Jump to content

The Idol [HBO]


VTL

Recommended Posts

A série segue a estrela pop Jocelyn (Lily-Rose Depp), que, após uma crise nervosa, está determinada a fazer o seu regresso à carreira como "o maior ato de digressão de sempre". Para o fazer, ela associa-se a um produtor muito desonesto interpretado por Tesfaye, que a "lavagem cerebral" enquanto os dois mergulham num mundo de sexo, drogas e música pop.

---------------------------------------------------------------------------------------

Muita controvérsia em torno desta série. Fala-se em cenas de sexo gratuito, em masculinidade tóxica por parte dos criadores que diz a crítica que estão a canalizar os seus maiores fetiches para esta série. 

Eu estou a gostar. Gosto de Sam Levinson e dos seus últimos projetos. É um criador atento à realidade tem elencos onde a diversidade é celebrada. 

Acho que a série está uma excelente crítica à indústria e à forma como as jovens estrelas são tratadas por um mundo dominado por homens. E por isso percebo essa crueza da sexualidade. Roça o erotic thriller na verdade. A personagem do The Weeknd provoca reações negativas a quem assiste e a ideia era mesmo essa. 

Os dois primeiros episódios foram melhores do que o terceiro. O segundo episódio foi o que nos permitiu perceber a qualidade de Lily-Rose Deep como atriz. 

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

Eu tendo a concordar com a crítica em relação ao excesso de cenas sexuais... É o meu ponto negativo para esta série, quando focam apenas nos problemas dela enquanto cantora/celebridade/pessoa vs indústria é quando mais me prende. 

Ainda neste último episódio aquela cena de sexo na loja achei super desnecessária, é aquelas alturas em que me apetece passar à frente porque efetivamente aquilo não acrescenta nada à história. 

O the weeknd tem momentos super cringe de representação, dá me vontade de rir de tão mau às vezes, já a Lily-Rose Deep para mim está irrepreensível, o episódio 2 então foi onde ela se esmerou 

Link to comment
Share on other sites

1 hour ago, Dinis01 said:

Eu tendo a concordar com a crítica em relação ao excesso de cenas sexuais... É o meu ponto negativo para esta série, quando focam apenas nos problemas dela enquanto cantora/celebridade/pessoa vs indústria é quando mais me prende. 

Ainda neste último episódio aquela cena de sexo na loja achei super desnecessária, é aquelas alturas em que me apetece passar à frente porque efetivamente aquilo não acrescenta nada à história. 

O the weeknd tem momentos super cringe de representação, dá me vontade de rir de tão mau às vezes, já a Lily-Rose Deep para mim está irrepreensível, o episódio 2 então foi onde ela se esmerou 

É isso. Eu não tive essa sensação nos 2 primeiros episódios. Acho que as cenas de sexo foram justificadas. 

Agora no 3º já achei demais: no carro, na loja. 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Daquilo que eu vi, não está péssimo no seu todo - até consegue ter alguns momentos de reflexão sobre a toxicidade da indústria da música perante jovens, principalmente mulheres. Por outro lado, sim, há muitas cenas de sexo gratuitas que são contraditórias à temática da série :cryhappy: E sim, o The Weeknd é um péssimo ator. A Lily-Rose Depp, por outro lado, é ótima, assim como a Rachel Sennott.

  • Like 3
Link to comment
Share on other sites

É horrível, isto. Vi todos os episódios disponíveis e cheguei à conclusão de que o The Weeknd deve-se manter apenas na atmosfera musical, porque a atmosfera representativa está mais do que reprovada. Péssimo, só debita texto. Ele à espera da chapada foi o que me matou, é que nem os atores do MCA faziam isso. :cryhappy:

Mas concordo com as boas prestações da Lily e da Rachel Sennott, haja alguém com brio no meio de tanto amadorismo. 

Link to comment
Share on other sites

A verdade é só esta: a série devia ser renovada.

1 - para se explicar ou limpar se necessário; uma série como esta com o seu estilo de narrativa onde é suposto todas estas cenas de sexo desconfortáveis terem mensagens subliminares precisa de mais que 5 episódios para a mensagem ser passada.

2 - apesar de todo o desconforto a verdade é que a série é das que saiu ultimamente que mais prende e faz de facto querer saber o que vai acontecer: dei por mim a estranhar muito os primeiros episódios mas como a mim aconteceu já percebi que a tantos outros também: uma hora de episódio passa a correr e na hora em que sai outro já lá estamos para ver; até aqui já comentaram que apesar de todos os erros a apontar já viram as mais de 4 horas que existem da série.

Link to comment
Share on other sites

É uma série muito fraca, cada vez mais rendido aos argumentos válidos sobre a sua qualidade. É um produto que tenta ser transcendente com a sua mensagem satírica do mundo da música através de choque, mas acho que acaba por se tornar aquilo que critica: um vácuo misógino e machista que falha completamente a sua intenção. Vale mesmo pela Lily-Rose Depp e pela Rachel Sennott, porque ver o the Weeknd nisto é uma aflição (e eu até gosto dele como artista!).

Para o Sam Levinson, isto é uma queda a pico de Euphoria - reconhecendo que esta última não é nenhuma The Sopranos ou Breaking Bad, nem de perto nem de longe, mas é um bom produto dentro do seu género. Mas também, a própria filmografia do realizador, à exceção dessa outra série, não é nada demais lol.

Edited by Johnman
Link to comment
Share on other sites

há 4 horas, Johnman disse:

É uma série muito fraca, cada vez mais rendido aos argumentos válidos sobre a sua qualidade. É um produto que tenta ser transcendente com a sua mensagem satírica do mundo da música através de choque, mas acho que acaba por se tornar aquilo que critica: um vácuo misógino e machista que falha completamente a sua intenção. Vale mesmo pela Lily-Rose Depp e pela Rachel Sennott, porque ver o the Weeknd nisto é uma aflição (e eu até gosto dele como artista!).

Para o Sam Levinson, isto é uma queda a pico de Euphoria - reconhecendo que esta última não é nenhuma The Sopranos ou Breaking Bad, nem de perto nem de longe, mas é um bom produto dentro do seu género. Mas também, a própria filmografia do realizador, à exceção dessa outra série, não é nada demais lol.

Eu até tinha vindo a gostar dos últimos episódios, o primeiro não foi nada de mais, mas tinha gostado do 2,3 e 4, este final foi terrível. Não recomendo, não vale a pena perder tempo. 

Link to comment
Share on other sites

A questão é que eu sinto que a base estava lá. A história é boa, houve boas cenas e sinto que as coisas poderiam ter ido a bom porto. Acho que faltou respeitar ali alguns limites. Houve diálogos desconfortáveis e com muita tentativa de chocar. Sendo que era suposto mesmo serem desconfortáveis, a maioria deles, como crítica ao meio e tudo mais, mas não sei, passaram ali um bocado o ponto. Na verdade na segunda temporada de Euphoria também há ali uma cena ou outra um bocadinho acima do limite. Aqui elevaram ainda mais. E depois a má prestação do The Weeknd não ajudou nada.

E eu até gostei dos primeiros episódios. Acho que também virou tendência escolachar a série, ainda não tinha estreado e toda a gente já tinha decidido que era a pior série do mundo. Li algumas críticas que não concordei nada. Mas realmente estes últimos 2 episódios são bastante difíceis de defender.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

há 4 horas, Pedro M. disse:

Na verdade na segunda temporada de Euphoria também há ali uma cena ou outra um bocadinho acima do limite.

E se fosse pelo Sam Levinson ainda tinham havido mais...

Segundo consta o mesmo queria que a cena inicial da Minka Kelly (em que esta pede ajuda à Maddy com o vestido) a tivesse sem qualquer roupa, ela é que não achou que fizesse qualquer sentido e recusou. O mesmo para a Sydney Sweeney que apesar de ter muitas cenas explícitas era suposto ter muitas mais mas, mais uma vez, a própria impôs um limite.

O Sam Levinson é um realizador/argumentista duvidoso.

Edited by Chris
Link to comment
Share on other sites

há 13 horas, Pedro M. disse:

A questão é que eu sinto que a base estava lá. A história é boa, houve boas cenas e sinto que as coisas poderiam ter ido a bom porto. Acho que faltou respeitar ali alguns limites. Houve diálogos desconfortáveis e com muita tentativa de chocar. Sendo que era suposto mesmo serem desconfortáveis, a maioria deles, como crítica ao meio e tudo mais, mas não sei, passaram ali um bocado o ponto. Na verdade na segunda temporada de Euphoria também há ali uma cena ou outra um bocadinho acima do limite. Aqui elevaram ainda mais. E depois a má prestação do The Weeknd não ajudou nada.

E eu até gostei dos primeiros episódios. Acho que também virou tendência escolachar a série, ainda não tinha estreado e toda a gente já tinha decidido que era a pior série do mundo. Li algumas críticas que não concordei nada. Mas realmente estes últimos 2 episódios são bastante difíceis de defender.

Também acho que mataram logo a série e ainda não tinha estreado. Acho que o facto do the weeknd fazer parte do elenco só piorou a situação, se tivessem colocado outro ator no lugar dele as coisas poderiam ter sido diferentes. Depois o final foi o que foi, fica impossível defender a série. 

 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

×
×
  • Create New...