Jump to content

mary9

Membros
  • #Conteúdo

    56
  • Registado Em

  • Última Visita

Reputação

68 Neutro

Sobre mary9

  • Rank
    Principiante da TV

Quem visitou o meu perfil

594 visitas ao perfil
  1. mary9

    Desporto

    Pois, o maior problema é esse: treinador.
  2. mary9

    Desporto

    E também assegurar que bons treinadores continuam no comando da selecção. Acho que o nosso jogo foi bastante inteligente: não é bonito, mas traz resultados. E isso também amadurece os jogadores, enaltecendo mais do que nunca o espírito de líder e o capitão que é o Cristiano.
  3. mary9

    Desporto

    Agora é manter a linha de montagem: Rui Jorge (nas camadas mais jovens) e Fernando Santos (nos seniores)
  4. mary9

    Desporto

    Se conseguimos ser campeões europeus quando estamos numa fase de transição para uma geração de campeões jovens pronta para ir para os AA, é aproveitar e ganhar tudo agora
  5. mary9

    Desporto

    E para o ano a ver se ganhamos a Taça das Confederações!
  6. mary9

    Desporto

    Claro que ninguém nos apoia, somos parentes pobres da Europa a quem ninguém nos vai lamber as botas pelo facto de termos ganho, conseguindo com isso algum retorno. Não fizemos um campeonato espectacular e não vou ser hipócrita afirmando que desde o primeiro dia que acreditei nesta selecção. Não, não acreditei porque não estávamos a convencer ninguém com aquela forma de jogar nem os resultados eram impressionantes. Claro que queria que chegássemos mais longe na competição e tinha esperança que Fernando Santos colocasse os melhores jogadores (que como não estavam a jogar, existiam aqueles resultados) a jogar para que pudéssemos ser melhor sucedidos. Comecei a acreditar quando os melhores jogadores começaram a jogar (ou seja, Fonte, o meio-campo do Sporting e Renato a titulares), mas jogávamos com equipas que já tinham derrotado selecções muito melhores que nós. Apesar de nós nos colocarmos sempre ao lado dos favoritos, a verdade é que estamos depois de todos eles e por isso a final seria sempre complicada, pois estaríamos a jogar com uma selecção teoricamente superior. O homem deste Europeu é Fernando Santos. Pegou numa selecção em que era necessário iniciar um processo de renovação (muito bem conseguido), conseguindo conciliar veteranos e novatos. Apesar dos lobbies existentes, chamou grandes jogadores que estavam à espera da sua oportunidade (Raphael Guerreiro e José Fonte) e voltou a chamar Quaresma e Ricardo Carvalho, terminando com uma paz podre que emanava na FPF: via-se que todos os intervenientes estavam satisfeitos e em harmonia. Para além disso, fez uma boa gestão dos jogadores que tinha à disposição, permitindo que todos jogassem. Teve a sabedoria e a frieza que faltaram a Scolari (a fé já tinha) para ser campeão europeu. Está de parabéns e depois daquele discurso na conferência da imprensa, deveria ganhar o respeito e admiração de todos os portugueses. Quanto à final, aquele início de jogo quase que abalava com a fé que qualquer um tinha. Porém, pelo jogo dos franceses, só devem ter comido doces, é que a energia durou apenas para o tempo regulamentar. Acho que todos chorámos com a saída do Ronaldo, a injustiça e o deja-vu daquele momento. No prolongamento, viu-se que efectivamente os franceses não tinham forças para mais. Se nós não merecíamos ser campeões europeus, a França ainda menos merecia. Se o nosso jogo não é interessante, o deles muito menos. Se nós éramos assim tão fracos, porque é que não nos marcámos nenhum golo? Se éramos assim tão fracos, porque é que não resolveram o jogo em 90 minutos? Para que é que se candidataram para país anfitrião que não o sabem ser? Uma atitude vergonhosa perante os portugueses no estádio: assobios do início ao fim, a Torre Eiffel não se iluminou com as cores do país do vencedor e os anfitriões não aplaudiram os vencedores na sua festa? Ninguém gosta de perder mas há que estar pronto para esse cenário (aliás, esta até era a final desejada pelos franceses). Emocionantes os festejos com o nosso primeiro título europeu em futebol, pois quer se queira que não, este é o desporto que mais une as pessoas, com o qual mais se identifica. Achei vergonhoso que os blocos informativos não tivessem falado de outra coisa, quando há mais acontecimentos e outros atletas a brilharem. Porém, isto não significa que apoie os que defendiam que os vencedores no atletismo fossem igualmente condecorados. Vamos ser todos condecorados, agora? Claro que merecem ser recebidos pelo PR e ser felicitados e reconhecidos, mas ser condecorado tornou-se demasiado banal.
  7. mary9

    Festival Eurovisão da Canção 2019

    O problema é que as músicas do Festival da Canção são só feitas para um único fim: ter música para nos representar na Eurovisão. Atualmente temos imensa música portuguesa a tocar nas rádios. A música portuguesa está minimamente atrativa para fazer frente aos grandes hits americanos e numa hora de rádio conseguimos ouvir dez músicas portuguesas (enquanto antes nem cinco). Para mim, os principais responsáveis pela música seriam os Amor Electro. As músicas deles agradam a imensa gente mesmo não sendo pop chapa cinco. O Tiago Pais Dias já tinha sido convidado pela RTP em 2012, ano em que tiveram aquela ideia peregrina de juntar compositores e cantores. A sorte não lhe sorriu porque lhe calhou uma cantora com pouca projeção na voz e cuja presença no palco não fazia jus à qualidade da música. Agora que se associaram à RTP para o Euro não seria má ideia. Acho que se mudou o paradigma de que qualquer canção de plástico pop ganha a Eurovisão. O principal problema da Rússia foi ter utilizado uma fórmula que anteriormente resultava mas agora o público tornou-se mais exigente. Acho que tudo começou precisamente, com a Suécia. Loreen não trouxe vestidos curtos nem encheu o palco de fogos de artifício: apenas com a sua presença e a de um bailarino mostrou a força da sua música. Em 2014, Conchita venceu pela sua música (que também não era o típico pop) mas pela mensagem que quis transmitir enquanto cantava: alertou para a questão da comunidade LGBT e para questões de direitos humanos que merecem ser trazidas para o concurso, mostradas não só pela sua imagem como também pela sua canção. Em 2015, Mans destacou-se também pela mensagem da sua canção, representada também no boneco projetado (We are the heroes of our time). Em 2016, Jamala alerta para opressão e sofrimento do povo da Crimeia. Apesar de cantar a história dela, a canção poderia ser sobre qualquer um de nós, em qualquer lugar do mundo. Há muita maneira de fazer canções sobre política de forma inteligente, tal como Portugal fez nos anos 70. Em 2011 resolveu falar novamente em política, se bem que aquilo não era qualquer manifestação artística mas um completo desrespeito pelo concurso e que só nos ridicularizou (ainda mais). Jamala destacou-se pela sua voz, pela brilhante música e pela mensagem. Felizmente que está a passar a febre pelas música tipo esta noite tudo pode acontecer.
  8. mary9

    Festival Eurovisão da Canção 2019

    Acho bem mas acho que a decisão peca por tardia. Há conhecimento de quais são os outros países em situação semelhante?
  9. mary9

    Festival Eurovisão da Canção 2019

    Votos da OGAE Portugal 12 pontos França 10 pontos Espanha 08 pontos Itália 07 pontos Austrália 06 pontos Áustria 05 pontos Bulgária 04 pontos Rússia 03 pontos Polónia 02 pontos Sérvia 01 ponto República Checa
  10. mary9

    Donos Disto Tudo

    Ia referir esse momento também. O Manuel Marques estava de facto igual, a voz estava no ponto! A caracterização de Isabel Silva acho que estava ótima mas a voz não esteve assim tão perfeita.
  11. mary9

    Rádio

    As mesmas músicas de hora a hora e publicidade que nunca mais acaba - principais problemas das estações de rádio.
  12. mary9

    Política

    E era importante recuperar a essência do partido, a social-democracia. O partido tornou-se neoliberal e se mudasse poderia recuperar muitos eleitores que não se revêm num partido tão à direita como o que se tornou o PSD.
  13. mary9

    Política

    Parabéns ao Professor Marcelo Rebelo de Sousa, o candidato mais bem preparado para a Presidência da República! A Faculdade de Direito vai perder um grande professor: daqueles professores que fazem o Direito parecer uma coisa fácil e que sem ser em contexto de aulas mostrou que esse quebra-cabeças que é a política não é complicado e pode estar próximo das pessoas se as mesmas mostrarem interesse. Para além disso, sempre foi uma pessoa próxima dos jovens, colhendo a sua admiração e respeito, o que é importante para os aproximar da política e do cargo do PR, que foi desprezado graças a Cavaco Silva. Espero que Marcelo mantenha a mesma postura com as devidas adaptações, é claro. Quanto às decisões de Cavaco é mesmo para ter a atenção que não teve durante dois mandatos e para mostrar que está vivo enquanto presidente em final de funções. Acho que a adoção por casais do mesmo sexo deveria ser sinónimo de evolução dos tempos e sinal de que as pessoas têm liberdade para expressarem as suas opções e que têm as mesmas oportunidades do que um casal heterossexual. A questão do aborto é uma questão mais delicada e que é preciso discutir sem guerrinhas dos partidos mas sim como pessoas civilizadas e que estão a representar os interesses de quem as elegeu (o que às vezes não parece).
  14. mary9

    Política

    Debate na RTP vai contar com nove dos 10 candidatos. Maria de Belém será a única ausente E depois do nome dela ter sido envolvido nesta questão das pensões vitalícias...
  15. mary9

    Política

    "poder de veto político relativamente a decretos-leis ou a leis aprovadas na Assembleia da República, poder da iniciativa da fiscalização preventiva da constitucionalidade, o poder de aceitar ou não aceitar a proposta do Governo para a designação de altos cargos do Estado, como o Tribunal de Contas e chefes de Estado-Maior das Forças Armadas". Claro que, por exemplo em França o presidente é uma figura muito mais importante mas não deixa de ter poderes.
×