Jump to content
Titinha

Notícias TVI

Recommended Posts

Posted (edited)

Mas agora a PRISA é obrigada a vender a Media Capital a essa escumalha? Era o que faltava. Muita humilhação. :zangado:

Edited by Franciscojrb

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 18 minutos, EFernando disse:

O Expresso diz exatamente aquilo que muitos dizem. Eles estão a lançar a OPA à empresa toda e não apenas aos 64% da Prisa. Quase de certeza que não vai para a frente.

Sim, no final do Jornal da Noite referiram que era pelos 100% da Media Capital.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 1 minuto, Tomás Rodrigues Lopes disse:

Eu não entendo bem como uma forma de dar a volta à CMVM, desde logo, porque foi a própria CMVM que obrigou a Cofina a lançar a OPA (na sequência da denúncia apresentada pela PRISA contra a Cofina por esta ter deixado cair o negócio). É difícil que tenha sucesso, em meu entender, porque o Mário Ferreira não vai querer vender, ainda por cima à COFINA, nem que a vaca tussa. E, além disso, a PRISA, depois da entrada do Mário, já deve ter percebido que nos próximos meses a TVI terá condições de recuperar resultados (e posiciona-se para ser uma ameaça real à liderança da SIC) pelo que o seu valor poderá subir nos próximos tempos, pelo que se esperar, pode vendar mais caro daqui a algum tempo. A Cofina já sabe que o MF nunca lhes vai vender os seus 30%. Eles só lançaram a OPA porque foram obrigados a fazê-lo pelo regulador porque desistiram do negócio quando já se tinham comprometido com os espanhóis em comprar-lhes a MC.

É óbvio que ninguém obriga a PRISA a fazê-lo, até pelo contrário. É a primeira a poder recusar a proposta. Isso nunca esteve em cima da mesa. Não se precipitem neste tipo de conclusões porque podem induzir outros em erro, mesmo que involuntariamente.

Mas eram apenas obrigados só aos 5%, certo? 
E acabaram por lançar para os 100%. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
há 37 minutos, Franciscojrb disse:

Mas agora a PRISA é obrigada a vender a Media Capital a essa escumalha? Era o que faltava. Muita humilhação. :zangado:

A PRISA não é obrigada a vender nada, mas é obrigada a pagar as dívidas que a Media Capital tem, que ascendem a +85M€.   :gathering:

Edited by campo-praia
  • Love 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 18 minutos, dav01 disse:

Mas eram apenas obrigados só aos 5%, certo? 
E acabaram por lançar para os 100%. 

Acho que não. No que toca aos 95% da PRISA, a CMVM obrigou a Cofina a lançar OPA por ter deixado cair o negócio que já estava acordado com a PRISA. Em relação aos restantes 5%, o Expresso escreveu isto:

Citação

A OPA QUE FICOU POR FAZER

Só que, além desta compra falhada de 95%, havia a tal OPA anunciada sobre 5% do capital. A Cofina quis desistir dessa operação, avançando com o facto de não se ter realizado o aumento de capital que iria permitir a compra dos restantes 95% da Media Capital. Além disso, justificava que a pandemia de covid-19 tinha alterado as circunstâncias do momento do lançamento da operação.

Na sua decisão preliminar sobre este pedido, a CMVM tinha já dito que não via razões para que a Cofina não tivesse mesmo de lançar aquela oferta sobre 5% do capital. Primeiro, porque “a conduta da Cofina contribuiu decisivamente para a não colocação de um número residual de ações no âmbito do referido aumento de capital”; depois, porque não via qualquer ligação entre as circunstâncias e o negócio falhado.

 

há 15 minutos, campo-praia disse:

A PRISA não é obrigada a vender nada, mas é obrigada a pagar as dívidas que a Media Capital tem, que ascendem a +85M€.   :gathering:

Dívida nos balanços é coisa que todas as empresas da dimensão da MC e até mais pequenas têm.

  • Like 1
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 18 minutos, Tomás Rodrigues Lopes disse:

Dívida nos balanços é coisa que todas as empresas da dimensão da MC e até mais pequenas têm.

E lembrando que a da dona da TVI é por uma causa maior: carregar a indústria televisiva deste pequeno país :smoke: -t

  • LOL 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

É importante recordar que o Mário Ferreira foi um dos investidores que se juntou à Cofina na primeira tentativa de compra. Não acho assim tão descabido que essa parceria, pelo controlo de 100% da Média Capital, possa voltar a estar em cima da mesa. Dependendo a sua participação no negócio, até poderia reforçar a posição que já tem na Média Capital. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 3 minutos, fab disse:

É importante recordar que o Mário Ferreira foi um dos investidores que se juntou à Cofina na primeira tentativa de compra. Não acho assim tão descabido que essa parceria, pelo controlo de 100% da Média Capital, possa voltar a estar em cima da mesa. Dependendo a sua participação no negócio, até poderia reforçar a posição que já tem na Média Capital. 

Não me parece...

https://observador.pt/2020/07/27/empresario-mario-ferreira-vai-deixar-de-ser-acionista-da-cofina/

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 3 minutos, fab disse:

É importante recordar que o Mário Ferreira foi um dos investidores que se juntou à Cofina na primeira tentativa de compra. Não acho assim tão descabido que essa parceria, pelo controlo de 100% da Média Capital, possa voltar a estar em cima da mesa. Dependendo a sua participação no negócio, até poderia reforçar a posição que já tem na Média Capital. 

Não, o Mário quebrou relações com a Cofina depois do que aconteceu. Até vendeu a sua participação na Cofina.

  • Like 2
  • Thanks 1
  • Shock 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 4 minutos, HHM disse:

 

há 4 minutos, FilipeT disse:

Não, o Mário quebrou relações com a Cofina depois do que aconteceu. Até vendeu a sua participação na Cofina.

Pois, mas agora outros valores se levantam. E no mundo dos negócios as coisas mudam de um momento para o outro. Já nada me surpreende!

  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 1 minuto, fab disse:

Pois, mas agora outros valores se levantam. E no mundo dos negócios as coisas mudam de um momento para o outro. Já nada me surpreende!

Não, se fossem apenas negócios mantinha essa participação, dava-lhe jeito.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não me parece muito plausível uma reconciliação do MF com o Paulo Fernandes depois do que o MF disse sobre ele e sobre a Cofina em entrevista à Renascença.

O Mário disse literalmente que para ele as ações da Cofina eram "lixo" e que ainda não as tinha vendido para tentar não perder mais dinheiro. Criticou duramente o PF e o CM pelos "ataques" que os títulos do grupo lhe faziam ("aliás, dentro do estilo dos seus jornais", disse o Mário). A relação entre os dois está para lá de deteriorada. Se o MF viesse agora juntar-se de novo ao PF manchava a credibilidade toda e à séria.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
há 59 minutos, Tomás Rodrigues Lopes disse:

Acho que não. No que toca aos 95% da PRISA, a CMVM obrigou a Cofina a lançar OPA por ter deixado cair o negócio que já estava acordado com a PRISA. Em relação aos restantes 5%, o Expresso escreveu isto:

 

Dívida nos balanços é coisa que todas as empresas da dimensão da MC e até mais pequenas têm.

Todas as empresas têm dívidas, já capacidade para as pagar nem todas têm.

A COFINA e a Prisa quase chegaram a acordo para a venda total da Media Capital, e vocês insistem na tese de que a Prisa não tem interesse em vender. Não só já vendeu 30% por um valor abaixo daquele que a COFINA está a oferecer agora, como este ano a Media Capital já vai em 15M€ em prejuízo.

Mas pode ser que a COFINA desista do objectivo de anos de expandir para o generalista, pode ser que esteja só a brincar ás negociatas.

Edited by campo-praia

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 1 minuto, campo-praia disse:

Todas as empresas têm dívidas, já capacidade para as pagar nem todas têm.

A COFINA e a Prisa quase chegaram a acordo para a venda total da Media Capital, e vocês insistem na tese de que a Prisa não tem interesse em vender. Não só já vendeu 30% por um valor abaixo daquele que a COFINA está a oferecer agora, como este ano a Media Capital já vai em 15M€ em prejuízo.

Tu é que não estás a entender que não é só a Prisa que quer vender, é também preciso um Mário Ferreira querer vender. A proposta da Cofina é para adquirir os 100% do grupo, e não os 64% da Prisa.

  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

A SIC agora nao vai descer os resultados como ha 5 anos, e a TVI vai subir mas nao acredito que iremos ter um canal a perder por muita margem como outrora, e nao acho que a Confina seja a melhor opçao mas no estado que a TVI está um refresh e fusao nao seria mau de todo. Mas realmente a Confina não seria o melhor

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)
há 17 minutos, EFernando disse:

Tu é que não estás a entender que não é só a Prisa que quer vender, é também preciso um Mário Ferreira querer vender. A proposta da Cofina é para adquirir os 100% do grupo, e não os 64% da Prisa.

Sim, e depois? A Prisa detém 64% da Media Capital e (em teoria) ainda detém +50% dos direitos de voto, portanto são eles que mandam. Em situação similar estiveram em abril (?) quando a Prisa com 95% vendeu 30% ao Mário Ferreira e os 5% não foram nem tidos nem achados. Aliás, todo o imbróglio com os 5% advém disto mesmo.

Por isso é que esta proposta da COFINA é interessante. Oferecem sensivelmente o mesmo que o Mário ofereceu portanto ninguém os pode acusar de estarem a oferecer pouco e obrigam a que se saiba quem exactamente detém +50% dos direitos de voto. Tens é de ler o documento todo para perceber.

ETA: diverte-te, https://web3.cmvm.pt/sdi/emitentes/ultimas_comunicacoes.cfm?num_ent=$"TW^"0

 

Edited by campo-praia

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estão é loucos. O Marito não vos vai dar esse gosto (duvidoso) de ver a Cofina comprar a TVI. Bons sonhos. :beach:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dona da TVI deixa opinião sobre OPA da Cofina para futuro mas diz-se “consciente” do seu valor

Presidente executivo envia mensagem a trabalhadores, mencionando que, com a atual estrutura acionista, há uma "clara estratégia" em curso

AMedia Capital deixou para os próximos dias a opinião sobre a oferta pública de aquisição (OPA) lançada pela Cofina. O presidente executivo da dona da TVI diz, no entanto, que “está consciente do valor” do grupo e afirma que há uma “clara estratégia” a seguir.

“O conselho de administração da sociedade Grupo Media Capital está consciente do valor deste grupo de empresas e negócios que o compõem, suportado por um histórico de liderança, num desempenho resiliente perante um contexto de pandemia muito desafiante, nos evidentes sinais de recuperação que vimos registando e na prossecução de uma clara estratégia e de um plano de negócios que recentemente fomos aprovados”, diz Manuel Alves Monteiro, numa mensagem enviada aos trabalhadores, a que o Expresso teve acesso.

O presidente executivo da Media Capital enviou a mensagem depois de a Cofina anunciar que vai lançar uma oferta sobre 100% da empresa, num negócio que avalia a empresa em 130 milhões de euros (quase metade face ao valor inicial, em setembro do ano passado).

Na mensagem enviada por correio eletrónico, Alves Monteiro não se pronuncia sobre o que está a ser proposto pela dona do Correio da Manhã: “Os novos termos desta operação serão analisados e o conselho de administração terá oportunidade de emitir um relatório com a sua posição sobre a operação e os termos que a regem”.

A administração da Media Capital terá oito dias para dar a sua opinião sobre a oportunidade e as condições da oferta depois de receber o projeto de prospeto da operação. Ainda não há prazo para a entrega dessas novas versões por parte da Cofina.

Manuel Alves Monteiro, que subiu a presidente executivo da Media Capital recentemente (já depois do seu colega de administração na Mystic Invest, Mário Ferreira, ter adquirido 30% do capital da empresa), afirma que a tomada de posição “orientar-se-á pela defesa dos interesses dos stakeholders da empresa e, em particular, os dos seus colaboradores e acionistas”. A Prisa é dona de 65% e Mário Ferreira de 30%, com os restantes 5% nas mãos de pequenos acionistas.

"A mudança começou": É assim que termina a mensagem ao pessoal, uma expressão que tem vindo a ser usada pela alta direção para a nova fase de vida da empresa, com as mudanças de direção que têm vindo a ocorrer (e que a Entidade Reguladora para a Comunicação Social está a investigar se se devem a um eventual poder de Mário Ferreira, para o qual não foi autorizado).

AUDITOR DECIDE SE OPA É SOBRE 5% OU 100%

Esta oferta da Cofina parte de um despojo da compra falhada iniciada no ano passado que ficou por resolver. Tendo a possibilidade de lançar uma OPA sobre 5%, a Cofina aproveitou para lançar uma nova oferta sobre 100% do capital da Media Capital. Propõe-se pagar 35 milhões de euros, num negócio que avalia a empresa em 130 milhões de euros (quase metade do que valia há um ano).

Um auditor independente, a ser escolhido pela Ordem dos Revisores Oficiais de Contas, vai determinar se o preço oferecido é efetivamente justo. Se for mais alto, a Cofina só irá lançar a OPA sobre 5% do capital e não sobre 100%.

ADMINISTRAÇÃO ANTERIOR ACHAVA ESTRATÉGIA DA COFINA "POSITIVA"

Na pronúncia feita sobre a OPA (antes desta última modificação), a administração da Media Capital – quando Luís Cabral era o presidente, antecedendo a Manuel Alves Monteiro – tinha dito que a estratégia apresentada pela Cofina era “positiva”, “na medida em que prevê designadamente potenciar o investimento na expansão digital, o lançamento de serviços inovadores e a promoção e desenvolvimento de conteúdos produzidos em Portugal, mantendo-se como um ativo com identidade portuguesa”.

Além da OPA da Cofina, está em cima da mesa a possibilidade de Mário Ferreira, atual acionista da Media Capital com 30%, ter de vir a lançar uma OPA concorrente, já que tem um acordo parassocial com a Prisa com base no qual podem tomar decisões relevantes sobre a empresa. Essa possibilidade está a ser analisada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Não há menção na mensagem a esta possibilidade.

Fonte Expresso

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ou seja, se o preço for considerado baixo demais para aquilo que a MC vale, a OPA vai ser apenas para os 5% que a Cofina se comprometeu comprar? De mal, seria o menos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os 100% não acredito que consiga, de todo. Só mesmo os 5 e mesmo assim, duvido muito. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


×
×
  • Create New...