Jump to content
Pedro

Audiências de sábado - 23-05-2015

Recommended Posts

Aqui fica um resumo das finais Eurovisão desde 99:

 

1999 1,890.500 (55.2% share)

2000 456.000 (27.3% share) *não participou / transmitida a partir das 23h

2001 845.500 (26.7% share)

2002 636.500 (25.7% share) *não participou

2003 1,168.500 (36.4% share)

2004 893.000 (28.8% share)

2005 930.500 (33.4% share)

2006 997.500 (30.1% share)

2007 931.000 (28.5% share)

2008 1,716.000 (46.7% share)

2009 1,299.000 (37.5% share)

2010 1,285.000 (39.1% share)

2011 640.000 (19.6% share)

2012 617.500 (15.8% share)

2013 579.500 (13.5% share) *não participou

2014 541.500 (13.5% share)

2015 503.500 (13.2% share)

Convém sublinhar que a queda abrupta de 2010 para 2011 não se deveu a um súbito desinteresse do público português em relação ao ESC, mas sim à mudança de medidora (Marktest para GFK).

Seja como for, isto é um ciclo vicioso: enquanto a RTP não encarar a Eurovisao com seriedade, fazendo investimentos que nos façam concorrer à vitória, as pessoas também não vão interessar-se por um concurso que, à partida, nem podemos ganhar (alguém está a imaginar a RTP com capacidade financeira para receber e organizar a Eurovisao quando até pessoas andam a despedir para poupar uns trocos?). Claro que isto também é cultural. Se Portugal um dia destes vencer e passar a ter músicas de grande qualidade que compitam sistematicamente os lugares cimeiros, aí veremos os portugueses a delirar com isto assim como deliram com o Futebol. Porém, também não se compreende o completo ignorar da competição. Uma coisa é dar-lhe menos importância e vibrar com menos intensidade com o evento, outra é simplesmente ignorar, ficando a ver a vida alheia que são as novelas, dia após dia, como se as pessoas não tivessem vida própria, dispondo-se a dispender a maioria do seu tempo livre com novelas (que, repito, são um assimilar, em quem vê, da vida alheia, da vida dos outros). E digo a maioria do tempo livre partindo do princípio que: 8 horas a dormir, mais 8 horas a trabalhar/estudar e resta pouco das outras 8 horas. Ora, as pessoas dispõe-se a isso. Não sei se é para esquecer os seus próprios problemas, concentrando-se, desta feita, nos dos outros, se é simplesmente por pura cusquice e intromissão doentia de que muitos padecem, como se não tivessem nada seu com que se preocupar, andando sempre a deambular pelas vidas dos outros. E a Eurovisao, por uma noite que seja, iria proporcionar a essas pessoas um espetáculo de envergadura mundial, de alta qualidade, com um custo de produção de 45 Milhões de euros em 2015 (repartidos entre a EBU e a ORF) e que é potencialmente do agrado de toda a população (música é universal, ao contrário do futebol que desagrada a muitos, principalmente grande parte do público feminino)........

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Convém sublinhar que a queda abrupta de 2010 para 2011 não se deveu a um súbito desinteresse do público português em relação ao ESC, mas sim à mudança de medidora (Marktest para GFK).

Seja como for, isto é um ciclo vicioso: enquanto a RTP não encarar a Eurovisao com seriedade, fazendo investimentos que nos façam concorrer à vitória, as pessoas também não vão interessar-se por um concurso que, à partida, nem podemos ganhar (alguém está a imaginar a RTP com capacidade financeira para receber e organizar a Eurovisao quando até pessoas andam a despedir para poupar uns trocos?). Claro que isto também é cultural. Se Portugal um dia destes vencer e passar a ter músicas de grande qualidade que compitam sistematicamente os lugares cimeiros, aí veremos os portugueses a delirar com isto assim como deliram com o Futebol. Porém, também não se compreende o completo ignorar da competição. Uma coisa é dar-lhe menos importância e vibrar com menos intensidade com o evento, outra é simplesmente ignorar, ficando a ver a vida alheia que são as novelas, dia após dia, como se as pessoas não tivessem vida própria, dispondo-se a dispender a maioria do seu tempo livre com novelas (que, repito, são um assimilar, em quem vê, da vida alheia, da vida dos outros). E digo a maioria do tempo livre partindo do princípio que: 8 horas a dormir, mais 8 horas a trabalhar/estudar e resta pouco das outras 8 horas. Ora, as pessoas dispõe-se a isso. Não sei se é para esquecer os seus próprios problemas, concentrando-se, desta feita, nos dos outros, se é simplesmente por pura cusquice e intromissão doentia de que muitos padecem, como se não tivessem nada seu com que se preocupar, andando sempre a deambular pelas vidas dos outros. E a Eurovisao, por uma noite que seja, iria proporcionar a essas pessoas um espetáculo de envergadura mundial, de alta qualidade, com um custo de produção de 45 Milhões de euros em 2015 (repartidos entre a EBU e a ORF) e que é potencialmente do agrado de toda a população (música é universal, ao contrário do futebol que desagrada a muitos, principalmente grande parte do público feminino)........

A GFK entrou em 2012.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Convém sublinhar que a queda abrupta de 2010 para 2011 não se deveu a um súbito desinteresse do público português em relação ao ESC, mas sim à mudança de medidora (Marktest para GFK).

 

Também foi um subito desinteresse, porque foi o ano em que foram os Homens da Luta e flopámos à grande na semi final. Isto depois de termos conseguido ir à final 3 anos seguidos.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

A TVI deveria seriamente excluir MD e AUM dos sábados. O que vale é que Masterchef está quase a acabar. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em 2010 viramos atenções para ao festival porque teve interesse. Eu vi nesse ano! Depois disso é mesmo que a mediadora tenha mudado deixei de ver, só fazendo zapping, como acontece a muitos!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eurovisão a flopar. Como seria de esperar.... Enfim, depois queixem-se que é só novelas e novelas.

 

Não é que eu ligue muito à Eurovisão, apesar de reconhecer que é um evento que tem a sua importância mas concordo quando dizes que são novelas a mais, acho que deviam de haver apenas duas novelas em horário nobre, quer na SIC quer na TVI e apenas uma reposição/novela à tarde. E acabar com as novelas ao fim de semana.

Edited by João_O
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

E não esquecer quando a GFK entrou os ratings dispararam de novo. Portanto o facto de ter havido quebra vai muito além disso. A realidade em 2011 já era muitissimo diferente do panorama tuga nos inicios/meio de 2000. A cabo cresceu imenso num curto espaço de tempo, e se dantes mesmo que não fossemos à final, as alternativas eram poucas, agora não faltam por aí canais como alternativa.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não é que eu ligue muito à Eurovisão, apesar de reconhecer que é um evento que tem a sua importância mas concordo quando dizes que são novelas a mais, acho que deviam de haver apenas duas novelas em horário nobre, quer na SIC quer na TVI e apenas uma reposição/novela à tarde. E acabar com as novelas ao fim de semana.

Nem ao sábado deixam de transmitir, tendo já dois programas de entretenimento no ar que dão a horas não merecedoras.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas isso concordo, devia ser mesmo proibido transmitir novelas ao sábado.. nem faz sentido. Mas acho que isso só acontece quando o programa mais visto não tiver mais e 10% de rating... por enquanto ainda dá. 

O MasterChef, na minha opinião, esteve muito mal :| Menos de 10% de rat e menos de 30% share... hm :|

Edited by TheSecret

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ninguém disse que a eurovisão era cultura. :P Falamos de um festival que tem tido cada vez menos interesse junto dos portugueses, o que antes não era o caso.

É um bocado compreensível. Se reparares, as músicas que lá iam há uns anos atrás não tinham muito a ver com o que é o festival agora. Os hábitos mudaram, o festival também. Por alguma razão os programas de música de maior audiência em portugal são as pimbalhadas de fim-de-semana. Agora compara o estilo de um e de outro. Por mais que me apetecesse dizer que é tudo farinha do mesmo saco, acaba por não ter muito a ver xD

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nem ao sábado deixam de transmitir, tendo já dois programas de entretenimento no ar que dão a horas não merecedoras.

 

Isso é o que me deixa mais triste. Tudo bem que o Masterchef não iria vencer Mar Salgado e iria prejudicar A Única Mulher à semana, mas fogo, era tão bom ter um programa decente como o Master às 21h30. No ano passado resultou tão, mas tão bem. Foi uma lufada de ar fresco. E este ano fazem esta porcaria. Enfim, não se percebe.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nem ao sábado deixam de transmitir, tendo já dois programas de entretenimento no ar que dão a horas não merecedoras.

 

Eu gosto de novelas (quando são boas) mas acho que a televisão também devia mudar e apostar mais em séries (depois não admira que os jovens fujam para o Cabo para ver as suas "séries") e em formatos do género do Perdidos na Tribo ou Survivor e deixar de lado os talent shows que já começam a ser muito repetitivos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A RTP é a principal culpada, mas é burrice. Em 2008, que bomba. Uma excelente música, também. Enfim, eles lá sabem.... Por um lado tenho pena, mas a RTP é que tem culpa... Azar. Valia mais a TVI comprar os direitos (não sei como isso funciona), uma vez que a RTP se está a cagar... Só quer é o dinheiro do festival 760.

Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk

 

Para se emitir o ESC é necessário ser-se membro da EBU. E poucos são os canais privados que o são.

 

Convém sublinhar que a queda abrupta de 2010 para 2011 não se deveu a um súbito desinteresse do público português em relação ao ESC, mas sim à mudança de medidora (Marktest para GFK).

Seja como for, isto é um ciclo vicioso: enquanto a RTP não encarar a Eurovisao com seriedade, fazendo investimentos que nos façam concorrer à vitória, as pessoas também não vão interessar-se por um concurso que, à partida, nem podemos ganhar (alguém está a imaginar a RTP com capacidade financeira para receber e organizar a Eurovisao quando até pessoas andam a despedir para poupar uns trocos?). Claro que isto também é cultural. Se Portugal um dia destes vencer e passar a ter músicas de grande qualidade que compitam sistematicamente os lugares cimeiros, aí veremos os portugueses a delirar com isto assim como deliram com o Futebol. Porém, também não se compreende o completo ignorar da competição. Uma coisa é dar-lhe menos importância e vibrar com menos intensidade com o evento, outra é simplesmente ignorar, ficando a ver a vida alheia que são as novelas, dia após dia, como se as pessoas não tivessem vida própria, dispondo-se a dispender a maioria do seu tempo livre com novelas (que, repito, são um assimilar, em quem vê, da vida alheia, da vida dos outros). E digo a maioria do tempo livre partindo do princípio que: 8 horas a dormir, mais 8 horas a trabalhar/estudar e resta pouco das outras 8 horas. Ora, as pessoas dispõe-se a isso. Não sei se é para esquecer os seus próprios problemas, concentrando-se, desta feita, nos dos outros, se é simplesmente por pura cusquice e intromissão doentia de que muitos padecem, como se não tivessem nada seu com que se preocupar, andando sempre a deambular pelas vidas dos outros. E a Eurovisao, por uma noite que seja, iria proporcionar a essas pessoas um espetáculo de envergadura mundial, de alta qualidade, com um custo de produção de 45 Milhões de euros em 2015 (repartidos entre a EBU e a ORF) e que é potencialmente do agrado de toda a população (música é universal, ao contrário do futebol que desagrada a muitos, principalmente grande parte do público feminino)........

 

A GfK só entrou em 2012. Os dois grandes culpados da final de 2011 ter sido um falhanço audiométrico foram a não-presença de Portugal na final e o facto de nesse mesmo dia a TVI emitir o Sporting de Braga vs Sporting CP para a última jornada da Primeira Liga e que decidia quem é que ficaria em terceiro lugar (não que houvesse grandes alterações na qualificação para a Europa caso os clubes mudassem de posição, tendo em conta que ambos já estavam qualificados para a UEFA Europa League).

 

Fiquem Bem.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

É um bocado compreensível. Se reparares, as músicas que lá iam há uns anos atrás não tinham muito a ver com o que é o festival agora. Os hábitos mudaram, o festival também. Por alguma razão os programas de música de maior audiência em portugal são as pimbalhadas de fim-de-semana. Agora compara o estilo de um e de outro. Por mais que me apetecesse dizer que é tudo farinha do mesmo saco, acaba por não ter muito a ver xD

 

Mas isso é diferente. É um programa para os velhos, e para além disso, tirando o tipo de músicas, eu reconheço o valor do Somos Portugal. Acho bem mostrares as terras do país, as paisagens, as coisas típicas... acho algo positivo. Mas não pode ser tudo bom. 

Gostava que houvesse uma premiação para a música portuguesa, mas nem isso a MTV Portugal faz.... pobres. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas isso é diferente. É um programa para os velhos, e para além disso, tirando o tipo de músicas, eu reconheço o valor do Somos Portugal. Acho bem mostrares as terras do país, as paisagens, as coisas típicas... acho algo positivo. Mas não pode ser tudo bom. 

 

Também acho esse lado do Somos Portugal interessante, confesso! E eu nem sou contra o mesmo ser transmitido... mas porra, durante uma tarde toda? Das 14h às 20h? Um perfeito disparate. Era duas horas e meia no máximo e estava bom! E depois o problema é que temos mais dois programas do género, nos canais ao lado. É deprimente!

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

A verdade é que Portugal deixou de dar valor à Eurovisão, e isso também se vê pelas músicas que tem levado a competição. Se ainda levasse fado que é um ícone do nosso país e Património Imaterial da Humanidade é que era ótimo!

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

O "Somos Portugal" (e derivados) mostra tanto "as terras do país, as paisagens, as coisas típicas" como a pornografia mostra amor verdadeiro.

 

Fiquem Bem.

 

Morri :haha:

Share this post


Link to post
Share on other sites

A verdade é que Portugal deixou de dar valor à Eurovisão, e isso também se vê pelas músicas que tem levado a competição. Se ainda levasse fado que é um ícone do nosso país e Património Imaterial da Humanidade é que era ótimo!

 

A Senhora do Mar era fado (e uma das nossas melhores canções da eurovisao), e nem com essa obra prima chegamos ao top 5, é simplesmente ridiculo. Ja para não falar doutras como "Chamar a Musica" com a belíssima voz da Sara Tavares.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Isso é o que me deixa mais triste. Tudo bem que o Masterchef não iria vencer Mar Salgado e iria prejudicar A Única Mulher à semana, mas fogo, era tão bom ter um programa decente como o Master às 21h30. No ano passado resultou tão, mas tão bem. Foi uma lufada de ar fresco. E este ano fazem esta porcaria. Enfim, não se percebe.

 

Concordo contigo!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas isso é diferente. É um programa para os velhos, e para além disso, tirando o tipo de músicas, eu reconheço o valor do Somos Portugal. Acho bem mostrares as terras do país, as paisagens, as coisas típicas... acho algo positivo. Mas não pode ser tudo bom. 

Gostava que houvesse uma premiação para a música portuguesa, mas nem isso a MTV Portugal faz.... pobres. 

Não é só os velhos que vêem esses programas, trust me. ah.. e tens as categorias musicais dos Globos de Ouro. xD E acho que nos prémios SP Autores também se premeiam músicas, i guess..

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não é só os velhos que vêem esses programas, trust me. ah.. e tens as categorias musicais dos Globos de Ouro. xD E acho que nos prémios SP Autores também se premeiam músicas, i guess..

 

Oh, mas se houvesse uma espécie de prémios da MTV Portugal, com atuações.. lançamento de novas músicas, idk. DAMA, Anselmo Ralph, Carlão, Agir, Diogo Piçarra, Carolina Deslandes, B4, C4 Pedro, David Carreira...também podiam aparecer outros como, Rita Guerra, etc... Há tantos cantores que mereciam prémios, idk. Era tão giro, mas pronto... tenho pena que a tv portuguesa não aposte nestas coisas. Podiam nem ser prémios MTV, os prémios sobre música que fossem passando nos canais.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Shark Tank tá arrumado. O Masterchef é que ainda deve voltar para mais uma temporada para o ano.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Festival da Eurovisão merecia sim melhores audiências. Mas infelizmente hoje em dia as pessoas até se esquecem que o Festival ainda existe. :(

Share this post


Link to post
Share on other sites

×
×
  • Create New...