Jump to content

108: Jumbo


ATVTQsV
 Share

Recommended Posts

Há precisamente um ano, a Auchan tinha terminado um processo de 49 anos. Tudo começou quando uma empresa brasileira começa a penetrar no mercado português. O tempo passa e a empresa usa duas marcas dos dois lados da fronteira marítima, sendo que primeiro veio o Pão de Açúcar e depois veio o Jumbo. Ambas as marcas foram inventadas pelo Grupo Pão de Açúcar que é um dos nomes da indústria "varejeira" brasileira.

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Se para nós "varejeira" é uma mosca, no Brasil é derivativo de "varejo", que é como quem diz, "retalho" em português de pouco uso, ou "retail" em português mais comum (because anglicismos). O Pão de Açúcar foi criado em 1948 (ainda nem haviam supermercados decentes em Portugal - o Saldanha, do Modelo (sim, havia Modelo em 1961, longe de ser comprado pela SONAE) viria a ser criado em 1961) foi criada a doçaria Pão de Açúcar, que rapidamente passaria a ser uma cadeia de supermercados. Em 1968, com o sucesso da marca, foi criada uma divisão de internacionalização, que visava a abertura de lojas em Espanha, Portugal e na colónia de Angola. De Espanha não sei, de Angola sei que há (ou houve) um supermercado Jumbo desde 1973 (provavelmente foi engolido pelo Kero e pelo Candando).

Em Portugal, empresários do GPA (nome que a matriz brasileira viria a adoptar em 2013) aliaram-se com a CUF em 1969. Com a mesma marca usada no Brasil, a CUF e o GPA abrem o primeiro supermercado Pão de Açúcar no dia 1 de Maio (ainda não era feriado) de 1970.

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

O primeiro Pão de Açúcar foi aberto na Avenida Estados Unidos da América. Com o sucesso, foi aberta uma segunda loja a 1 de Novembro do mesmo ano na Avenida de Ceuta.

Algumas fotos do Pão de Açúcar nos primeiros anos:

Interior:

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Caixas:

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Entrada:

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Interior (a cores):

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Exterior do Pão de Açúcar Jumbo de Luanda, a cores, algures nos seus primeiros anos. Na (breve) época colonial era detida pela Africados (África Supermercados):

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Num documentário (datado de 1973 ou 1976) sobre a cidade de São Paulo, onde o GPA foi criado, vemos o exterior e algumas partes do interior do hipermercado Pão de Açúcar Jumbo, que tinha a mesma designação. Aparentemente chegou a Portugal em 1971, na Venda Nova.

Em 1976, com a compra da Eletroradiobraz, os hipermercados no Brasil passam a ter a designação Jumbo Eletro. Em Portugal e em Angola, os hipermercados ainda tinham o nome antigo.

Agradecimentos aos blogs Restos de Colecção e Indústria CUF pelas imagens.

A marca Jumbo teve início no Brasil em 1971 e acabou em 1989, sendo substituída pela Extra. Portanto a cadeia tem dois anos de nascimento: 1970 para as lojas Pão de Açúcar e 1971 para o Jumbo. Posto isto, a marca esteve presente em Portugal por 48 anos, mais do que o dobro do Brasil.

O anúncio mais antigo do Jumbo português que consegui encontrar na net é este anúncio à Mega Drive da Sega, que já não consigo encontrar solto dado que estava na conta antiga do LUSITANIATV. Contudo, achei o anúncio no lugar mais improvável: um vídeo de anúncios portugueses da Sega (o que é estranho considerando que o principal anunciante é o Jumbo e não a Sega):

E na época o Jumbo tinha seis hipermercados! Provavelmente um a menos que o Continente e o mais próximo de Braga era na Maia. O anúncio (que recorre a imagens de Looney Tunes dos anos 50, por aí) estava inserida numa campanha de brinquedos que havia por volta de Novembro, longe das cadeias fundirem o conceito de "feira dos brinquedos" com a campanha natalícia. Em baixo a de 1995:

Uma simples Mega Drive (já em fase decadente) a custar o equivalente a 100€. Tudo bem, por menos de metade arranja-se um plug-and-play manhoso com uma dúzia de jogos e sem o problema do framerate (que é outra história que não vou contar, pois já temos o tópico Televisores Antigos).

(se preferirem podem ver o mesmo anúncio sem watermark e com qualidade mais perra, e para rematar um dos separadores de publicidade da TVI daquele outono)

Ainda em 1995, Joaquim Nicolau interpreta o concurso Jogo do Elefante. O anúncio daqui promove a Feira de Queijos e Enchidos, um clássico dos supermercados portugueses no fim do inverno. Só o Jumbo tem os melhores queijos e enchidos (e douradinhos também)!

(sobre a parte dos douradinhos vão ter de esperar pelo fim)

Em 1996, o Grupo Pão de Açúcar vende as suas operações portuguesas para o grupo francês Auchan. Não sei quando é que veio isto dos 25 Dias Jumbo, pelo menos em 1997 já tinha conforme o vídeo.

Em 1999 a Maria Rueff era a cara de outra campanha, a Mãe de Todas as Promoções.

2001:

Curiosamente a voz-off era a mesma da RTP 1 (que saiu em 2007).

2002:

Há um anúncio do mesmo ano (que infelizmente não está na net) que tinha um homem vestido de fatia de fiambre (ou será que era de pão de forma?) a ser interrogado por alguém. Ele disse "Mas... mas... mas eu..." e o gajo interrompeu o da fatiota alimentar a dizer "Não há mas nem meio mas!". Como já disse na crónica do Feira Nova, ainda existem anúncios que não estão na net, como um anúncio da altura do Scottex (segundo a minha mãe) que acabava com uma voz a dizer "take 53" e que acabava com uma imagem de uma sanita.

Mais uma vez a Mãe de Todas as Promoções, desta vez do tempo em que o Euro estava prestes por vir. Felizmente não deram uma de Feira Nova e disseram coisas tipo "três vírgula quarenta e nove" e sim "três euros e quarenta e nove cêntimos".

Mais um anúncio do Jumbo com o velho locutor da RTP 1. Produto português: mais do que uma paixão.

Promoção Os Inseparáveis, Abril de 2005.

Alguém se lembra de um anúncio do outono de 2004 (mais ou menos) envolvendo uma campanha onde um tipo entra na despensa e aquilo acaba por ser um supermercadinho com meia dúzia de prateleiras? Não consegui encontrar o dito

Precionário, 2006:

É fácil, é como encontrar um trevo na tromba de um elefante:

Na primavera de 2007  surgia a campanha do Hiper de Estimação e um dos últimos (senão o último) jingle decente que uma cadeia de supermercados já teve. A do Pingo Doce em 2009? Direi apenas que foi um exagero. Existiram outras versões deste jingle.

Natal de 2008. Campanha feita para tentar fazer frente à Leopoldina avantajada?

Em 2009 havia uma campanha onde o elefante (Jumbo, claro) e um macaco falavam entre si.

Campanha de Natal com jogos da potente PS2, célebre por ser a consola que mais anos aguentou:

Na primavera de 2010, com os 40 anos do Jumbo, houve o Top das Promoções com covers de temas portugueses:

Paralelamente à campanha de cima (existiram outras versões com outros temas) havia a campanha da Pergunta Milionária, onde se podia ganhar o prémio máximo de 40.000€.

O slogan Hiper de Estimação viria a ser aposentado definitivamente em 2011 quando veio um novo slogan, Tudo para o ver feliz, que esteve presente até ao fim da marca.

Nos 25 Dias Jumbo de 2012, usaram uma junta de freguesia. Deviam era ter aproveitado no ano seguinte. 2012 não era ano de Autárquicas.

43 anos, com um novo slogan (alternativo): no Jumbo quero, posso e escolho.

Campanha dos 44 anos, o jingle viria a ser usado até praticamente fins da marca.

E para acabar o desfile de anúncios (que já vai para longo), alguns anúncios que achei e que ficaram deslocados no tempo. A segunda Mãe de Todas as Promoções em 2000:

Anúncio aos produtos da marca Auchan com o mote "disse-me um passarinho".  Início dos anos 2000, longe de Auchan ser o nome das lojas.

Acho impenetrável ter falado só de anúncios do Jumbo e não do Rik e Rok. Eles no tempo do Auchan ainda existem, conforme o meu espanto (aposto que não mudaram nada do visual deles). Em 2002  chegaram a ter um programa na RTP 1 e na RTP 2.

Agora vamos para a segunda parte mais esperada: o porquê do fim da marca Jumbo.

Tudo tinha a ver com uma intenção da Auchan de unificar as marcas em todos os países onde opera (menos Espanha, onde ainda é Alcampo, e era conveniente já que começava com a letra A) e a decisão de acabar com o nome Jumbo data já de 2017. O primeiro sinal do apocalipse foi quando abriram as lojas MyAuchan (sério? porque é que não usaram MyJumbo? MyPDA?). Mas porquê? Porque é que andaram a matar a tão carismática imagem de um elefante com um trevo de quatro folhas? Em Abril de 2018 foi anunciado o fim definitivo da marca, mas não se sabia quando. O @Televisão 10 reparava que, aos poucos, o seu Jumbo passaria a ter a estética do Auchan em vez da estética do Jumbo. Eu, sendo bracarense, iria repudiar esta decisão porque Jumbo é Jumbo. Braga nunca teve um Jumbo, há coisa de 20 anos houve uma tentativa de entrar na cidade nuns terrenos que eram do Exército ou ligados a ele e nada saiu. A hipótese de abrir o Jumbo no Dolce Vita Braga (que passou em banho-maria até 2015 quando abriu sob o nome Nova Arcada e gestão da SONAE) foi sempre descartada a favor do Continente.

Entretanto houve uma preguiça por parte da Auchan e em Junho de 2019, lançaram uma campanha (criada por Gonçalo Morais Leitão) alusivo aos "50" anos do Jumbo, quando na verdade tinha 49.

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Num anúncio com voz antiga forçada e total desprezo pela história dos supermercados em Portugal (tudo começou em 1961). o anúncio mostrava uma reconstituição fidelíssima de Lisboa na altura.

E pronto, foi a última campanha do Jumbo. A 11 de Setembro tudo mudou. Mataram definitivamente o elefante vermelho e o trevo de quatro folhas para dar lugar a um A com uma ave espezinhada no interior. E com isto veio uma música ridícula da qual recuso-me a traulitar, nem sequer vou colocar o anúncio. Braga nunca teve Jumbo (para mim uma ida ao Jumbo era como uma ida ao Continente quando o Carrefour existia) e para mim, o fim do Jumbo era como se fosse a morte de um familiar ou um evento qualquer que mudou o país. Passou-se um ano e o Auchan continua igual.

E agora chegamos à parte mais esperada de todas: o porquê do meme dos douradinhos! Estava eu a ver o subreddit português (sim, usava muito o Reddit na altura) quando por volta de 5 de Abril de 2018 (quando a Auchan deu o seu anúncio oficial) vi um comentário de um tal de QuintoImperio a dizer o seguinte:

"Deprimente. Lastimável. Uma pouca-vergonha! Incrível, não me acredito. Porquê? Porquê?! Se precisarem de mim estarei no Auchan mais próximo, na secção dos congelados atrás dos douradinhos. Chorando as lágrimas mais salgadas.

#JeSuisRikERok"

Aparentemente o gajo tinha uma obsessão com a secção de congelados do Jumbo, junto, atrás, à frente ou debaixo dos douradinhos. No post em questão ele colocou um link onde dizia Auchan que levava a uma postagem anterior que envolvia sempre o Jumbo, com ou sem congelados, e que aos poucos se enveredava em copy-pastas onde a fórmula mudava consoante o contexto geral do post, em seis dos sete continentes.

Para quem não sabe, dá-se o nome de copy-pasta a um texto que passa de site em site. No início dos anos 2000, para citar um exemplo português, tínhamos a comparação entre a Geração Heidi e a Geração Pokémon. Não se sabe de onde veio. No entanto, a copy-pasta não foi fabricada cá. Este exemplar trouxe-me ao link da copy-pasta do Shawn Michaels que foi criada como pura trollagem num subreddit de wrestling em geral.

Ainda antes da pasta, o QuintoImperio começou com a piada do Jumbo neste post aqui. Deu-nos a ilusão que a secção de congelados do Jumbo, junto aos douradinhos, era o lugar onde estavam as coisas mais inusitadas.

Quando soube da notícia triste do Auchan, comecei a fazer uns posts e ri-me a bom rir com a personagem dos douradinhos a dizer coisas tipo "aproveita enquanto ainda é Jumbo". Apesar de ter utilizadores confusos com a situação, outros a dizerem que roçou o surrealismo, começaram a surgir elogios, chegando até a comparar com pintores surrealistas que fizeram grandes obras de arte. Naquela noite de 6 de Abril, por pura coincidência, um utilizador jantou nuggets de frango e comprou do Jumbo local (normalmente os douradinhos eram do Capitão Iglo, segundo os posts do QuintoImperio).

Depois de Abril veio a segunda vaga de douradinhos no verão. O auge foi no Get Out, onde eu (interpretando a Maria Leal) era visto como uma personagem de comic relief entre outros integrantes do jogo. Tentei arranjar substitutos para a saga dos douradinhos (sim eu escrevi durante o Get Out como Maria Leal): quando falei sobre o Sol Música, a piada era sobre o Chocapic e não resultou. Um dos desafios do Secret Santa 2018 envolvia usar uma foto de douradinhos em alusão ao meu meme.

O meme dos douradinhos abrandou depois do Secret Santa de 2018 (depois houve a Anamar mas perdi o interesse), a um ponto em que, com a iminente chegada do Auchan, declarei oficialmente a sua morte. Os memes de hoje em dia chegam a ser mais coisas do seu tempo e acabam por envelhecer rapidamente. Os douradinhos perderam a sua piada há já algum tempo. Agradecimentos a todos os utilizadores que usaram bem o meu meme e que tentaram manter a sua consistência durante o ano de 2018.

PS: esta terça-feira, ao almoçar, comi douradinhos, mas da Pescanova. E foram comprados no Continente ou no Pingo Doce. Hoje, a imagem do Jumbo não entra na minha cabeça quando como douradinhos. Devo dizer que estou curado, e com razão.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

há 35 minutos, ATVTQsV disse:

Na primavera de 2007  surgia a campanha do Hiper de Estimação e um dos últimos (senão o último) jingle decente que uma cadeia de supermercados já teve. A do Pingo Doce em 2009? Direi apenas que foi um exagero. Existiram outras versões deste jingle.

Música cantada pelo Rui Drummond.

Aqui, com a passagem para Auchan e face à vinda de novos supermercados para a cidade, houve obras no hipermercado e ficou melhor do que era antes. 

Link to comment
Share on other sites

A doceria "Pão de Açúcar" foi aberta por um português, Valentim Diniz, paí de Abílio, esse que viria a criar um verdadeiro império. A marca "Jumbo" desfez-se no Brasil há uns bons anos. Todos os estabelecimentos do GPA foram padronizados com as seguintes denominações: os supermercados chamam-se "Pão de Açúcar", os hipermercados são "Extra", os atacarejos são "Assaí" e os supermercados populares são chamados de "Compre Bem". Os atacarejos (atacado + varejo) é um modelo de negócio muito comum no Brasil para a venda de produtos em grande quantidade aos pequenos mercados e que também podem atender ao consumidor final.

@ATVTQsV, uma rápida correção: o termo "varejeira" também é usado para referir-se à mosca no Brasil.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...