Jump to content

15: SIC Radical


Recommended Posts

Para ti, caro leitor, o que é que é radical? O que é que achas sobre o conceito do canal, de tudo o que pode caber num só canal que tem "radical" no nome? Posso ter feito um teste aos vossos nervos, mas o que é que este canal tem - ou tinha - de radical?

A SIC Radical era mais do que um canal, pelo manos até 2008. Era uma civilização onde éramos livres de fazer o que queríamos, era uma sociedade iconoclasta. Depois veio o Boucherie e começou a carreira do canal como um exemplo de "network decay" e o pior a nível português.

A SIC Radical foi um dos três planos da SIC para a TV Cabo: foi o terceiro, na sequência da compra da extinta CNL pela SIC e do lançamento da SIC Gold. De acordo com as palavras do próprio canal, "Radical" significava coisas diversas tipo "ser o psicólogo do Richard Gere", "ser uma versão feminina do Zorro" ou ""uma peúga que apresenta um programa de televisão".

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

O canal arrancou a 23 de Abril de 2001, numa altura em que supostamente haviam menos regras do que se podia mostrar ou não na televisão portuguesa (nem a produção nacional foi salva!) e a sua grelha assentava num misto equilibrado entre produções americanas (South Park, A Quinta Dimensão, Howard Stern), Canadianas (normalmente cedidas pela então dona da City TV - SexTV, Fashion Television (nada tem a ver com a Fashion TV, o nome é uma mera coincidência), Eduardo Mãos de Peúga), uma ou outra série britânica (de preferência daquelas comédias mais ácidas que nem o Britcom da RTP ousaria passar) e anime. E alguma produção nacional, o que inicialmente assentava no Curto Circuito e na produção de mais programas do Templo dos Jogos e do Portugal Radical, outrora produtos da SIC generalista, desta vez emitidos num canal e em horários mais cómodos. Basta lerem esta crónica do Público para poderem ter uma ideia do canal nos seus primórdios.

O Curto Circuito era já um programa por referência, o programa estreou juntamente com o extinto CNL. Com o fecho do CNL foi transferido para o canal de programação da TV Cabo - que ainda no ano de 2001 iria assumir a designação de Canal 21 - para depois passar a integrar a grelha deste canal. Irei fazer uma THdS dedicada ao Curto Circuito um dia destes, e também uma para o CNL.

Porém, de acordo com uma notícia do Tal&Qual reproduzida em parte pelo Público, estava inicialmente negada a criação de uma versão portuguesa do formato canadiano Naked News. Só no ano seguinte é que o programa viu a luz do dia, com a feliz tradução do nome do formato para Nutícias.

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

O Nutícias era um nuticiário curto (de cerca de alguns minutos) que era emitido dentro do "horário da bolinha vermelha" em que a mesma emissão repetia de hora em hora entre as 23 e as 4. No Canadá o formato era um site pago, mas em Portugal era tipo o Canal Íntimo, vulgarmente conhecido pelo calão lisboeta como o Canal 18: era do povo. O programa teve duas fases que duravam um ano cada: a primeira fase (2002-2003) era apresentado predominantemente por mulheres (entre as quais a Paula Coelho) a fazerem strip-tease à medida que o noticiário avançava. Lembro-me de apanhar um aos 4 anos e ficava consternado com o strip-tease. True story! Se calhar foi da minha idade e do facto de estar menos habituado a ver coisas deste género. A segunda fase era a fase da boneca virtual com pouca roupa, fase esta que gerou imensas críticas (e uma correspondência do Ricardo Araújo Pereira, que viria a ser a identidade do tal "Pipi" que fez uma outra correspondência para o Vivir Viver) pelo facto de terem mudado para pior. Desta não me lembro porque eu julgava que o Nutícias ainda estava na sua primeira fase. Estava enganado. O programa eventualmente iria ser cancelado em 2004.

Nos primeiros anos, a SIC Radical tinha vários temas por onde iam os programas deste canal. Os programas próprios (ou boa parte deles) não faziam parte dos blocos de programação (programas como o CC, o Max Música, o Cine XL, etc.), os talk-shows e séries também. No início a grelha assentava-se mais em produção estrangeira, tendo comprado programas do catálogo dos donos da CityTV (Eduardo Mãos de Peúga e versões programa dos canais Fashion Television (não, não é o Fashion TV, é outro canal canadiano) e SexTV - curiosamente os programas vieram primeiros e depois viraram canais). Os grandes blocos eram o Banzai, que era dedicado aos animes (quem tinha Cabovisão tinha acesso ao extinto Locomotion que na sua versão ibérica passava programas em português brasileiro, hue), o Mundo Perdido (séries de animação para adultos, esta era uma outra vertente do extinto Locomotion), a TV de Culto que passava séries antigas de culto e o Extraterrestre que passava séries de ficção científica. Algumas das séries viriam integrar o Medicina Alternativa. O canal passava conteúdo erótico, mas não pornográfico, no Mau Maria. Da grelha inicial do canal constavam o Mundo Perdido e o Banzai. Quando veio o TV de Culto passou a haver uma elevada massa de telespectadores "deslocados" da estética do canal, em particular de pessoas acima dos 35 anos.

A SIC Radical foi também uma incubadora de novos talentos e recebeu alguns talentos já existentes como o Rui Unas e o Nuno Markl. Num destes programas, O Perfeito Anormal (que tinha também a colaboração do Markl), nasceu o Gato Fedorento, que também vai ter uma THdS.

Ali pelos idos de 2005-2006, o canal renovou os seus grafismos pela primeira vez. Estrearam programas tipo a WWE, que iria ter mais um apogeu, e a série Family Guy, que era vista só por "privilegiados" na FOX. O canal permaneceu no mesmo estado por years on end.

Em 2008, a SIC Radical mudou o seu director de programas: o Ricardo Palacin saiu do canal para entrar na nascente Benfica TV e o cargo era agora o do Pedro Boucherie Mendes. Inicialmente as coisas correram bem, estrearam programas como o Fogo Posto e O Programa do Aleixo. Mas na backstage, um novo género de programa veio para (supostamente) "conquistar" a grelha: o reality-show americano. Estrearam programas tipo aquele em que vestiam fatiotas de super-heróis low-cost, o I Survived a Japanese Game Show (que na SIC Radical era "Kamikazes", que tradução) que iria gerar um "clone" imperfeito português na TVI e a versão americana de O Momento da Verdade, estrado para garantir o balanço da versão portuguesa a ser emitida na altura na SIC generalista. Lembro-me de ver e ficava com algum receio por causa da versão americana daquela voz sintetizada que dizia que a resposta era verdadeira ou falsa. Mas à medida que avançavam os anos, este tipo de programa iria ter mais "visibilidade" na grelha: enquanto passavam séries tipo South Park, Scrubs, Family Guy, a britânica Compromissos Commerciais ou a neo-zelandesa Bro'Town (lembram-se? era financiada pela New Zealand On Air. Não sei porquê, mas o separador antigo deles causa-me excitação) iriam surgir mais alguns programas que por esta altura começariam a infiltrar canais como o Discovery Channel. Programas sobretudo da Spike TV, lembro-me que no verão de 2010 (salvo erro) vi um programa deles que era o Manswers e fiquei estupefacto.

Dizia eu no já longínquo ano de 2008: "se existe uma SIC Mulher, porque é que não há uma SIC Homens?". Secretamente, a SIC Radical respondeu ao meu pedido e começou a longa rota deste canal no "canal da degradação" que é hoje em dia. Pensem no canal latino-americano Infinito, que passou pela mesma experiência, apesar do conceito-base original do Infinito ser de documentários e da SIC Radical ser um canal de entretenimento jovem. Também chegou a passar as TED Talks em 2010-2011, isto num canal com Radical no próprio nome? Porque é que não tiveram a primazia de colocar na SIC Notícias, que seria o lugar mais adequado?

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Pouco tempo depois de fazer dez anos (e de ter estrado Marés Vivas, que quando o canal nasceu ainda dava na TVI), o canal "despiu" o seu símbolo icónico mas a programação continuava em queda livre. E é o que o canal passou a ser.

TruTV. Spike. Discovery Channel. Mais uns quantos canais locais por país. São tantos os canais que passaram a ser daqueles canais de reality-shows para homens com tremenda virilidade, cujas grelhas consistem em programas tipo reality-shows daqueles incrivelmente maus, fakes e forçados, à qual se juntam séries espanholas da congénere espanhola da SIC, a Antena 3, e pouco ou nada a ver com o formato antigo.

Sejamos sinceros, se tivéssemos um canal da Atresmedia para compararmos com a SIC Radical, não seria um canal, seriam dois: o Mega e o Atreseries. O Mega porque o dito canal passa aqueles reality shows até à exaustão e o Atreseries por causa das suas séries.

Se a SIC Radical mantivesse os seus traços de nascença, o que é que teríamos? Basicamente uma versão portuguesa do Neox, onde até fariam tudo por comprarem os direitos da Teoria do Big Bang. Mas se continuassem com a produção de programas tipo o Cabaret da Coxa ou o Nutícias, aí sim é que teria censura: no Cabaret da Coxa, apesar de passar em horários dentro dos da "bolinha vermelha", iriam ter de censurar as asneiras todas, no Nutícias teriam de fazer tipo a fase da boneca virtual. Mas o que seria da SIC Radical se o Pedro Boucherie Mendes nunca chegasse ao canal?

Desde que eu escrevi esta THdS, vi que o canal continua a piorar, sobretudo em termos audiométricos. Nem a aposta na popular série dinamarquesa Borgen a salvou. O canal continua decadente e sem rumo certo.

Há utilizadores cá do fórum que desejam o seu encerramento. Ainda não sabemos se a SIC está disposta a proceder a tal.

Edited by ATVTQsV
  • Like 3
Link to comment
Share on other sites

  • 1 year later...

A SIC Radical na sua prime foi talvez o meu canal de televisão preferido de todos os tempos. Bons velhos tempos em que passava o Raw/Smackdown, o Curto Circuito, o Vai Tudo Abaixo, os Gato Fedorento, o South Park, o Family Guy, o DBZ, o The Daily Show e bilhentas outras coisas que adorava. E quem me dera ter apanhado o Nutícias a sério também.

Uma pena que o canal tinha tido uma queda tão grande, mas enfim.

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...