculista e incrivelmente calmo (mesmo quando está a ter 500 ataques de coração ao longo do filme, quando tiver esse tipo de problemas espero conseguir reagir como ele ). Pontos também para o facto de conseguirem não demonizar por completo o Dick Cheney, salientando aspetos como a ligação à família e a insegurança no início da carreira.
  12. Mundo

    Cinema

    Não é por acaso que foi ignorado pela Academia nessa categoria.
  13. Sim, o filme nunca foge muito ao politicamente correto, mas parece-me que essa nem é a proposta do filme. Ele mantém-se bastante coerente ao longo de toda a linha narrativa, não trai o seu estilo e acho que isso é uma grande mais valia. Ainda não vi The Favourite, por isso não posso opinar, mas se realmente for melhor do que Green Book, mal posso esperar para ver! Entretanto... Lá acabei por ver Bohemian Rhapsody, um bocadinho a medo por causa de todas as críticas que já tinha lido acerca do filme. Sinceramente, adorei tudo (ou quase tudo)! Acho que o filme é puro entretenimento e acaba por ser uma homenagem sentida ao Freddie Mercury. A mistura de som é muito bem concretizada, o processo de criação das músicas é muito bem abordado (até gostava que tivessem aprofundado mais essas cenas) e o enredo é muito fluido! Claro destaque para duas coisas: a realização e as performances.Todos os concertos são incrivelmente bem produzidos e a recriação do Live Aid chega a ser mítica, senti-me como se estivesse lá! O Rami Malek rouba completamente a cena, os gestos, a pose, os vícios de fala, tudo... Chegava a haver algumas cenas, como a do videoclip da "Break Free" em que eu tinha dúvida se eram imagens do Freddie original ou do Rami.
  14. Mundo

    Escola

    Depende da facilidade que esse mesmo aluno teria a lidar com números e matemática.
  15. Finalmente acabei por assistir Green Book, um filme que já estava para ver há algum tempo e não me desiludi! Para além de um excelente argumento, que consegue conferir uma certa crueza ao lidar com a problemática do racismo nos EUA do apartheid ao mesmo tempo em que adota uma enorme sensibilidade ao contar a história desta amizade que surgiu entre as duas personagens principais. Acabou até por me fazer lembrar Amigos Improváveis! Mas o claro destaque é a atuação do Viggo Mortensen e do Mahershala Ali, que roubam completamente o filme e fazem-nos acreditar que são verdadeiramente aquelas personagens. É um daqueles filmes que nos deixa com um calor agradável no coração!
×
×
  • Create New...