Jump to content

30: Doraemon


Recommended Posts

Fujiko-F-Fujio-Characters-Great-Assembly-Slightly-Fantastic-Slapstick-Party-355475-full.jpeg
Pelo menos uma palavra em espanhol descreve esta série

Qual foi o teu primeiro anime? Certamente, para pessoas como eu, que não viam o Dragon Ball porque era muito pequeno, haviam recursos "alternativos". Ou recorrias àquelas cassetes da Heidi e do Marco, editadas pela Planeta DeAgostini, porque "eram os desenhos animados dos pais quando eram crianças e ensinam coisas básicas como o respeito, o amor pela natureza, etc." ou o Canal Panda. E eu, que nunca vi um episódio nem da Heidi nem do Marco do princípio ao fim, fui "obrigado" a ver o Tom Sawyer completo no ano passado porque a minha mãe quis (e ainda por cima com as duas dobragens de 2004, é verdade, teve duas dobragens), que nem sequer ligava a desenhos animados que "ensinam", apreciava todo o contrário quando eu andava na primária. Posso não ser um apreciador de séries de pancadaria e tiroteio, mas tenho uma lista já extensa de desenhos animados que marcaram a minha infância - desde as curtas clássicas do Tom e Jerry de há tantos anos, ao sonho (falhado) que tive de ser um cientista para ter o meu próprio laboratório como o do Dexter, dos planos loucos do Eddy (sim, os Eds vão ter direito a uma crónica) ou ao primeiro anime que vi e gostei: o Doraemon.

Como surgiu o Doraemon? Como é que chegou a Portugal? Antes de mais nada, o Doraemon é uma banda desenhada criada por Fujiko F. Fujio, alcunha dos escritores Hiroshi Fujimoto (1993-1996) e Motoo Abiko (1934-ainda está vivo na altura em que estou a escrever a crónica). A BD foi publicada pela primeira vez a 15 de Dezembro de 1969 em revistas para crianças da primária e do primeiro ciclo japonês, revistas publicadas pela Shogakukan. A BD deixou de ser publicada quando Hiroshi Fujimoto faleceu em 1996.

Não tardou para que a NTV fizesse um anime envolto em mistério em 1973. Sim, houve Doraemon em 1973, durou 26 episódios e não obteve sucesso, já que naquela altura o que estava na moda era o Mazinger Z, que nunca deu em Portugal (aliás deu em Espanha há quase quarenta anos e a violência foi suficiente para retirarem a série da TVE).

Esta versão é conhecida pelos internautas japoneses como "velho Doraemon" e boa parte dos episódios perdeu-se na internet. Cada episódio consistia num episódio de onze minutos. O primeiro episódio relatava a chegada do Doraemon e o último a triste saída. Nos últimos anos foram descobertas gravações audio e vídeo (e algumas fotos) da série que foi perdida porque foi feita uma nova série e a Shogakukan não detém os direitos da mesma. No fim dos anos 90, foi descoberta uma cassete com uma repetição de um episódio na RKK (TBS) de Kumamoto, aliás, especula-se que a série foi reposta naquele período. Alguns canais locais repetiram a série (recorde-se que no Japão a televisão privada não é inteiramente homogénea) mas só poucos chegaram a emitir o episódio 26, cujo segundo segmento é a despedida do Doraemon (um dos canais foi a HOME de Hiroshima, na altura UHT). Existe uma gravação sonora, com anúncios e tudo (ironicamente um dos anunciantes - depois da série ter acabado - eram as cassetes da TDK - supostamente áudio - o que leva-me a acreditar que foi supostamente gravada numa das tais) do último episódio que foi publicado no YouTube em 2015.

BGxAZFbCMAA-1Ph.jpg
Anúncio a dois programas da Nippon Television algures em 1973. A imagem dá grande destaque a uma telenovela japonesa de época mas o Doraemon só está numa pequena tira à esquerda.
image002.jpg
Outro anúncio de imprensa, da filial da NTV de Miyagi, a Miyagi TV. Aqui é anunciada como uma "nova série", portanto, é da semana em que foi estreada.DN3CE5mUQAAhpjw.jpg
Diapositivo de fecho de emissão da T34

No verão de 1979, a Toyama TV (Fuji TV), na altura conhecida pela alcunha de "T34" chegou a repetir alguns episódios, porém a reposição parou a 3 de Agosto por ordem judicial (a Wikipédia japonesa cita o Jornal de Toyama que disse que o Fujiko F. Fujio não pode aguentar estas reposições ainda por cima com uma nova série já produzida).

A nova série do Doraemon estreou a 2 de Abril de 1979 e o conceito base é aparentemente mais fiel à banda desenhada.

280?cb=20150405125342&path-prefix=en
A personagem que dá nome à série, o Doraemon, nasceu a 3 de Setembro de 2112 numa fábrica do século XXII. Tinha uma aparência amarela e orelhas mas um rato comeu-lhe as orelhas, chorou e ficou azul. O Sewashi (descendente do Nobita) enviou o Doraemon para a época em que se passa a série (pois, a série é sempre "contemporânea" pela sua duração) para evitar os insucessos do Nobita. O Doraemon tem um bolso mágico de onde saem infinitas invenções vindas dos Armazéns do Séc. XXII e é obcecado por dorayakis, que existem mesmo (não é uma invenção do duo que criou o Doraemon) que encontrou um análogo ibérico no Bollycao Dokyo (que em Espanha chegou a ter o Doraemon como mascote). A irmã do Doraemon, a Dorami (que durante anos julgava que era "Doraemi") vive com o Sewashi mas ocasionalmente visita o espaço temporal da série. Há cinco personagens principais: do Doraemon já falámos. O Nobita é uma banal criança de 10 anos que é tudo menos banal: anda sempre com más notas na escola, dorme nas aulas, odeia livros e sofre bullying do Gigante, inveja do Suneo e amor pela Shizuka. O Gigante, de nome real Takeshi, é um "músico" que convida todos os seus amigos aos seus musicais, das quais ninguém gosta. É como o Emanuel Bandeira, só que comete menos erros linguísticos e tem uma voz ainda mais irritante ao cantar. O Suneo tem pais ricos, sempre que convida os outros à casa dele os outros ficam com inveja. A Shizuka estuda muito e toma banhos com frequência. Porém, a Shizuka não gosta das interrupções constantes quando o Nobita vê a Shizuka a tomar banho e a pobre Shizuka fica consternada.

As personagens secundárias mais importantes são, para já, os pais do Nobita, a Tamako e o Nobisuke, que são pais tipicamente japoneses: a Tamako dona de casa e o Nobisuke homem de salário. Porém a mãe é mais importante porque fica sempre chocada com as notas do Nobita e todos os trabalhos de casa e castiga o próprio filho. O professor também queixa com frequência o Nobita, não só graças às notas como também graças à falta de assiduidade, a um ponto que um castigo que fez para o Nobita era o de limpar os corredores da escola. O Gigante tem uma irmã, a Jaiko, que cria BDs, e a Shizuka tem uma amiga, o Dekisugi (ou Dekigusu, quando os espanhóis tiveram a real gana de mudar o nome do tipo) que é esperto como a Shizuka.

Algumas invenções incluem o Gorrocóptero, que eram hélices postas em cima da cabeça para voar, a Porta Mágica, que funciona como método de teletransporte, o Lenço do Tempo, um lenço que devolvia os produtos ao seu estado de nascença (tipo Restaurador Olex) e a máquina do tempo.

A base dos episódios, quer das séries de 1979 quer de 2005, que são mais ou menos o mesmo:
-O Nobita fica chocado: com as notas, com algo que o Suneo trouxe do estrangeiro, com o tempo, com o próximo concerto do Gigante
-O Nobita chega a casa e pede algo
-O Doraemon tira a invenção do bolso e fala sobre o que é que a dita faz
-O Nobita começa a usar a invenção, para depois ser usada irresponsavelmente pelo Gigante e Suneo
-O episódio acaba numa catástrofe graças ao uso indevido do aparelho mágico

Esta fórmula repetiu-se mais de mil vezes desde 1979, e certamente aconteceu o mesmo na BD. Existem alguns desvios, sobretudo notados nas dezenas de filmes do Doraemon que são produzidos anualmente desde 1980. Houve um episódio, criado aquando da visita do cometa Halley em 1986, sobre a sua passagem em 1910, num Japão que ainda não fora urbanizado, e falava mais sobre como as pessoas da altura viviam a passagem do cometa, normalmente em choque.

O Doraemon serve para aprender: quando era pequeno sabia que os japoneses dormiam com um cobertor no chão. Porém, para eu e muitas outras crianças portuguesas, aprendíamos outra coisa: espanhol. Enquanto os pais (ou as pessoas marotas?) aprendiam espanhol depois da meia-noite aos fins-de-semana com os filmes do Íntimo (oh sí cariño), as crianças aprendiam espanhol, com legendas, no Canal Panda, que na altura era um canal ibérico. Antes de explicar o porquê, vou falar um pouco sobre como chegou a Espanha.

Espanha fora, afinal, o segundo país europeu a ter a série. Em 1982, uma dúzia de anos antes da série ter sido estrada em Espanha, a série estreou na Rai e mais tarde em canais locais da Itália com a mesma canção de abertura do Bana e Flapi, reciclado pelos próprios criadores da canção (é verdade, eles devem ter ficado sem ideias). Procurem por "Doraemon gatto spaziale". Quanto a Espanha, o Doraemon chegou em 1993/1994 pelas mãos da empresa catalã LUK Internacional.  A série estreou nas televisões autónomas (TVG, ETB, TV3/33, Canal 9, Telemadrid e Canal Sur) entre 1993 e 1994, com emissão em espanhol e nas línguas das regiões autónomas dependendo da zona em que o telespectador vivia. A primeira dobragem espanhola foi feita nos mesmos estúdios em que foi feita a dobragem catalã, em Barcelona, e mais tarde foi comprada duas vezes à escala nacional (na altura só seis comunidades autónomas tinham os seus próprios canais oficiais), primeiro pela TVE (como o primeiro vídeo comprova) em sinal aberto, onde foi emitido até pelo menos 2001, e depois pelo Canal Panda.

Como na altura o Canal Panda não tinha recursos para comprar séries dobradas, a solução mais económica segundo eles era a de emitir 90% das séries legendadas. O Doraemon era uma delas. Devo ter sido uma das poucas pessoas que percebiam o que estava a acontecer no episódio. Fazia o mesmo mas com as séries do Cartoon Network, mesmo sem legendas, e percebia. Eu era um génio!

Depois houve uma dobragem portuguesa que deu na RTP 1 (e na RTP 2, e mais tarde na RTP Açores que era o "dumping ground" do conteúdo estrangeiro da RTP). Não existem registos sonoros, mas foi feita na Somnorte (o estúdio do PNRN) e, de acordo com informações, o Doraemon fora pronunciado "Doremon"! Isto é heresia! (se bem que os franceses, os indianos e os tailandeses cometem o mesmo)

Da dita dobragem só me lembro de uma discussão entre os pais do Nobita e mais nada. Depois foi feita uma nova dobragem no Cantinho da Música mas só nos filmes que saíram em DVD. Ai, ironia, ironia...

Por mais incrível que pareça, a série espanhola passou por uma redobragem em 2003. Diz a lenda que, por causa da popularidade do Shin-Chan, tiveram de fazer uma nova dobragem e, diz a mesma lenda, tiveram de o fazer no estúdio Mar Digital, no País Vasco, porque dizem que era mais barato. Ainda por cima não era na mesma comunidade que a própria licenciadora.

Ainda mais incrível foi o facto do canal internacional da TV Galiza ter emitido por algum tempo o Doraemon galego para territórios europeus. Foi em 2004 numa versão internacional do célebre Xabarín Club. E, pelo que me lembro, mantinha a canção de abertura e fecho próprias da dobragem.

O Doraemon foi um dos programas mais vistos do Canal Panda nos anos 2000 (eu até tinha uma mochila do Doraemon no primeiro ciclo), porém à medida que a década avançava a série perdia o seu lugar nas audiências. Uma série de culpados, nomeadamente as séries pré-escolares, que iriam assolar o canal na segunda metade da década, quase extingiram o Doraemon dos ecrãs portugueses, a um ponto que em 2009-2010 só dava às 07:00 e às 23:30. Por esta altura já tinham dado tudo da série clássica, nas suas duas dobragens, e muito raramente um filme. O Doraemon saiu do Canal Panda a 30 de Abril de 2010 para nunca mais voltar (ao menos ainda haviam algumas reposições do Doraemon no Biggs e a horas incómodas). Por estas alturas até o locutor do canal chamava à série de "Dorámon". Mas porquê?

No fim do ano, o Doraemon regressa ao Canal Panda. Porém, voltou em português. Quem é que fez esta dobragem? Esta gente que a fez não teve infância?

O Doraemon dobrado teve uma passagem curiosa: esteve no Panda por uns meses mas foi retirado a 1 de Abril. Naquele dia deram um episódio porque desviaram a grelha e depois "xau, fui". Uns meses depois, a dobragem regressou com novos episódios e permaneceu no canal até Dezembro de 2014. Lembro-me do canal anunciar "novos episódios do Doraemon!" e, a meio do mês, o Doraemon já não aparecia na grelha. Quem é que o roubou?

Aha! Eu sabia quem era o culpado. A Turner comprou a série porque sim, eles tinham os direitos nacionais da série já de longa data. Como o Cartoon Network tem um luxo de emitir as séries em dois canais de áudio (português e inglês), eu fiquei à espera que o canal estreasse o anime para ver em que língua estaria. Espanhol? Japonês? Não. Chega a altura em que meto o outro áudio e... mantinha-se o áudio português. Mas como, se este canal é emitido de Madrid, gerido em Espanha, por espanhóis, para crianças portuguesas? Já não bastava a terrível dobragem americana (o meu sonho de infância era ver o Doraemon em inglês com uma tradução digna de espanhóis) a que os americanos estavam sujeitos em 2014...

Enfim, o Doraemon hoje em dia, pelo menos em Portugal, apesar de ainda ter os seus fãs, já não tem a popularidade que teve no passado. O caso da dobragem portuguesa assemelha-se ao que acontece com a emissão do Disney Channel indiano (50% da grelha deste canal consiste em reposições do Doraemon) no Paquistão e no Bangladesh, sobretudo no Bangladesh, em que milhões de crianças  começavam a falar mais hindi do que bengali e achavam que era uma ameaça à língua materna destas crianças. Tiveram que trocar o Disney Channel indiano pelo asiático (pelo que me contaram) que não passa o Doraemon. Basicamente é o mesmo que, em Portugal, o Doraemon fosse proibido porque ensinava espanhol às crianças e de repente começavam a falar mais em espanhol do que em português. Tal como o caso português (que cá é por causa do "progresso"), o Doraemon só foi permitido no Bangladesh se um canal local emitisse a série em Bengali. E aconteceu, cerca de um ano depois (o Disney Channel indiano foi proibido no Bangladesh em 2013, a dobragem estreou em 2014).

O Doraemon ainda é uma referência. A sua popularidade em Espanha e alguns países asiáticos continua mas em Portugal já parece "quase vindo do passado", sobretudo se nos dias de hoje a série é uma vítima dos cortes da Turner. Mas há sempre a hipótese de lembrar que houve uma altura em que éramos felizes com uma série de vinte e poucos minutos, falada em espanhol e legendada em português e não queríamos mais nada.

E como não há outra maneira de acabar esta crónica...

hqdefault.jpg
Devo ter sido a única criança em Portugal (quiçá na Península Ibérica) que achava que a camisola da mascote da LUK Internacional era a mesma do Ed

  • Like 2
  • Love 3
Link to comment
Share on other sites

há 14 horas, Figo disse:

@ATVTQsV O Doraemon (anime) não teve um final propriamente dito, pois não?

A série de 1973 sim, por causa da sua curta duração. Só existe uma gravação em áudio e aparentemente é um final que não sei se entrou no cânone oficial, o Fujiko F Fujio afirmou que a série de 1973 era tipo "um engano". Pelo que sei (o meu japonês é fraco), o episódio acabava com o Doraemon a sair para sempre e o Nobita a chorar no quarto.

Nos primeiros anos da manga, haviam três finais. O primeiro de 1971 dizia que o Doraemon estava a mudar o contínuo espaço-temporal e teve de regressar para o futuro. Em 1972 não havia a desculpa do contínuo, tinha um problema mecânico mas afinal o Doraemon quis separar-se do Nobita. Em 1973 havia esta que foi supostamente adaptada para televisão no último episódio: o Nobita chega a casa a chorar porque o Gigante o atingiu. À chegada, o Doraemon disse que iria voltar para o futuro, mas o Nobita não aceita e pede para que ele fique. Depois houve um último passeio pelo parque e o Gigante volta a atacar o Nobita mas desta vez com a ajuda do Doraemon.

Depois, tiveram de mudar o rumo da história e o cânone passou a ser mais tipo a série de 1979 que viria a ser feita daí a uns anos.

  • Like 1
  • Thanks 2
Link to comment
Share on other sites

Saudades! Via sempre com a minha irmã.

Conhecia alguns Suneos e Gigantes. Eu próprio era quase um Nobita, com notas melhorzinhas mas com imenso em comum. :haha: Adorava o Doraemon e a Dorami também. Penso que se hoje consigo ouvir uma conversa em castelhano e perceber quase tudo, muito se deve aos anos e anos em que não perdia um episódio disto.

  • Like 2
  • Love 1
  • Thanks 1
Link to comment
Share on other sites

há 4 minutos, Free Live disse:

Saudades! Via sempre com a minha irmã.

Conhecia alguns Suneos e Gigantes. Eu próprio era quase um Nobita, com notas melhorzinhas mas com imenso em comum. :haha: Adorava o Doraemon e a Dorami também. Penso que se hoje consigo ouvir uma conversa em castelhano e perceber quase tudo, muito se deve aos anos e anos em que não perdia um episódio disto.

Exatamente isto!

Ainda por cima de vez em quando havia um ou outro episódio que se esqueciam da legenda e tinha que me esforçar imenso :haha: Era a prova de fogo! :haha:

  • Like 2
  • LOL 1
Link to comment
Share on other sites

há 6 minutos, アンドレ disse:

Ainda por cima de vez em quando havia um ou outro episódio que se esqueciam da legenda e tinha que me esforçar imenso :haha: Era a prova de fogo! :haha:

As canções de abertura e de fim não eram traduzidas, mas as do Ninja Hattori sim.

"Tu ganhas sempre" é heresia aplicada ao Doraemon. A verdadeira dobragem portuguesa diria "tu sempre ganhas". Eis as "verdadeiras" versões que eu fiz:

Tema de abertura
Doraemon: o Gato Cósmico
Desejo que os meus sonhos fossem todos realidade
Fossem todos realidade, porque tenho um montão
O Doraemon pode fazer que se cumpram todos
Com seu bolsinho mágico os meus sonhos serão realidade
Queria poder voar pelo céu azul (Isto é o Gorrocóptero!)
Ah, ah, ah, tu sempre ganhas, Doraemon
Ah, ah, ah, tu sempre ganhas, Doraemon

Tema de fecho
Olha, olha pràs flores, que brilham com o sol
Saúdam-nos a dizer "bom dia"
Saltamos todos juntos e cantamos a canção
La la la la, la la la la la, LA LA LA IO
Todas as crianças do planeta
Damos as mãos e juntos vamos construir
Um país de maravilhas e felicidade
Neste bonito planeta do grande universo
Somos as crianças da Terra
Juntos criamos com muito vigor
Uma cidade de maravilhas plantas e amor
E vais viver sem esqueceres nunca desta ilusão

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

  • 3 years later...
On 05/02/2018 at 19:46, ATVTQsV disse:

Depois houve uma dobragem portuguesa que deu na RTP 1 (e na RTP 2, e mais tarde na RTP Açores que era o "dumping ground" do conteúdo estrangeiro da RTP). Não existem registos sonoros, mas foi feita na Somnorte (o estúdio do PNRN) e, de acordo com informações, o Doraemon fora pronunciado "Doremon"! Isto é heresia! (se bem que os franceses, os indianos e os tailandeses cometem o mesmo)

Adorava puder ver pelo menos o genérico da versão portuguesa da RTP do Doraemon. 

Link to comment
Share on other sites

Como eu gostava de ver o Doraemon! É sem dúvida o meu desenho animado favorito. E isso que comecei a ver já com 12 anos quando estava no 7º ano em 2000 muito por culpa da minha irmã mais nova que queria ver desenhos animados no Panda à hora de almoço. Posso dizer que é graças ao Doraemon que temos uma gata chamada Doraemi nascida em 2003 (era para ser Doraemon se fosse gato).

  • Love 2
Link to comment
Share on other sites

  • 1 year later...
On 19/05/2021 at 17:33, thass_hot disse:

Como eu gostava de ver o Doraemon! É sem dúvida o meu desenho animado favorito. E isso que comecei a ver já com 12 anos quando estava no 7º ano em 2000 muito por culpa da minha irmã mais nova que queria ver desenhos animados no Panda à hora de almoço. Posso dizer que é graças ao Doraemon que temos uma gata chamada Doraemi nascida em 2003 (era para ser Doraemon se fosse gato).

Também gostava de ver o Doraemon, esperava até às 18/19 horas para ver no Panda. 

On 05/02/2018 at 19:46, ATVTQsV disse:

hqdefault.jpg

Pelo que me lembrava, os episódios de Doraemon acabavam com outro logotipo, mais antigo, azul e com fundo acinzentado.

Entretanto nas reposições do Biggs, colocaram o (ainda) atual logotipo. Estranhamento colocaram 2 vezes o logotipo: um dentro do genérico (e ligeiramente esticado), e novamente no final, agora com um fundo preto.

 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

há 32 minutos, TV1_22 disse:

Eu sempre vi em espanhol com legendas. Nunca vi a dobragem portuguesa que dava na RTP2 (acho eu).

Eu vi a dobragem da RTP e era boa do que me lembro. Lembro-me que passou pela primeira vez nas manhãs de fim de semana da RTP1 em 2001.

Edited by D91
  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

  • 4 weeks later...
On 19/05/2021 at 17:33, thass_hot disse:

Como eu gostava de ver o Doraemon! É sem dúvida o meu desenho animado favorito. E isso que comecei a ver já com 12 anos quando estava no 7º ano em 2000 muito por culpa da minha irmã mais nova que queria ver desenhos animados no Panda à hora de almoço. Posso dizer que é graças ao Doraemon que temos uma gata chamada Doraemi nascida em 2003 (era para ser Doraemon se fosse gato).

"Temos"? Ainda tem? 😲

Edited by RodrigoMarquês.
Link to comment
Share on other sites

há 1 minuto, thass_hot disse:

Já não, infelizmente!:triste:

Quando escrevi o post ela estava velhinha e doente mas ainda estava viva. Uns meses depois em agosto do ano passado ela morreu com 18 anos.

Os meus sentimentos. :triste: Nem tinha reparado que o Post já tinha um ano... 

Mesmo assim, foi uma longa vida, digna de registo! ;)

  • Thanks 1
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

×
×
  • Create New...