Jump to content

132: Olá


Recommended Posts

É claro que com o verão era inadmissível falar sobre a empresa.

PARTE 1 - OS INÍCIOS A PRETO E BRANCO

Surgiu em 1959 quando a Lever, empresa que diz ter criado o conceito das marcas, comprou uma fábrica de gelados en Santa Maria da Azóia, e daí nasceu a marca Olá. Ainda não existia uma marca que unificasse todas as marcas de gelado da Lever em todo o mundo - tal coisa viria poucos anos mais tarde - mas a Lever já tinha produtos internacionais em Portugal, como a Lux (quando ainda não era sinónimo de revista cor de rosa, acho que a Lux tem outro nome em Portugal agora).

Em Maio descobri um PDF contendo descrições de anúncios da Lever, todos eles feitos pela Lintas, na altura a agência de publicidade da própria Lever. Diz que não tem informações precisas relativas às datas de emissão de certos anúncios televisivos. No entanto vou dar um facto que alguns já sabem: a partir de 1 de Novembro de 1962, a RTP abdicaria de fazer anúncios em directo a produtos e finalmente é que se enveredava em filmes publicitários como noutros países. Em 1963, a Lever era a anunciante que ganhava mais dinheiro e tinha mais anúncios.

Nesta parte da crónica falarei sobre os anúncios emitidos em televisão na RTP ainda a preto e branco.

Longe dos bem coloridos catálogos de gelados, a Olá nos seus primeiros anos especializava-se em duas coisas: copos (que se tornaram banais pelos geladeiros artesanais) e o dito bloco familiar, no caso um antepassado da Vienetta.

Vinham também em blocos mais pequenos. "Que belo presente!"

"Primeiro que tudo vem o bloco Olá", sério, as ideias do Portugal (dos ricos) dos anos decadentes do Estado Novo eram ideias "taradas" (citando um anúncio que virá na segunda parte). Gelado antes do futebol, e porque não?

"O bloco é puro, saudável, delicioso", sabe-se lá se era saudável ou não. Cai por terra a suposição que eles tirariam uns 40 anos mais tarde com isto da boysband das mascotes (e que foi quebrada ainda mais recentemente).

Mas pronto. Nos anos 60, mesmo quando coisas destas (fora das cidades) eram luxos, havia menos controlo em temas que hoje seriam tabu, como chamar a um produto de saudável quando hoje em dia não o é. E há mais de 55 anos as pessoas eram mais activas, vicissitudes de ainda não existir vida sedentária massiva onde as crianças ainda brincavam alegremente nas ruas e nos campos.

Sim, era embrulhado em papel de jornal. PAPEL DE JORNAL!

Anúncio promovendo as novas versões do copo da Olá.

Algo que a Olá já não tem, embora a sua fórmula tenha sido imitada por gelados posteriores, até o Magnum (estamos nos anos 60, marcas como a Magnum ainda não existiam e o gelado era tida como uma coisa infantil e/ou familiar)

"Que bom, agora sim é o melhor da festa!"

Eles já tinham seis variedades de blocos supostamente "saudáveis" - lembra-se do que falei antes? Agora toma um anúncio que tem ainda crianças num parque infantil, para ilustrar melhor as condições de vida da altura.

Ainda estamos nos anúncios dos inícios (meados?) dos anos 60 e continua a Olá a apregoar o facto de supostamente ser saudável.

E mais um anúncio da altura, desta vez sobre os tipos de produtos.

Anúncio de 40 segundos promovendo algo que já vimos conservado em papel de jornal.

Esta deu também no Imagens de Marca, quando acabava sempre com um anúncio português antigo.

Nos anos 60 a Olá já vendia brindes. Primeiro, "bonecos de Walt Disney", atenção à pronúncia.

Neste dava figurinhas de animais.

Miniaturas de automóveis, e atenção, no início vemos uma versão meio que deturpada da logo deles, parecia estar a "negrito"

Eles também davam bonecos da Warner Bros., a começar pelo Bugs Bunny, que viria a ser o nome oficial em português europeu. Na altura usavam o nome brasileiro, e não sabemos em que moldes foi emitido - sei que as séries da Hanna-Barbera eram emitidas em português do Brasil com forte eco.

Por falar nele, eles tinham um sorteio na altura (meados dos anos 60?)

Por esta altura (mais para o fim dos anos 60) tinham um novo slogan, "primeiro em paladar".

Esta aqui promove a série popularucha da altura, O Carrocel Mágico, e ao contrário do que o popular belief diz, não era Anita, era Anica.

Sendo alusiva ao Gorila Maguila, da Hanna-Barbera, parece que veio dos meados da década.

Grande concurso alusivo "à primeira alunagem". Parece vindo do verão de 1969, sendo que a 20 de Julho foi a tal alunagem.

Com a compra da Rajá, a Olá passa a ter novas marcas e novos conceitos de fazer gelado. Como o Capri.

Campanha de um passatempo tipo Kalkitos da Olá.

Já a tentar fugir à decadente moral, a Olá lança um tal de Cupido.

Mais uma campanha dos prémios dos pauzinhos

Outro gelado dos primeiros anos pós-Rajá, o Paiper.

Ao contrário do outro anúncio das decalcomanias, que só promovia a colecção do zoológico, esta promovia as colecções em geral.

Colecção dos barcos e navios.

Anúncios breves ao Kinky, o gelado onde o imprevisível salta à nossa frente.

O Cornetto já existia noutros países onde a Unilever tinha gelados, nasceu em Itália em 1958 para dar um exemplo, mas em Portugal só chegou uma dúzia de anos mais tarde. Inicialmente para ter um ar de "crescido" os nomes dos dois gelados Cornetto não tinham sabores e tinham nomes mais sugestivos como "Casino" e "Baccarat". Ainda bem que não lançaram o "Poker" - os lenços já tinham a sua trademark imposta.

Na segunda parte: de onde vieram as mascotes? Já a cores!

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

PARTE 2 - DAS CORES AO PRIMEIRO HEARTBRAND

A Olá tinha uma concorrente, a Rajá, que também tinha o seu know-how consolidado depois da mudança na lei da compra e venda de gelados em 1958. Foi forçadamente comprada pela Olá em 1970 e alguns dos seus produtos integraram o catálogo dos gelados. Alguns dos anúncios dos anos 70 são a cores, provavelmente tinham passado a preto e branco na televisão (o Markl lembra-se de ver este anúncio da Água Castello na televisão e nos cinemas), sendo que nos cinemas estes anúncios passariam nas sessões infantis. É de salientar que a Olá tem um catálogo mais reduzido nos cinemas do que nos pontos de venda banais.

Ah e se quiserem dar informações consultem catálogos antigos da Olá para datar alguns anúncios com precisão.

Poucos vão acreditar, mas este gelado era o Perna de Pau antes de ter as riscas vermelhas. Pode contestar-se a necessidade da mudança e da escolha de um pirata para fazer juz ao nome - e à aparência do gelado - mas antes de mudar o nome (e a aparência) nem sequer tinha mascote. Já com o nome que está implantado nas nossas mentes, teve um gelado em versão moeda na virada do milénio e uma versão mega (já depois de 2003, durou alguns anos).

Aquilo que viria a ser designado de Super Maxi afinal era da finada Rajá. Nos anos 60, quando era da "concorrência", o nome era Pallino. Depois veio a compra da Rajá e mudou de nome para Delicô, e pouco mais tarde Maxi Delicô. É daqui que veio a identidade do cão antropomórfico, dado que tinha a ver com uma caderneta de cromos sobre raças de cães. Em 1976 mudou de nome para Super Maxi, onde permaneceu ininterrupto por pouco mais de 40 anos, sendo que passou a ser um cão super-herói, com capa e tudo.

Já dizia a criança perto do fim do anúncio: "as ideias da Olá são ideias taradas".

"Taradas".

Sim, ouviu bem, "taradas", e isto há coisa de 45 anos, por alturas do início do PREC, ainda era aceite! Aparentemente vem de "taras", hoje seria interpretada de uma maneira bem mais pornográfica (infelizmente, dado que a língua é alvo frequente de mudanças)

Este gelado - e porventura esta mascote - deve ter vindo junto com a mudança do antigo Maxi Delicô. Citando o Nuno Markl, o nome Epá na altura em que apareceu era "super moderno e rebelde, diria eu, quase, um nome quase comunista". Um gelado e uma mascote com nome de interjeição. E porque não? Porque é que não tiveram a ideia de criar um nome mais alusivo ao facto do gelado ter pastilha elástica? De onde veio esse tal Epá? Na altura havia muito comuna que falava sempre com interjeições? Se o Epá fosse uma invenção do século XXI, teria um outro nome mais convencional, tipo "Olha Aí" e em vez de ter pastilha elástica teria malaguetas. Ah, e o nome por si só dá para acabar com o debate de como se escreve a interjeição, já que normalmente quando não nos referimos ao gelado, escreve-se "eh(,) pá" (a vírgula é opcional). Sendo o nome um trademark da Olá, acreditamos que seja grafia de fantasia. De todos os gelados, este foi o que teve o mesmo logotipo, a mesma wordmark, desde o dia 1 praticamente inalterado.

O anúncio foi feito pelo mestre da animação Artur Correia, onde a famosa mascote é capturada por uma tribo de índios (ou, segundo o dicionário do politicamente correcto, "nativos americanos", pode ser dos EUA, pode ser do Brasil, tanto faz, cansei), serão canibais?, até que o próprio tira o gelado da algibeira das calças, come-o a correr, chega à pastilha elástica, faz um balão gigante, e os índios passam a venerá-lo como um deus.

A Olá nesta altura tinha também uma outra mascote, o elefante Fantola, que aparece neste anúncio que foi criado sob substâncias ilícitas, onde aparecem dois dos gelados que já referi (só não aparece o Super Maxi, acho que estava em fase de mudança) e mais alguns que desapareceram e entraram no panteão de gelados da Olá: o Diabrete, que certamente não seria vendido nos dias de hoje, o Zézéssete, suposto agente 007 infantil ao contrário com um dedo danificado, e um spin-off do Epá, o Karamelus, cuja mascote não era um primo dele, e sim um bife com ovo a cavalo o caramelo que havia no fundo. Deste também se fez um outro derivado, o Morango Tango, cuja mascote era um flamingo. Opções muito mais válidas para pessoas que não gostavam de pastilha elástica e não sabiam como mascá-la.

E agora voltamos aos gelados que duraram alguns anos (ou pouco). Primeiro O Dedo, que inspirou a Olá (e a Frigo, em Espanha) a lançar o Pé nos anos 90. O Dedo era tratado como se fosse um objecto neste anúncio com cerca de 40 anos de idade, hoje em dia gelados inspirados em partes do corpo humano seriam impensáveis - a não ser se fizessem outras coisas como fazer corpos com vegetais! Querias, não querias?

Uma das muitas versões do clássico "Um Cornetto pra mim, um Cornetto pra ti", esta datada de 1986. Existem outras versões mas esta versão e esta voz parecem ser as mais recordadas.

Uma campanha de meados dos anos 80, onde também aparecem os finados Flash Cola, Popsi, Pinky (sucessor do Morango Tango) e Crok.

Avançando mais para o fim da década e a Olá tenta introduzir fruta a sério nos gelados, depois de apregoar todo o contrário nos anos 60.

O Super Maxi chegou a ter quatro sabores. Imagina a reacção das velhotas quando surgiram os novos sabores, só lhes confundia a cabeça. Cover autorizada pelos próprios Beach Boys (ou talvez não). Não duraram tanto.

O anúncio do Feast, que sobreviveu os anos 2000. Infelizmente parece estar incompleto.

Cornetto dos anos 90, versão comprida (há uma outra de 26 segundos no mesmo canal), ainda usando o jingle clássico numa versão actualizada.

No fim dos anos 80, a Unilever atiça os consumidores crescidos e lança com sucesso a marca Magnum em muitos dos países onde faz gelados.

Quem fez este anúncio deve certamente ter uma obsessão por chocolate... :curtainpeek:

Quase pornográfica até :rofl:

Este anúncio do Super Maxi (sem capa, infelizmente) diz que o gelado em si é a responsta ao aborrecimento nas escolas.

Em 1998 (curiosamente no evento de mudança da marca nasceu a ideia que no início de 2004 ganharia forma ao programa da SIC Notícias Imagens de Marca) a Unilever lança o conceito da Heartbrand, um coração vermelho e amarelo supostamente representativo dos interiores coloridos dos gelados. Supostamente aperceberam-se de que a imagem antiga era demasiado "infantilizada" e finalmente conseguiram uma marca mais aprazível a todas as faixas etárias e estratos sociais. Este foi o anúncio da mudança. Pouco antes a Olá tinha implementado o seu novo slogan, "Quem Gosta, Gosta Sempre", que viria a durar até 2003.

Esta versão do anúncio foi alusiva à Expo 98, tendo como pano de fundo a baixa lisboeta, e seguindo a premissa do anúncio da nova marca na primavera.

Muitos europeus recordam-se deste gelado com saudade e querem-no de volta, como o Solero Shots. Ainda me lembro que no programa Altos e Baixos chegaram a passar um anúncio italiano disto.

Um anúncio que faz jus ao nome e à mascote do gelado Perna de Pau, antes da mudança de 2003.

E esta mudança iria mudar a face das mascotes.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

PARTE 3 - OLÁ, JÁ ESQUECESTE DE MIM?

Normalmente eu iria seguir a ordem cronológica, que foi quando a Unilever impôs a sua nova Heartbrand que ainda está em uso e é mais duradoura que a anterior. Mas infelizmente, quando falar da Olá em meados dos anos 2000, certamente vos virá uma coisa à cabeça.

(batida de pop genérica de boysband da viragem do milénio)

Não
ÓÓÓÓH não
não te esqueeeeeeeeeças de mim
aaaasim
triste, só e abandonaaaaaaaaaaaaaaaaado, gelaaaaaaaaaaaaaado (GELAAAAAAAAAAAAAAADO)

A Olá, juntamente com a reformulação geral de 2003, acabou por dar uma lavadela às mascotes, e só em 2005 é que teriam anúncios, dado que a Olá conseguiu pegar nas suas mascotes (só o Epá, o Perna de Pau e o Super Maxi, a vaca do Mini Milk estava fora) e inspirar-se em boysbands portuguesas (e internacionais) da viragem do milénio, criando uma boysband mais improvável do que a Banda do Panda (com a sua amálgama desconexa de instrumentos, que juntos não tocam nada de jeito). O intérprete do tema era o cantor Ricardo Soler.

Spoiler

também, com um último nome catalão, lembra-me o tema actual do Super3, mas surgiu em 2006, e não recorreram a uma boysband, cai por terra a suposição de quem clicou no spoiler

Eu tenho a ideia de que os primeiros anúncios eram somente as mascotes a dançar num fundo branco, que nem na segunda parte da versão do anúncio com as mães (sim, mães). A premissa do tema era de que "os gelados são saudáveis e ponto final".

"Agora uma história um tanto quanto curiosa. Eu tenho 19 anos e dês de pequeno que tenho um sonho repetidamente de x em x tempo. Esse sonho é que estou nesse hipermercado do vídeo. E eu não me lembrava desta publicidade nem nada do género, mas sempre achei este sonho estúpido xD. E agora do nada encontro este vídeo e a minha cabeça simplesmente explodiu ao ver algo com que já sonhei e que nem sabia que já tinha visto uma publicidade desse tal hipermercado 😂"

Felizmente nunca tive sonhos com as mascotes da Olá, e já fui a lugares fictícios em sonhos.

Eles tinham mudado a camisola to Epá para ser mais "actualizada", mas a logo continuava a mesma de há trinta anos. Teria sido uma versão descartada? O Super Maxi voltou a ter capa (a sério) e o Perna de Pau passou a ser acompanhado por um papagaio, o sugestivamente titulado Pena de Pau (que já era um papagaio pirata, fugindo às normas das convenções de Genebra sobre o tema da aparência dos papagaios dos piratas).

Em tudo o que é sítio, a boysband da Olá criava flashmobs só por causa do seu tema.

E ainda por cima invadiram o tempo quando nos canais generalistas o tempo já não era assim.

O inusitado sucesso da campanha trouxe também a mythos da Olá Kids que entretanto desapareceu com o tempo, e já vou explicar o porquê. Até 2010 a Olá queria mostrar as potencialidades destas mascotes ao máximo (pun unintended com o Super Maxi) e tinha um site do seu clube na net. Tal site rendeu até um CD com a versão completa do tema do anúncio (cujos versos soam meio a um Só Gosto de Ti, porquê? não sei) e temas alusivos a um tal Planeta Olá, que serviu de base para uma série de livros e um jogo na net. Do jogo sobrevive nada, a não ser esta tese de universidade detalhada sobre o jogo e as personagens.

Portanto em 2006 a Olá lança o repto: não se esqueçam dos gelados. E para tal decidiram trazer as mães das mascotes.

"um escandalo que algo rico em açucar e conservantes tenha naquela altura reclames que salientam o quao saudavel é... hoje em dia isso nunca aconteceria. a musica though: 🤩"

Escândalo já era desde pelo menos os anos 60, agora nos anos 2000, com a chegada da nova roda da alimentação e o início do fim do politicamente incorrecto, as empresas começaram a dizer coisas do tipo "experimenta os nossos gelados, são completamente saudáveis, eu juro que as mascotes são mais chamativas". Estes anúncios foram filmados sem as personagens, das quais depois fizeram render e chroma key e terminou com pós-produção no Brasil.

A última vez que este jingle deu na televisão foi em 2008, quando os anúncios foram regravados com nova locução a promover a nova fórmula, tida como "a melhor de sempre". Deram no verão de 2008.

E sim, não promoveram só os gelados propriamente ditos. Atendendo a pedidos de milhares de pais que temiam ver os seus filhos a caírem para a tentação de consumir chocolates e coisas com excesso de açúcar como se fossem drogas, a Olá respondeu com derivados como o Milk Time:

Este anúncio é já de 2009 e foi talvez a última aparição deles:

Será que sou eu o único que achava justa a sua desaparição?

Pois claro, eu é que achava a mascote Perna de Pau um pouco ameaçadora, mesmo com a nova imagem que lhe deram, e também o porquê do E da camisola do Epá já não condizer com a logo do gelado, etc; acabam com isto mas não acabam com a Banda do Panda? Eu nunca tive grandes traumas com a boysband da Olá, simplesmente achava-me em total desconforto já depois dos anúncios deles desaparecerem de cena. Quando eu tinha aulas de educação física fora da escola e usámos um pavilhão em Nogueiró, o café tinha um relógio com as mascotes. Uma vez em 2010 saiu-me um baralho de cartas da Olá e recusei.

2010, ou como quem diz, a chegada do leão Max, que na verdade nasceu do gelado australiano-asiático Paddle Pop, sendo que o nome Paddle Pop aplica-se ao leão naqueles territórios (Max era para a Europa e Américas). Era para falar dele mas não me apeteceu, porque a Unilever conseguiu espremer a imagem do Max ainda mais do que as pobres mascotes da Olá. Em 2018 desapareceu o Super Maxi e passou a ser vendido sem mascote nos supermercados. Depois tiveram que trazê-lo de volta e tirar as configurações das mascotes que vinham desde 2003 pelas antigas (por saudosismo?), tirando o Epá que foi reformulado (juntamente com o gelado cujas pastilhas triplas foram trocadas por Pintarolas - para fazer afronta aos gelados com Smarties da concorrente Nestlé).

Feita a limpeza, falemos sobre 2003.

Não consegui encontrar a versão portuguesa do anúncio (Diverte-te à séria!) mas sim a versões internacionais do anúncio. O tema em questão usado pela Unilever (pelo menos na Europa) foi Played A-Live, dos dinamarqueses Safri Duo.

E se fores a vídeos do Played A-Live, certamente encontrarão pessoas que ouviram pela primeira vez através de anúncios da Algida, Frigo, etc.

O mais próximo que consegui arranjar foi isto:

Em 2004, com a campanha Ritmo de Verão, conseguiram o Zézé Camarinha para o anúncio. Desta vez o tema é Lethal Industry do Tiësto.

Em 2009, com os 50 anos da Olá, o Carte d'Or (provavelmente falarei numa quarta parte) teve uma promoção e eles tentaram imitar os anúncios de antigamente. Tentaram, e nem com aquela voz chegaram.

Eu até continuaria a falar deles mas espalhei-me na pesquisa, portanto muito provavelmente vamos ter uma quarta parte com anúncios que não encaixaram.

 

  • Like 1
  • Love 1
Link to comment
Share on other sites

On 07/06/2021 at 20:46, pedrovinsky disse:

 Quando foi que a Lever/Unilever passou a possuir essa marca (com o símbolo da Heartbrand)?

Entre 1998 e 2000, a Unilever unificou mundialmente a marca (Heartbrand). Antes disto, apenas algumas marcas seguiam o padrão (Olá, Wall's e Good Humor), enquanto outras ainda não (Tio Rico, Holanda e Kibon, compradas da Philips Moris).

 

  • Like 1
  • Thanks 1
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...
On 14/06/2021 at 01:38, PierreDumont disse:

Entre 1998 e 2000, a Unilever unificou mundialmente a marca (Heartbrand). Antes disto, apenas algumas marcas seguiam o padrão (Olá, Wall's e Good Humor), enquanto outras ainda não (Tio Rico, Holanda e Kibon, compradas da Philips Moris).

 

Falando na Kibon, uma das minhas memórias da viagem ao Brasil, em 2006, são os gelados da Kibon. Eram tão diferentes dos que havia cá na Olá ou então tinham nomes distintos. Achei curioso.

Aliás, fui agora ao site e continuam a ter gelados muito diferentes dos nossos e dos da variedade europeia: https://www.kibon.com.br/nossas-marcas/sorvetes.html

Quando era mais novo, adorava a marca Olá.  :mosking: Ainda me lembro de ter uma bandeira da Olá no meu terraço.

Edited by Televisão 10
Link to comment
Share on other sites

On 22/06/2021 at 12:13, Televisão 10 disse:

Falando na Kibon, uma das minhas memórias da viagem ao Brasil, em 2006, são os gelados da Kibon. Eram tão diferentes dos que havia cá na Olá ou então tinham nomes distintos. Achei curioso.

Aliás, fui agora ao site e continuam a ter gelados muito diferentes dos nossos e dos da variedade europeia: https://www.kibon.com.br/nossas-marcas/sorvetes.html

Quando era mais novo, adorava a marca Olá.  :mosking: Ainda me lembro de ter uma bandeira da Olá no meu terraço.

E, por muito tempo, existia uma subdivisão da Kibon: para os que viviam no Norte e Nordeste, existia uma oferta de gelados ligeiramente distinto sob a marca "Maguary Kibon", mais tarde rebatizada de "Kibon Sorvane". Com a compra pela Unilever, a marca padronizou-se em todo o país. A Kibon decaiu muito nos últimos 15 anos e boa parte do mercado foi tomado por marcas de alcance regional em todo o Brasil. Só na minha região devem ter oito ou dez marcas locais de gelados. Chego ao supermercado e é difícil ver frigoríficos da Kibon, ao contrário das outras marcas. 

Particularmente, prefiro as marcas regionais, já que a Kibon está cada vez mais cara e excessivamente doce. O único gelado deles que eu gosto é o Mordisko, não sei se existe similar em Portugal: 

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Os gelados regionais são mais baratos, mais refrescantes e com maior variedade de sabores, alguns exóticos: Milho Verde, Banana, Goiaba, Cajá, Graviola, Lichia, Caju, Cupuaçu, Beijinho de Coco (leite condensado+coco), Umbu, Biscoito, Castanha, Nata Goiaba, Maracujá, Doce de Leite, etc.

 

  • Shock 2
Link to comment
Share on other sites

Nós nunca o tivémos 

Sei que a Frigo em Espanha ainda tinha o Pé (Frigo Pié) em 2010, pelo que partilharam no extinto Facebook da Caderneta de Cromos, em 2010 também tinham (segundo um blog) o Drácula, que em Portugal deixou de se fabricar há muitos anos, além é claro dos gelados com as mascotes serem exclusivas de Portugal, dado que a Unilever tem estratégias de marketing tendo em conta a alimentação de cada país.

Link to comment
Share on other sites

há 13 horas, PierreDumont disse:

E, por muito tempo, existia uma subdivisão da Kibon: para os que viviam no Norte e Nordeste, existia uma oferta de gelados ligeiramente distinto sob a marca "Maguary Kibon", mais tarde rebatizada de "Kibon Sorvane". Com a compra pela Unilever, a marca padronizou-se em todo o país. A Kibon decaiu muito nos últimos 15 anos e boa parte do mercado foi tomado por marcas de alcance regional em todo o Brasil. Só na minha região devem ter oito ou dez marcas locais de gelados. Chego ao supermercado e é difícil ver frigoríficos da Kibon, ao contrário das outras marcas. 

Particularmente, prefiro as marcas regionais, já que a Kibon está cada vez mais cara e excessivamente doce. O único gelado deles que eu gosto é o Mordisko, não sei se existe similar em Portugal: 

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Os gelados regionais são mais baratos, mais refrescantes e com maior variedade de sabores, alguns exóticos: Milho Verde, Banana, Goiaba, Cajá, Graviola, Lichia, Caju, Cupuaçu, Beijinho de Coco (leite condensado+coco), Umbu, Biscoito, Castanha, Nata Goiaba, Maracujá, Doce de Leite, etc.

 

Curioso que, em Portugal, acontece exatamente o contrário: a Olá praticamente tem o monopólio dos gelados.

Há uns anos, a minha avó tinha uma mercearia e vendia gelados de uma marca local, que até lhe davam mais lucro. No entanto, teve de mudar para a Olá, porque os clientes só queriam gelados da Olá. Mesmo um café aqui perto teve de mudar da Nestlé para a Olá pela mesma razão.

Diria que, em Portugal, a Olá deve ter 3/4 do mercado. Depois, a segunda marca com maior preponderância deve ser a Nestlé. Por último, com uma expressão muito pequena, talvez a Menorquina, que é uma marca espanhola e que tem maior expressão em Espanha.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...