Jump to content

SorNunz

Membros
  • Content Count

    624
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

318 Repórter de vacas bravas na CMTV

1 Follower

About SorNunz

  • Rank
    Sou palmista no Você na TV

Recent Profile Visitors

3,416 profile views
  1. Segundo li sobre a Amanda, são 4 irmãos e 3 violam-na. O outro será o par romântico dela no futuro. Pelo menos a versão chilena. Parece-me pesado para o que a TVI precisa no momento, mas pelo menos é rural.
  2. SorNunz

    Prisioneira

    A novela é fraquíssima, mas se tivesse vindo logo Amar Depois de Amar ou Na Corda Bamba ia dar ao mesmo. As pessoas estavam à espera que terminasse Valor da Vida e A Teia para se mudarem de armas e bagagens para a SIC 😂😂
  3. SorNunz

    Literatura

    leituras de setembro A Rapariga do Tambor [John le Carré] - Prosa https://noticiasdezallar.wordpress.com/2019/09/03/estive-a-ler-a-rapariga-do-tambor/ Comecei setembro com A Rapariga do Tambor de John le Carré, publicado pela D. Quixote. A trama apresenta Martin Kurtz, um espião israelita que trabalha numa agência clandestina de combate ao terrorismo palestiniano, ele próprio vítima do conflito durante a infância. Sabendo que a jovem Charlie, uma atriz britânica, é uma revolucionária por natureza, embora adepta da esquerda radical, tenciona usá-la como toupeira na rede terrorista. É que Kurtz pretende criar um verdadeiro teatro do real, uma representação em larga escala. Não esperava, porém, que o homem que envia para a seduzir se apaixonasse realmente por ela. É um livro denso, sem heróis nem vilões declarados, que fala sobre os dramas da guerra e, não sendo dos meus livros preferidos do autor, soube agarrar-me. O Jogo do Anjo [Carlos Ruiz Zafón] - Prosa https://noticiasdezallar.wordpress.com/2019/09/04/estive-a-ler-o-jogo-do-anjo/ Também pela D. Quixote chegou O Jogo do Anjo de Carlos Ruiz Zafón. Depois de ter gostado muito de A Sombra do Vento, decidi ler o segundo livro publicado no mundo do Cemitério dos Livros Esquecidos, cronologicamente anterior. A narrativa acompanha David Martín, um jovem que trabalha num jornal, com pretensões a seguir carreira como escritor. A sua paixão pela mulher prometida ao seu melhor amigo e protector, porém, irá conduzi-lo numa luta pela verdade e pela justiça, numa clássica trama de um homem que vende a alma ao Diabo. Não sendo tão bom como A Sombra do Vento e em alguns momentos me ter aborrecido, ele mantém a chama e o mundo vívido e perfumado em que o autor espanhol tão bem nos sabe enredar. Aprendiz + Mestre + Espinho de Prata + As Trevas de Sethanon [Raymond E. Feist] - Prosa https://noticiasdezallar.wordpress.com/2019/09/04/estive-a-ler-aprendiz-mestre-mago-1-e-2/ https://noticiasdezallar.wordpress.com/2019/09/14/estive-a-ler-espinho-de-prata-as-trevas-de-sethanon-mago-3-e-4/ Durante as férias li os quatro volumes da saga Mago de Raymond E. Feist, publicada em Portugal pela Saída de Emergência. Aprendiz, Mestre, Espinho de Prata e As Trevas de Sethanon acontecem no mundo de Midkemia, apresentando-nos Crydee e as suas personagens, onde se destacam os jovens Pug e Tomas, dois garotos que se preparam para passar à idade adulta. No Dia da Escolha, os jovens são alvo de uma seleção por parte de vários mestres, para lhes ser determinado o seu ofício futuro. É em torno destas personagens e do que elas se tornam que a narrativa trata, com batalhas, questões de coroação e males tremendos que em muito fazem lembrar o universo de O Senhor dos Anéis, e é essa a minha principal crítica à saga. A pouco e pouco, porém, ela diferencia-se e vai melhorando, principalmente nas descrições de batalhas. Outras Terras + O Povo das Crianças Divinas [David Anthony Durham] - Prosa https://noticiasdezallar.wordpress.com/2019/09/17/estive-a-ler-outras-terras-o-povo-das-criancas-divinas-acacia-3-e-4/ Estive a ler os volumes 3 e 4 de Acácia de David Anthony Durham, Outras Terras e O Povo das Crianças Divinas, também estes publicados pela Saída de Emergência. Os três irmãos de Aliver Akaran prosseguem a sua vida no Mundo Conhecido. No eixo central do Império Acaciano está Corinn, que conquistou o trono para si depois de afastar o usurpador Hanish Mein, com quem se envolvera. Os Mein haviam sido os responsáveis pela morte do pai dos irmãos Akaran, o rei Leodan, vingando-se dos crimes dos seus antepassados. Através da estratégia política e das alianças com a Liga dos Navios e os bestiais numrek, Corinn reclama para si o poder, mas as esperanças de um mundo melhor profetizadas pelo irmão mais velho esbatem-se quando a gestão do império lhe cai nas mãos. Adoro o worldbuilding desta saga e algumas personagens, principalmente as do núcleo de Corinn, são excelentes, mas infelizmente o desenvolvimento delas e a condução da narrativa foram uma desilusão constante. Resta-me a curiosidade, para saber como tudo termina. M. Ainsel [Neil Gaiman, P. Craig Russell e Scott Hampton] - BD https://noticiasdezallar.wordpress.com/2019/09/20/estive-a-ler-m-ainsel-deuses-americanos-2/ A Saída de Emergência publicou este mês de setembro o segundo volume do comic que adapta o livro Deuses Americanos de Neil Gaiman. Com ilustrações de P. Craig Russell e Scott Hampton, confirma a impressão que já havia tido do primeiro volume. O livro foi uma leitura mediana que, ao contrário de muitos, não me agarrou nem consegui sentir a humanidade que era exigida aos seres divinos que Gaiman nos apresentava. Na comic não é muito diferente, mas a versão gráfica tem planos muito bem conseguidos e é uma mão-cheia de exotismo, apresentando ainda certos toques de noir e de banalidade que me encantou de um jeito que o romance não conseguiu. Enquanto se preparam para guerra iminente entre deuses, Shadow e Wednesday deixam a Casa na Rocha e continuam a sua viagem pela negra e austera América, reunindo aliados e conhecendo novos deuses. A Laranja Mecânica [Anthony Burgess] - Prosa https://noticiasdezallar.wordpress.com/2019/09/23/estive-a-ler-a-laranja-mecanica/ Numa edição da Alfaguara Portugal, A Laranja Mecânica de Anthony Burgess é um dos clássicos distópicos mais famosos dos nossos tempos. A trama pretende espelhar a visão do autor de um futuro para o mundo em que vivia, um futuro comandado pela violência e pelas leis das gangues, tendo também sido inspirado no estupro da sua esposa, em 1944, por quatro soldados americanos. O protagonista, Alex, assume o papel de narrador, numa espécie de revisita aos crimes que praticou, um alerta para os jovens do amanhã que, acaba por concluir com satisfação, é provável que venham a cair nos mesmos vícios e a fazê-lo com cada vez mais brutalidade. Não me tendo impressionado minimamente, o livro vale pelas mensagens sobre violência e livre-arbítrio que ele encerra, mas perde pela linguagem inventada pelo autor, que o torna confuso e massacrante. O Último Cabalista de Lisboa [Richard Zimler] - Prosa https://noticiasdezallar.wordpress.com/2019/09/23/estive-a-ler-o-ultimo-cabalista-de-lisboa/ Publicado pela Porto Editora, O Último Cabalista de Lisboa de Richard Zimler foi a minha última leitura de setembro. A ação é narrada na Lisboa quinhentista, do ponto de vista de Berequias Zarco, sobrinho de Abraão Zarco, um dos judeus mais influentes da época. Assim como o restante da família residente em Alfama, foi obrigado a converter-se ao Cristianismo. Ainda assim, os judeus forçados a converter-se continuaram a praticar os ritos e costumes do judaísmo, a estudar a Tora e a Cabala, seguindo os ensinamentos dos seus profetas. O desaparecimento de um valioso manuscrito e a morte de duas personagens lançam Berequias numa luta contra o tempo. É um livro que tentei gostar mas que em momento nenhum me empolgou, estando longe de ser aquilo que eu esperava.
  4. Podiam dar à Fátima um programa de late-night diário. 😂😂 Para ajudar as pessoas com dificuldades e com os seus dramas a mudar de vida. Ou algo tipo Depois da Vida. Lixo por lixo, que façam algo que dê audiência.
  5. Se fosse outra seria diferente? Nem que a TVI exibisse os programas da SIC e a SIC os da TVI (com exceção da Cristina, claro). O público está a rejeitar a TVI, ponto. Nenhum diretor vai mudar isso de um dia para o outro. Estancar a perda de espetadores deve ser a prioridade para já, mas nem isso é fácil.
  6. SorNunz

    Na Corda Bamba

    Concordo com tudo, mas acho que querias dizer subvalorizadas e não sobrevalorizadas. Também acho o Pepê um ator muito bom e apropriado para a personagem, mas acho que seria agradável (e faria a novela chegar a mais público) se dessem o papel do Pipo ao Diogo Morgado.
  7. Acho difícil... Eles normalmente costumam empurrar, e a sitcom não faz assim resultados para ser lead-in à maior aposta de entretenimento. Penso que o mais provável é colocarem o Desliga ao sábado, quando estrear o talent.
  8. Mesmo que termine nessa altura, duvido que o Desliga a Televisão ainda esteja pelas 21.00 de domingo.... Não vai estrear em breve o The Voice?
  9. SorNunz

    Na Corda Bamba

    Não consigo perceber como é que alguém consegue torcer pela Lúcia 😂😂😂 tanto ela como o Pipo são dois autênticos diabos, vigaristas, só dá vontade de os esganar. Neste momento torço pela Fernanda. A Sara é a personagem mais humana e fácil de simpatizar, mas como já disseram aqui, começou por ser a outra e tá-se bem, não é fácil para o grande público a apreciar. A Olivia torço por ela porque a Carol irrita-me solenemente.
  10. SorNunz

    Ver P'ra Crer

    Simão? O Pedro que apresenta o programa é o Fernandes e não o Teixeira.
  11. SorNunz

    Na Corda Bamba

    Pus-me a ver este segundo episódio e entendi algumas coisas. A novela é de uma densidade estonteante que cansa. Precisei fazer zapping e estar um bocado na Nazaré para descontrair e passar um bocado tranquilo. Ao fim de um dia de trabalho come-se melhor a novela da SIC. A da TVI é daqueles produtos que se deve ver de propósito e com entusiasmo, não serve para entreter. Funcionaria melhor como série. A Nazaré é fast-food, é colorida e vê-se muito bem. Regressei à Na Corda Bamba a meio do episódio e este segundo foi ainda melhor que o primeiro. Há uma qualidade no guião e na interpretação visível, o autor e os actores são incríveis. À luz desta análise, concluo que NCB é uma telenovela de maior qualidade, mas para o horário e para o formato, com a concorrência leve que tem, dificilmente resultará.
  12. SorNunz

    Na Corda Bamba

    A Sara deve ter uma panca por Filipes 😂😂😂
  13. SorNunz

    Na Corda Bamba

    Então Gostava que tivesse acontecido ainda no primeiro episódio. Ficaria mais interessante. Gostei muito das descrições.
  14. SorNunz

    Na Corda Bamba

    Ou seja, ainda há um terceiro Filipe, o personagem do Afonso Lagarto 😂😂😂😂
  15. SorNunz

    Na Corda Bamba

    Resultados baixíssimos para uma estreia. Mas sinceramente não esperava que sequer ficasse perto da concorrência. Não vale a pena atirar culpas à gestão de grelha, à novela nem às antecessoras. A TVI está às moscas, é uma tendência. Dizer que é porque a novela é complexa... há menos de um ano atrás A Teia era mais simples? Mesmo Valor da Vida? Não. Estamos a lidar com um ciclo de migração que começou com a ida da Cristina para a SIC e acho que a TVI deve fazer o seu caminho independentemente dos resultados. Concordo que os resultados em geral estavam a pedir para primeiro horário uma novela mais genérica e empática, que o público do Vilhena atualmente está mais sintonizado nos canais de Cabo, que pode vir a ter resultados tão maus ou até piores que a Prisioneira (espero que não), o que é expectável, afinal vimos o bom final de ADDA a ser trucidado pelo 5o episódio da Nazaré. Agora é esperar para ver no que dá. O primeiro episódio não me prendeu, mas a verdade é que estou mais expectante com a fase dos nossos dias do que esta parte na Madeira. Se a novela seguir um caminho do género Ninguém Como Tu ou Tempo de Viver, terá os ingredientes para vir a viver dias melhores audiometricamente. Mas à primeira vista, parece-me uma novela uns furos abaixo. Não tem aquela vibe de glamour e de podres a rebentar a qualquer momento. Pelo menos que nos façam importar com isso. Nesta fase, vemos a Lúcia e o Pipo como um casal de vigaristas, mas se fossem descobertos o que é que isso iria trazer à trama? Nada. Não é uma bomba que viesse revolucionar a história. Claro que quando houver o salto temporal pode acontecer, mas o primeiro episódio é fundamental para prender público. Eu gostei do episódio, já o tinha comentado, mas não fiquei entusiasmado ou preso. Dito isto, acho que é continuar a trabalhar. Acho que os resultados não vão cair do céu, mas pelo menos que lutem por eles.
×
×
  • Create New...