Jump to content

João_do_Porto

Membros
  • Content Count

    16
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

55 Concorrente do Love on Top

About João_do_Porto

  • Rank
    Vou ser o próximo Bruno Santos

Informações de Perfil

  • Género
    Homem
  • Localização
    Porto
  • Interesses
    Recomendo: -> "Esta Televisão É Sua" ("Cette Télévision Est La Vôtre") Documentário realizado por Mariana Otero na SIC em 1997: https://youtu.be/Ub-w1qsyIAA

Recent Profile Visitors

541 profile views
  1. Eu até acho que as personagens são todas relativamente "simples", quase tão "reais" como qualquer um de nós, cheias de contradições e dualidades, de lutas internas entre o querer fazer e o puder fazer, entre o ser e o parecer. Procrastinar é muito o século XXI. Andam todas, cada uma à sua medida, na corda bamba sem maniqueísmo e moralismo. E é por isso que esta novela é tão bem conseguida, é ficção... mas tem dias que parece um deja vu da vida real Elenco senior: a dualidade entre preservar a segurança da memória do passado e o viver o novo presente com riscos. Um Gaspar(RiP) que apesar de tudo o que sabia da neta não conseguiu negar-lhe uma segunda oportunidade, mesmo sabendo de que farinha era feita a Lúcia. Fernanda que não sabe se deve trocar o certo pelo incerto, no amor e em saber o passado da filha Lúcia. A Milu que se tenta reinventar depois de anos desperdiçados a viver em função de uma memória que não passava de uma ilusão. O Sr. Brito que persegue a ilusão do passado mas que é constantemente confrontado com os desafios do presente e da modernidade. A Conceição que se tenta equilibrar na corda bamba da lealdade aos seu princípios éticos e a defesa de uma filha ambiciosa e uma mentira conveniente. O casal brasileiro que mantêm um casamento de fachada como forma de se penitenciar pela pouca qualidade como pais e que potenciam na ilusão de uma neta perfeita a salvação dos seus fantasmas. Helena, Carmo, Octávio, Mário - "irmãos gémeos" de pais diferentes, separados à nascença. Amargos. Há tantas pessoas assim, não vivem nem deixam viver. Destroem mais do que acrescentam a uma relação, sugam e secam à sua volta, tiram pequenos prazeres das suas vingancinhas mas no final do dia são quem acaba a sofrer. Empatia zero. Não sabem ser felizes! Edu, Alice, Leo, Simone (e por vezes o Afonso), que ainda não sabem o que não querem da vida quanto mais o que querem. É uma corda bamba entre, mais uma vez uma ilusão do passado, e viver o presente cortando o cordão umbilical com os pais e sair do ninho. A contradição de segredos que não importam face a um amor maior mas que ao mesmo tempo impede o amor de crescer. O que interessa é o futuro o passado não importa nada, mesmo que seja uma corrente amarrada ao tornozelo... pois tá bem... "Sei o que fizeste o verão passado..." Olivia, Beatriz, Sara, Leonor, Malvina, Joana, Teresa(RiP) - Amadurecidas, realistas, empoderadas e até poderosas, se não por dentro pelo menos pelo que conseguem aparentar. Resolvem todos os problemas com facilidade, menos os fantasmas interiores. Acaba que na realidade são mais frágeis do que aparentam, cheias de contradições e vivem numa eterna corda bamba de emoções conflituosas e de sofrimento interior. Elenco masculino, Artur, Nuno e Filipe, César, Óscar, Afonso - aparentam ser os mais simples e menos construídos, quase um estereótipo no Homem urbano deste século. Imaturos, inseguros, indecisos, quase sempre a pisar em ovos com medo do politicamente correto e acabam sendo o elenco de apoio também na vida real. Girls power!! Não que eu defenda que o cis man deva ser um bronco, mas um pouco de personalidade e coluna vertebral pode fazer a diferença. - acho que estão bem retratados: são sem sal! Não consegui encaixar o Gabriel. Talvez pelo que dizem os spoilers seja um personagem que vai ter mais importância do que se pensa e acabe bebendo dos vários grupos que elenquei. Mas até agora sabemos que teve uma infância e adolescência pouco relevante, um início de jovem adulto decidido, ambicioso e aventureiro ainda que envolto em mistério pois pouco sabemos o que se passou durante as suas viagens. Sonhador, doce e aparentemente ingênuo como outra personagem Mas nada é a preto e branco na vida do Gabriel. E claro o casal Bonnie & Clyde: somam e concentram praticamente todas as características de todas as outras personagens. Dizem uma coisa e fazem outra. A cabeça vai para a direita e o corpo para a esquerda. Mais do que na corda bamba são autênticos trapezistas sem rede a atravessar uma corda num enorme precipício. Para eles os fins justificam mesmo todos os meios. Tirando os crimes de sangue, acho que há mais pessoas assim do que se pensa. É ver os posts sob anonimato nas redes sociais e nas caixas de comentários dos jornais e o comportamento de certas "tribos" atrás do volante, nos transportes públicos e na noite, assustador!!! A Lúcia e o Pipo são "apenas" o rosto de muitos desses trolls que se pudessem ter poder por um dia sem serem presos fariam corar o tal do demónio... p.s.- Achei as cenas recentes da Leonor e do Edu (no dia do suposto aniversário do Filipe Alves/Pai) e as da Lúcia e Beatriz (confronto com o vídeo da traição) muito bem conseguidas e de uma intensidade perfeita. Grande trabalho da Paula Neves, Dalila e São José e boa contracena do Rodrigo. Quem ama não trai!! E achar que sofrem todos numa traição é de um egoísmo máximo para com quem foi traído!
  2. Como quero acreditar que as personagens foram bem pensadas e com perfis psicológicos bem desenhados e consistentes (como é habitual no Rui Vilhena), e sendo "Na corda bamba" o título, fico a pensar: - O que levou a Fernanda a aproximar-se do Mário, que aparentemente nada tem que ver com quem ela é hoje? Porque é que (só) foi estudar no segundo casamento? Porque não deu crédito à filha Lúcia quando ela se queixava do padrasto? Aborto da Lúcia: pai da criança terá sido o padrasto ou outra pessoa, e a avó Natália fez o quê com essa informação? - O falecido marido da Milú poderá ter outro filho/a (da Olívia ou de outra amante)?
  3. Mais um convertido a este show de representação que é esta novela. Fazia muitos anos que não acompanhava uma, aliás nem me lembro da última estreia que vi. (A Dalila, que já tive o privilégio de ver em palco algumas vezes é uma fera, mas aqui está explosiva, é muito talento concentrado num corpo que parece tão pequeno e frágil. - Pena a escala de Portugal ser o que é, pois fosse ela uma atriz norte americana e já teria um(uns) óscares na prateleira.) E acho sim que Na Corda Bamba é uma novela complexa, não no sentido de ser complicada ou de ser difícil de entender, mas por ser complexa e não simples, ser rica, sumarenta, evoluída , envolvente, intensa e intrincada. Não é uma novela fast food, é uma experiência gourmet sem ser elitista, com muitos pratos para se degustar e não apenas para encher o bandulho! Curioso que não há, até agora, uma única personagem neutra, sem ter o rabo preso ou uma pedra no sapato por mais pequena que seja. Não há nem avós, nem pais e nem filhos perfeitos. Há núcleos mais densos que outros, mas todos fazem parte do puzzle e encaixam sem grande esforço; o que para mim revela um cuidadoso trabalho de argumento e de escrita criativa no seu melhor e um excelente elenco! Espero que a direção da TVI não estrague o projeto!!! Sobre as audiências e a audimetria: Que pena não haver dados públicos/publicados sobre o target e quantos são os que assistem sem ser na TV. Por que tenho ideia (e conheço algumas pessoas) que assistem no PC, tablet, smartTV... Além de achar que haverá alguma classe A/B, que 'nunca' vê TV aberta e novela muito menos, poderá ter aqui um guilty pleasure e por isso assistir numa outra plataforma que não a TV. Para além de quem assiste via box TV mas nem sempre no intervalo das 24h após cada capítulo. Acho que a representatividade dos lares com dispositivos de audimetria é uma coisa (e até pode estar muito bem feita) mas realidade é outra, seja para a TVI seja para qualquer outro canal. Sei que os canais têm acesso aos dados das boxes, que não permitem segmentação, têm acesso aos pageviews dos seus próprios sites, às trends dos seus programas nas redes sociais, estudos de opinião... e no entanto parece que quer os anunciantes quer os responsáveis de antena apenas querem saber do que diz a GFK... Porque será que comem sempre arroz se podem comer massa, batata, salada? Ou será que só nos contam uma parte da história?! Se o futuro da TV generalista aberta for emitir apenas os primeiros capítulos de uma série/novela e depois passar para pay per view: eu esta novela pagava logo no primeiro episódio para poder assistir até ao final!
  4. Esta noite (durante o Extra) entram no LoT 4, as estrelas: Amor Romeira e Bruno Marvão. Estiveram esta manhã na apresentação oficial no Você na TV, e nem a Cristina nem o Goucha sabiam a que horas é emitido o Extra, fica registado
  5. E esta (como noutros casos semelhantes, onde a realidade ultrapassa a ficção) seria a altura ideal para se fazer um repost com o que a TVI/Endemol dizia na apresentação à imprensa do LoT, a sinopse do LoT1, as intros no site oficial, na e da app, entrevistas da TG... e o que podemos ver efetivamente no TVI Reality... Encontrar o amor... pois sim tá bem. Este é que é mesmo o tipo de programa que uma estação com uma concessão vendida por nós todos se deve orgulhar de ter em antena e que ajuda a definir o perfil da estação no late night (e não quero ser puritano nem moralista, mas os acionistas devem estar satisfeitos). É caso para dizer LoT 1, 2, 3, 4, 5, 6,... a merda é a mesma as moscas é que mudam! E mesmo assim nem isso, porque muitas voltam e já são varejeiras. Espanta-me uma coisa, o target deste programa, principalmente nas madrugadas do TVI Reality não terá acesso a uma cena nova que inventaram à pouco tempo a tal da internet... Gajas/gajos de outro calibre, tudo às claras, bons dialogos (lol), fetiches para todos os gostos... são uns minutos bem passados a esgalhar... e depois é mais direito ao assunto, ganham tempo para uma ceiazinha, xixi e caminha... digo eu Volta revista Gina que estás perdoada!!
  6. Vou assumir que achas que em TV não se tomam decisões de cabeça quente. E sendo assim não concordo contigo. Como ex produtor (de informação) sei bem o quanto manda a audiometria em toda a programação (info e não info). O frio na barriga às primeiras horas do dia seguinte a uma estreia, quando recebermos o SMS e depois o email com os resultados e segmentação das audiências, ao ponto de muitos nem conseguirem adormecer antes, é forte. Claro que aprendemos a viver com isso, mas que pode decidir a continuação ou não de um projeto, e consequentemente do teu vencimento e sustento da tua família é algo difícil de explicar. E é o mesmo para a informação e para a programação. Se ainda não viste/viram, recomendo vivamente, com visão critica pois o visado (Emídio Rangel) discordou de muita coisa, um documentário antigo (20 anos), mas tão tão atual, e "está lá" isto mesmo: sai o LD entra o LoT, só que em 1997 -> "Esta Televisão É Sua" ("Cette Télévision Est La Vôtre") Documentário realizado por Mariana Otero na SIC em 1997. A TVI é igual! Hoje naquelas reuniões com o Rangel e com Dir de programas, Comercial... apenas há mais dados estatísticos, mas continua sem existir a bola de cristal para garantir o sucesso disto ou daquilo em TV Este documentário, o único do género alguma vez feito numa TV portuguesa, explica muito das jogadas de bastidores e para muitos retira o encanto do que é fazer televisão. Não. E é isso mesmo que digo nesse e no meu outro post, está a acabar a família toda em redor de um aparelho de televisão. Porque as famílias têm outras dinâmicas, estruturas e formas muito diferentes de consumir televisão vs conteúdos. Já não dá para inventar a roda, só dá para a fazer rodar, e cada vez mais lentamente. Programs para toda a família é um mito, isso não existe!! Uns gostam e outros aturavam porque a avó tinha o comando, hoje isso acabou, ponho os phones e vejo o que quero, e não há nenhum audímetro que saiba "ler" isso. É necessário rever as métricas televisivas e convencer os anunciantes que o novo método é fiável! Porque se o anunciante continuar a fazer um mini inquérito, perguntar se viram o LD, LoT, whatever... mas não perguntar onde, quando e como? Pode ficar com a ideia de que viram o seu spot no intervalo, mas esquecem que "eu" vi no player online saltando os intervalos comerciais, ou pior só vi uns videos soltos no youtube, nem vi o programa todo, mas considero que vi/tive contacto com o referido programa... (isto no tempo do documentário que mencionei em cima não estava na equação ) . A questão na programação das generalistas não é o maior denominador comum nos targets, devia ser, mas sim o menor denominador comum por causa dos custos de produção, e sem palhaços não há circo, seja qual for o target televisivo. As generalistas (i.e. programação generalista) têm os anos contados? No meu entender? Sim têm.
  7. As generalistas andam à procura (tentam inventar) o seu vídeo viral do "periquito pousado em cima do gatinho que está a dormir de barriga para o ar em cima do rottweiler que está encostado ao bebé" para ser partilhado do face. Mas nem a TV é o Facebook nem os telespectadores querem videos virais, pois para isso usam outros meios É cada vez mais difícil e daqui a pouco será quase impossível ter grandes audiências nas TVs europeias, tirando algum futebol, grandes eventos ou um grande acontecimento noticioso em direto. A demografia mudou (menos idosos e cada vez menos jovens, que por sua vez cada vez vêem menos TV nos televisores - a audiometria não reflete isso), o rendimento mudou (os agregados familiares têm várias TVs com n canais e/ou PC,tablets,smart devices) e a educação mudou (as pessoas sabem ver TV, escolher e ver o que querem; já não compram tudo). Ohhh senhores da TV queriam o povo burrinho, com dois canais e os eternos três Fs? Isso era no "Conta-me como foi". A questão não é re-inventar a roda, é fazer com que a roda rode... e as generalistas não estão a conseguir nem uma nem outra! ---------- - Muito bem a TG não aceitar "roubar" o lugar da FL. Até podem não ser as melhores amigas (em TV quase ninguém o é) mas como cá se fazem cá se pagam, assim não compra uma guerra desnecessária por um produto com prazo de validade duvidoso - Desculpem a economia outra vez, mas correm rumores (um deles desmentido à pouco tempo pela Prisa) de que a TVI tem de ter um Ebitda (bons resultados financeiros (e não obrigatoriamente audiências): lucro e ao mesmo tempo baixos custos de produção) para ser vendida este ano ou no próximo ao melhor preço se possível... Logo programas low cost sempre, reciclar muito, contenção de recursos humanos e esperar publicidade, 760's, patrocínios e contratos com as operadoras de telecom. Dizem...
  8. "Cada qual tem aquilo que merece" não é o que costumam dizer? Ora bem nós pelos vistos só temos a TV que merecemos! Fatos (ou factos sem aplicar o AO): 1) "Show me the money!" Ah e tal e coiso o dinheiro não é tudo, mas em TV pelo menos é tudo! 2) A PRISA (holding espanhola dona da MediaCapital/TVI) precisa de dinheiro como de pão para a boca. Tem que cumprir um rigoroso plano de recuperação económico em Espanha, sob pena de falir. A TVI é um dos pintainhos de ouro da empresa, por isso toca a espremer 2.1) Querem lá saber de qualidade, fidelizar o espetador a um programa ou slot, nova imagem, TVI 2.0... Emitem e esperam o retorno imediato. Abundam estagiários a custo zero, só para recordar. 3) A ERC, lamentavelmente, não emite opinião sobre nada relacionado com a programação. As Revistas pseudo-especializadas em Media/TV precisam de material, cada vez as redações são mais pequenas, outros que vivem de estagiários, e por isso toca a "ir à pesca" nas redes sociais por material gratuito e auto-promoções "por acaso" das pseudo-vedetas nacionais para encher as suas páginas. Logo quanto mais cabeluda for a história mais vende, mesmo que não seja tal e qual como contam. (Nota 1) 4) A Endemol praticamente não tem meios técnicos próprios, funciona em regime de prestação de serviços por outras empresas, tipo sub-empreitada. a Media Luso por exemplo era quem fornecia os técnicos para o SS, galas e casa. E também abundam estagiários e eternos formandos por lá... 5) A publicidade nas generalistas cada vez dá menos retorno e no cabo, ainda que tenha aumentado a quantidade, pagam bastante menos. Além de que as operadoras co-produtoras de alguns canais "exclusivos" arrecadam uma boa parte desse dinheiro. (IMHO as operadores não deveriam poder ser co-operadores de conteúdos). 6) Já lá vai o tempo em que antes de lançar um novo formato se faziam pesquisa de mercado, com pessoas reais a pré-visualizar episódios piloto de programas (que tinham de s€r f€itos), analisar reações, avaliar por sociólogos e outros cientistas sociais o impacto expectável do programa... Nããã Todos sabemos muito bem o que vai funcionar! - Tem dias Nem era preciso ler este fórum e alguns tópicos sobre os programas visados para se saber que o Let's Dance não iria funcionar em formato reality show 24/7. É um programa com mérito, mas é de nicho (pelo menos na versão apresentada inicialmente, sem kizombas, álcool, biquíni no chuveiro, discussões,... ). Quem adorar pesca, caça, ginásio,... também diria que um RS sobre estes temas seria um grande programa... ya #SQN A minha avó até já falou num programa sobre bordados, ensinar arranjos de flores, colocar uma mesa para o chá... Ia ser um sucesso!!! (Para mim por alguns foristas daqui, fechados a ver TV nacional e a comentar live 24/7 seria bem interessante, outros dirão que sou só triste ) Recordar que o Big Brother, quando foi apresentado pela Endemol à SIC, foi rejeitado porque: muito caro de produzir (sem possibilidade de retorno rápido), Portugal não estava preparado (quase impossível ter patrocinadores) e porque ninguém ia ver. E depois foi o que se sabe, e o mesmo em todos os países onde foi emitido. Só um fator é realidade na maioria dos países: "Ninguém vê" pelo menos é o que a maioria diz ao responder a um inquérito direto, já a audiometria diz outra coisa... E é aqui ("ninguém vê) que o conceito 24 horas de emissão em directo (que em Portugal são para aí umas 20h no máximo) entra. O ver um RS 24/7 significa espreitar pela fechadura, ver o que não é suposto. Ora ver o LD é tudo menos espreitar pela fechadura. É um talent show, podemos ver tudo! Não é um guilty pleasure! Tinha interesse GENERALIZADO ver 24 h? Não... Tantos diretores, coordenadores e consultores (não quero acreditar que o Moniz esteve envolvido nesta trapalhada) e não conseguiram antecipar o que a maioria "viu" mesmo antes do programa ter estreado como formato RS 24/7? Parece-me que anda aqui algum distanciamento da TVI com a realidade da maioria dos seus espetadores... Ahh e se o respeito fosse para ter em conta, facilmente colocavam na NOS um canal temporário para transmitir pelo menos os ensaios e a parte diurna das actividades relevantes em dança... Mas isso agora não interessa nada! Rei morto rei posto, viva ao LoT4 hip hip urrra e para a semana já é carnaval ----- Nota1: Revistas pseudo-especializadas- Uma das provas de como somos pequenos, que o mercado é muito fechado e que as revistas precisam das estações e vice-versa é por exemplo imaginar que ao fim de 6 edições do SS (e mais uns desafios) nenhum se atreveu a publicar quem e a Voz. Como se alguém acreditasse que não sabem. E nem um paparazzo dele a sair dos estúdios da venda do pinheiro? Ou seja o publico até gostaria de saber, as revistas servem o público, a TVI não quer, não se faz! Entre outros exemplos de uma certa promiscuidade entre os dois meios que deviam competir/complementar-se e não pactuarem em troca de um exclusivo ou uma capa de quando em vez... ----- p.s. Uma critica a alguns foristas, principalmente a alguns veteranos: A facilidade com que aqui no fórum se "ataca" o mensageiro, confundindo com a mensagem e/ou por alvitrar algo ter logo de significar que essa é a opinião defendida pelo forista sem espaço para debater sem discutir e insultar... faz-me pensar que há pouca tolerância a quem não pensa como nós (e a TV e os RS gostam de reflectir isso mesmo ).
  9. TL,dr: Helena+Carla = "bff" again (?!) Só para deixar a nota de que desde esta madrugada a Carla conseguiu "expulsar" o Diogo do alpendre, com a ajuda do alentejano, e depois de conversar com a Helena (os mesmos assuntos da conversa pós gala de domingo e os acontecimentos das últimas horas), voltaram a ser "amigas" com direito a abracinho da paz. A cara da Carla não convence, mas a Helena disse que por ela tudo como antes e "claro que desculpo", embora as coisas agora precisem do seu tempo, e cito "é como um casal de namorados que reata depois de terem dado um tempo..." Antes, e numa conversa bastante interessante a sós com o Diogo, tinha dito que não é burra e sabe bem o que é que está ali a fazer. Terminou a madrugada com as suas risadas habituais e um torrada com chá, na companhia dos Diogos e com a Carla já deitada Sobre estas últimas semanas: A maioria dos concorrentes, para não dizer todos, não sabem discutir (i.e. Debater), não sabem argumentar, não sabem escolher as ocasiões certas para largar "a bomba", não "recolhem" nem memorizam episódios e citações, relevantes para a sua respetiva estratégia, para depois confrontarem os visados com incoerências porque: têm uma inteligência limitada; têm telhados de papel; não têm experiência de vida no mundo real e longe dos ambientes micro-protegidos dos amigos (da noite/gym), família que só sabe anuir para não ter discussões e "colegas" de trabalhos da tanga. Ter de sustentar uma casa sem ajuda e com um ordenado e era ver que a frontalidade e a transparência têm outro significado... a necessidade aguça o engenho e, claro, aulas de semiologia/semiótica e psicologia ajudariam e muito... Para mim o melhor concorrente será o que vai jogando com consistência e não o que joga tudo logo no início e depois fica preso a uma teia da qual já não se consegue desemaranhar, por muitas dicas e aviões que venham. Acho que ainda não é neste SS6 ...
  10. Sobre a suposta "brincadeira" do Bruno nesta madrugada: portanto eu ando nos últimos tempos a ameaçar um concorrente, de quem já disse várias vezes não gostar, que faço e aconteço, que o quero ver dali para fora e que não posso com ele, e ele de mim diz os mesmos mimos. Sou violento, impulsivo, sem poder de encaixe e só eu é que tenho razão. Decido fazer uma brincadeira, inocente, com os meus amigos... quer dizer não, com os meus amigos não, escolho fazer uma brincadeira com o meu "inimigo" que eu não posso ver nem pintado... na minha terra isso não se chama brincadeira, é uma provocação. E se assim for, é uma tática de jogo, assumam, só não chamem "brincadeira" a uma provocação. Curioso, que nenhum dos "amigos" do Bruno lhe tenha dito: não te metas por caminhos apertados, o dia foi de loucos vamos acalmar os cavalos por hoje. No fundo protege-lo e protegerem-se... Da mesma forma que durante a "brincadeira" do Cláudio A de só fazer o almoço para a grupeta, nenhum dos excluídos se lembrou de dar a volta ao texto dele e roubar-lhe a cena. Tantas cabeças e nenhuma se lembrou de: sentarem-se na mesa com os pratos vazios a olhar para eles (dava uma imagem catita nos extras); afrontá-lo dizendo ainda bem que não fizeste a contar connosco porque a tua comida tem sido um sacrifício digeri-la com tanto veneno que deixas cair na panela; ou, não te preocupes, nós cá nos arranjamos e fazemos o almoço e aproveitamos e fazemos logo mais de forma a sobrar o suficiente para o jantar de TODOS!; etc etc Ele lançou a rasteira e foram logo cair como principiantes. Que falta de jogo de cintura tem esta gente, parece que nunca viram as outras casas, irra p'lo amor da santa! Helena (das minhas concorrentes favoritas): tem quase trinta anos, já começa a perceber o que não quer da vida, e por isso é normal não estar a perder tempo a alimentar discussões que não levam a lugar nenhum. Ela encarnou a personagem de pseudo tia, é uma tentativa de "nova rica" e por isso vai evitar a peixarada. Ela não tem muitos filtros (quase nenhuns), é muito insegura (precisa de se repetir n vezes e reforçar amizades e princípios) e está meio perdida no jogo, por isso ou ela tem o papel de protagonista ou então tem de ser o elenco de apoio para muitas contracenas, se não os guionistas podem começar a retirar a personagem dela do guião, é que ainda faltam 3 meses de programa! E começa a faltar consistência e conteúdo à Helena. Cada vez mais acho que a Carla vai ganhar isto, não será um passeio no parque, mas ela, não sendo a protagonista vai aparecer muito em todas as cenas. Também o Diogo alentejano começa a revelar-se, e de totó vai mostrando cada vez menos, ele é um miúdo sabido Acho que vai ser expulso o Luís, mas preferia o Diogo perdido na tribo. Não gosto do jogo do Cláudio A, mas ele faz falta se quiserem manter esta casa on fire. Bom fim de semana! p.s.- E duas semanas depois já ninguém está tãoooo preocupada com a TG, deixou de ser tema e certamente as cuecas lá foram para a lavandaria e voltaram Boa lavagem (de imagem) Endemol!
  11. O barraco desta madrugada foi mais um episódio de racismo da Helena (uma das minhas concorrentes favoritas), ora reparem: foi buscar uma guardanapo de papel (de que cor? Branco, a representar a limpeza e pureza) e usou Nutella (que é de que cor? castanho, a representar a necessidade nº 2) de propósito para em casa os espetadores (no pun intended) mais atentos fazerem a associação de que a cor mais escura é associada a sujidade. A culpa é também da Endemol/TVI que não tem guardanapos e papel higiénico de cor escura e do Intermarché que não enviou Nutella com chocolate branco. É tudo uma cabala. Espera que há mais, ainda falta ter usado a Nutela (alimento do 1º mundo) com tanta gente a passar fome, e nem os vejo a aproveitar as migalhas em cima da mesa para fazer pão ralado, nem as cascas dos vegetais, e a electricidade que aquela casa/estudio gastam? Dava para alimentar muitas famílias... e eu aqui a gastar energia a escrever e a usar internet... O melhor é deixarmos de ser politicamente corretos e agirmos, acabar com a internet e acabar com a TV já e hoje! Ou seja, menos, muito menos! <sarcasmo=off> Ahhh e também não se pode falar de educação que é logo sinónimo de meter a família ao barulho... pois, como se os padrões da sociedade fossem todos iguais e os pais de todos nós fossem perfeitos aos olhos de terceiros. Há adultos muito mal educados que depois educam, da forma que sabem (e mal) os seus filhos que por isso mesmo são sim mal educados. Se me chamarem mal educado a pergunta que faço é "em quê?" E depois penso é assim que a maioria da sociedade se comporta ou não? E o meu circulo próximo? E os meus pais? E depois é fazer as contas se estou ou não fora da norma e por isso fora dos padrões de educação típicos e assumir ou contestar. Ou claro ameaçar com dois murros nos cornos quem dizer que não tive educação em casa (ou insinuar que não a pus em prática) "ai o caralh*! FDP! PQP!" Combinar nomeações: A Voz disse (durante a cadeira morna) que é uma estratégia, não disse que era proibido. Proibido sim é revelar aos outros quem nomeaste (isto não faz hoje qualquer sentido, mas vem do tempo do confessionário, onde até poderiam combinar nomeações, mas depois podias nomear de forma contrária, a produção trocar-lhes as voltas e alterar o lote dos nomeados e mandá-los para uma sala "secreta" para não contares aos outros, etc...) Cláudio A: Não é de todo o meu concorrente favorito, e não o considero muito inteligente, mas penso que "percebo" (amadorismo) a necessidade dele deixar bem claro para a Cristiana que tinha de ser o Paulo o nomeado deles: 1º Ele sabe que o Paulo sabe o segredo e quanto mais depressa for embora melhor (espero que o deixem carregar hoje!!); 2º A Cristiana (IMHO) é poucachinha e o tico e o teco por vezes entram em stand by e por isso acho que ele quis ter a certeza que ela estava sintonizada, para além de que eles já não tinham propriamente muita escolha como grupeta unida (pois dificilmente haveria outro concorrente disponível com maioria de votos negativos dentro do grupo). Após as nomeações ver o próprio grupo cair em cima da Kika e a chamá-la de burra foi muito amadorismo. Para mim no domingo deverá sair o Paulo (é o que faz sentido no guião) mas preferia que fosse o Bruno pois perdeu muitos pontos ao usar ameaças de violência contra argumentos (sejam eles quais forem). Christina a subir na minha lista. Off-topic: Esta semana li e gostei: "Só penso no passado para ver o que não fiz. Gosto de me projetar no futuro" - Maria Barroso Soares. Bom fim de semana!
  12. Sobre as últimas horas: A Teresa Guilherme é formadora em apresentação de TV e parece que costuma usar uma máxima muito batida por muitos outros comunicadores, mas que aparenta estar a esquecer cada vez mais de a aplicar: "A televisão é um palco e o papel do apresentador/entrevistador é ajudar o convidado a brilhar ainda mais! Não é ter mais destaque do que o interlocutor." A TG está ali para distribuir o jogo, não para jogar, ela não é concorrente. Até pode, pessoalmente, detestar todos os concorrentes, mas por respeito a quem está em casa a ver e gosta do A do B ou do C tem de os saber acolher e ajudar a brilhar. Por muito que haja quem goste (eu por exemplo) a gala não é um roast. Só espero que a TG não tenha créditos infinitos de favores por cobrar na TVI/Endemol que lhe permitam evitar de, pelo menos, ser chamada, internamente, à atenção que o SS é um RS baseado nos concorrentes, segredos, missões e até na voz, e não é o magazine "Teresa Guilherme sem filtros". Quase que imagino os berros que a TG produtora e responsável de conteúdos diria à apresentadora de ontem da gala do SS. Eu voto numa gala de domingo "apresentada" pela Voz como já disseram aqui, entra uma steadicam e anda por todo o lado e nós passamos para dentro do programa a fingir que somos os olhos da voz. Mini cadeiras quentes nas diferentes "salas" da casa e em estúdio "repórteres" acompanham os ex-concorrentes, as famelgas e as "claques" com intervenções curtas. ihih Honestamente acho que a TG não gosta de salientes e ainda por cima giras e com carisma e depois aquele momento perto do final em que mudaram o alinhamento da gala para dar tempo de antena à Helena (acredito que contra vontade), deixando cair a entrada do André em estúdio foi o click que deixo a TG on fire, a partir daí mudou tudo a expressão facial, as mãos, até o decote parece que encolheu tal era a raiva, basta ver a quantidade de lapsos ao ler o pivot de saída no teleponto... Dica para a MEO: Aproveitem e tentem roubar a Helena à TVI/Endemol/NOS para as campanhas do MSW: "A Helena já se juntou à nossa tribo, agora só faltas tu!" Continuo sem perceber porque é que alguns concorrentes (os mais básicos normalmente) perdem tempo a perguntar se podem mandar um beijinho ao invés de mandar logo: "ohhhh Teresaaaa... posso só mandar um beijinho? É rápido! Eu nunca mandei..." já gastou o tempo e poderia ter dito logo beijo para a minha pedicure. Boa semana! Recordo que só "gosto" dos concorrentes/personas mas não os quero no meu grupo de amigos, por isso que trabalhem e me divirtam sff, protegendo o seu segredo, descobrindo os dos outros, cumprindo as missões sem as revelar, cumpram as regras e principalmente que a produção não se esqueça que é reality TV
  13. E nos bons velhos tempos seria automaticamente nomeada como castigo por revelar missões, dela e dos outros concorrentes.
  14. Como o prémio final é cada vez mais baixo só vejo uma solução para que as missões sejam realmente levadas a sério e não ande tudo a segredar ao ouvido a contar e com sinais de que estão a "trabalhar": um prémio real para as missões bem sucedidas e não valores virtuais que depois nunca são pagos. Tipo 100€ por dia de missão bem sucedida sem ninguém a desmontar a coisa E esse concorrente recebe o prémio mesmo que saia no dia seguinte.
  15. Entretanto durante a madrugada, que já fiz fast forward e vi por alto as últimas horas antes de fecharem a emissão: Cláudio disse à Helena tu depois percebes (o divórcio depois do casamento de 24h) e amanhã vai perceber. Eu fiquei com a sensação de que houve/há missão pelo meio da cena nocturna. Não sem antes a Helena ter brindado todo o quarto (com praticamente todos os concorrentes já deitados), depois do Claudio lhe ter ido dar um abraço e beijo de boa noite, com: "deixas-me toda a cessa e depois vais-te embora" e "fica aqui uma pessoa a pingar do cárter" (sim isto mesmo, e fim de citação)... lol Depois de passarem quase a noite toda sozinhos enrolados num edredom no exterior, Cláudio A e Cristiana, acabam aos beijos, e beijos a sério, na cozinha. Ela claramente insegura e a dizer que está a ser muito difícil... O Cláudio concorda que é difícil mas que tem de conseguir (cara de poucos amigos com o lado demasiado needy da Cris, foi o que me pareceu). ---- Pergunta honesta: como definem a/o vosso/a concorrente ideal para ganhar (ou ficar nos 3 primeiros)? Jogador ou não? Focado nos segredos? Focado no amor? Provocador? Observador e/ou mais reservado? Pode mentir? Muito/pouco? Líder? Tarefas domésticas: tem de ser o rei? médio? tentar fazer o mínimo? Ser engraçado e ter graça? Beleza física é muito importante? Com um segredo trágico/dramático? Ser o herói ou o anti-herói? O bandido? Carismático não conta porque isso é inerente a um vencedor (ou deve ser). Ou seja depois de ler muitos posts aqui, noutros espaços e até no fórum oficial fico com a ideia de que não há um perfil do que seria um justo vencedor de um RS, chamado Casa dos Segredos. Há imensas comparações, muito sofrimento e a recompensa dos mal amados que num RS irão encontrar o amor verdadeiro (dificilmente é verdade), muita projeção de vivências pessoais para os concorrentes e no fundo muita gente parece que se esquece que é só um RS que terá de nos fazer ligar a TV e ficar-mos a ver algumas horas por dia durante várias semanas... A mim o que me faz ligar a TV e ficar a ver é a capacidade de me surpreenderem, seja pela positiva ou negativa, apreendo sempre qq coisa. Gosto dos anti-heróis, como gosto de uma boa vilã (com sumo) numa novela, tem é de se aguentar na personagem enquanto durar o programa (e muitas/os não aguentam). Espero que os concorrentes joguem, mexam com os sentimentos (deles e nossos) e saibam que estão num RS. Para mim vale quase tudo (menos violência física e verbal se for gratuita), os moralismos também podem ficar na antecâmara. Beleza conta porque faz parte da empatia inicial, mas depois tem de usar o cérebro para me fazer ligar a Tv para o ir ver. E neste RS há concorrentes que, não os quero para meus amigos nem me identifico necessariamente com a pessoa/persona, mas que me fazem estar atento: a Helena, o Nuno, os Cláudios, o Paulo, a Ana, a Christina e às vezes o Luís (quando usa o cérebro no intervalo dos 50 cigarros diários). Reconheço que fazia ali falta uma gata poderosa, para criar o caos hehehe E também acredito, ou quero acreditar, que os guionistas/responsáveis pelos conteúdos irão conseguir dar a volta à coisa e explorar bem esta casa. Estamos muito colados aos antigos concorrentes "VIP" que aparecem muitas vezes (na Tv e net) e o excelente lote que o LOT nos trouxe (not!!) e por isso ainda fazemos muitas comparações (eu pelo menos dou por mim a fazer) mas com o tempo iremos aceitar que estes são agora as novas personagens da "novela da vida real"
×
×
  • Create New...