Jump to content

Ruben Fonseca

Moderadores
  • Content Count

    14,271
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    43

Posts posted by Ruben Fonseca


  1. há 2 minutos, André disse:

    A vingança por já não serem líderes nos arquipélagos :cryhappy:

    Também inclui a dos arquipélagos. :haha: Apenas exclui os 1,1 milhões a viver no estrangeiro.

    há 4 minutos, fadokimi disse:

    Quem sempre acerta ou quase acerta nas eleições?

    Não me recordo de resultados muito díspares entre as sondagens à boca das urnas e os resultados reais, mas acho que a da TVI era a que costumava acertar mais nos resultados. Em 2015 acertaram o resultado do BE e o dos restantes partidos foram uma diferença de décimas.

    • LOL 1

  2. Projecções da abstenção.

    RTP — 44 a 49%
    SIC — 47,5 a 51,5%
    TVI — 35,4 a 39,4% (território nacional apenas)
    CMTV — 44 a 48%

    • Sad 3
    • Angry 1

  3. O número de votantes em si também é superior, são mais 1,2 milhões de eleitores este ano, comparativamente a 2015. A abstenção deve subir, mas o número de pessoas a votar deve ser superior ao de 2015.

    Ainda assim, não deixa de ser um número fraco.

     

    • Like 3

  4. há 1 minuto, EFernando disse:

    Viste a S07? Para mim é das melhores temporadas. Cheia de críticas a vários âmbitos e lutas políticas e o final vai ao encontro da temporada em si. Só peca pelo desenvolvimento lento nos dois primeiros episódios.

    Quanto a Roanoke começou bem, mas acabou por ficar estúpido pelo facto de as personagens serem suicidas e burras :cryhappy: Para não falar naquele final sem sentido. No entanto, o plot twist foi muito bom!

    Cult não foi má, mas detesto quando tentam impingir as ideias políticas de cada um em programas de entretenimento. Sim, a extrema-direita tem grupos que parecem autênticos cultos (nada que a extrema-esquerda não tenha também), mas andar uma temporada à volta disso só demonstra falta de ideias, principalmente quando AHS nunca foi algo virado para a política. Fez um monte de generalizações a nível político e, claro, os já ocasionais erros de narrativa em qualquer temporada de AHS.

    A 2ª parte não meteu tanto piada quanto a 1ª, mas tendo em conta que as minhas expectativas iniciais quando AHS começa são quase 0, qualquer coisa acima disso já não é mau. Os primeiros eps de Roanoke surpreenderam-me imenso pela positiva. Bem construídos, com um plot original. Parecia que estava de volta às origens por vários momentos.


  5. há 6 minutos, tjspy disse:

    Passei na Condução. :cryhappy: 

    Mas tenho vontade de chorar de um misto de emoções. Passei meio à rasca - obriguei uma cadeira tipo égiro a sair da estrada para passar, saí de mão em duas curvas em que o examinador me avisou para ter cuidado e ainda estacionei bem, mas ao fim de não sei quantas voltas ao volante e um comentário dele :cryhappy: Não obstante, o examinador estava altamente sério, mas a dizer "fogo" e até alguns bogalhos entre dentes quando acabei o exame. Eu estava de tal ordem nervoso que ele até disse no fim "Não me digas que quando fores para um quarto com uma rapariga vais ser assim?!" :cryhappy: E o meu instrutor, para manter ali a brincadeira e tal, para não ficar nem ele nem eu mal, disse "Ainda a fecha no quarto e fica do lado de fora." :cryhappy: Putz :cryhappy: Terminou por me entregar a carta a dizer "É com pouca vontade, mas toma." :cryhappy: No fim despedi-me e ele disse "Vá, e tens é de comer sandes de presunto e feijoada, que estás assim magrinho!?". :cryhappy: 

    De resto, já sinto que me falta algo, eu fiz as aulas e exames, este percurso inteiro com uma amiga. Gostava muito da minha instrutora e principalmente do meu instrutor, ainda que levasse tanto na cabeça ao ponto de uma vez ele a virar-me o volante até ter apitado, tal era a vontade que ele tinha de que eu não batesse na parede à minha frente :cryhappy: A "despedida" não foi nada demais, mas sinto que eles se tinham já tornado pessoas relativamente importantes para mim, e ver o orgulho deles era qualquer coisa :cryhappy: Além disso, foi um dia muito intenso, fomos 3 a fazer exame e a manhã toda andamos às voltas no Sobral a ter aulas. Uma rapariga até deixou o carro ir abaixo 6 vezes no mesmo sítio e começou a chorar. Eu quase chorei também a ver aquilo cheio de nervos. Mas passamos todos :cryhappy: Além disto, agora sinto que tenho mais responsabilidades e quando tiver carro vai ser uma grande mudança na minha vida e provavelmente ainda mais stress :cryhappy: 

    De qualquer forma, o stress todo nas aulas, a espera infernal para ser o meu Exame (fui o segundo dos 3) e o exame e o examinador são história. Parece que vou virar a página :cryhappy: 

    Eu quando passei no meu também tinha feito um monte de erros, erros que já nem dava desde do início das minhas aulas de condução. É normal. Ao contrário do código, em que só chumba quem realmente não estudou o suficiente, sempre achei que o exame de condução é mesmo uma sorte na maior parte dos casos. O que importa é teres passado, não só é menos um rombo na carteira, como é logo toda uma sensação de liberdade que não tinhas antes (então aqui no interior faz imensa diferença :cryhappy: ). Os erros serão normais, principalmente agora ao início. Apenas não tenhas nenhum acidente. :haha: 

    Parabéns! :D 

    • Like 1
    • Thanks 1

  6. há 22 minutos, Hugo disse:

    Porra Ruben, meter essas bodegas à frente de Friends, nem comento :cryhappy: 

      Ocultar conteúdo

    Abandona a última de AHS, que mico :ph34r:

     

    Não disse que eram melhores, apenas não gosto de ter uma watch list demasiado grande. :cryhappy:


  7. há 7 horas, LAboy 456 disse:

    Após 10 anos de serviço como produtor executivo dos eventos da UER (incluindo o Festival Eurovisão da Canção e o Festival Eurovisão da Canção Júnior), Jon Ola Sand dirá adeus ao seu posto em Maio 2020:

    hero.jpg

    https://eurovision.tv/story/jon-ola-sand-to-step-down-as-executive-supervisor-after-rotterdam-2020

    Acontecerá mais precisamente após a Final do Festival Eurovisão da Canção 2020. Entre outras coisas, também será a última vez que o ouviremos dizer a frase que lhe ficou associada: "Take it away"

    A questão agora é: quem será o sucessor de Jon Ola Sand?

    E quando é que o Björkman desaparece de cena? Ainda vira novo produtor executivo, é desta que acampamos na Suécia todos os anos.

    :triste: 

    • Sad 1

  8. há 3 minutos, RPSG disse:

    Aqui temos uma injustiça. A Inês Henriques não apareceu porque esteve a competir/sofrer a tentar revalidar o título mundial em Doha. Não foi porque ela não quis!

    Sim, eu sei que a razão por não aparecerem não é porque já sabem para quem vai o prémio. :haha: Apenas uma forma de ver as coisas. Há anos em que ele merece, mas há anos em que só lhe dão o prémio porque é ele, o que tira mérito ao prémio em si. Mas pronto, nada que não tenha já sido dito aqui. :mosking: 


  9. há 26 minutos, Miguel S. disse:

    Mas a Eurovisão ia injectar milhões com ou sem Filomena. Ela destacou-se perante as outras apresentadoras da edição, isso é inegável, mas o sucesso do programa tinha sido o mesmo com ou sem Filomena Cautela. Por muito grandiosa que seja a Eurovisão, o papel da Filomena foi minúsculo para ajudar essa grandiosidade de que falas. A Filomena não levou ninguém a ver aquilo por ela, simplesmente foi um extra perante aquilo que já se via. O Programa da Cristina foi um sucesso devido à Cristina e ao programa que ela criou. Acho que estás a comparar ou incomparável. 

    Se falarmos do 5 Para a Meia-Noite aí eu já concordo que a Filomena também merece uma distinção, mas mesmo assim, acho muito forçado. Por muito divertida que ela seja, por muito talento que tenha, ela não foi a personalidade do ano no mundo do entretenimento. Acho que nem perto esteve, porque lá está, estamos a falar de “personalidade do ano”. Temos que analisar o impacto da pessoa, o impacto dos programas em que estiveram envolvidos e todo o “universo” da pessoa para além dos próprios programas. A Cristina está num patamar muito elevado onde mais ninguém se encontra, goste-se ou não. O “era justo” pode soar a arrogância, mas é só colocarmo-nos no lugar dela para perceber que não é assim tão descabido. Ela foi responsável por uma transferência super mediática, roubou a liderança à TVI após mais de dez anos nas manhãs e ainda ajudou a SIC a recuperar a liderança nos totais diários. A Filomena apresentou a Eurovisão, fez as delícias dos portugueses durante uma semana e voltou para o 5. Tem influência no digital e junto das gerações mais nova, mas isso até a Cristina. Talvez para o ano ela volte a ser distinguida. Este ano não era a vez dela, não o merecia contra a Cristina. De todo. 

    Claro que ela não foi a razão pelo qual a Eurovisão iria injetar milhões, isso é um dado adquirido. Discordo na parte em que dizes que o sucesso do programa teria sido o mesmo com ou sem ela. Os apresentadores são cada vez mais uma parte vital da Eurovisão, principalmente para os fãs do certame. Nota-se uma diferença tremenda ao ver os apresentadores de 2011 e 2012. Nota-se a mesma diferença entre 2016 e 2017, e novamente entre 2017 e 2018. Um dos maiores elogios feitos à organização passou exatamente pela apresentação (seja nos live shows, como na blue carpet). O sucesso de uma Eurovisão também passa pela apresentação e a Eurovisão 2016 é o melhor exemplo disso, sendo que a Eurovisão 2018 está entre as melhores da década nesse aspeto. Não é um dado ao acaso, nem o apresentador tem um papel tão irrelevante como aquele que muitas vezes querem passar.

    Quanto ao 2º parágrafo, um dos problemas dos Globos é exatamente esse. Muitas das vezes não há visão para lá do universo e da exposição mediática, quando há outros parâmetros que são igualmente válidos e que poderiam ser tomados em consideração. Isso é principalmente óbvio na categoria de desporto, como já falei, e vai ser óbvio na categoria de entretenimento, exatamente por esse aspeto - não há ninguém com a mesma exposição mediática que a Cristina Ferreira, ponto. Por isso é que ela vai ganhar em 2020, em 2021, em 2022, e assim sucessivamente até, de repente, se lembrarem que existe alguém que, apesar de não ter a mesma exposição mediática, fez um ano tão bom ou melhor ainda que aquele ou aquela que é considerado o pináculo da categoria. E é aí, sobretudo, que os Globos deveriam considerar nem que fosse num ano. Porque sim, todos os argumentos que me deste são válidos e eu concordo. Não acho, de todo, que a vitória da Cristina tenha sido injusta. Ela revolucionou o panorama televisivo pela primeira vez em muitos anos, dizer o contrário seria uma parvoíce.

    Só que de um lado temos uma apresentadora que foi um dos destaques de um dos maiores eventos internacionais do mundo, que lhe deu ainda mais projeção a nível nacional, que lhe deu projeção a nível internacional. É um feito raro, conseguido através de um evento que esteve em Portugal pela primeira vez em meio século e que tão cedo não volta. É um feito que não será válido em 2020, logo, numa potencial corrida para o prémio, terá menos peso ainda. Os feitos da Cristina vão continuar a ser válidos nos próximos anos, visto que ela é o principal pilar da SIC. Se for comparar um Programa da Cristina + exposição mediática que ela tem com o 5PMN + exposição mediática da Filomena, bem, aí mais vale fazer com os da categoria de desporto e nem aparecer lá nenhum porque já se sabe para quem vai. Isto tudo para dizer que, num outro ano, concordaria em absoluto (e não é que discorde totalmente) com o prémio. Este ano, não, principalmente quando vão utilizar esse mesmo critério para lhe dar o prémio nos próximos X anos.

×
×
  • Create New...