Jump to content
Vítor Jardim

Produtos de Ficção no Futuro

Recommended Posts

Tópico para discussão sobre como os produtos de ficção poderão ser feitos no futuro.

----

As séries são produto de ficção (normalmente) com melhor cuidado e qualidade que as novelas. Enquanto que as novelas é mais quantidade do que qualidade, podem ter emissão diaria. Mas as series têm muito mais conteúdo num episódio ou cada episódio trata dum enredo fechado. Então, não há problema de ser uma vez por semana, pois aí as promos e redes sociais vão acabar por mexer nas audiencias e alimentar a vontade de ver o próximo episódio.

Sinceramente perfiro um produto tipo série em que cada episódio está bem pensado do que uma novela com ação corrente em que a estação televisiva interrompe em número de episódios que desejar, seja em episódios de 40 a 50 min por 6 meses ou episódios de 20 a 30 min por 9 meses. A mesma história pode ser contada de variadíssimas formas mas este formato de telenovela está cada vez mais desgastado. É preciso saber captar o publico com algo de melhor qualidade e não histórias de encher chouriços para que a novela dure mais 3 meses tudo por dinheiro que se recebe das audiencias. (Devem ter recebido muito extra com a Única Mulher II e III, mas tornar isso um ciclo vicioso... nop!)

A solução para a TVI seria ter novelas curtas e concisas ou novelas até 300 episódios como A Impostora (até 100 episódios cada temporada).
A partir daí saber explorar toda a temporada e trabalhar cada episódio (com final em grande suspense). A TVI peca também na transição das temporadas. Porque não dar um tempo? Nem que seja uma semana para que o publico reaja, exponha e debata sobre a temporada que acabou. Entretanto, nesse vazio punham uma serie de 6 ou 12 episódios a dar diariamente. Assim o publico ficava em extase sobre a próxima temporada enquanto que via a mini-serie.

Em Portugal quando este sistema de audiencias mudar, aí teremos mais qualidade e consistência na programação. Já agora, parabens á RTP que está a fazer um excelente trabalho de Horário Nobre diversificado. ;)

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 35 minutos, Vítor Jardim disse:

Porque não dar um tempo? Nem que seja uma semana para que o publico reaja, exponha e debata sobre a temporada que acabou. Entretanto, nesse vazio punham uma serie de 6 ou 12 episódios a dar diariamente. Assim o publico ficava em extase sobre a próxima temporada enquanto que via a mini-serie.

Achas que isso ia mesmo funcionar? :rofl:

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 2 horas, Magazine disse:

Achas que isso ia mesmo funcionar? :rofl:

Só assim teria sentido este esquema de temporadas, até porque se continuam assim de ahhhh "episódio final" e um ou dois dias depois "estreia" só me remete para a ideia de subir audiencias iludindo o publico porque ao longo da história é mais do mesmo. Então criaram estes momentos altos para cativar o publico. É interessante, sim mudar o rumo da história, mas sem o verdadeiro brake a coisa é bah... Eu acredito mais numa novela forte do inicio ao fim como, por exemplo, foi Vingança ou Avenida Brasil.

A Unica Mulher, com a mesma duração (1 ano e meio), em vez de 550 episódios fossem 300, seria mais impolgante do inicio ao fim. As pessoas cansaram-se pelo meio.

Cada temporada = 4 meses (uma semana de intervalo)
T.1 - EP.001 (15/03/2015)
T.1 - EP.100 (10/07/2015)

T.2 - EP.001 (19/07/2015)
T.2 - EP.100 (12/11/2015)

T.3 - EP.001 (22/11/2015)
T.3 - EP.100 (08/04/2016)

Edited by Vítor Jardim

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esta semana quando fui a uma livraria reparei num livro intitulado "O Império Português" que retrata os grandes momentos de Portugal como o 1o grande império no Mundo entre 1400 e 1800. O tema principal são os descobrimentos e as colonias até á queda do império. Comparo tudo isto pela tematica e cronologia com o que se faz com a serie Vikings. Amava mesmo que a TVI fizesse uma serie sobre o nosso imperio e os descobrimentos. Depois de "Equador", estreia a nova super producao TVI: "O Império". :)

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu gostava  que a TVI fizesse uma série passada nos anos 20 . Há tanto por explorar - movimentos feministas, clubes de jazz, economia, cinema, etc... até à grande depressão.

Edited by JoanaSantos
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 1 minuto, JoanaSantos disse:

Eu gostava  que a TVI fizesse uma série passada nos anos 20 .

Mas que tema central gostavas que se retratasse?

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 18/02/2017 at 16:11, Vítor Jardim disse:

As séries são produto de ficção (normalmente) com melhor cuidado e qualidade que as novelas. Enquanto que as novelas é mais quantidade do que qualidade, podem 

Isso de melhor cuidado e qualidade das novelas é em Portugal. No Brasil investem imenso nas novelas.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Agora mesmo, Vítor Jardim disse:

Mas que tema central gostavas que se retratasse?

lê a actualização.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 1 hora, JDuarte disse:

É o que eu já disse, tudo o que ele sugeriu, duração menor, cuidado na realização, e todo o blá blá blá, vê-se nas novelas do Brasil, em Portugal é que infelizmente as estações só têm brio no primeiros episodios, e às vezes nem isso, estão sempre a reciclar tudo, cenarios, roupas e m*rdas sempre a ver onde pdem esmifrar mais um pouco, não se preocupam em mostrar um produto com qualidade, as novelas são feitas apenas e só para encher grelha.

E nem digam que são só algumas novelas no Brasil que fizeram isso e foi antigamente, porque se for assim então vão ver o trailer de Novo Mundo, a nova novela das 6h. Numa novela também está tudo pensado, não pensem que num episódio as cenas estão lá à sorte. Cada semana é feita a sequência das cenas dos episódios e depois é que são escritas. E isso de ser exibido em 20 min. e noutro dia em 60 é coisa mais de cá, na Globo não acontece nada disso. Temporadas nas novelas? Acho isso ridículo! E paragens entre o meio? A novela é mais longa porque dá todos os dias, não é para fazer paragens. 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

já eu prefiro séries policiais a a novelas com casais cliché.

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 47 minutos, JDuarte disse:

Esquece aqui em Portugal estão a estragar a magia das novelas, o que eu gosto de ver nas novelas é o contraste de personagens dos atores, é tão bom vermos uma mocinha batalhadora, que na novela seguinte se torna uma vilã impiedosa, ou um ator que nos fez rir durante meses, interpretar uma personagem completamente viciada e perdida, ver atores a fazerem de casal com muita quimica e ficarem gravados para sempre no nosso coração (Aninha e Danilo), aqui em Portugal as vilãs vão sempre para Alexandra Lencastre, Fernanda Serrano, Manuela Couto ou  São José Correia, a Rita Salema sabe lá o que é ser vilã, e nos mais novos é Kolodzig ou Sofia Ribeiro, isto quando não vão buscar uma who, Joana Solnado e Jessica Athayde em 10 anos de carreira nunca fizeram nenhuma, e agora até há a moda de o mesmo ator estar em dois projetos no ar em simultâneo.

A principal vantagem das novelas é que ao fim de meio ano estão terminadas, ao passo que as series algumas duram mais de 10 anos, as nossas novelas duram um ano, e AUm chegou mesmo a dar 1 ano 10 meses, não há respeito por ganchos, eles nunca sabem quando vão acabar o episódio, hoje dá 50 amanhã 55 e f*dasse o gancho, não sabem quando vão acabar a novela e estrear outra, realização ao fim de 10 episodios para o teto, exteriores passam a ser coisa rara e é tudo em cima dos sofás ou nas mesas dos pequenos almoços, os cenarios estão podres, super pequenos e reciclados uns dos outros, o mesmo nos visuais, aliás aqui diferenças entre ricos e pobres é nenhuma, uma empregada veste-se tão bem como a patroa e anda no dia a dia como se tivesse saído de um banho de loja e do cabeleireiro.

E tematicas que é isso? Hospitais, vinganças e tiros a toda a hora é o que se quer, epoca? Para quê?

Os autores já nem vilões sabem fazer, mandasse matar, raptar e torturar e vilão feito, para quê matar a cabeça com esquemas inteligentes? É andar tudo aos tiros e acabou. 

As novelas em Portugal perderam a magia.

Enfim, quem está a fazer novela e a gerir canais não percebe nada do assunto, e de certeza que não vê o que faz.

As pessoas até se podem irritar comigo sempre a elogiar A Outra, mas só se piorou de ano para ano. Quem me dera poder acabar de ver uma novela portuguesa atual e dizer: "Isto sim foi uma novela para recordar". Uma novela que me emocione como A Outra o fez, uma novela leve como Doce Fugitiva, uma novela que me faça rir,... A Outra a nível de realização nem era nada de extraordinário. O 1º episódio (e outros) foi feito em Moçambique, mas a imagem e isso tudo não era aquela maravilha (as de Vila Flor eram ótimas)... As pessoas viam a novela pela história! As cenas pareciam gravadas em casas normais, pareciam que eram gravadas com a luz do Sol a iluminar! Os cenários eram ótimos: simples mas bons! Havia erros? Havia, mas nada que não fosse ofuscado pela maravilha que era o resto. A música era ótima! A Teresa queria-se vingar mas não andava a matar todos, nem o próprio vilão fazia isso! O final da Teresa não era o que eu desejava, mas digo que continuo a adorar como se calhar adorava se o final dela fosse um final feliz. Ainda me lembro que na casa do Rafael, quando alguém entrava se via um "papel" a fazer de exterior (um jardim ou assim). Notava-se logo que era falso, mas nem por isso a novela perdeu a credibilidade.

E depois alguns vêm dizer que Ouro Verde se compara a A Outra... 

há 41 minutos, JoanaSantos disse:

já eu prefiro séries policiais a a novelas com casais cliché.

O que é que são para ti casais clichê? 

há 41 minutos, Pedro M. disse:

Um comentário que resume muito bem o estado em que as coisas estão. Depois queixam-se quando desvalorizamos a nossa ficção e estamos sempre a meter a Globo num pedestal. Porra, as diferenças são gritantes. «Além do Tempo», «Eta Mundo Bom», «Sete Vidas», «A Vida da Gente», «Avenida Brasil», «Lado a Lado»... Enfim, cada uma melhor que a outra. E mais importante que tudo, tão diferentes entre si. Aqui se eu disser que estou a falar de uma novela urbana, longa, com tiros e raptos, contemporâneas e com um hospital, basicamente estou a referir-me a qualquer uma dos últimos anos. 

Em Andando nas Nuvens havia uma parte da novela que foi passada num hospital, mas a personagem era tão bem construída que eu tenho saudades do hospital. Falta construir bons personagens! O protagonista desta novela era um homem, com mais de 50 anos, cabelos cinzentos e que não tinha um par romântico propriamente. Uma ótima personagem! Era cómico, era dramático,... 

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 49 minutos, Pedro M. disse:

Um comentário que resume muito bem o estado em que as coisas estão. Depois queixam-se quando desvalorizamos a nossa ficção e estamos sempre a meter a Globo num pedestal. Porra, as diferenças são gritantes. «Além do Tempo», «Eta Mundo Bom», «Sete Vidas», «A Vida da Gente», «Avenida Brasil», «Lado a Lado»... Enfim, cada uma melhor que a outra. E mais importante que tudo, tão diferentes entre si. Aqui se eu disser que estou a falar de uma novela urbana, longa, com tiros e raptos, contemporâneas e com um hospital, basicamente estou a referir-me a qualquer uma dos últimos anos. 

Mas pronto, sinceramente eu já meio que desisti da nossa ficção (novelas), é triste mas eu acho mesmo que não vão passar disto nos próximos anos: hospitais, tiros por todo o lado, raptos, 300 eps, policias urbanos... vão ter todas o mesmo estilo, com uma ou outra variação, vai ser sempre a mesma coisa. Não há variedade, nem existe uma tentativa de fazer algo diferente, é sempre a mesma coisa.

Ainda bem que a Globo existe mesmo, pra termos novelas diferentes... voces conseguem imaginar novelas como Eta Mundo Bom, Liberdade Liberdade e Velho Chico em Portugal? Eu não.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu atualmente vejo apenas «Ouro Verde». E chega. Até essa tem episódios mais chatos, já perdeu a pujança dos primeiros episódios, mas é realmente a única que acompanho fielmente.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 23 minutos, Pedro M. disse:

Eu atualmente vejo apenas «Ouro Verde». E chega. Até essa tem episódios mais chatos, já perdeu a pujança dos primeiros episódios, mas é realmente a única que acompanho fielmente.

"Ouro Verde" podia estar a sambar na concorrência se tivesse mantido essa pujança, fazendo 15,5-16-5% de rating. Sem isso, faz 14-15%, portanto, tendo em conta que a concorrência faz menos, isso deve chegar para a TVI. Pessoalmente, já não vejo a novela com vontade.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 1 hora, JDuarte disse:

Esquece aqui em Portugal estão a estragar a magia das novelas, o que eu gosto de ver nas novelas é o contraste de personagens dos atores, é tão bom vermos uma mocinha batalhadora, que na novela seguinte se torna uma vilã impiedosa, ou um ator que nos fez rir durante meses, interpretar uma personagem completamente viciada e perdida, ver atores a fazerem de casal com muita quimica e ficarem gravados para sempre no nosso coração (Aninha e Danilo), aqui em Portugal as vilãs vão sempre para Alexandra Lencastre, Fernanda Serrano, Manuela Couto ou  São José Correia, a Rita Salema sabe lá o que é ser vilã, e nos mais novos é Kolodzig ou Sofia Ribeiro, isto quando não vão buscar uma who, Joana Solnado e Jessica Athayde em 10 anos de carreira nunca fizeram nenhuma, e agora até há a moda de o mesmo ator estar em dois projetos no ar em simultâneo.

A Fernanda em 10 novelas na TVI, teve apenas duas vilãs puras. Se contarmos com uma outra que nem até é boa, são três, e em 17 anos, isso não é nada demais. A Alexandra é que em 12 anos de novelas TVI teve 5 vilãs e a São José Correia em 15 anos teve 6, sendo que as outras eram todas personagens com pêlo na benta. O problema é que eles devem pensar que tirar papéis principais a um ator é uma despromoção, mas por vezes é o contrário. Há personagens secundárias muito mais interessantes que os protagonistas, mas eles preferem continuar com esta estratégia. As novelas ainda têm muito de bom, mas se continuarem assim não sei onde isto vai parar. Eles que comecem a mudar as coisas enquanto podem, porque daqui a uns anos será tarde demais. Eles pelo menos mostram interesse em tentar mudar as coisas, mas isto é um negócio e como em qualquer outro negócio é normal que eles queiram rentabilizar. É que há uns anos isto estava muito pior.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu amei Verdades Secretas (e vi pela Internet) porque a SIC fez o favor de dividir os últimos episódios para extender a novela que só tinha entre 70-75 episódios. Tinha qualidade cinematografica na realização, com personagens fortes, muito drama e suspense. Amei por ser algo trabalhado do inicio ao fim. A TVI e a SIC perdem "o efeito surpresa" porque gostam de dar um compacto sobre o proximo episódio e claro que aparece as cenas que não deviam. Custa tanto fazer uma promo rápida (com suspense) no final de cada episódio como o canal ABC nos EUA?

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ouro Verde até é boa, comecei a ver há pouco tempo e tem muita qualidade, mas de resto a TVI está muito fraca nos últimos anos nas suas novelas. Antes de Ouro Verde, na minha opinião as últimas novelas boas foram Mundo ao Contrário e OBDE. Antes dessas é preciso recuar vários anos, há Tempo de Viver e Ninguém como Tu, Ilha dos Amores, Fascínios, Fala-me de Amor. E mais antigas, Anjo Selvagem e Amanhecer.

Novelas brasileiras, não tenho seguido nenhuma por opção, mas na minha infância e adolescência consumia muitas novelas zucas. Alma Gémea, O Profeta, Da Cor do Pecado, O Beijo do Vampiro, Como uma Onda, Coração de Estudante, O Clone, As Filhas da Mãe, Kubanacan são apenas algumas das que segui e gostei. Malhação/New Wave foi uma série memorável.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 15 horas, AGUI lovers disse:

As pessoas até se podem irritar comigo sempre a elogiar A Outra, mas só se piorou de ano para ano. Quem me dera poder acabar de ver uma novela portuguesa atual e dizer: "Isto sim foi uma novela para recordar". Uma novela que me emocione como A Outra o fez, uma novela leve como Doce Fugitiva, uma novela que me faça rir,... A Outra a nível de realização nem era nada de extraordinário. O 1º episódio (e outros) foi feito em Moçambique, mas a imagem e isso tudo não era aquela maravilha (as de Vila Flor eram ótimas)... As pessoas viam a novela pela história! As cenas pareciam gravadas em casas normais, pareciam que eram gravadas com a luz do Sol a iluminar! Os cenários eram ótimos: simples mas bons! Havia erros? Havia, mas nada que não fosse ofuscado pela maravilha que era o resto. A música era ótima! A Teresa queria-se vingar mas não andava a matar todos, nem o próprio vilão fazia isso! O final da Teresa não era o que eu desejava, mas digo que continuo a adorar como se calhar adorava se o final dela fosse um final feliz. Ainda me lembro que na casa do Rafael, quando alguém entrava se via um "papel" a fazer de exterior (um jardim ou assim). Notava-se logo que era falso, mas nem por isso a novela perdeu a credibilidade.

E depois alguns vêm dizer que Ouro Verde se compara a A Outra... 

O que é que são para ti casais clichê? 

Em Andando nas Nuvens havia uma parte da novela que foi passada num hospital, mas a personagem era tão bem construída que eu tenho saudades do hospital. Falta construir bons personagens! O protagonista desta novela era um homem, com mais de 50 anos, cabelos cinzentos e que não tinha um par romântico propriamente. Uma ótima personagem! Era cómico, era dramático,... 

São casais, onde a boazinha sofre nas mãos do vilão/vilã (casos da Mónica de JP ou da Clara de AMaior), mas no final terminam junto ao amado (normalmente, o bom da fita.).

Creio que já está na altura disso mudar.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 8 minutos, JoanaSantos disse:

São casais, onde a boazinha sofre nas mãos do vilão/vilã (casos da Mónica de JP ou da Clara de AMaior), mas no final terminam junto ao amado (normalmente, o bom da fita.).

Creio que já está na altura disso mudar.

Por acaso muita gente quer a Clara com o Lobo, eles só não acabam juntos se a autora não quiser sair do cliché.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 16 minutos, JoanaSantos disse:

São casais, onde a boazinha sofre nas mãos do vilão/vilã (casos da Mónica de JP ou da Clara de AMaior), mas no final terminam junto ao amado (normalmente, o bom da fita.).

Creio que já está na altura disso mudar.

Matasse a boazinha, e a vilã fica com o gajo e o viola para toda a eternidade, força. :girlsigh: 

Share this post


Link to post
Share on other sites

E depois o homem suicidava-se a vilã fazia o mesmo e começava um história entre o céu e o inferno. Perfeita para ultrapassar Mar de Paixão.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


×
×
  • Create New...