Jump to content

Ana Maria Peres

Membros
  • Content Count

    15,744
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    38

Everything posted by Ana Maria Peres

  1. Eu vou fazer um comentário mais elaborado provavelmente amanhã, mas achei a votação verdadeiramente estranha. Foi uma votação muito esquisita, principalmente vinda dos jurados - eles votaram, efetivamente, por bloco. Todos os nórdicos deram os 12 à Suécia, todos os Balcãs deram os 12 à Macedónia do Norte (à excepção do Montenegro, que deu 12 à sua amiga Sérvia), a Rússia e o Azerbaijão trocaram pontos, 12 do Chipre para a Grécia e vice-versa, Malta/Albânia votaram em Itália...Do televoto eu espero estas coisas, no entanto, nesta edição algo não correu bem junto aos júris: os votos foram muito previsíveis. Como é óbvio, não foram todos, mas como o exemplo os nórdicos (+Austrália). Que abuso: não entendi como é que todos unanimemente foram para a Suécia. É que nem o voto popular assim o fez: praticamente, foi tudo para a Noruega... Quanto à divulgação do televoto, por acaso até gostei do suspense. Pensava que não ia gostar, mas até me agradou, mas claro que é muito mais confuso.
  2. Para ganhar o jurado, sugiro que mudemos o nosso nome para Portugal do Oeste. West Portugal, 12 points. Se resultou para a Macedónia do Norte, resultará para nós.
  3. 12 pontos à Estónia? A EBU DEVIA ERA DE DESLIGAR AS NOSSAS LINHAS TELEFÓNICAS. Ao menos os nossos jurados honrados, a dar 12 à Holanda e a República Checa. Nunca falei mal dos sucessores do tio Júlio.
  4. Vou pedir à EBU para ver se as linhas telefónicas dos jurados estavam a funcionar.
  5. Fiquei felícissima com o resultado neerlandês, mas vamos começar com as injustiças. Eu não tolero a Grécia abaixo de São Marino. Eu não tolero. Eu vou falar com o meu amigo Júlio Isidro para vocês irem para a MiniSom. EUROPA, METER UMA PRECIOSIDADE COMO BETTER LOVE EM 21º LUGAR E PÔR O SAY NA NA NA À FRENTE É INTOLERÁVEL. INTOLERÁVEL. EU VOU FAZER UMA RECLAMAÇÃO POR ESCRITO À EBU. Alguém votou na Grécia e as linhas deles não davam? Malta e Chipre abaixo de França? Ao menos, o Roi flopou, ó imprensa bem o queriam levar ao cabo e ainda acabou pior os Madame Monsiour. 30 pontos do televoto, ups, o Rei foi deposto. Jurados, 45 pontos - ou o que seja, foi isto - à Eslovénia, quando vocês deviam louvar este mini-hino contemporâneo? Eu perdi a fé em vocês. Estou de saco cheio. A LEONORA EM 12º LUGAR? MAS O QUE É ISTO? Os jardins de infância também votaram, foi? E ITÁLIA ESTÁ SURDA, SÓ PODE, 12 PONTOS DOS JURADOS PARA ISTO? A Europa prefere Spirit in the sky a Arcade e umas 15 músicas melhores? Eu entendo que seja farofa, mas vamos ter lá calma, há que avaliar a QUALIDADE, coisa que vocês não fizeram. Há muito mais, mas isto é só umas que eu sinto necessidade de desabafar.
  6. Olhando pelo lado positivo, ao menos acertei o primeiro lugar. All I know, all I know, Apostas is a losing game.
  7. 15º lugar, nós fomos o 15º a atuar... Eu acho que a KAN confundiu o nosso número de atuação com o lugar. O boicote é real.
  8. Inauguramos este tópico com esta beleza.
  9. EU VOTEI 19 VEZES NA HOLANDA E 1 VEZ EM MALTA, QUE É PARA LIVRAR A MICHELA DO FLOP (não consegui) JON OLA SAND, TU BEM TENTASTE QUE A TERRA DO BACALHAU GANHASSE, MAS FLOPASTE COMPRAR VOTOS DA EUROPA E ADULTERAR OS RESULTADOS NÃO TE SERVIU DE NADA
  10. OH AUSTRÁLIA, O FLOP OH SUÉCIA, COMPRAR OS JÚRIS NÃO TE SERVIU PARA NADA RÚSSIA OUTRA VEZ TERCEIRA, DESISTE, SERGEY HOJE TEMOS FESTA NA CASA DA JAMALA
  11. A BROKEN HEART IS ALL THAT LEFT I'M STILL FIXING ALL THE CRACKS EU TE AMO HOLANDA E EUROVISÃO
  12. Boa sorte a todos. Espero que tenham sorte nesta arcade que é a Eurovisão. Que vocês digam Like It, da vossa Home, ao Roi ou a rainha que envergar a Kruna esta noite. O spirit in the sky de um dos participantes, que vai ktheju totës de Tel Aviv já amanhã, vai ficar proud quando vir o resultado e vai ficar a zero gravity. Vejam este certame sebi, com a vossa sister, com um friend of a friend, ou ainda que o vosso better love e esta noite seja bigger than us e que, no final, hatrid mun sigra não sejam as palavras de ordem. Não criem uma storm num copo de água, nem scream, se gastarem o vosso soldi todo numa música e vejam, ao meio do certame, que é too late for love. Lembrem-se que os resultados, quando virem o televoto, podem mudar tal como um chameleon. Love is forever, mas infelizmente não podemos fazer replay a esta noite maravilhosa e a este suspense. La venda está quase a cair! A truth é que isto é uma grande festa, a Eurovisão - she got me -, é a celebração de um continente unido pela música. Por isso, no final say na na na e dancemos a esta grande festa! E lembrem-se: só há concurso no que ano que vem.
  13. Eu se calhar vou falhar completamente as minhas apostas, o ano passado nunca pensei que a Áustria ficasse no top3. Vi um claro top10, mas nunca sequer cogitei que os jurados lhe dessem tanto colo. É a minha perpestiva na altura. E a Noruega, que está em sétimo nas apostas, superando o Azerbaijão e a Rússia? Jon Ola Sand, stop voting now!
  14. Vocês acreditam-se no sucesso checo? Adorava estar tão confiante quanto vocês. Eu adorava ver a República Checa no top 10 - ou mesmo top 5 -, mas sendo os terceiros a atuar, é para ficar num 17º ranhoso, ainda por cima com o televoto horrível que este país costuma. Mas mereciam tanto ter um bom lugar, a música ao vivo torna-se muito atrativa, porém, ser o terceiro a atuar é uma sina muito difícil de lutar. Para mim, hoje vai ser uma luta entre , e . Desculpem, mas para mim a Austrália não vai ganhar - claro que vai ficar top5, mas ganhar é muito exagerado. Primeiro é um país da Oceânia, o que faz com que muita gente nem vote, e nem mesmo a Dami Im consegui 200 pontos no televoto. Além disso, o júri não é o maior apreciador de ópera: se nem a maravilhosa La Forza conseguiu entrar no top5, quanto mais esta, que em termos musicais está uns furos abaixo (ainda que como pacote a supere) à Elina. A EBU de igual modo quererá fugir das polémicas depois de um Israel conturbado e da Netta: muita gente não entende o porquê de a Austrália estar na Eurovisão e seria um choque para muitos que ganhasse. Se já com Israel foi o que foi com a EUROvisão - tendo já a nação participado inúmeras vezes -, nem quero imaginar a onda de ódio para com os australianos. Por isso, não vai ganhar, mas um segundo/terceiro são mais do que possíveis. Mais a mais, Zero Gravity tem sido uma desilusão em termos de vendas/Spotify, etc., o que contrasta imenso com o caso suíço e neerlandês. Como contra-argumento aceito que estamos a falar da Austrália, que é aquela nação que os jurados gostam muito de votar em, é uma Suécia em potência. A meu ver, em termos do jurados, vai ser uma luta entre a Suécia e a Holanda. É que nem há dúvidas - uma balada soberba contra um gospel que eles adoram tanto (e eles adoram votar na Suécia ). Não se admirem se Estocolmo inclusive ganhasse os júris - não me surpreendia nadinha que isso se passasse. Ainda assim, o televoto será assustadoramente baixo - é capaz de vir aí um 30 points Sweden. Dentro dos favoritos dos profissionais de música, Soldi decerto que também lá figurará. Por outro lado, a Suíça vai arrasar no televoto - é a canção uptempo que tem tido mais destaque, é muito mexida e tem um palco brutal, fácil de convencer. Tem sido um êxito comercial incrível, assim que me acredito que será muito bem recebida. De igual modo, Amesterdão também tem tido uma receptividade comercial ótima, daí que para mim o voto popular estará entre estes dois. Ainda não podemos esquecer da Mother Russia: o televoto adora o Sergey e claro que se vai destacar. Outras surpresas em relação aos jurados poderão ser a tão amada por eles Malta (não se surpreendam, vão ver o historial maltês no júri ), Grécia (vejo-a muito bem nos júris) e Azerbaijão. No que toca ao televoto, França é capaz de ficar muito bem, tal como Islândia e a Noruega (que deverá penar e muito com os júris, acredito-me que tenha flopado valentemente na semifinal).
  15. Bom, eu gosto sempre de fazer um comentário às canções que pisam o palco da Eurovisão. Fruto de uma agenda caótica, não o fui capaz de fazer, mas agora vou comentar todos os semifinalistas. Vou tentar não me alargar demais e ser sucinta, o que me é difícil. (7/10): Todos sabem que eu adoro esta canção. É daquele pop prazeroso, para ouvir num dia de verão. Tudo na música me agrada. Contudo, a posta em cena desapontou-me imenso, então a voz da Tamta esteve péssima e não gostei mesmo. A posta em cena esteve boazinha, nada ainda assim que destaque por aí além. Entretanto, fui vendo mais umas vezes a performance e começou a gostar mais. Quem sabe na final não me convence completamente. (4/10): Vozes boas. Tudo o resto? Uma amadorismo digno da Escola Secundária de Podgorica. Os fatos não condiziam nada bem com a idade, era tudo tão pesado e eles faziam movimentos tão estranhos... (6,5/10): Gostei mais do que pensava que ia fazer. A voz do Sebastian, a qual pensava que ia estar horrível, até que me surpreendeu. A atuação não esteve má, mas aqui o problema foi o número sem fim de elementos, que acabava por distrair de forma negativa o espectador. Foi merecida, a não qualificação, a canção não era do meu agrado. (5,5/10): Eu disse vezes sem conta que adorava a cantiga em estúdio. Agora, depois de ver aquilo que observei na terça-feira, mudo radicalmente de opinião. Foi tudo tão mau - a canção já era difícil de se entranhar e elas ainda fizeram tudo mais caótico. Odiei os led's, odiei o palco, enfim, desgostei de tudo, à exceção das vozes delas, que estiveram afinadas e harmónicas. O resto? Uma pobreza. (8/10): Entrei numa galáxia distinta durante 3 minutos e por lá fiquei. Não desviei o olhar por um segundo deste casal de namorados. Música lindíssima, palco pobre - mas que fazia pandã a toda a envolvência musical. A voz da Zala teve umas falhas - nada de grave -, no entanto, selou este pacote. Houve - não minto -, alguns momentos constrangedores e demasiado intimistas, mas foi uma qualificada merecida! (9/10): Votei neles. Meu Deus, que alegria, que felicidade, que animação! Que atuação brutal, adorei o carisma do Albert, adorei o palco, já gostava da canção, portanto foi tudo muito agradável. Muito bem, Praga! (8/10): Não entendo a não passagem. Uma boa voz, uma boa música, um bom palco - lindo, em tons de dourado. O que se passou? Não sei e para mim, Budapeste deveria figurar na Grande Final. Foi uma pena. (7/10): Não me cativou por completo, achei a performance com demasiado elementos. Ao menos vendeu a sua mensagem e conseguiu passar, no entanto, o seu lugar é altamente questionável. Para mais com o cariz básico da sua música... Pelo lado positiva, a Zena esteve perfeita! (8/10): Não morro de amores pela música. A Nevena esteve muito bem vocalmente - praticamente perfeita -, e o palco esteve muito interessante e agradável aos olhos. Só não gostei de algumas posturas corporais, pareceram-me desadequadas do resto. Porém, é uma balada linear, que - se não tivesse a intérprete que tem -, morreria completamente. (5/10): Aborrecido, sem chama, sem carisma, sem nada. Uma música boa completamente destroçada. Por causa de quê? De nada. (7,5/10): A surpresa da noite. Eu nunca adorei a canção georgiana, mas ontem foi completamente arrasador. Adorei a performance, a ponte, o simbolismo, foi tudo tão bem explorado. E a voz do Oto esteve magnífica. Todavia, não dá para fazer farinha sem pão e isto precisava de uma cantiga melhor. (9/10): Absolutamente soberbo. Tudo nisto reluziu. Tudo nisto transformou-se em algo brutal. Não morro de amores por Zero Gravity, mas confesso que fiquei feliz pelo trabalho que tiveram. Foi um circo, mas um circo com classe. (8,5/10): Foi tudo muito bom. Tudo saiu bem, tudo foi planeado. Gostei muito, principalmente da voz do moreno e do palco mais experimental. Ficou muito bem em televisão. Tenho pena é o que o loiro não tenha estado bem vocalmente, porque teria tido uma melhor nota. É um sério contender para o top10. (6/10): Não merecia a final. Disse-o e pronto. Voz com tremeliques, então os agudos fizeram-me sofrer. Canção básica, sem chama, sem interesse. Performance em palco razoável, mas nada de grandioso. Não me convenceu e, por mim, teria ficado na semi. (8/10): Voz muito bem. Tudo o resto? Bem, vamos começar. O vestido era horrível. Não fosse o colete salva-vida do Eliot, teríamos ganho o Barbara Dex Prix - e somos um sério candidato a vencê-lo. O palco esteve bonzinho para os níveis da RTP, porém, não gostei de um espécie de fumo vermelho que estava no Conan. Não sei se foi de propósito, mas tudo se viu desfocado. A performance, com os movimento do João, poderiam ter sido melhores, senti que até metade da canção nada aconteceu. A morte, embora artisticamente transfigure o pacote, senti que aqui não ficou nada bem. Pese as críticas, era na final que deveríamos de estar. (9/10): Vi muitas críticas à sua performance, contudo, eu adorei tudo. Só não gostei de quando a Katerine estava a cantar para um lado do palco e a câmara focava o seu corpo. Vocalmente praticamente perfeito (vou esquecer a voz anasalada do início) e a canção brilha per se, por isso, foi uma qualificada merecida, na qual votei. (5/10): A canção tem piada. Os led's estiveram bem e as coristas. Tudo o resto? Horrível. Desde da voz dele - completamente desafinada -, à atmosfera esquisita que tudo acabou por transmitir. Não merecia o ticket para a final, por muito que eu até ache piada ao studio. ------- (8/10): Começou mal, a Srbuk, mas cedo se redimiu. Primeiramente, tenho de apontar os incríveis efeitos visuais que a delegação arménia apostou: caíram que nem uma luva em toda a performance. Gostei muito e adorei o power que ela teve, se bem que muitas vezes me tenha parecido perdida em palco. Precisava de alguém ao seu lado para luzir mais, contudo, não foi de todo uma má atuação. Merecia a final, a meu ver, mas foi uma semifinal difícil. (6/10): Quem foi a pessoa responsável por isto? É que melhor despedi-la já. Foi tudo confuso e as cores não combinaram com a atmosfera tranquila da música. Fiquei tudo tão contraditório, que me deu calafrios. A voz da Sarah também esteve muito insegura. Ponto positivo para a parte em que ela se deita e aparecem as estrelas - foi a mais bonita! De resto, visualmente muito má. (5,5/10): Este país que aprenda de uma vez por todas: nada mascara uma música medíocre. O palco esteve bom, bem como a sua voz, todavia era um crime ter isto na final. Felizmente, ficou retida na semi: foi o mais merecido para este pacote com pouca criatividade. (9/10): Foi tudo muito bom. Eu ia com as expectativas rasteiras, mas fui altamente surpreendida. Ainda que claramente inspirado na Fuego, esteve tudo muito profissional. A sua voz nem esteve nada má - aliás, na batalha Tamta x Luca quem ganha é o segundo, sem sombra de dúvidas. Deu alguns sinais de top5, tenho a acrescentar. (7/10): É aquela coisa que já sabíamos. Depois de os ouvir parecia que estava a meditar e isso é sempre positivo. Tenho pena do seu suposto horrível lugar, pois mereciam melhor. Podiam era também fazer mais, aquilo esteve sem dinâmica alguma. (6,5/10). Voz boa, canção boa. A partir daqui, creio que seja difícil apurar qualidades: palco feio, cantora com expressões horripilantes, dançarinos colocados aleatoriamente, aquela cadeira que não ficava nada bem... Foi tanto potencial deitado ao lixo. Não a via na final antes, dado a tendência romena de tornar tudo escabroso. O que é pena, porque On A Sunday merecia. (8,25/10): Deixo que me apontem o dedo. Contudo, a Leonora conseguiu cativar-me imenso. A voz esteve no ponto e a rapariga esteve muito mais carismática do que na sua final nacional. É tão doce que dá para ficar com diabetes, mas esta foi a fórmula vencedora dinamarquesa e na qual me vi agarrada. (9/10): Exagerado, talvez, mas a Suécia consegue-me sempre comprar. Adorei tudo. Talvez o início da música tenha sido desapontante, eu queria ver o coro. De resto, foi tudo magnífico: a voz dele, o seu carisma, a sua boa-disposição e depois, aquelas senhoras. Foi tudo excelente e não descartaria tão cedo a Suécia como possível vencedora. (8/10): Tudo lindíssimo. Faltou talvez uma música melhor, porque - fora isto -, caracterizo como excelente. O palco esteve fenomenal - um trabalho de câmaras brutal. Da mesma maneira que vocalmente me impressionou. (4,5/10): Detesto tudo deste pacote. Só menos a voz do Roko. Mas até isso me deixa enervada, porque é tanto potencial deitado a perder... Foi daqueles que pensei que pudessem passar. Felizmente, não aconteceu. (8,5/10): Palco brutal, dançarinos igualmente. Malta acertou em como fazer uma boa cenografia - aliás, como costumam fazer -, e eleva a brilhante canção que tem por trás. Em termos vocais, a Michela teve muito bem, mas o carisma foi nulo. Os sorrisos constrangedores que fez, a maneira como atuou e estava restringida não ficaram nada bem neste pacote bem mexido. Tem de melhorar na final se quer integrar o top10. (7/10): Foi razoável-bom. O Jurij é muito carismático, conseguiu vender bem a sua proposta, acompanhando-a com afinação, o problema é que o que nos tinha para oferecer era muito pouco valioso. O jogo de luzes e os led's estiveram muito pobres. (8,5/10): Eu gostava de dar a isto uma nota baixa, no entanto, sendo sincera, não o merece. A música é o mais fraco de tudo, dado que o palco está muito bonito visualmente. Não adoro a ideia dos espelhos - muito visto no ESC -, porém, não está nada mal. A maneira como conseguiu cantar e afinar surpreendeu-me imenso. Apesar do cenário mais positivo, pois surpreendeu-me, não me deu ares de quem vá estar no pódio. (7,5/10): Nunca engracei particularmente com esta música e hoje também não o fiz em grande escala, mas sempre foi mais do que havia sido. Positivamente: voz incrível. Ponto negativo: o palco insípido e sem qualquer atrativo de melhor. Foi uma atuação que também me deixou fria, talvez por não ser a maior fã, no entanto, esperava que me deixasse emocionada. Concebo a passagem dela e fico feliz, contudo, preferia que a Arménia ou a Áustria tivessem tomado o seu lugar. (8/10): Fiquei perplexa com a boa organização do palco; efetivamente, pensei sempre que Oslo ia falhar completamente o alvo e ia trazer algo horrível. Sem embargo, os Keiino estiveram muito bem: a cantora foi o destaque, para mim, enquanto o cantor teve algumas desafinações. Quanto ao joik, não serei a melhor pessoa para avaliar, mas não esteve mal. Conseguiram selar bem este pacote. (10/10): Foram lágrimas que correram pelo meu rosto. Adorei tudo. Quer dizer, não penso que o piano esteja bem enquadrado ali, mas quero lá saber: emocionou-me como raras vezes alguma canção o fez. Foi tudo tão bonito, tão impressionante, tão avassaladora, que eu só peço a sua vitória. (9/10): A surpresa da noite. Inicialmente, era mais uma balada para mais, mas ao longo do tempo foi-me ganhando com as escutas. Então hoje... A maneira como a Tamara conseguiu cativar com aquela performance foi uma coisa de outro mundo. Transformou uma canção num momento lindíssimo e emocional e poucos conseguem fazer isto. Adorava-os ver num lugar mais risonho - mereciam com certeza! (8/10): Não entendi, nem de perto, nem de longe, o hype que se criou à volta disto. A ideia dos robots foi assim estranha? Não sei, só sei que não gostei por aí além. Fora isso, a sua voz em falsete não é a mais forte e fez tudo praticamente acompanhado pelos coristas, à exceção da bridge, em que arrasou completamente. Não fiquei plenamente convencida, espero a final para isso.
  16. Malta a abrir até pode ser benéfico: a Laura Tesoro acabou num décimo lugar. E mesmo o Melovin teve um bom apoio do televoto. Não me acredito que seja um mau lugar, o primeiro costuma ter relevância. A Albânia, com isto, deve ter passado à rasquinha, são sempre os países que o fazem que ficam neste lugar. São Marino a abrir seria muito agressivo, eu pensava que ia ser a República Checa.
  17. É um excelente lugar. Não nos esqueçamos que a Netta ganhou com na posição 22, o ano passado. A Suíça após pode magoá-lo, mas não me acredito que muito. Dito isto, a Holanda quase de certeza ganhou a semifinal: o seu lugar é revelador disso. A Rússia - com o #5 -, deve ter desiludido imenso. Seguidamente, o Chipre e a Grécia devem ter surpreendido, têm lugares muito bons. A Austrália, por seu turno, tem o famoso 25, o lugar dos segundos classificados. Deve também ter ganho a semifinal.
  18. Running order oficial: 1. Malta2. Albania3. Czech Republic4. Germany5. Russia6. Denmark7. San Marino8. North Macedonia9. Sweden10. Slovenia11. Cyprus12. Netherlands13. Greece14. Israel15. Norway16. United Kingdom17. Iceland18. Estonia19. Belarus20. Azerbaijan21. France22. Italy23. Serbia24. Switzerland25. Australia26. Spain
  19. Quando eu fiz esta partida no Dia das Mentiras, todos me chamaram de louca. Até pus o mood da Austrália. E agora, está em segundo nas apostas. Eu não me acredito nas minhas habilidades de profeta. Só espero bem que não fique em #1, ou eu vou ficar muito chateada.
  20. Este momento é merecedor de 300 pontos. Só ele. E fiz uma brincadeira.
  21. Atenção À sua frente tem uma peça única. Pedimos que não mexa e que não a estrague. A primeira atuação digna da Macedónia do Norte desde há muito tempo está aqui. Não houve sabotagem, não puseram vestidos horríveis na cantora, que até sabia cantar e tudo. É um monumento de uma rareza extrema.
  22. Ver a Srbuk eliminada na semifinal e esses dois na final
  23. Resumo da noite: - Tive dois avc's com Malta a ser deixada para último lugar a ser anunciada. Não se faz. MAS CHAMELEON ESTÁ NA FINAL! - Holanda, tive de buscar lenços, que não me controlei. - Arménia injustiçada e eu posso-o provar. - Suécia arrasadora, Suíça MUITO melhor do que esperava. Contender para o top5. - Foi uma semifinal excelente. Mesmo muito boa, 15 países mereciam qualificar-se.
  24. Não é nada exclusivo do fórum - que até é um sítio decente -, mas eu tenho que dizer isto. Sei que os "confusos" virão, no entanto, há verdades que têm que ser ditas. Vou ser mesmo fria. O que eu tenho ouvido/lido... Meu Deus, que vaga de histerismo é esta? Boicotes misturados com uma presunção e soberba que nunca tinha visto. Aviso já que este texto vai ser só mais antipatriótico que vão ler, mas acho que alguém precisa de ver o outro lado. Nota prévia: amava a canção portuguesa, sempre a defendi e fiquei chocada com a nossa eliminação. Injusta, a meu ver, merecíamos completamente a final. Contudo, não a conseguimos alcançar. Tristeza, frustração são sentimentos normais, no entanto, esta onda de protestos é absolutamente sem sentido. Portugal tinha uma canção vanguardista e polarizadora de opiniões: uns amavam, outros detestavam. Isto ficou claro desde do momento em que as cantigas do Festival da Canção foram anunciadas. Assim que era uma música que ia ser um fracasso ou um sucesso. Eu amo-a, mas sei ver isso: que não era linear, que não ia ser do gosto geral de todos os europeus. Se até entre nós houve gente que odiou, quanto mais lá fora? E assumamos isto enquanto portugueses: por muito que nós gostemos de algo, não significa que os outros gostarão. Há diferentes culturas, há diferentes maneira de ver a Eurovisão: há gente que vê pelo fogo de artifício, há outros para se divertirem, outros para passarem um bom serão... Como é óbvio, duvido que este tipo de espectador votasse em nós - deve ter preferido São Marino ou a Bielorrússia. Daqui parto para outra razão que posso elencar: a maioria dos portugueses possui uma visão desfasada do ESC e presa no passado, ou então ainda vive a fábula de um ano em que tudo correu bem para Portugal. Todos os países deviam cantar na língua materna, que o televoto deveria ser abolido e sei lá mais o quê. Porém, a realidade nua e crua é que os europeus querem ouvir músicas em inglês. A Irlanda ganhou 4 vezes na Década de 90. 4 e ficou em segundo duas vezes. Porquê? Houve sem dúvida umas que se destacavam, mas simplesmente porque podiam cantar na linguagem anglo-saxónica e os outros não. O Reino Unido e Malta obtiveram excelentes resultados segundo a mesma lógica. Vamos tapar o sol com a peneira e ignorar pelo “bem da arte” ou de qualquer outro ideal? Amores, é a realidade, porquê é que acham que o Reino Unido e a Irlanda nunca mais tiveram sucesso no ESC? É muito giro dizer isto, mas depois se se tem quedas de rating e share.... Não dá. Para mim, não, mesmo pela popularidade do certame. Ademais, há simplesmente canções que ficam bem em inglês. Vamos ouvir a música do Chipre em grego/turco e ficaria lindíssimo, não tenho dúvidas. De igual modo, acho interessante como é que só nós é que temos a fórmula vencedora e que resulta. Nós, a nação portuguesa, deveríamos ter instaurado uma matriz de canções na língua materna, a qual todas as nações deveriam de seguir. Porquê? Porque sim, porque somos portugueses e isso basta. Eu pensava que com a vitória de Israel e o segundo lugar do Chipre em 2018 tivesse ficado claro o seguinte: a Eurovisão é imprevisível. O que resulta num ano pode não resulta no outro. O que resulta para um país não resulta para outro. Daí que a nossa matriz - music is feeling, not fireworks -, às vezes não funciona, porque depende de variados fatores, que variam de ano para ano. E também a Eurovisão também pode ser injusta, como o foi para Portugal na 1ª semifinal ontem. Depois, insurgimo-nos contra aqueles que se atrevem a quebrar a nossa regra e atacamos os outros países e representantes, ficando zangados com o seu êxito fora das nossas normas. Isto aqui irrita-me imenso: por muito que uma música seja má - e eu odiei a canção da Estónia, exemplificando -, eu não acho correto que eu passe a destilar veneno para cima dele e que pegue num boneco de voodoo para amaldiçoar o cantor estónio. Porque, enquanto fã, sei do trabalho, do empenho e da dedicação que cada país mete no ESC. E lembrem-se: 17 delegações deram o tudo por tudo, investiram - se calhar mais que nós -, e foram esforçados. Há trabalho, aqueles 3 minutos que vimos ontem são a ponte do iceberg de um trabalho muito árduo. Assim sendo, vamos ter humildade e fair-play e ficar feliz pelos outros. Não nos obcequemos pelo mau-perder a culpar os outros pelo nosso falhanço. Nem sempre ganhamos. Claro que devemos dar a nossa opinião segundo os nossos gostos, mas afirmar que todas as musicas eram uma porcaria à exceção de Portugal é um claro exagero. Por culpa de a Europa não se saber coadunar com os nossos gostos, partimos ao ataque e pensamos que somos injustiçados pela KAN, por Israel... Enfim, uma panóplia de cenários, que apenas desculpabilizam um fracasso nosso. E nós, Portugal, prejudicados? Nós fomos o antepenúltimo a atuar - uma das melhores posições -, tivemos numa sanduíche entre duas canções que nada tinham a ver com a nossa... Se assim fosse, os montenegrinos - que ficaram na pior posição que podia haver, a dead slot, o #2 -, desistiam, porque é assim, devemos dar o dito pelo não dito quando as circunstâncias não estão a nosso favor. Não estou com isto a suavizar os erros dos ensaios; penso que isso foi mesmo incompetência. Mas não foi só a nós - Holanda, Estónia e a lista continua por aí fora. Quanto às linhas telefónicas, é melhor esperar. Nós ainda nem sabemos os resultados. Imaginem que levamos 12 de França e de Espanha. Faremos o quê? Vamos querer 13 pontos? Não dá. Em qualquer dos casos, a KAN não tem culpas do cartório e quem deverá ser responsabilizado - se se confirmar -, são os detentores das linhas telefónicas. Ainda assim, eu duvido muito que tenha havido qualquer irregularidade, isto é um processo bastante sério. Posto isto, quero avisar que este texto é exagerado - é uma visão extremista, nem todos pensam assim -, mas penso que às vezes é preciso fazer uma wake-up call para se repensar muitas atitudes que temos. Capacitem-se disto: a Eurovisão não vai mudar radicalmente. Nuns anos poderá ganhar uma música em romeno folclórica, no outro a música mais pop em inglês criada na Suécia. É assim: imprevisível Se não gostamos do formato, se não nos condizemos com, é melhor desistir de participar. Com muita pena minha, dado que sou fã acérrima do certame e adoro ver Portugal nele - trazemos realmente um diferente sabor ao ESC -, porém, se não entendemos que isto não é só chegar, ver e vencer - só porque temos uma alquimia rara e uma aura de espectacularidade -, não vale mesmo a pena.
  25. Fazendo um comentário geral - penso que amanhã farei um maior -, eis algumas reações. Favoritas da noite: Grécia (brutal, adorei tudo, a maldição da mão azul está quebrada. Lindo palco, voz no ponto e tudo magnífico. A minha Grécia está viva! Seria a minha vencedora indiscutível), Islândia (potente, brutal e só tenho pena que o loiro tenha desafinado no final da canção), República Checa (não quero saber, foi bombástico! Que energia, que boa disposição!) & Austrália (o palco é brutal, mas ainda assim não me convenceu completamente, o final foi uma confusão. Ganhou, quase de certeza, a semifinal). Desilusões da noite: Chipre (que tombo que eu levei, até esperei que não passasse. Voz péssima, parecia uma cabra. Atuação mais ou menos, mas está longe da Fuego. Foi a minha maior desilusão, mesmo), Polónia (eu queria que passassem e tudo, mas aquele palco vermelho com aquelas roupas foi tenebroso. E os leds com elas a cantar? Péssimo.), Bélgica (até eu tenho mais energia e experiência de palco. Que atuação tão pouco viva, mereceu completamente a eliminação) & São Marino (desculpem, eu não consigo apoiar aquele desafinado. O palco esteve bem bom, mas a voz dele foi péssima). Quem não merecia o passe: Bielorrússia, Estónia e São Marino. Trocaria por Portugal (simplesmente gostei, não adorei, penso que inclusive no Festival da Canção esteve melhor. Mas repito: era finalista), Hungria (que atuação tão bonita. Eu adorei mesmo, para mim, teria passado) & - surpresa das surpresas -, Geórgia (a minha maior surpresa da noite. Que palco brutal, eu fico completamente abismada. A música é má, mas a maneira como ele a interpretou foi brutal! Conquistou-me!).
×
×
  • Create New...