Jump to content

56: Televisão no Gana


Recommended Posts

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Pessoal, acho que perdi as estribeiras com esta edição. Era para fazer uma sobre a televisão na República Popular da China, mas entretanto alguém citou um post meu no Fame onde falo sobre trailers de filmes do Gana (apesar de não ter feito uma inscrição) e, como tal, decidi fazer um sobre a televisão no Gana. Segundo a lógica, a próxima será sobre Angola (do Uganda é mais complicado!).

Ora, o que sei é que em 1959 chegaram a haver planos para a Costa do Ouro (era assim que se chamava o Gana como colónia britânica) introduzir a televisão na véspera da chegada da Raínha. Infelizmente, os planos devem ter caído por água abaixo e a televisão foi atrasada até depois da independência.

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

A Ghana Broadcasting Corporation foi a proprietária da primeira licença de televisão, naturalmente estatal, a Ghana Television, cujas emissões arrancaram a 31 de Julho de 1965, numa parceria do governo com a Sanyo, que quis fabricar televisões perto de Accra para África. O Gana passou a ser um dos primeiros países africanos a ter televisão. Outros países do oeste africano já a tinham introduzido anteriormente: a Costa do Marfim em 1963 e a Nigéria em 1959 (primeira a sul do Sahara). África do Sul só chegou a "ligar" à caixa em 1976. A emissão de programas educativos na GTV começou em Setembro do mesmo ano. Uma publicação de carácter de pesquisa cita o mapa-tipo de programação da GTV em 1969:

09:30 às 12:00 - televisão educativa (segunda a sexta)
17:45 - mira técnica
17:55 - grelha de programas
18:00 - programas infantis e/ou educativos (futebol aos sábados e culturais aos domingos)
18:30 - educação para adultos em línguas nacionais (segunda a sexta)
19:00 - noticiário
19:15 - magazines diversos (filmes aos domingos)
20:45 - noticiário
21:00 - encerramento

Nos primeiros anos, a Ghana Television emitia uma elevada quantidade de programas de cariz educativo, mas com o passar dos anos e o desenvolvimento da indústria em África, tal número tem sido reduzido. Apesar do ímpeto comercial da Sanyo, a televisão não foi feita para viver à custa do "entretenimento barato" que alguns países tinham quando estavam a começar a sustentar as suas indústrias televisivas. O Gana ainda vivia um monopólio na rádio e na televisão: pouco depois da independência, o governo quis banir rádios privadas.

Em 1980, a Ghana Television mudou as suas emissões de preto e branco a cores (mesmo ano que em Portugal). A 23 de Maio de 1989, um incêndio atingiu os arquivos da GBC que tinha arquivos valiosos.

Nos anos 90 houve a quebra do monopólio e a rádio e a televisão passou a ter concorrência. Os primeiros canais privados a emitirem foram a TV3 e a Metro TV em 1997. Ainda houve uma influência por parte da GTV, mas os canais privados conseguiram inverter a tendência em anos mais recentes. A TV3 foi fundada pela empresa tailandesa BEC-TERO, detentora do Canal 3 do país deles, mas foi vendida à malaia Media Prima, detentora da TV3 do país deles, para depois ser vendida a uma empresa local em 2011. Entretanto nasceram novas televisões privadas como a Viasat 1 (vendida à Econet para passar a ser a Kwesé Free Sports em 2016) e a UTV com o aval das lojas Despite (sim, chama-se Despite: o último nome do fundador era mesmo Despite!). Ainda nos anos 90, a DSTV chegou ao Gana como um dos primeiros países fora da África do Sul onde o serviço foi lançado.

Hoje a televisão ganesa vive à custa de produção local e o grande vício: telenovelas latinas (sobretudo mexicanas) dobradas em inglês. As telenovelas já fizeram parte da televisão do Gana: em 1992 a Ghana Television emitiu A Escrava Isaura (da Globo), mas agora as produções mexicanas estão a fazer mais furor. Li há semanas um artigo que dizia que a indústria de filmes de Kumasi teve uma queda (algumas lojas que vendiam filmes passaram a vender acessórios para telemóveis) só por causa do flagelo das novelas mexicanas, muito populares em África.

Actualmente os canais de televisão de renome são a Ghana Television (pública), a TV3, a Joy TV e a UTV. Há uns meses, a Metro TV foi encerrada devido a uma multa.

Peço desculpa por ser uma edição rápida da THdS. Se quiser eu vou fazer outro país e vai ser mais comprido. À medida que encontrar fontes decentes vou actualizar a informação.

Edited by ATVTQsV
  • Like 3
Link to comment
Share on other sites

  • 8 months later...
On 28/08/2018 at 12:15, ATVTQsV disse:

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Pessoal, acho que perdi as estribeiras com esta edição. Era para fazer uma sobre a televisão na República Popular da China, mas entretanto alguém citou um post meu no Fame onde falo sobre trailers de filmes do Gana (apesar de não ter feito uma inscrição) e, como tal, decidi fazer um sobre a televisão no Gana. Segundo a lógica, a próxima será sobre Angola (do Uganda é mais complicado!).

Ora, o que sei é que em 1959 chegaram a haver planos para a Costa do Ouro (era assim que se chamava o Gana como colónia britânica) introduzir a televisão na véspera da chegada da Raínha. Infelizmente, os planos devem ter caído por água abaixo e a televisão foi atrasada até depois da independência.

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

A Ghana Broadcasting Corporation foi a proprietária da primeira licença de televisão, naturalmente estatal, a Ghana Television, cujas emissões arrancaram a 31 de Julho de 1965, numa parceria do governo com a Sanyo, que quis fabricar televisões perto de Accra para África. O Gana passou a ser um dos primeiros países africanos a ter televisão. Outros países do oeste africano já a tinham introduzido anteriormente: a Costa do Marfim em 1963 e a Nigéria em 1959 (primeira a sul do Sahara). África do Sul só chegou a "ligar" à caixa em 1976. A emissão de programas educativos na GTV começou em Setembro do mesmo ano. Uma publicação de carácter de pesquisa cita o mapa-tipo de programação da GTV em 1969:

09:30 às 12:00 - televisão educativa (segunda a sexta)
17:45 - mira técnica
17:55 - grelha de programas
18:00 - programas infantis e/ou educativos (futebol aos sábados e culturais aos domingos)
18:30 - educação para adultos em línguas nacionais (segunda a sexta)
19:00 - noticiário
19:15 - magazines diversos (filmes aos domingos)
20:45 - noticiário
21:00 - encerramento

Nos primeiros anos, a Ghana Television emitia uma elevada quantidade de programas de cariz educativo, mas com o passar dos anos e o desenvolvimento da indústria em África, tal número tem sido reduzido. Apesar do ímpeto comercial da Sanyo, a televisão não foi feita para viver à custa do "entretenimento barato" que alguns países tinham quando estavam a começar a sustentar as suas indústrias televisivas. O Gana ainda vivia um monopólio na rádio e na televisão: pouco depois da independência, o governo quis banir rádios privadas.

Em 1980, a Ghana Television mudou as suas emissões de preto e branco a cores (mesmo ano que em Portugal). A 23 de Maio de 1989, um incêndio atingiu os arquivos da GBC que tinha arquivos valiosos.

Nos anos 90 houve a quebra do monopólio e a rádio e a televisão passou a ter concorrência. Os primeiros canais privados a emitirem foram a TV3 e a Metro TV em 1997. Ainda houve uma influência por parte da GTV, mas os canais privados conseguiram inverter a tendência em anos mais recentes. A TV3 foi fundada pela empresa tailandesa BEC-TERO, detentora do Canal 3 do país deles, mas foi vendida à malaia Media Prima, detentora da TV3 do país deles, para depois ser vendida a uma empresa local em 2011. Entretanto nasceram novas televisões privadas como a Viasat 1 (vendida à Econet para passar a ser a Kwesé Free Sports em 2016) e a UTV com o aval das lojas Despite (sim, chama-se Despite: o último nome do fundador era mesmo Despite!). Ainda nos anos 90, a DSTV chegou ao Gana como um dos primeiros países fora da África do Sul onde o serviço foi lançado.

Hoje a televisão ganesa vive à custa de produção local e o grande vício: telenovelas latinas (sobretudo mexicanas) dobradas em inglês. As telenovelas já fizeram parte da televisão do Gana: em 1992 a Ghana Television emitiu A Escrava Isaura (da Globo), mas agora as produções mexicanas estão a fazer mais furor. Li há semanas um artigo que dizia que a indústria de filmes de Kumasi teve uma queda (algumas lojas que vendiam filmes passaram a vender acessórios para telemóveis) só por causa do flagelo das novelas mexicanas, muito populares em África.

Actualmente os canais de televisão de renome são a Ghana Television (pública), a TV3, a Joy TV e a UTV. Há uns meses, a Metro TV foi encerrada devido a uma multa.

Peço desculpa por ser uma edição rápida da THdS. Se quiser eu vou fazer outro país e vai ser mais comprido. À medida que encontrar fontes decentes vou actualizar a informação.

Aqui no Brasil davam um programa chamado "A TV que se faz no mundo" (Zapping International) e exibiram um episódio sobre Gana:
 

 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...