Jump to content

A Última Oportunidade (em Janeiro)


Rodolfo
 Share

Recommended Posts

A ÚLTIMA OPORTUNIDADE

[12º episódio]

 

 

 

- Bem, quando quiseres experimentar o fato ele está ali pousado em cima da tua cama, eu vou sair para tratar de umas coisas – disse Carolina.

 

Rodrigo acabou por pegar no fato e experimentar. Ao ver-se ao espelho sentiu uma enorme alegria e concretização, esquecendo por segundos Francisco. Afinal de contas foram 3 anos intensos de estudo e dedicação e que agora teriam reconhecimento.

 

- Eu vou ser um grande bailarino e pintor.

 

Francisco estava na janela a fumar e não conseguia tirar da cabeça o pedido que Rodrigo lhe tinha feito e nas noites que ambos tinham passado juntos.

 

- Porque é que estou a pensar nele ? - interrogou-se a si mesmo – isto não é normal.

 

Francisco não queria ir ao baile de finalistas, tinha dito que não anteriormente e não queria voltar com a palavra atrás. Ele nunca tinha pensado tanto em alguém.

 

- Podiam ser todos menos o Rodrigo, caramba!

 

Entretanto em Viana, Mariana chega a casa de Rodrigo.

 

- Oi amigo, pronto para a grande noite ?

- Estaria melhor se o Francisco estivesse aqui.

- Oh Rodrigo, ainda a pensar no mesmo ? Segue em frente, hoje é o teu dia.

- Ele pode-me ter usado mas eu gosto mesmo dele, nunca gostei assim de alguém.

 

Mariana abraçou o amigo e disse que para ele ser forte e pelo hoje conseguir desfrutar do seu dia.

 

1 hora e 30 depois …

 

Carolina entra no quarto e vê os dois amigos já vestidos.

 

- Que lindos! - afirmou com admiração e orgulho – vou ter tanto orgulho em ti meu filho.

- Ai mãe, se não fosses tão babada o que gostarias de ser ? … Vá despacha-te que daqui a pouco temos de ir embora. Eu e a Mariana vamos acabar de nos arranjar e tu vê se fazes o mesmo.

- Ui, estamos nervosos e ansioso pelos vistos. Gosto de te ver mais animado. Ah e eu já tenho o meu vestido, penas o quê ? A tua mãe vai arrasar!

 

Carolina, Rodrigo e Mariana dirigiram-se para o colégio, para o então esperado baile de finalistas.

 

- Chegamos. Agora estou nervoso.

- Vá, dá-me a mão, esta passadeira vermelha é toda nossa – disse Mariana.

 

Rodrigo e Mariana saíram juntos do carro e nesse momento percorreram juntos a passadeira vermelha que os levou ao salão principal do colégio, onde iria decorrer a cerimónia.

 

- Já viste quem está ali ?

- Quem Rodrigo ?

- Os parvalhões que me gozaram e que infelizmente andei à pancada.

- Não lhes ligues, tu és um senhor à beira deles. Só não entendo é como tem a lata de aparecer aqui depois das porcarias que andaram a fazer, só a diretora deste colégio para o permitir.

 

Rodrigo e Mariana chegam ao salão e sentam-se. Neste momento Carolina junta-se a eles.

 

- Então, cheguei a tempo ?

- Sim mãe.

- Está um caos para estacionar o carro.

 

A cerimónia começa com um discurso da diretora do colégio. Após todas as formalidades de um baile de finalistas e o jantar dos mesmos, é chegado o momento da valsa.

 

- Rodrigo não vamos dançar ?

- Não tenho grande vontade amiga, desculpa.

- Oh, anda lá, vai ser divertido. Prometo não te arrancar os pés.

 

 

Neste momento Francisco entra no salão do colégio vestido com um fato.

 

--------------------------------------

 

EPISÓDIO ESPECIAL

AMANHÃ À NOITE. NÃO PERCAM!

 

mmeihe.jpg

 

O que acham que vai acontecer neste tão esperado baile de finalistas ?

Link to comment
Share on other sites

Estou a adorar, Rodolfo! Os episódios são muito pequenos, passam a correr, apesar de cativantes. Também não vejo grande sentido na história do pai, e muito menos na da amante - que desapareceu - mas tirando isso, estou a gostar muito. Parabéns!

E mal posso esperar pelo episódio de amanhã! :D E, por favor, arranja alguém para a Mariana. :haha:

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

Também não vejo grande sentido na história do pai, e muito menos na da amante - que desapareceu - mas tirando isso, estou a gostar muito. Parabéns!

 

Também não tinha mais por onde estender, era apenas uma personagem que apareceu num episódio ;)

 

E sim, vou ver se a Mariana fica com alguém xD

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Estou a adorar, Rodolfo! Os episódios são muito pequenos, passam a correr, apesar de cativantes. Também não vejo grande sentido na história do pai, e muito menos na da amante - que desapareceu - mas tirando isso, estou a gostar muito. Parabéns!

E mal posso esperar pelo episódio de amanhã! :D E, por favor, arranja alguém para a Mariana. :haha:

Concordo :D

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

A ÚLTIMA OPORTUNIDADE

[13º episódio] - [especial]

 

 

 

- Oh não, não me acredito no que os meus olhos estão a ver.

- O que foi Mariana ?

- Olha para trás de ti.

 

Rodrigo olhou e viu que Francisco estava mesmo ali à sua frente, algo que naquele momento lhe parecia irreal. As suas mãos tremiam e o seu coração quase saltava da boca de felicidade. Ambos não trocaram uma palavra, as luzes baixaram e começou a valsa. Francisco pega na mão de Rodrigo e puxa-o para dançar. Mariana e Carolina ficam incrédulas e ao mesmo tempo enternecidas com o que estão a ver e com aquele momento tão mágico.

 

ndaplz.jpg

 

 

Há medida que iam dançando lentamente, Francisco e Rodrigo trocavam olhares e rasgavam fortes sorrisos um para o outro. Rodrigo estava a realizar um dos seus maiores desejos, que era ter Francisco ao seu lado no baile de finalistas. Todo o colégio ficou boquiaberto com aquele romântico momento.

 

Terminada a dança, Francisco aproxima-se dos lábios de Rodrigo e beijam-se apaixonadamente, num beijo tão profundo e ao mesmo tempo longo. Todo o auditório aplaude e as luzes acendem.

 

- Está toda a gente a olhar para nós, que vergonha – disse Rodrigo.

- O amor nunca é uma vergonha.

- O que é que tu disseste ?

- Vamos até lá fora para falarmos melhor.

 

Entretanto Mariana e Carolina conversam.

 

- Eu nunca tinha visto um momento tão bonito e tão mágico como este. Estou muito feliz pelo meu filho.

- Algo me dizia que aqueles dois um dia iam ficar juntos, só que o Francisco deixou-me muitas dúvidas ao início.

- Mas o outro rapaz não é mais velho ? - perguntou Carolina.

- Sim, tem 25 anos, mas o Rodrigo já tem praticamente 18 e o amor não escolhe idades.

- Espero que eles falem e corra tudo bem, não quero ver o Rodrigo a sofrer.

 

Rodrigo e Francisco vão até ao exterior do colégio para conversarem.

 

- Explica-me o que foi isto porque ainda tenho a cabeça à roda.

- Decidi aparecer, não era tanto o que querias ? - perguntou Francisco sorrindo.

- Claro que sim, mas não estou a falar só disso, refiro-me também ao beijo.

- Eu admito! Estive a pensar em ti nestes últimos dias e decidi que não vou mais esconder o que sinto. Tu desde aquela noite que me marcaste.

- Marquei-te ? Então eu não era só uma curte ?

- Espera! Sim … quer dizer, não. Eu pensava que eras uma curte apenas mas não foste, significaste muito mais do que aquilo que pensas, simplesmente não quis dar o braço a torcer nem mostrar o que estava a sentir. Tu sabes que eu nunca fui de pessoa de mostrar o que sinto, sou orgulhoso. Tudo isto, todo este sentimento é novo para mim e ainda estou a aprender a lidar com ele. Pensei muito e decidi fazer-te uma surpresa, vir ao teu baile de finalistas.

- Bem, eu estou sem palavras, foste tão querido e fizeste desta noite uma das mais importantes da minha vida, mas então e agora ?

- Agora ? … agora quero ficar contigo meu parvo, nem que tenha de ir a todas as tuas festas.

Ambos se riram e beijaram-se novamente.

 

- Vamos voltar lá para dentro que vão distribuir os diplomas – disse Rodrigo.

- Vamos, anda só ali comigo ao carro para eu te mostrar uma coisa, é mais uma surpresa.

- Mais uma ? Vamos lá ver isso então.

 

No momento em que ambos caminhavam em direção ao carro, um rapaz com a cabeça tapada ataca Rodrigo com um ferro na cabeça e este cai no chão inconsciente e esvaído em sangue. O rapaz que atacou Rodrigo desata a correr. Francisco fica em choque e sem saber o que fazer, tentando ainda correr atrás do homem mas sem efeito, este já tinha escapado. Francisco chora e grita para que Rodrigo acorde e não o deixe.

 

oj4hvr.jpg

 

 

Ele liga imediatamente para o 112 e avisa Carolina e Mariana do que se tinha passado.

 

- Por favor, venham lá fora, o Rodrigo … - gritou Francisco quando chegou ao salão.

- O que se passou, porque estás a chorar Francisco ? - perguntou Mariana.

- O que aconteceu ao meu filho ? - perguntou Carolina em pânico.

- Ele foi atacado por alguém e está desmaiado lá fora.

 

Todos correram para o pátio do Colégio com Carolina, Mariana e Francisco devastados.

 

- Oh meu deus, o que aconteceu ao meu filho ? - grita Carolina – acorda Rodrigo, acorda.

- Como é que isto foi acontecer Francisco ? - perguntou Mariana.

- Eu não sei, eu estava a caminhar com ele em direção ao carro e em segundos ele foi atacado na cabeça por um homem com um capuz. Eu ainda tentei correr atrás dele mas conseguiu escapar. Merda, estava tudo tão bem …

 

Francisco consola-se no colo de Mariana e neste momento chega o Inem. Rodrigo é levado para o hospital de S. João, no Porto, devido à gravidade da sua situação. Ele estava em coma e com grave traumatismo craniano devido à forte pancada. Chegado ao hospital, Rodrigo é levado para os cuidados intensivos com prognóstico reservado.

 

 

PRÓXIMO EPISÓDIO : SEGUNDA

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

A ÚLTIMA OPORTUNIDADE

[14º episódio]

 

 

Carolina e Francisco temem o pior mas apoiam-se um ao outro e passam a noite no hospital.

 

- Tenho tanto medo por ele.

- Calma Carolina, vai tudo correr bem, não vamos pensar o pior.

- Agora que estamos só nós Francisco, queria que me respondesses a umas coisas. Tu gostas mesmo do meu filho ou estás apenas com ele para o usar ? … desculpa a sinceridade.

- Bem, eu e o Rodrigo tivemos uma relação atribulada desde que nos conhecemos. Muita coisa foi mudando e muito por culpa do seu filho. Ele é um jovem muito persistente, luta pelos seus sonhos como ninguém, luta pela vida, tem um grande espírito jovem e lutou por mim até não poder mais e eu admito que ele nunca me foi indiferente. Eu comecei a gostar a gostar do Rodrigo cada vez mais mas nunca o demonstrei. Eu sempre tive uma vida livre Carolina, nunca me prendi a ninguém e tudo isto é novo para mim, mas de uma coisa eu tenho a certeza, é que gosto muito dele e quero dar um passo importante na minha vida.

- Fico muito mais descansada e feliz por tomares essa decisão. Acho que fazes muito bem. O Rodrigo vai precisar muito de ti se ele … - Carolina neste momento fez uma pausa.

- Sobreviver ? É claro que ele vai sobreviver, é forte.

- É, ele vai conseguir!

- Nós vamos estar sempre aqui para o apoiar, pode contar comigo.

 

Carolina e Francisco ficam dias no hospital à espera que Rodrigo acorde do coma. Ambos estavam desgastados e a perder a esperança, mas algo aconteceu.

 

- São os familiares de Rodrigo Pimenta ? - perguntou o médico.

- Sim, sou a mãe dele, como está o meu filho doutor ?

- É preciso ter calma antes demais. O Rodrigo foi sujeito a várias intervenções cirúrgicas e está a descansar, mas sim, ele já abriu os olhos.

 

Carolina e Francisco, já vencidos pelo cansaço, abraçam-se e comemoram a recuperação de Rodrigo.

 

- Finalmente deus ouviu-me! - disse Carolina.

- Quando é que nós o podemos ver doutor ? - perguntou Francisco.

- Já o podem ver mas apenas uma pessoa, e já está lá uma.

- O quê ? Mas quem ? - perguntou Francisco surpreendido.

- Doutor, só estamos cá nós da parte dele, quem é essa pessoa ?

- Não sei, disse que era um velho amigo de Rodrigo e que queria vê-lo, foi mesmo há instantes.

- Que estranho … um amigo ?

- De qualquer das formas diga a essa pessoa para não demorar muito que a mãe e o namorado querem vê-lo.

 

No quarto onde Rodrigo se encontravam internado estava um homem ao lado dele, mas como Rodrigo ainda estava a dormir não reparou. Quando este abriu novamente os olhos ficou pensativo ao olhar para aquele homem, pois tinha a sensação de o conhecer.

 

- Então velho amigo, já não te lembras de mim ?

- Não, não me estou a lembrar embora tenha a sensação que sim.

- Calma, não te levantes e não te esforces, tens de descansar, indicações do médico. Eu ajudo-te. Lembras-te quem foi para Lisboa há mais de 10 anos atrás ?

- Lisboa ? … não me acredito, és tu João ?

- Sim, sou eu Rodrigo. Já não conhecias o teu velho amigo ?

- Já passou muito tempo, mudaste imenso, desculpa não te ter reconhecido. Eras um puto naquela altura e agora estás um homem.

- Não faz mal, na verdade 11 anos é muito tempo hoje em dia.

- Nunca mais falamos, perdemos o contacto um do outro, mas então como estás ? Senta-te aí, vamos falar.

- Eu conto-te já tudo mas explica-me o que aconteceu contigo primeiro. Falei com a Mariana quando decidi procurar-te, queria fazer-te uma surpresa, e ela disse-me que tinhas sofrido um acidente.

- Fui atacado à porta do meu colégio na noite de finalistas, não sei quem me fez isto, apenas sei que senti uma pancada fortíssima e depois disso não me lembro de mais nada.

João e Rodrigo ficaram a conversar durante algum tempo. Francisco estava a ficar impaciente na sala de espera e decidiu entrar no quarto. Este mal vê Rodrigo acordado corre em direção a ele.

 

- Rodrigo, ainda bem que acordaste, estava tão preocupado.

 

Neste momento Rodrigo e Francisco beijam-se.

 

- Ficaste sempre aqui no hospital ?

- Claro que fiquei meu anjo, não saí daqui um dia. Não conseguia ir para casa a pensar que estavas aqui entre a vida e a morte, mas felizmente já está tudo bem.

 

Rodrigo sorriu e viu que Francisco esteve sempre ao seu lado.

 

 

PRÓXIMO EPISÓDIO : QUARTA

Link to comment
Share on other sites

A ÚLTIMA OPORTUNIDADE

[15º episódio]

 

 

-Olha nem te apresentei. Este é o João, um amigo de infância e melhor amigo durante muito tempo. Nunca te falei dele, mas foi uma pessoa muito importante para mim.

 

Francisco olha com alguma desconfiança e ciume.

 

- Olá João, prazer. Sou o Francisco, o namorado de Rodrigo.

- Namorado ? Desta ainda não sabia Rodrigo, fico muito feliz por ti. É bom saber que o meu amigo anda um namoradeiro.

- Namorado ? - perguntou Rodrigo – eu não sabia que já tínhamos oficializado alguma coisa Francisco.

- Era uma das surpresas que te ia fazer quando te dirigias ao carro, tinha dois bilhetes para irmos viajar e ia-te pedir em namoro até acontecer isto.

- A sério ? Tão querido.

- Bem, vocês devem ter muitas saudades um do outro e vou-vos deixar à vontade.

- Nada disso João, podes ficar, até porque quero saber mais coisas de ti.

- Apenas tens de saber que vim para ficar - afirmou João olhando intensamente para Rodrigo.

 

Francisco não gostou e trocou olhares intensos com João, acabando o ambiente por gelar um pouco.

 

- Vou embora Rodrigo, espero que melhores rapidamente. Quando saíres do hospital vou ter contigo a Viana e combinamos qualquer coisa.

- Sim João, pede o meu contacto à Mariana. Obrigado por teres vindo e por teres voltado, a sério.

- Não tens de agradecer, afinal de contas continuamos a ser os melhores amigos ou não ?

- Sempre!

 

João sai do quarto.

 

- Não gostei muito da forma que este tipo fala e olha para ti. Qual é a dele de não querer saber de ti durante 10 anos e vem agora todo preocupadinho em recuperar amizades ?

- Ei calma, ele teve de ir para Lisboa com o pai e acabou por ficar por lá. O João foi um amigo de infância muito importante para mim, era o meu melhor amigo.

- Ele não me inspira confiança, apenas isso.

- Ui, espera, estamos com ciumes ?

- E se estiver ?

- Não tens razões para isso tonto, eu gosto é de ti, ainda não percebeste ?

- Vou precisar de muitos mimos quando saires daqui, estou com alguma carência.

- Não te preocupes que eu dou.

 

Carolina entra no quarto.

 

- Posso interromper o momento dos pombinhos para saber como está o meu filho ?

- Claro mãe, entra.

- Entre Carolina, o Rodrigo está cheio de saudades.

- Ai meu filho, fiquei tão contente quando o médico me disse que tinhas acordado do coma. Foi um susto tão grande, pensei que te ia perder. Estivemos aqui quase uma semana à espera que acordasses.

- Oh mãe, nem sei o que dizer. Tenho imensas dores na cabeça e o médico disse que ainda vou ficar uns dias internado.

- Eu não sei quem é que te fez isto e porquê.

- Também não sei …

- Vamos descobrir, não te preocupes – disse Francisco.

- Depois de sairmos daqui vamos à polícia participar o que aconteceu e apurar o culpado. Quem te fez isto não pode ficar impune.

- Tenho as minhas suspeitas, mas não vou dizer nomes.

- Sabes quem foi amor ?

- Não sei, apenas tenho umas suspeitas.

- Lembrei-me agora, quem era o rapaz que estava aqui contigo filho ?

- Nem vais acreditar mãe, lembras-te do João ?

- O teu melhor amigo de Viana ?

- Sim. Foi ele que esteve cá.

- Mas ele não esteve em Lisboa durante estes anos todos ?

- Esteve, só que agora voltou e quando eu acordei ele estava aqui ao meu lado e pusemos a conversa em dia. Foi muito bom vê-lo!

 

Francisco fica com ciúmes mas não diz nada à frente de Carolina para não estragar o ambiente. Após alguns dias, Rodrigo começa a sentir dificuldades em mexer corretamente as mãos e os médicos disseram que a pancada afetou-lhe alguns movimentos motores e que estes teriam de ser corrigidos com terapia.

 

- Devido à força da pancada e à parte do cérebro a que esta foi feita, alguns movimentos motores do Rodrigo foram afetados, mas não se preocupem que não é nada de grave, ele pode corrigir isto em pouco tempo e com terapia.

- Que tipo de terapia doutor ? - pergunta Carolina.

- Muito simples, essencialmente exercício fisico com as mãos, repetição de movimentos para ganhar o jeito novamente, etc.

- Mas vai ter de ser feito aqui no hospital ?

- Os primeiros sim, depois é-lhe dado um programa para treinar em casa e que ele terá de o cumprir. Fizemos isso por achamos que seria chato a senhora estar todos os dias a vir de Viana do Castelo ao Porto por causa do tratamento.

- Muito obrigado doutor. E em relação à baixa ?

- Talvez daqui a uns 4 dias o Rodrigo já possa voltar a casa, vamos só dar mais tempo de observação.

 

João volta a visitar Rodrigo, mas desta vez sem Francisco estar lá.

 

- Então, como estás amigo ? Posso entrar ?

- Entra João, estás à vontade. Que bom ver-te por aqui novamente, não estava nada à espera.

- Eu não te disse que vinha para ficar ? Agora quero saber como estás.

- Obrigado pela preocupação, a sério. Lentamente vou indo, as dores de cabeça já são menores, já tirei quase todas as ligaduras e daqui a 4 dias vou para casa.

- Isso é muito bom, estou muito feliz por ti.

- Só tenho é de fazer tratamento às mãos porque a pancada afetou-me os movimentos e tremo muito ao pegar nas coisas, prende-me os dedos mas tudo se resolve, fala-me de ti.

- Eu estou bem e quero ver-te bem, é o mais importante. Quando sairmos daqui tenho alguns planos para nós.

- Planos ? Como assim ?

- Então ... vamos passear, fazer muitas coisas juntos, recuperar estes malditos 10 anos.

- Vamos com calma, primeiro quero recuperar-me, descobrir quem me fez isto, resolver a minha vida e depois recuperamos o tempo perdido pode ser ?

- Claro, eu espero por ti. Muita coisa mudou Rodrigo …

- Estás a falar do quê ?

- É uma longa conversa, acho que está na altura de a termos.

 

João falou dos seus anos em Lisboa, que ficou a trabalhar na empresa com o pai e alcançou uma vida estável. Este também confessou que teve bastantes saudades de Rodrigo e que nunca esqueceu os momentos que passaram juntos em criança, nem mesmo um episódio especial …

 

- Lembras-te quando fizeste 7 anos e estivemos juntos nas traseiras da tua casa ?

- Sim … já passaram precisamente 10 anos.

- Eu nunca mais esqueci aquele momento.

- Eu também não, foram bons tempos.

- Não estás a perceber Rodrigo … eu nunca mais esqueci o momento em que me beijaste na cara, em que pegaste na minha mãe, olhaste-me intensamente nos olhos, fizeste caricias no cabelo e juntos ficamos a ver o pôr do sol. Isso mudou a minha vida daí para a frente. Eu sempre gostei de raparigas até então, mas depois disso nada mais ficou igual. Eu era novo, não sabia o que sentia naquela altura mas nos anos seguintes tornou-se bastante claro.

- Então mas tu estás-me a querer dizer que …

- Sim, sou gay Rodrigo.

- Nem tenho palavras, desculpa. Sempre andaste atrás das raparigas, lá na escola eras o engatatão, não entendo o que mudou.

- Mas eu sempre fui o que sou hoje, simplesmente naquela altura não sabia e tu fizeste-me perceber isso, tu marcaste-me fortemente. Eu senti muito a tua falta durante estes anos todos e nunca te esqueci amigo. Eu também fiquei contente em saber que és feliz com o Francisco e conseguiste assumir-te.

- Tu sabes que desde pequeno sempre fui, mas eu ainda não percebi o objetivo desta conversa. Eu fico muito feliz por me estares a contar isto, é bom saber que és um rapaz bem resolvido mas …

- Mas eu gosto de ti, Rodrigo.

 

PRÓXIMO EPISÓDIO : SEXTA

Link to comment
Share on other sites

A ÚLTIMA OPORTUNIDADE

[16º episódio]

 

 

Rodrigo ficou surpreendido com o que tinha acabado de ouvir.

 

- Tu gostas de mim ? Em que sentido ?

- Sinto-me atraído por ti, voltei para te conquistar e ficar contigo Rodrigo. Eu nunca te esqueci, tu mudaste a minha vida. Claro que já tive com alguns rapazes mas tu foste o meu primeiro amor e isso nunca se esquece.

 

Neste momento entra Francisco no quarto e ouve o que João disse.

 

- O que é que tu disseste ? Tu tu gostas de quem ?

- Não te metas, o assunto não é contigo! E sim, eu gosto do Rodrigo.

- Por favor Francisco, tem calma e acalmem-se os dois.

- Como é que eu me posso acalmar quando este palhaço regressa 10 anos depois para te roubar de mim ?

- Ele não vai roubar nada, estamos apenas a conversar, tenham calma.

 

João deixou um aviso a Francisco de que ia lutar por Rodrigo e não ia desistir de o fazer, deixando de seguida o hospital.

 

- Este tipo está a precisar de uma lição, ai está está.

- Vá, senta-te aqui, respira fundo amor. Podes fazer isto por mim ? Vamos conversar com calma. Tu sabes que eu te amo não sabes ? Sabes que por nós vou até onde for preciso e levo as pancadas que tiver que levar não sabes ? Sabes bem as noites que corri atrás de ti no Porto e o que sofri não sabes ? Não estou aqui hoje de mão dada contigo ? Não aceitei ficar ao teu lado ?

- Tens razão … desculpa.

- Só tens de confiar em mim e não destruíres tudo o que construimos até agora. O João está inseguro e provavelmente confuso com os sentimentos e não quero abandoná-lo. Ele foi o meu melhor amigo durante muito tempo e tu sabes da importância dele para mim, assim como também sabes que ele nunca significou mais do que isso.

- Eu não sei, viste o que ele disse ? Ele que se meta no nosso caminho novamente.

- Não te preocupes, aí sou eu que não vou deixar – afirmou Rodrigo.

 

 

Após alguns dias, Rodrigo tem uma considerável recuperação e é-lhe dada a alta que tanto desejava. Francisco e Carolina foram ao hospital buscar Rodrigo.

 

- Chegou o grande dia, acabou-se a estadia no hotel – disse Francisco em tom de brincadeira.

- Finalmente, estava farto de aqui estar, já passaram 2 semanas. A minha mãe ?

- Está a falar com o doutor para saber as indicações que terás que ter daqui para a frente por causa dos teus movimentos. É verdade, como está a tua mão ?

- Não tenho grande força, ainda sinto dificuldade ao pegar nos objetos mas está a melhorar com o que tenho feito aqui no hospital.

 

Carolina entra no quarto.

 

- Vamos então embora ?

- Sim mãe, mas antes queria falar contigo. Eu acho que era melhor eu ficar cá no Porto.

- Ficar cá no Porto ? Como assim Rodrigo ?

- Estar ao lado do Francisco, deixá-lo a cuidar de mim, era mais perto do hospital e tudo mãe, não precisava de fazer os tratamentos em casa ou ter de vir cá de semana a semana.

- Rodrigo, isso é um absurdo, tu tens de vir embora comigo, eu é que vou cuidar de ti.

- Ouve a tua mãe, é o melhor para ti.

- Não, eu sei com quem quero ficar durante a minha recuperação. Tenho a certeza que na casa do Francisco vou ser bem tratado e é apenas por uma questão de ser perto do hospital.

- Como é que tu és capaz de dizer uma coisas dessas ? Vais-me deixar sozinha e viver com um rapaz que conheces há pouco tempo ? Tu vens é comigo e já! - gritou Carolina.

- Chega de discutir! Rodrigo, eu não sei se estou à altura de cuidar de ti tão bem como a tua mãe. É verdade que se estiveres aqui no Porto podes vir ao S. João com mais frequência, mas a tua vida, os teus amigos, a tua casa, a tua família é em Viana.

- Eu sei qual é o meu lugar, mas agora sei o que é melhor para mim e ficar no Porto seria um voto de confiança por parte da minha mãe.

 

Carolina, com as lágrima nos olhos, preparava-se para abandonar o quarto.

 

- Espero mesmo que saibas o que estás a fazer, Rodrigo. Já não és nenhum bebe, mas hoje fiquei muito triste contigo. Se o teu pai fosse vivo esta não seria a tua decisão, mas tu é que sabes. Francisco, toma conta dele, é só o que te peço.

- Carolina espere, não era preciso isto …

- O Rodrigo tomou a decisão dele. Se ele acha que estou a mais na vida dele, então vou-me embora.

 

Carolina abandona o hospital. Entretanto Francisco regressa ao quarto.

 

- Era mesmo preciso isto ? Porque não me disseste que já andavas a pensar em ir viver comigo ?

- Não vos queria preocupar e depois do que aconteceu em Viana não quero voltar para lá. A minha mãe não me soube compreender. É o melhor para mim neste momento ficar aqui, até fico mais próximo do hospital para os tratamentos.

- É mesmo isto que tu queres ?

- Claro que é!

 

Rodrigo teve alta e foi na companhia de Francisco para casa. Ambos estavam felizes e com vontade de começar do zero.

 

- Não ligues à desarrumação, vais ter de te habituar – disse Francisco.

- Não há problema, já vim a esta casa mais vezes esqueces-te ? Isto comigo vai mudar agora.

 

Vibra o telemóvel de Rodrigo.

 

- Olha o teu telemóvel vibrou, deves ter uma mensagem.

- É o João …

- Outra vez ?

- Quer que vá tomar café com ele.

- Dá cá o telemóvel, tu não estás em condições de sair e precisas de descansar. Este está a precisar de um aviso.

- Francisco dá-me o telemóvel e acalma-te, eu ainda sei dizer não. Por favor, não quero confusões.

- Mas agora que ele voltou não te vai largar ?

- Já falamos sobre isto não já ? Ele é meu amigo apenas e não terá chance de ter mais alguma coisa comigo, fica descansado, agora dás-me o telemóvel para lhe dizer que não posso ir tomar café ? … obrigado.

 

Francisco fica desconfiado e com ciumes mais uma vez.

 

 

PRÓXIMO EPISÓDIO : SEGUNDA

Link to comment
Share on other sites

A ÚLTIMA OPORTUNIDADE 

[17º episódio - Antepenúltimo]

 

 

 

Na manhã seguinte, Rodrigo acorda e decide ligar à mãe pois ficou triste após a discussão de ambos no hospital.

 

- Estou mãe ?

- Diz filho.

- Como estás ?

- Mais ou menos e tu, passaste bem a noite ?

- Oh mãe desculpa o que se passou ontem, mas tomei a decisão que achava melhor para mim. Não quero que penses que te abandonei, nada disso, és das pessoas mais importantes na minha vida e de quem preciso muito nesta altura mas neste momento estar ao lado do Francisco depois do que aconteceu é muito importante para mim.

- Eu sei que estás feliz aí no Porto mas tens de perceber o meu lado. Sinto-me só aqui nesta casa.

- É por isso que eu estive a pensar e porque é que não vens viver para cá ? O Francisco tem 2 quartos e nós só ocupamos 1 e tu podias ficar no outro.

- Oh que disparate, não vou deixar a minha casa para ir viver com vocês, que querem privacidade.

- Nada disso mãe, tanto eu como o Francisco iríamos adorar ter-te aqui connosco e assim acompanhavas de perto o meu tratamento. Estávamos os três juntos.

- Não sei, vou pensar nisso …

- Vá lá mãe, quero muito ter-te aqui comigo e não quero estar chateado. Prometes que vens ?

- Eu não estou chateada contigo meu filho, só quero é que estejas bem e feliz. Eu logo ligo ao Francisco e digo se vou ou não pode ser ?

- Pronto mãe, até logo então.

 

Entretanto Francisco acorda.

 

245jx46.jpg

 

- Estavas a falar com quem amor ?

- Com a minha mãe, não me sentia bem ficar chateado com ela depois da discussão de ontem no hospital.

- E então, já resolveram as coisas ?

- Sim e eu fiz-lhe um convite, espero que não te importes. Convidei-a para vir viver aqui connosco para estar mais perto de mim. Ela ficaria no outro quarto que está desocupado.

- Por mim não me faz confusão, se isso te faria mais feliz e vos aproximaria, é na boa.

- Ainda bem que não te importas.

- Sabes, eu criei uma boa relação com a tua mãe quando estiveste estas semanas internado. Estivemos os dois dia e noite naquele hospital e isso aproximou-nos muito. Claro que ela quis saber desde logo quais eram as minhas intenções contigo e eu expliquei-lhe, portanto vê se dás valor porque tens ali uma mãe que te ama muito e faz tudo por ti.

- Eu sei disso e por isso é que a quero ao meu lado neste momento.

 

Entretanto batem à porta e Francisco vai abrir.

 

- Tu aqui ?

- Quem é amor ?

 

João entra em casa de Francisco de surpresa.

 

- Olá João, que estás aqui a fazer ?

- Vim ver como estavas e também como não me respondeste à sms …

- Desculpa, ainda ia responder. Nós podemos conversar aqui e tomar café aqui, não estou ainda muito em condições de ir à rua e movimentar lugares barulhentos. Que me dizes ?

- Se o Francisco não se importar …

- Claro que me …

- Claro que ele não se importa não é amor ?

 

Rodrigo faz sinal com os olhos a Francisco e pede a este que vá dar uma volta para falar a sós com o João.

 

- Bem, vou então buscar pão para o pequeno almoço. Ficas connosco não é João ?

- Sim, posso ficar, obrigado.

- Não tens de agradecer, o prazer é todo meu ter-te cá – disse Francisco em tom irónico e com um sorriso forçado.

 

João e Rodrigo ficam a sós enquanto Francisco foi buscar o pequeno almoço à rua. Entretanto Carolina liga a Francisco.

 

- Olá meu querido, estás bom ?

- Bom dia Carolina, está tudo bem e consigo ?

- Trata-me por tu rapaz, já te pedi.

- Desculpa, não estou habituado. Vim buscar pão para o pequeno almoço para mim e para o Rodrigo … ah e para o seu visitante matinal.

- Ui, que voz é essa, passa-se alguma coisa com o Rodrigo ?

- É o tal de João, apareceu esta manhã lá em casa e ficaram a conversar.

- E tu ficaste com ciumes não é verdade ?

- Eu ainda estou a tentar perceber o que é que este João quer do Rodrigo.

- Já te disse, quer apenas recuperar a amizade deles, não fiques preocupado. Olha o meu filho fez-me um convite, já estás a par ?

- Sim, ele falou-me agora de manhã. Por mim é ótimo, a Carolina pode vir à vontade, tenho todo o prazer de a ter aqui.

- Só não vos queria incomodar …

- Não incomoda nada, é bom ter a casa cheia e o importante é ver o Rodrigo feliz não é verdade ?

- Então vou fazer as malas e vou para aí. Ao final do dia chego ao Porto.

- Combinado, até logo Carolina.

 

João continua a conversar com Rodrigo no quarto.

 

- Então, ainda não disseste grande coisa desde que chegaste João, passa-se alguma coisa ?

- Eu não consigo mais esconder isto que sinto.

- Mas esconder o quê ?

 

João aproxima-se de Rodrigo e beija-o mas Rodrigo empurra-o dizendo que não devia ter feito isto. Neste momento Francisco regressa da rua e vê tudo.

 

- O que é que tu estás a fazer meu palhaço ?

 

Francisco agride João.

 

- Parem com isso os dois – gritou Rodrigo.

- Ele estava-te a beijar Rodrigo, forçou-te a isso.

- Eu admito, eu beijei o Rodrigo porque eu gosto dele. Eu voltei para estar com ele e o conquistar. Desculpa se não te disse nada mas pensei que tinhas percebido que gostava de ti.

- Mas eu pensei que tu querias apenas amizade João, que merda foi esta ?

- Desculpa …

- Viste o que fizeste ? Por favor sai daqui!

- Não ouviste o meu namorado, sai daqui já antes que eu te parta a cara toda.

- Pronto eu saio, não é preciso mais agressões ok ? Desculpem.

- Eu não te disse que este tipo não era de fiar ?

- Mas eu nunca percebi que ele gostava de mim, eu pensei apenas que era um sentimento especial de amizade.

- Oh por favor, estava na cara que o tipo queria algo mais de ti. Agora tenho a certeza que não volta mais aqui.

- Eu não sei o que lhe deu na cabeça.

- Não quero que fales mais com ele amor, mas bom, mudando de assunto. A tua mãe ligou e vem hoje ao final da tarde para aqui, ela aceitou.

- A sério ? Ai que bom ter a minha mamã aqui.

 

Rodrigo estava muito feliz por ter a mãe e o namorado ao seu lado.

 

- Vamos a esse pequeno almoço então, já cheira bem.

 

 

 

ÚLTIMO EPISÓDIO : SEXTA FEIRA

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...