Jump to content

ax8t

Membros
  • Content Count

    7
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

13 Concorrente do Love on Top

About ax8t

  • Rank
    Vou ser o próximo Bruno Santos
  • Birthday 01/10/1996

Informações de Perfil

  • Género
    Mulher
  • Localização
    Coimbra

Recent Profile Visitors

275 profile views
  1. ax8t

    Sexualidade

    Os meus pais são divorciados e quando estavam em processo de divórcio a minha mãe estava grávida do meu irmão mais novo. O meu pai, além de se recusar a pagar-me a pensão de alimentos devida, também recusou registar o meu irmão mais novo. O meu irmão ficou com pai incógnito, apesar de ter pai e ninguém pôde fazer nada para o obrigar a pagar o que devia. Decidiu-se em tribunal que a SS ficaria encarregue disso.
  2. ax8t

    Política

    Qual é o receio? Como se houvesse alguma coisa de interessante ou que merecesse especial salvaguarda no Vaticano... Durante a 2ª Guerra Mundial, Itália foi subjugada pelos nazis e a guerra passava-se em território europeu e o Vaticano manteve-se de pé, estudando-se a alternativa de mudar a sede papal para Fátima. O ISIS, ou lá como se chama, não tem nem 1/10 do poderio nazi e é uma guerra exportada, que dificilmente atingirá a Europa, se não através de atentados que procuram espalhar um boato de força inexistente. Qualquer um faz uma bomba e a explode, a ETA já o fez inúmeras vezes.
  3. ax8t

    Sexualidade

    Como já disseram, um pai pode recusar a paternidade, o que implica que o filho seja registado apenas pela mãe, ficando sem o nome do pai e com pai incógnito. Nesse caso, é a Segurança Social, por ordem jurídica, que fica a pagar a pensão que deveria ser paga pelo pai faltoso. Tem a opção de recusar a paternidade. De resto, não faz nenhum sentido que o pai tenha qualquer poder de decisão, visto que quem carrega a criança durante 9 meses é a mulher. Se ela sentir que não tem em sua posse as condições necessárias para garantir o bem-estar da criança pode fazer o que bem entender, o corpo pertence-lhe. Além de que nenhuma mulher faz um aborto levianamente. É algo que afeta de forma muito nefasta a vida de uma mulher, ainda mais quando submetida a diferentes pressões por parte de pessoas que consideram o aborto como homicídio. E é infeliz porque coloca as mulheres num altar de diabolização, como se quem abortasse o fizesse por mera diversão, quando há muitos factores em jogo.
  4. ax8t

    Sexualidade

    Eu acho que se parte do princípio que os mais fortes agridem os mais fracos. O homem é mais forte do que a mulher fisicamente, daí que se suponha que a violência não predomine tanto em casais homossexuais, visto que estão em pé de igualdade. Não é que corresponda totalmente à realidade esse tipo de pensamento, mas está mais do que estatisticamente provado que os homens são os que mais agridem fisicamente as mulheres. Também há mulheres que agridem homens, sobretudo através da via da violência psicológica. No entanto, é como tudo, se não há queixas, se não houver mortes, pouca ou nenhuma sensibilização podem as entidades fazer. :/ É algo que até é bastante recorrente acontecer. Contudo, a segunda premissa pressupõe que se trate de um casal, é uma questão do casal. A primeira pode ter vários antecedentes como violação ou uma saída que acabou bem, mas a manhã seguinte começa mal. Nestes dois casos, a decisão de abortar parte única e exclusivamente da mulher. No entanto, caso seja um casal, a mulher é igualmente livre para fazer o que lhe apetecer, mas obviamente que tratando-se de um casal, dito saudável, a opinião da parte masculina terá algum peso na decisão. Um post algo infeliz dessa página, algo misógino.
  5. Gostaria de participar.
×
×
  • Create New...