Jump to content

PierreDumont

Membros
  • Content Count

    112
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

48 Concorrente do Love on Top

About PierreDumont

  • Rank
    Vou ser o próximo Bruno Santos

Recent Profile Visitors

239 profile views
  1. @ATVTQsV o falecido apresentador Gugu Liberato planeava apresentar um programa na RTP em 1990: Jornal do Brasil - 6 de julho de 1990: LÁ É CÁ O apresentador de TV e empresário Gugu Liberato prepara mais um lance para ampliar seus domínios no mundo da comunicação.Estreará em breve na Rádio e Televisão Portuguesa (RTP) um programa mensal idêntico aos que apresenta no SBT.Para compensar a atual invasão brasileira na televisão lusa, que, aliás, vive se queixa-ido da falta de reciprocidade - o conhecido toma lá dá cá - Liberato, em conjunto com o patrão Sílvio Santos, se comprometeu a abrir espaço para a apresentação de artistas portugueses nos quatro programas que anima no SBT. https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/
  2. PierreDumont

    Óbitos

    Desculpe-me ressucitar tal tópico, mas queria fazer um adendo bem interessante. Ele era filho de portugueses e apaixonado pela cultura lusitana. Trabalhou no programa Caravela da Saudade, programa de cultura lusa na extinta TV Tupi no final dos anos 70.
  3. @ATVTQsV, se não equivoco-me, Ay que Calor! e Tutti-Frutti eram gravados no mesmo estúdio do Colpo Grosso, em Milão. Foi um programa símbolo da fase "Tu pantalla amiga" da Telecinco da Espanha. A versão brasileira era gravado nos estúdios do SBT, em São Paulo, e tinha muita popularidade até mesmo fora do Brasil: operadoras de TV à cabo da Argentina ofereciam os canais brasileiros em versão integral e muita gente de lá acompanhava com afinco as beldades tirando a roupa. Certa vez, receberam a carta de um argentino e a leram no ar em espanhol! A apresentação de Cocktail ficava a cargo de Miele.
  4. Sim, todas as parabólicas serão afetadas no Brasil porque o 5G ficará na faixa de 3,5 GHz, enquanto a Banda C da emissão via satélite ocupa o espaço compreendido entre 3,625 Ghz e 4,2 Ghz. Verificou-se, nos testes realizados, que existe uma forte interferência provocado pelo 5G na recepção de sinais analógicos ou digitais via satélite e isso está provocando uma intensa disputa entre companhias telefônicas e emissoras de TV no país. De um lado, existem as empresas de telecomunicações, que querem instalar filtros em antenas parabólicas e transferir os canais para frequências mais altas, alegando menor custo. Do outro, as estações de TV, que querem a transferência dos canais abertos para a Banda Ku, o que exigiria antenas menores (60 cm), mas exigiria um custo maior para aquisição de antena, receptor (para quem não tem) e mão de obra especializada.
  5. Em Portugal, a faixa de 700 Mhz será do 5G? aqui no Brasil, essa faixa pertence ao 4G e as empresas telefônicas foram obrigadas a custear a limpeza do espectro de 700 Mhz. Com isso, a TDT brasileira que ia até o canal 69 UHF, agora só vai até o canal 51 UHF. Mas, sinceramente, poderiam ter levado mais e ter ido junto os canais de igrejas que empestam a TDT daqui. Aliás, o Brasil enfrenta um problema um pouco parecido com o português em relação ao 5G: a faixa destinada a nova geração da Internet móvel dificilmente pode co-existir com as grandes antenas parabólicas, tão comuns no interior. Estima-se que existem até 15 milhões de parabólicas em atividade no país, das quais 8 ou 9 milhões ainda recebem a programação analógica. Aliás, o StarOne C2 é o único satélite do mundo a oferecer canais analógicos no mundo!
  6. Finalmente eu descobri o canal daquele famoso vídeo: "F*da-se o c*ralho", o primeiro que vi no Youtube
  7. @ATVTQsV a lei brasileira de Comunicação Social prevê três modalidades de canais de TV em sinal aberto: a estação geradora (está autorizada a produzir e emitir sua programação sem restrição), a estação retransmissora (apenas pode repetir os sinais da estação geradora) e a estação retransmissora mista (localizada apenas na Amazônia Legal, está autorizada a emitir 3,5 diárias de programação própria e publicidades). Sabendo disto, a jornalista Elvira Lobato percorreu várias cidades da região e descobriu várias mini-estações em pequenas cidades sobrevivendo da maneira mais improvisada possível. A TV Viana, do interior do Maranhão, funcionava em um casebre e tinha apenas dois funcionários: o pai e o filho adolescente. Ela escreveu um livro chamado "Antenas da Floresta". O interessante é que a pequena cidade de Codó, no Maranhão, produz telenovelas! Os trechos das telenovelas do interior do Brasil:
  8. PierreDumont

    NOS

    E olha que vocês tem alguns canais bem interessantes como o Stingray Retro e Stingray I-Concerts. Se achas que a grelha lusitana de canais é ruim, tens de ver a brasileira e até mesmo a africana. Pense que existem canais esportivos em Angola e Moçambique que não possui comentários em português. Talvez a natural predileção portuguesa por programas brasileiros seja a natural escassez de programações em língua portuguesa. As emissoras brasileiras usam equipamentos NTSC e convertiam para PAL-M apenas na hora da emissão. Queria entender porque os argentinos (que adotam uma norma semelhante à europeia) conseguiam receber bem os canais brasileiros no analógico e os portugueses não. Também davam o Woohoo na da Zap, mas esse canal foi retirado da grelha da operadora de Isabel dos Santos há algum tempo.
  9. PierreDumont

    NOS

    @ATVTQsV desconheço o motivo pelo qual a Band não está disponível em Portugal, ainda mais sabendo que canais religiosos brasileiros (Mundial, Canal Um Europa e Canção Nova) conseguem espaço na TV à cabo lusitana. Já a RIT (nome brasileiro do Canal Um Europa) sempre teve qualidade técnica deficiente e, em plena era da alta definição, ainda produz noticiários com qualidade SD 4:3 com aquela imagem desfocada e de cores borradas. Aliás, eles tem um canal de notícias de péssima qualidade e que consiste-se em uma pequena sala com meia dúzia de computadores repondo imagens de telemóveis à exaustão. Uma curiosidade bem interessante é de que, nos tempos áureos da TV à cabo na Argentina, as empresas davam todos os canais brasileiros disponíveis no satélite (exceto CNT). Até o final dos anos 90, era comum ver as programações brasileiras em sua versão integral e sem cortes, incluindo filmes e desenhos. Sabe-se lá como, conseguiam fazer a conversão da rede de 525 linhas/30 quadros para 625 linhas/25 quadros sem grandes perdas e a qualidade era impecável. Hoje, apenas as TVs Bandeirantes e Globo estão disponíveis na Argentina, em versão internacional e pagos a parte. Não conheço nenhum país no mundo que tenha tamanha oferta de canais e programas brasileiros como Angola e Moçambique. Estão a receber quase tudo que vem do Brasil, seja através de sinais internacionais, seja através de programas avulsos nos diversos canais. Agora sobre os canais chineses, acho que a preferência pelo sotaque brasileiro na Rádio China Internacional deva estar relacionada com interesses socioeconômicos no Brasil e com os acordos multilaterais dos BRICS. Os chineses querem dominar a África e a América Latina e o Brasil, dado seu poder de influência política, econômica, social e cultural nos PALOPs, seria peça fundamental. A StarTimes já manifestou que pretende entrar no mercado brasileiro e, mais recentemente, a China Mobile manifestou interesse na moribunda Oi e, para isso, pretende formalizar uma aliança com as também chinesas Huawei e Xiaomi para a implantação do 5G e facilitar a revitalização da empresa de telefonia, já que os telemóveis chineses gozam de alguma popularidade no Brasil a ponto dos Mifãs serem chamados de "Testemunhas de Xiaomi" (em chacota a conhecida insistência das Testemunhas de Jeová).
  10. PierreDumont

    NOS

    @ATVTQsV diga-me uma coisa: o CTC emite seus programas com dobragem brasileira? seria possível que você pudesse gravar um trecho dessa dobragem para ser qual seria a origem dela? sim, porque além dos tradicionais estúdios de dobragem do Rio e São Paulo, existem também em Curitiba, Belo Horizonte e Campinas. Além, é claro, de estúdios de péssima qualidade nos EUA (Miami, Los Angeles) e Argentina (Buenos Aires), que chamam toda a gente que saiba ler e tenha uma razoável dicção para dobrar. A internacionalização do sinal seria uma alternativa viável para a CNN Brasil. Assim poderia conquistar milhões de assinantes em Portugal e nos PALOPs e aumentar o faturamento. O Band News também seria uma alternativa interessante, pois já conta com o sinal internacional que está disponível na África pela Zap (empresa da qual a NOS é acionista). A emissão do SBT seria um pouco díficil, já que o canal vende suas produções para o Zap Viva Internacional. A Band Internacional seria possível com algum esforço, mas o sinal estrangeiro é pouco atrativo em comparação com sua versão original. É curioso que os chinas não tenham criado a versão em português para o CGTN, mesmo tendo cooperação com emissoras brasileiras (Band, TV Gazeta) e interesses na África subsaariana. Uma curiosidade é que o IUTV arrenda a Rádio Manchete AM do Rio de Janeiro e emite quase toda a sua programação com o sotaque lisboeta, causando estranhamento na população.
  11. Praticamente um ano no ar? duvido muito que a Flopeirantes ponha outra tuga no lugar em junho de 2020. Deve vir outra turca...
  12. @ATVTQsV o M.P.B. Shell que anuncia RTP 1 em 12/03/1983 possivelmente era o festival de música brasileira que ocorreu seis meses antes:
  13. @miguelalex23 tal quebra tornou-se ainda maior. Na melhor fase das turcas, a queda era mínima. Fatmagul e Mil e uma noites conseguiam manter 3,5 de média, chegando até 4. Agora temos uma perda superior a 50% de uma trama que vinha dando 2,3 ou 2,2, com perspectiva de alta. O motivo? a edição horrível da novela que a reduziu a 23 minutos de arte. Um "capítulo padrão" tem quase o dobro disso (40 à 45 minutos). Não duvide que a Flopeirantes retire a novela do ar e ressucite o Esporte Total (noticiário esportivo que existia na década passada). Mas o grande problema é o Pastor Romildo Ribeiro Soares, dono e senhor do principal horário da Flopeirantes. Recentemente ele exigiu ganhar mais 10 minutos e como ele paga 30 milhões de euros por ano, pode mandar e desmandar. Agora seu programa tem duração estimada em 55 minutos. Então, qualquer estratégia de programação fica comprometida por causa dos milhões pagos. A única alternativa que resta a emissora é tentar conter os estragos para a linha de shows, limpando o horário com um telejornal de 45 minutos. Em menos de 6 horas, a Flopeirantes emite três telejornais (Jornal da Band às 19:20, Band Notícias às 22:00 e Jornal da Noite pouco antes de 1:00).
  14. @tjspy @srcbica Ouro Verde está muito mal com essa nova estratégia. Está a perder 50% da audiência que recebe do Jornal da Band Jornal da Band 3,3 Ouro Verde 1,6 noticiasdatv.uol.com.br/noticia/audiencias/com-elenco-desconhecido-fazenda-11-tem-pior-estreia-do-reality-show-29522
  15. @ATVTQsV @JDaman as antenas parabólicas brasileiras são gigantescas porque apanham os sinais do satélite em Banda C, que exige antenas de grande porte e, normalmente, estão voltados quase exclusivamente para o uso profissional. Assim que chegaram ao Brasil, em 1984, tais antenas eram ainda maiores: 3 metros de diâmetro para os canais brasileiros e 5 metros para os canais estrangeiros. Com o passar dos tempos, a antena foi diminuindo de tamanho e hoje só é possível encontrar antenas entre 1,50m e 1,90m (feitas com paineis de tela vazadas) ou até 1,80m (de paineis sólidos). Os europeus passaram a apanhar os canais do satélite através da Banda Ku, que exige antenas bem menores (45 à 90 cm). Mas que, por aqui, são usados quase sempre para receber canais de TV à cabo. Porém, a depender da região aonde vives, a antena poderá ser maior, já que os sinais dos satélites voltados ao Brasil são bem mais fracos que os europeus: as antenas vão de 60cm a 1,5m. Aproveitando a oportunidade, gostaria de saber: as antenas parabólicas quadradas ou retangulares são comuns em Portugal? Alguns modelos vinham com um motor que permitia a busca por outros satélites. A telenovela Pantanal, produzida em 1990, tinha ações de merchandising de uma fabricante de antenas. Vejam como funcionava: E foi graças aos entusiastas brasileiros que fiz uma descoberta interessante. No Jornal do Brasil, de 21 de fevereiro de 1988, um deles relata que passava o tempo livre tentando apanhar canais vindos do exterior. A oferta não era da mais interessante: além dos canais nacionais, era possível apanhas alguns canais regulares de países vizinhos, dois canais da Televisão Central Soviética, um canal americano voltado para as bases militares (AFN) e emissões ocasionais da Europa. O mais surpreendente é que esse entusiasta relata que esteve a ver um documentário da TV portuguesa sobre Cabo Verde que estava sendo emitido para a comunidade emigrante do Canadá. Existia algum canal para a comunidade lusitana do além-mar antes da RTP Internacional?
×
×
  • Create New...