Jump to content

105: Campeões Nacionais


Recommended Posts

Há dois anos, falei sobre um programa que anda perdido na internet e sobre a qual restam zero excertos de dentro do programa (promos ainda vá que não vá), À Sombra da Bananeira. No ano passado, falei sobre os Jogos Sem Fronteiras onde, à custa de falar sobre como surgiu, referi um programa que é instituição em França há mais de 50 anos, seja ele um programa que andava a mudar mais vezes de canal do que uma Cristina Ferreira em dois anos, o Intervilles. Hoje vamos fazer uma transposição das duas realidades: a do Intervilles com a do "programa do verão de 2003 da qual ninguém postou imagens", o Campeões Nacionais.

Para quem esteve no mico que era o Secret Santa do ano passado, a minha prenda era um emulador de canal singapurense ao @Fadokimi, e um dos programas, conforme visto na promo, era uma ficcionalização da tua história de subestação. Logo nos primeiros segundos, um dos temas fortes da edição (imaginária) era uma adaptação dos Tesourinhos Deprimentes onde o tema central iria ser o programa, sendo que a melhor maneira de a ilustrar foi com esta imagem:

UAxAPn5.jpg

A fonte da imagem era de uma notícia do famigerado site satírico inÉPCIA (hoje inÉpcia), que a 18  de Julho de 2003 noticiava ficticiamente que um Campeões Nacionais étnico acabava mal a um ponto de, no primeiro parágrafo, terem referenciado o À Sombra da Bananeira.

Explicando porcamente, o Campeões Nacionais é um Intervilles aparentemente licenciado pelos franceses da Mistral (hoje a Banijay ficou com o formato). Já fizeram Intervilles em países como a Austrália (como os Jogos Sem Fronteiras já eram coisa do passado, optaram por usar um estúdio parecido a um Intervilles banal na Malásia para a segunda versão), China, Espanha (El Grand Prix del Verano), África do Sul e até Vietname. Lembram-se do rumor do regresso dos Jogos Sem Fronteiras, da qual a UER alegava não ter o formato? Pois é, afinal era uma nova série do Intervilles internacional, que nem a série de 2014 que passava no canal infantil Gulli.

Como é de praxe, tentar completar subestações dedicadas a programas desta altura recorre a uma série de pesquisas no famigerado arquivo.pt, de modo a tentar tirar dúvidas relativas ao funcionamento do programa. Eis que deparo-me com a página oficial do programa, de onde o gajo da inÉPCIA tirou a imagem na altura:

"Campeões Nacionais é um programa de entretenimento baseado numa competição amigável e divertida entre cidades portuguesas, que participam numa série de jogos através de equipas seleccionadas por cada cidade.

O Campeões Nacionais terá 13 programas com a participação de 20 cidades. Ao longo de 10 programas (com 20 equipas/cidades) serão apuradas as 4 equipas/cidades mais bem classificadas. Os 11º e 12º programas terão a participação das 4 equipas/cidades referidas anteriormente, sendo que destes dois programas ficarão apuradas as duas melhores equipas/cidades que disputarão a grande final num 13º programa.

Cada cidade é representada por uma equipa de 20 pessoas que ao longo de 75 minutos vai dar o seu melhor em jogos bastante animados que exigem de cada participante uma grande perícia e agilidade. Grandes claques estarão a apoiar as suas equipas prevendo-se uma competição renhida entre as equipas mas sempre num espírito amigável e pelo prazer de jogar.

Os anfitriões de Campeões Nacionais são João Baião, Silvia Alberto, Mariza Cruz, Liliana Campos e Jorge Gomes."

Portanto tal como muitos Intervilles ou Jogos "Com" Fronteiras, havia um número inferior a cinco cidades dentro do país (provavelmente quatro por edição) numa ambiciosa série de 13 sessões - 13! - e de pensar que nem sequer os Jogos Sem Fronteiras chegariam a ter este número de edições por ano, no máximo  10 ou 11, sem contar com ocasionais especiais de Natal!

No entanto, provas disto em vídeo são mais raras do que, sei lá,  o Bombástico, que deu precisamente em 2003. Eu há uns dias falei sobre o programa no tópico Memórias SIC e disse que só me lembrava de uma prova que envolvia uma rampa. Depois o @Johnman respondeu e disse-me:

"Eu lembro-me de várias provas do Campeões Nacionais (da Baba de Camelo, em que tinham de correr com dois baldes cheios de água enquanto os membros da equipa adversária davam pontapés ao chão onde eles corriam; de uma corrida em bolas aquáticas; de uma prova chamada Agarra Que é Ladrão; e do Desafio, a prova de subir a rampa que te referes). É uma pena só termos promos, de facto."

Não me lembro de mais, o programa nem sequer teve reposições supostamente por causa de ser uma adaptação de um formato internacional. Imagens do Campeões Nacionais apareceram na promo de inscrições ao seu sucessor, o Todos Gostam do Verão (TGV), filmado em Espanha num estúdio que pertencia à Europroducciones ou próxima a ela. Na altura eu achava o nome TGV estranho, pois ligava aquilo ao governo e ao facto de não criarem um nome português para o homólogo português que nunca foi criado. O TGV (programa) merece ser falado em breve.

Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...
há 8 minutos, PierreDumont disse:

Não tem como não lembrar disto. Para quem não sabe, esta é uma versão brasileira dos JSF com a participação das colônias estrangeiras em São Paulo. Foi ao ar em 1992:
 

 

Ao ter um formato igual ao Campanile Sera (um incrível número de dois concorrentes), cai na estética do Intervilles. "Nações Unidas", bem bolado!

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...