Jump to content

16: On Digital/ITV Digital


Recommended Posts

Sejamos sinceros: Portugal é um daqueles países que chegam sempre em atraso a tudo. Se compararmos com o Reino Unido: a televisão a cores chegou em 1967 (para os "privilegiados" que tinham a BBC 2, já que os outros canais ligaram-se à cor em 1969) e nós em 1980. O cabo chegou nos anos 60 e 70, é certo, mas inicialmente numa altura em que a ITV estava dividida num sistema de franquias e nalgumas zonas, apanhar duas regiões da ITV já seria benéfico por causa das discrepâncias de grelha entre uma região e outra, e os primeiros canais para cabo já surgiram nos anos 80 (se bem que já haviam algumas experiências). Cá chegou no início dos anos 90. A TDT foi estudada no Reino Unido em 1997 e começou no ano seguinte. Em Portugal levou uns anos a ser estudada e o lançamento foi pouco benéfico para nós, portugueses, já que o governo não quis colocar mais canais e mais multiplexes para por a coisa a funcionar.

No Reino Unido, a TDT era para ser essencialmente paga. A British Digital Broadcasting iria ser a empresa responsável pela plataforma que iria funcionar em seis MUXs: três atribuídos aos canais existentes (o 1 para a BBC, o 2 para a ITV e Channel 4 e o A para o Channel 5) e três leiloados. A British Digital Broadcasting era uma parceria entre a Carlton, a Granada e a SKY e a marca ONdigital foi a marca dita "operacional" para o seu lançamento. Se estiverem interessados podem consultar aqui esta grelha de 1997 com os planos das empresas.

Eventualmente, houve uma série de desacatos entre as empresas que compunham a BDB. Pior: quando a SKY lançou o seu serviço digital em Outubro de 1998 (um mês e meio antes da ONdigital), tiveram de recorrer a campanhas agressivas. A ONdigital tinha de se contentar com as limitações do espectro terrestre, e ninguém se queixava.

A plataforma nasce com um sistema de dois pacotes: o serviço gratuito, que consistia os cinco canais analógicos (BBC One, BBC Two, ITV, Channel 4, Channel 5) e alguns serviços adicionais - a BBC News 24, que surgiu no ano anterior como uma tentativa da BBC para entrar nisto dos novos canais, a BBC Choice (criada em Setembro como um canal mais "alternativo" face à One e à Two) e, a partir de Dezembro, o canal "alternativo" na ITV, a ITV 2. Só se conseguia ouvir às emissões da BBC Parliament já que não havia espaço livre no espectro. No País de Gales havia a S4C na sua versão digital, uma vez que as limitações do espectro analógico ordenaram a criação de um canal bilingue com alguns conteúdos do Channel 4, mas as tecnologias digitais possibilitaram a chegada da Channel 4 para a região tal e qual ela era no resto do país, à qual mais tarde se juntou a S4C 2, que durante doze anos passou a Assembleia de Gales. Na Escócia havia a Tele G, canal que existiu até 2011 que emitiu conteúdos em gaélico durante uma (sim, só uma) hora por dia (das 18 às 19).

No pacote base, havia o espólio da Granada (o canal de clássicos Granada Plus mais o Breeze que era um canal para a mulher que à noite assumia o alter-ego de Men and Motors) e da Carlton (o generalista Carlton Select mais o canal de culinária Carlton Food Network, o Carlton Cinema que especializava em filmes clássicos, o infantil Carlton Kids e o seu alter-ego nocturno, a Carlton World, que era supostamente um canal de documentários mas afinal passava programas factuais regionais nas regiões em que a Carlton detia uma franquia - Londres, o centro e o sudoeste de Inglaterra) e alguns canais (da UKTV: a UK Gold, a UK Style, a UK Horizons e a UK Play - a Horizons partilhava a sua emissão com a Play de madrugada; o Cartoon Network (sem o TCM, sei que por lá já emitiram 24/24 mas compensava com o Carlton Cinema), a SKY One, a British Eurosport e o canal de televendas Shop! - mais um canal de informação sobre as novidades dos canais). Os canais premium eram a FilmFour (que na altura era pago), a SKY Sports 1 e 3 (o 2 chegou mais tarde) e os canais de filmes SKY Premier e Moviemax. À medida que o tempo avançava, mais canais juntavam-se à plataforma: os canais da Discovery (Kids/Wings), o Nickelodeon que partilhava emissão com o Paramount Comedy (Comedy Central), o Television X (premium para adultos), o canal de "televendas de viagens" TV Travel Shop (gratuito) e o canal Simply Money que falava sobre gestão de dinheiro (gratuito também).

O teletexto teve um notável upgrade já que os teletextos da BBC e da ITV começaram a crias versões digitais, com mais informação e detalhe.

Outra inovação foi o on net e o on mail, plataformas que ligavam a televisão à internet.

Porém, tal como certos sites que surgiram em plena época de vacas loucas da internet (mais ou menos por esta altura), já os canais das duas empresas começavam a passar por sérios problemas. Os primeiros canais que "saíram" do barco foram o Carlton Kids e o Carlton World, as suas capacidades físicas foram substituídas na operadora, respectivamente, pelo Discovery Kids e Discovery Wings (mais tarde Turbo), respectivamente. A razão? Poucos telespectadores e uma situação económica instável. Depois foi a vez do Carlton Select mas teve de permanecer por cabo. A única esperança para a sua sobrevivência era a emissão na SKY, o que era impossível.

(Avisamos que este post ainda está em construção. Depende se o tal que o publicou tem tempo no computador

  • Like 3
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...