Jump to content

Ruben Fonseca

Moderadores
  • Content Count

    14,271
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    43

Posts posted by Ruben Fonseca


  1. há 9 horas, srcbica disse:

    Essa insinuação só vem, de facto, dar razão ao que o Daniel falou no "Eixo do Mal" ao facto de que o Livre da Joacine não é o mesmo Livre do Professor Rui Tavares. Está, sei lá, a radicalizar-se... Não sei se foi este o termo, mas a ideia era essa. Passo a explicar o raciocínio dele, a meu ver, agora, lógico. Ora, a razão para esta mudança de paradigma do Livre, segundo o Daniel, foi o facto de ter entrado na Assembleia ao mesmo tempo que o Chega. Ele explicou que do Chega já não se espera outra coisa, mas esta eleição conjunta ficou atravessada na garganta dos dois e que agora ambos vão continuar a fazer coisas para chocar, para dar nas vistas e trazer um assessor a usar saia já foi com esse propósito. Em suma, vão fazer-se valer muito dos circos um do outro (em termos práticos, temos aqui um ciclo vicioso).

    A Joacine já demonstrou, por várias vezes, ter um problema qualquer com a crítica. A campanha do Livre na comunicação social baseou-se sobretudo no facto dela ser negra (como se isso fosse novidade na AR) e gaga. O assessor usar saia foi claramente para dar nas vistas. Estava à espera que o Livre virasse a página e começasse a falar - e não a remeter para comunicados - assuntos que, de facto, são bandeiras claras do Livre. Em vez disso, continuamos com tweets deste género:

    A ironia é que, neste caso, as pessoas negras nem se tratam de escravos, mas sim dos emissários do Samorim de Calecute. Para nem falar que os escravos africanos foram durante séculos uma "commodity", passados e vendidos entre tribos africanas, muito antes até do início da Era dos Descobrimentos - algo que, infelizmente, ainda se vê hoje em África.

    Eu não acho que a entrada do Chega tenha ficado na garganta dos dois, muito sinceramente. O discurso e o eleitorado são demasiados distintos. O Chega capitaliza-se de um discurso fácil contra a AR como um todo, não só contra a Joacine. Pode pegar nalgumas propostas do Livre que são, de facto, exageradas, mas o foco continuará a ser sempre a AR como um todo. O Livre tem um caminho mais difícil. Para já, ideologicamente, já se vê representado, em partes, pelo PS/BE/PAN. Torna o seu crescimento mais limitado, mesmo até se compararmos com a IL, por exemplo, onde existia um enorme vazio à direita para quem defendia abertamente o liberalismo económico e social. É mais fácil envergar por este discurso que a Joacine passa a vida a fazer. O problema é que isso tem os seus riscos, até porque a fase pré-eleitoral já passou e agora esperam-se propostas concretas. E sim, o Livre tem propostas e não está propriamente calado com elas, mas ainda não abandonou um discurso que só serve para criar polémica - e, como o Daniel diz no tweet em baixo, não está propriamente preocupado em abandonar.

    EITosZ5WwAE1Zaq?format=jpg&name=large

    • Thanks 1

  2. há 11 minutos, Luíza Albuquerque disse:

    "mas não é com a constante ridicularizarão do que ele defende ou deixa de defender"

    Mais um vez, isso remete-se para aqui, onde? Sempre falei no geral.

    há 10 minutos, Faded disse:

    Aquilo que o Daniel Oliveira disse é aquilo que pessoas minimante inteligentes pensam. O discurso do André Ventura é puramente demagógico. Ele não tem nenhuma medida concreta nem faz ideia de que como é que iria implementar as medidas que tanto defende. Infelizmente a maioria das pessoas são burras e vão votar num partido novo sem ler o programa do mesmo. Pergunto-me se a grande maioria do eleitorado dele sabe que ele pretende entregar a saúde e a educação a privados. E que quer extinguir o Ministério da Educação. 

    Obviamente que não. Foi para fazer a do CDS levantar-se.  

    Mas isso toda a gente sabe. O próprio André Ventura sabe-o também. O discurso demagogo do André Ventura não é novo, a nível europeu ou mundial. É o mesmo discurso demagogo que levou milhões de pessoas a votar em vários partidos deste género. O André Ventura não é burro, por isso não vale a pena fazerem dele burro.

    Agora, há várias opções para lidar com partidos destes, porque, burras ou não, as pessoas votaram nele e a tendência que estes partidos têm é de crescimento. Tem de haver uma consciencialização de que há coisas na AR que não funcionam como deveriam funcionar, e isto é aplicável para qualquer governo. Não digo adotar as medidas do Chega, mas utilizar o discurso do Chega contra o Chega, porque na realidade quem votou pelo Chega foi com base neste tipo de discurso. O próprio André Ventura sabe que o discurso das "elites" pega mais que falar sobre saúde ou educação - não é de estranhar que o resultado que ele teve foi mais expressivo em várias zonas do Alentejo.

    Não é cruzando os braços e chamá-lo de fascista dia sim, dia sim, que o Chega deixa de crescer. Só se está a entrar no discurso que o ajuda a crescer.


  3. há 7 minutos, EFernando disse:

    Por acaso, a TVI este mês não desceu, até subiu 0,1% :haha: 

    Verifica-se é uma subida bem grande da RTP, que passou de 11,8%, em setembro,  para 13%.  Ou seja, este aproximar deve-se à subida positiva da RTP.

     

    Referia-me mais a longo prazo, ao longo deste ano, que propriamente de um mês para o outro. Contínua não foi a melhor palavra, mas há uma queda constante ao longo deste ano que é preocupante, visto que nem a SIC nos seus piores dias fazia estes resultados tão frequentemente. O resto, e mesmo isto, no entanto, já foi repetido N vezes por aqui, por isso nem vale a pena voltar a referir o mesmo.

    A RTP também tem o seu mérito, claro. Aos poucos vai-se tornando mais competitiva, mesmo que com um ou outro tiro no pé de vez em quando.

    • Like 2

  4. há 1 hora, Ricardo disse:

    Mesmo assim, por pouco a TVI ainda segurou o segundo lugar. Será que Novembro vai ser o mês em que chega ao terceiro?

    Acho que não. Os domingos vão continuar a fazer uma diferença significativa na média, mesmo que o Masterchef seja um buraco. À semana vai ser ela por ela, e mesmo aos sábados a TVI também costuma vencer a RTP frequentemente com alguma margem. Não esquecer que a TVI vai beneficiar de dois jogos do Benfica para a Champions em novembro, o que também deverá fazer diferença.

    Ainda assim, esta queda contínua da TVI não deixa de ser preocupante.

    • Like 1

  5. "Quero ficar sempre estudante
    Manter o fígado
    Em destilação constante

    E se algum dia 
    O fígado me faltar
    Não há que desanimar

    Mete-se um plástico e toca a andar!" :drunk:

    Parabéns, @Hugo! Há cerveja a 0,20€ no arraial hoje, js :fancy: 

    • Love 1
    • LOL 1

  6. há 1 hora, Faded disse:

    espero que não consiga chegar lá, mas não digo nada.

    Acho que, muito sinceramente, o CDS devia adotar uma postura mais conservadora. Não digo algo semelhante ao Chega (até porque o Chega tem um discurso completamente diferente do de um partido conservador em vários aspetos), mas algo que seja mais claro que a atual amálgama de ideologias dentro do CDS. A adotar uma posição mais liberal, tem agora a IL e muitas pessoas de direita, especialmente mais jovens, não concordam com a postura do CDS em diversas matérias sociais (seja na legalização da cannabis, aborto, eutanásia, casamento gay, etc), mas concordam em posturas económicas e a IL veio preencher esse vazio. 

    O Chega, sinceramente, só vendo estatísticas da mudança de votos entre o CDS e o Chega, porque analisando o mapa, o Chega deu-se melhor em áreas onde a direita tem menos representação. Basta analisar até o padrão de votos entre outros partidos semelhantes ao Chega por toda a Europa e vemos que eles vêm roubar votos a algum eleitorado de direita, mas também a algum eleitorado de esquerda, seja ele socialista ou comunista. Sabe-se que quem votou no Chega são pessoas rurais, de baixa instrução e insatisfeitas, que tradicionalmente, e especialmente no Alentejo, é o eleitorado do PCP. O próprio discurso a culpar as elites vai muito ao encontro do estilo reacionário do PCP e não só.

    Ainda assim, acho que o CDS vai adotar uma postura mais de direita conservadora tradicional. Diria que o mais provável a ser eleito é mesmo o "Chicão", atual líder da JP. A ala da Cristas é também a ala do Adolfo Mesquita Nunes, que é muito mais liberal (defende o casamento gay, aborto e adoção por casais do mesmo sexo) e, apesar do Adolfo ser extremamente carismático e um excelente orador, tem o fantasma de quem acabou por ver a sua bancada parlamentar reduzida a uma força quase insignificante.

    • Like 2

  7. há 17 horas, Faded disse:

    O futuro líder do CDS:

    Ainda é capaz de encontrar pontos em comum com o CHEGA. <3 

    Reconversão/cura de gays. Fantástico. <3

     

     

    "O futuro líder do CDS" :haha:


  8. Resultados oficiais:

    PS-S&D: 106 (+21)
    PSD-EPP: 77 (-12)
    BE-LEFT: 19
    CDU-LEFT|G/EFA: 12 (-5)
    CDS/PP-EPP: 5 (-13)
    PAN-G/EFA: 4 (+3)
    CH-ECR: 1 (+1)
    IL-RE: 1 (+1)
    LIVRE-G/EFA: 1 (+1)

    Faltam os resultados de fora do país. Se for igual a 2015, PS acaba com 107 deputados e PSD com 80 deputados (1-3, portanto).

    • Like 1

  9. há 7 minutos, msm0 disse:

    Concordo com tudo. O problema de Portugal é a mentalidade predominante de que o objetivo é "acabar com os ricos". Mas o progresso económico não se constrói em cima da pobreza, é necessário sim "acabar com os pobres",  dar condições para uma maior mobilidade social. Quem nasce pobre, não tem de viver com o fardo de ser pobre para sempre, independentemente das suas qualidades.

    Apesar de não ter votado neste partido, espero que a IL consiga pelo menos 1 deputado pela lufada de ar fresco que representa na politica portuguesa. 

    Sem dúvida. Votei na IL, apesar de estar num círculo que nunca iria eleger um deputado da IL (Castelo Branco, que deu 3 ao PS e 1 ao PSD). Ainda assim, foram a maior lufada de ar fresco em muitos anos na direita portuguesa. A direita precisa urgentemente de deixar de andar a procurar o eleitorado do PS e começar a ter ideias a longo prazo que realmente consigam moldar o país. O PS moldou o país para algo quasi-socialista, onde o estado tem de ter um peso enorme, enquanto sufoca tudo o que é investimento privado. Os resultados são óbvios, mas a maioria não está nem aí porque a direita que tínhamos não tinha ideias capazes de moldar o país e por isso temos um PS com mais de 100 deputados, apesar de tudo o que é serviço público estar a cair aos bocados, apesar do crescimento real para as famílias nos rendimentos ter sido quase nulo, porque dar 10€ e tirar 5€ em impostos e 25€ em serviços públicos não significa nada. A IL muda isso.

    Segundo a TVI, poderão ter 3 deputados. Seria algo histórico. Espero muito que continuem o trabalho que têm feito até agora, porque as ideias estão lá.

    • Like 2

  10. há 10 horas, Johnman disse:

    A mim, o IL sempre me deu a indicação de neoliberalismo que despromove as classes mais baixas. Isto sendo a minha interpretação das medidas deles. É visto que medidas semelhantes fizeram sucesso em outros territórios, mas só a medida de privatizar todas as bases por si... eu sei que a ideia é frutos a longo prazo, mas se as classes mais baixas ganham 1600€, o que ganharão as mais altas? E a que custo virão ter as necessidades mais básicas? Admito que não me informei a 100% sobre o IL e vi apenas algumas das medidas e tempos de antena deles, mas não me convenceram muito.

    Mas se calhar é tudo grande ignorância minha. Definitivamente o era no caso das matérias sociais. Espero não ofender ninguém com esta conversa, já agora.

    O neoliberalismo dá liberdade a que quem tenha mais não veja o seu dinheiro a ser sugado pelo estado, fomentando o crescimento económico. Aliás, com o salário mínimo que o Livre defende, utilizando a proposta de IRS da IL, pouparia uns 60€ por mês que não iriam para o estado. O problema atual que tens em Portugal é que tens um estado com um peso enorme na sociedade, o que se justifica pela carga fiscal mais elevada de sempre (enquanto que na Irlanda está abaixo dos 25%, por exemplo). Tudo o que é serviços públicos estão na lona porque o Estado não tem capacidade para sustentar o seu próprio peso. Pior, temos o 4º regime fiscal menos competitivo da Europa e o nosso crescimento continua anémico, enquanto que outros, que seguiram o caminho da IL, crescem o dobro que nós. Basicamente, estamos condenados a ser a Venezuela da Europa, com um PIB semelhante ao da Roménia, enquanto tudo o que é licenciados e outros que querem ganhar mais que o salário mínimo emigram para países que utilizam as ideias da IL, e as têm utilizado aos anos.

    • Like 2

  11. há 6 minutos, Johnman disse:

    Devia ter adicionado que fico feliz por esses pequenos partidos apesar de não me identificar com eles, especialmente o IL que é basicamente um CDS 2.0 e deve ter nojo dos pobres. Mesmo assim, bom para eles que tenham elegido um deputado. Agora, Chega? Isso é completamente ridículo.

    De facto, aplicar medidas que fazem sucesso na Holanda, na Irlanda, até mesmo em países que há 20 anos eram sinónimo de pobreza extrema como a Estónia, é "ter nojo dos pobres". Pobres esses que ganham o dobro do salário médio (médio, não mínimo) português em muitos casos, como na Irlanda, onde ter nojo dos pobres faz com que eles ganhem uns 1600€ - e a Irlanda estava tão na lama como nós há quase 10 anos.

    E no que toca a matérias sociais (casamento gay, aborto, eutanásia, touradas, etc), a IL está no extremo oposto do CDS.

    • Like 2
×
×
  • Create New...