Jump to content

"os Escolhidos" - 4ª Semana


David
 Share

Recommended Posts

Hidden Content

    Sign in or sign up to see the hidden content.

Olá, Boa Noite! Seja bem-vindo a mais uma edição de Os Escolhidos!

Depois da saída de Xavier Pinto, é tempo de dar por terminada a quarta semana do nosso web talent show! Nesta sexta-feira, infelizmente, dizemos adeus a mais um concorrente!

Um dos seis foi o menos votado com o somatório das votações do júri e dos leitores do Televisão-Opinião/TV Universo.

Passemos então ao somatório dos votos desta semana:

Votação do público (1 a 6)

Inês Moreira Santos: 41 votos - 6 pontos

João Rodrigo: 36 votos- 5 pontos

Rúben Baia: 24 votos - 4 pontos

André Costa: 18 votos - 3 pontos

João Carvalho: 17 votos - 2 pontos

João Pedro: 11 votos - 1 ponto

Votação do júri:

André Costa: 20 votos - 6 pontos

Inês Moreira Santos: 16 votos - 5 pontos

João Carvalho: 15 votos - 4 pontos

João Rodrigo: 14 votos - 3 pontos

Rúben Baia: 12 votos - 2 pontos

João Pedro: 7 votos - 1 ponto

Totais:

Inês Moreira Santos: 6 + 5 = 11

André Costa: 3 + 6 = 9

João Rodrigo: 5 + 3 = 8

Rúben Baía: 4 + 2 = 6

João Carvalho: 2 + 4 = 6

João Pedro: 1 + 1 =2

Feitas as contas, o terceiro concorrente eliminado de Os Escolhidos é..

João Pedro

O João Pedro fica por esta fase do concurso, mas não é por isso que deixa de ser um vencedor!

Mas só um destes jovens será O Escolhido!

Nesse sentido, inicia-se agora a quarta fase do nosso web talent-show!

Fique com agora com as opiniões dos cinco magnificos!

João Carvalho - Já aqui falámos dos fracos resultados de "Heroes". O João disse-nos que as baixas audiências ao nível internacional da série, poderia ser uma das justificações para os maus resultados em Portugal. No entanto, retirar a série do ar para exibir estreias de filmes, tal como aconteceu no último sábado, será a melhor solução para disfarçar o baixo share de "Heroes"?

A melhor solução não sei se será… mas que os filmes conseguiram melhores resultados, não há qualquer dúvida. Isto porque, os filmes podem ser vistos isoladamente, enquanto que uma série tem uma continuidade, um seguimento e, na maioria delas, quando não se acompanha desde o início “perde-se o fio à meada”. Por este motivo, como ‘Heroes’ estreou mal, seria difícil contornar aqueles valores. Já um filme, sendo familiar e popular, consegue facilmente bons resultados, como aconteceu com os que estrearam no passado Sábado e que foram as peças-chave na liderança da TVI nesse dia.

Esta questão traz também para a discussão a dualidade filmes vs séries. Em Portugal, o formato série parece nos últimos tempos não resultar frente à novela e ao filme. E porquê? Poderá estar relacionado com os motivos já mencionados, associados a hábitos dos portugueses, ao espaçamento temporal entre os episódios, mas principalmente ao público maioritário que segue ficção pela TV – os idosos e donas de casa – que não são certamente o público-alvo deste tipo de séries. As séries cativam principalmente o público mais jovem que geralmente, já tiveram oportunidade de as ver na cabo ou na internet, antes de passarem nas generalistas.

André Costa - Está instaurada a polémica com a não exibição do beijo gay em "Morangos com Açúcar". Numa série onde já foram retratados temas como as drogas, o alcoolismo, violência, traição, divórcio, qual a razão de não aprofundar um assunto que tem marcado a vida dos adolescentes: a homossexualidade? As queixas dos telespectadores que têm sido feitas fazem sentido?

Voltou a “estalar o verniz” no que às relações homossexuais na ficção nacional diz respeito. Um beijo gay em “Morangos com Açúcar”, escrito e gravado, que ficou por exibir, levou à “fúria” de algumas organizações que mostraram o seu descontentamento junto da ERC. Depois de se ter dado um passo em frente e, cada vez mais, haver casais homossexuais na ficção nacional, a censura do beijo gay foi um retroceder nas mentalidades?

André Cerqueira, Director de Programas da TVI, bateu o martelo. O beijo em “Morangos com Açúcar” passou ao lado da série, depois de tal já ter aparecido em “Aqui Não Há Quem Viva”, “Podia Acabar o Mundo” e “Lua Vermelha”. Pelo menos o afecto entre pessoas do mesmo sexo já se viu na TV… mas, na verdade, nenhum daqueles produtos passou ou passa na estação de Queluz. E, afinal, onde está o problema? “Problema” não há… as pessoas e, nomeadamente, alguns senhores da televisão é que teimam em tornar esta “história” num problema. Se os afectos fossem encarados de igual forma, não haveria desgostos, injustiças e reclamações a fazer.

Até ver, não me parece que o André Cerqueira esteja a revolucionar a nossa televisão.

João Rodrigo - "Vida Nova" diz adeus em Setembro. José Figueiras já veio demonstrar o seu agrado em continuar nas tardes do canal. Deverá a SIC presentear este apresentador, que está sempre disponível para os momentos mais difíceis da estação?

“Vida Nova” foi pensado e criado para a Fátima Lopes, ela chegou a dizer que era a sua cara. Tinha por objectivo ser a grande aposta nas tardes da SIC contra principalmente “As Tardes da Júlia”. No entanto, passado um ano tudo mudou, e na actual situação não restava outra solução senão terminar este programa em Setembro.

Neste momento a SIC tem dois problemas para resolver:

1º: para Setembro tem que estrear um novo programa das tardes, o qual eu defendo que deveria ser do mesmo estilo que o extinto “Contacto”.

2º e este mais grave: escolher os apresentadores, porque acredito que será uma dupla. José Figueiras, conhecido como o bombeiro de Carnaxide está sempre disponível para as substituições e actualmente faz um bom trabalho independentemente dos resultados, tendo em conta a situação em que entrou. Se merece apresentar o novo formato? Merece sim! Mas também depende do tipo de programa e da apresentadora que escolherem para dupla. Das caras SIC podem ser José Figueiras e Vanessa Oliveira ou Ana Rita Clara ou Raquel Strada. Novas contratações vejo poucas hipóteses, eventualmente só Isabel Angelino, ou Fernanda Freitas faria dupla com o Figueiras como no antigo “Às Duas Por Três”.

José Figueiras deu a cara e substituiu Fátima Lopes, merece ser recompensado, mas também penso se seria melhor o novo programa das tardes ter 2 apresentadores que não estão ligados ao projecto que acaba…

Rúben Baía - Era inevitável: "Salve-se Quem Puder" mudou de horário. O programa apresentado por Diana Chaves e Marco Horácio passa assim a ser transmitido de segunda a sexta-feira, às 17:40. É o adeus a uma das duplas com maior sucesso de Carnaxide?

E o inevitável aconteceu. Depois de um regresso que muita gente criticou e, ao final de dois meses, Nuno Santos decidiu mudar de estratégia. Salve-se Quem Puder passou para as tardes de Carnaxide e abandonou o horário nobre.

Se, no seu início, tinha um sucesso tremendo e era muito popular entre todos os públicos, desde os mais novos aos mais idosos, hoje em dia, um formato em que os concorrentes têm que se “dobrar” para passar paredes de esferovite já não pega, uma vez que as surpresas são inexistentes. Talvez o timmingdo regresso não tenha sido o mais adequado.

Todavia, não me parece que mudar o horário do programa signifique o fim da dupla Diana Chaves e Marco Horácio. Esta alteração deve-se, principalmente ao inevitável desgaste de Salve-se Quem Puder.

Portanto, penso que há que separar as águas: não é por o programa já não agradar que se “extermina” uma das duplas mais queridas dos portugueses. Talvez um novo “jogo” diferente ou outro tipo de formato, mas com a mesma dupla possa vir a tornar-se num sucesso.

Em jeito de conclusão, penso que é possível afirmar que o Salve-se pode chegar ao fim, mas a dupla Diana e Marco ainda tem muito para dar.

Inês Moreira Santos - Rodrigo Guedes de Carvalho pode estar a caminho da TVI. Caso esta transferência se verifique, quais as mudanças que esperas não só na informação de Queluz de Baixo, como de Carnaxide?

Muito se tem falado nas últimas semanas das muitas, e algumas delas surpreendentes, transferências televisivas. A possibilidade que o jornal Sol colocou de Rodrigo Guedes de Carvalho poder estar a caminho da TVI deixou-me quase boquiaberta. Contudo, parece que tudo não passou de um mero rumor.

Seria difícil para mim, ver Rodrigo Guedes Carvalho na TVI. O jornalista está, na minha opinião, demasiado associado à estação de Carnaxide. Era talvez mais fácil vê-lo como uma cara RTP. A meu ver, o estilo de informação de Queluz de Baixo é bastante diferente do da SIC. A TVI pratica um jornalismo mais popular, que pode, por vezes, fugir um pouco para o sensacionalismo. Os noticiários da SIC e RTP praticam um jornalismo diferente, mas sério e selectivo, digamos.

Vejamos o exemplo de José Alberto Carvalho, que há uns anos mudou da SIC para a televisão pública. Gostei da troca, a RTP ficou claramente a ganhar e José Alberto Carvalho não deixou de ser aquilo a que sempre nos habituou. Se Rodrigo Guedes de Carvalho fosse para a estação pública penso que aconteceria o mesmo. No caso da TVI, custa-me a crer que a adaptação fosse tão simples, tanto para o jornalista, como para os próprios telespectadores, e mesmo para a estação.

As cinco opiniões estão postadas! Está à espera de quê para votar? Contamos consigo!

Link to comment
Share on other sites

 Share

×
×
  • Create New...