Jump to content

Ruben Fonseca

Moderadores
  • Content Count

    14,270
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    43

Everything posted by Ruben Fonseca

  1. Ruben Fonseca

    Política

    Onde é que eu assumi que ele foi ridicularizado aqui?
  2. Ruben Fonseca

    Política

    Dito por Daniel Oliveira... O mesmo Daniel Oliveira que passa a vida no Twitter a dizer que são fascistas ou pessoas de extrema-direita todos aqueles que não concordam com a sua visão quasi-socialista do mundo. A piada está feita. (Por ironia, o mesmo Daniel Oliveira que foi hoje chamado, indiretamente, de apoiante da extrema-direita pela Joacine unicamente porque criticou o Livre por continuar mais focado nas saias do seu assessor ou na gaguez da própria Joacine (ou então na aparente invenção da escravatura pelos portugueses) em vez de debater aquilo assuntos que são (eram?) bandeiras do Livre como o aeroporto do Montijo, que remete para comunicados. Mas isso é outro assunto...) Continuem focados no André Ventura e na sua aparente falta de propostas e depois admirem-se que na próxima legislatura tenha um grupo parlamentar. As pessoas que votam nele não querem saber se ele é de direita ou de esquerda. Muito menos estão para aí virados para o populismo dele. Votaram nele porque estão descontentes com a maneira de fazer política de muitos, tanto à esquerda, como à direita, simples. Ele sabe disso. Acham mesmo que ele chegou atrasado no 1º debate por mero acaso? Não se deve normalizar o programa dele, é certo; mas não é com a constante ridicularizarão do que ele defende ou deixa de defender, ao ponto em que basta respirar e está logo ali um grupo de 5 pessoas a dizer que ele é fascista, que se combate o Chega, pelo contrário. Só faz com que a mensagem dele chegue a mais pessoas. O pior é que já foi dito o mesmo em 2016, quando Trump foi eleito. Não subestimem o Trump - acabou eleito. Em 2018, o mesmo. Não subestimem o Bolsonaro - acabou eleito. E agora, pessoas que, em muitos casos, até apoiam partidos que também têm o seu "fair share" de populismo só que à esquerda, estão a fazer exatamente o tipo de discurso que funciona com ele. Não quero dizer que vá ser eleito. Teria de haver uma hecatombe política nunca antes vista em Portugal. Mas está na altura de interiorizarem que o Chega está para ficar, com tudo o que isso implica. Continuem no constante mimimi a tudo o que ele faz e daqui a uns anos vão ter que fazer um mimimi para mais pessoas que o André Ventura.
  3. Referia-me mais a longo prazo, ao longo deste ano, que propriamente de um mês para o outro. Contínua não foi a melhor palavra, mas há uma queda constante ao longo deste ano que é preocupante, visto que nem a SIC nos seus piores dias fazia estes resultados tão frequentemente. O resto, e mesmo isto, no entanto, já foi repetido N vezes por aqui, por isso nem vale a pena voltar a referir o mesmo. A RTP também tem o seu mérito, claro. Aos poucos vai-se tornando mais competitiva, mesmo que com um ou outro tiro no pé de vez em quando.
  4. Acho que não. Os domingos vão continuar a fazer uma diferença significativa na média, mesmo que o Masterchef seja um buraco. À semana vai ser ela por ela, e mesmo aos sábados a TVI também costuma vencer a RTP frequentemente com alguma margem. Não esquecer que a TVI vai beneficiar de dois jogos do Benfica para a Champions em novembro, o que também deverá fazer diferença. Ainda assim, esta queda contínua da TVI não deixa de ser preocupante.
  5. Ruben Fonseca

    Política

    Está no seu direito, claro, mas a mensagem não deixa de se perder pelo tempo que demora a ser transmitida. Não se trata sequer de uma crítica, muito menos faz da sua presença menos merecedora, mas é a realidade. Aliás, ainda não entendi a sensibilidade de algumas pessoas que por, pura e simplesmente, apontarem isso mesmo, assumem logo que estão a criticar a pessoa em si. Vai ser uma legislatura bastante interessante.
  6. Melhor álbum da carreira dela é Norman Fucking Rockwell. Mas West Coast é um ícone, sim
  7. Já disse N vezes que destaques resumem-se a recordes máximos, mínimos, finais e estreias. Ponto. São essas 4 situações, não mais, não menos. Não inclui "quase recordes", não inclui destaques arbitrariamente decididos por um membro do fórum, não inclui resultados assinaláveis para além das quatro situações mencionadas. Há um tópico de audiências para colocares livremente todos os destaques que quiseres assinalar e que vão para além dessas quatro situações. Nos tópicos de novelas ou de programas, os valores de audiência a publicar resumem-se àquilo que mencionei.
  8. Ruben Fonseca

    Aniversários

    "Quero ficar sempre estudante Manter o fígado Em destilação constante E se algum dia O fígado me faltar Não há que desanimar Mete-se um plástico e toca a andar!" Parabéns, @Hugo! Há cerveja a 0,20€ no arraial hoje, js
  9. Apostar no Masterchef para o domingo numa altura em que tanto a SIC como a RTP costumam apostar nos seus formatos mais fortes (ainda para mais o Casados foi um sucesso na T1) foi um erro enorme. Devia ter ido para os sábados à noite e deixar um programa em direto para os domingos. Tanta vez que apostaram no SS escusadamente e agora, que sempre faria melhor figura, mesmo com os habituais "mais do mesmo" e novidades que não são novidades da Endelol/TVI, nem vê-lo. Uma pena porque o Masterchef até é dos poucos produtos feitos com pés e cabeça na TVI.
  10. Não é um mau resultado. Tivemos a estreia do The Voice na RTP também, que é capaz de ter desviado algum público. Acho que, tal como na 1a temporada, tem potencial para subir os resultados. Se bem que tinha mais a ganhar com um diário de horário único às 19h, que outro às 23h.
  11. Eu gostei bastante. Para programa de sábado à noite está ótimo. Notou-se um enorme esforço da RTP com isto: estúdio impressionante, qualidade no topo. Filomena naturalíssima a apresentar isto. As minhas críticas vão ao encontro do que já disseram. O histerismo americano é um fator positivo neste tipo de programas, mas nada a fazer aí. Acho a duração um pouco longa: nalgumas partes houve jogos que demoraram tempo a mais e tornou-se chato, sem dúvida. E, por favor, RTP, mete mão na consciência e não coloques um empecilho capaz de afastar mais metade dos potenciais telespectadores a anteceder isto. Isto acabar à meia-noite quando podia muito bem acabar às 22.30h faz uma enorme diferença. De resto, que venham mais apostas como esta. Faz falta este tipo de entretenimento à noite.
  12. Ruben Fonseca

    RTP1 em Direto

    A RTP bem que podia estrear o Game of Games primeiro, mas preferiu transmitir este empecilho. Às vezes parece que aprendem com a TVI a dar tiros nos pés.
  13. Ruben Fonseca

    Política

    Acho que, muito sinceramente, o CDS devia adotar uma postura mais conservadora. Não digo algo semelhante ao Chega (até porque o Chega tem um discurso completamente diferente do de um partido conservador em vários aspetos), mas algo que seja mais claro que a atual amálgama de ideologias dentro do CDS. A adotar uma posição mais liberal, tem agora a IL e muitas pessoas de direita, especialmente mais jovens, não concordam com a postura do CDS em diversas matérias sociais (seja na legalização da cannabis, aborto, eutanásia, casamento gay, etc), mas concordam em posturas económicas e a IL veio preencher esse vazio. O Chega, sinceramente, só vendo estatísticas da mudança de votos entre o CDS e o Chega, porque analisando o mapa, o Chega deu-se melhor em áreas onde a direita tem menos representação. Basta analisar até o padrão de votos entre outros partidos semelhantes ao Chega por toda a Europa e vemos que eles vêm roubar votos a algum eleitorado de direita, mas também a algum eleitorado de esquerda, seja ele socialista ou comunista. Sabe-se que quem votou no Chega são pessoas rurais, de baixa instrução e insatisfeitas, que tradicionalmente, e especialmente no Alentejo, é o eleitorado do PCP. O próprio discurso a culpar as elites vai muito ao encontro do estilo reacionário do PCP e não só. Ainda assim, acho que o CDS vai adotar uma postura mais de direita conservadora tradicional. Diria que o mais provável a ser eleito é mesmo o "Chicão", atual líder da JP. A ala da Cristas é também a ala do Adolfo Mesquita Nunes, que é muito mais liberal (defende o casamento gay, aborto e adoção por casais do mesmo sexo) e, apesar do Adolfo ser extremamente carismático e um excelente orador, tem o fantasma de quem acabou por ver a sua bancada parlamentar reduzida a uma força quase insignificante.
  14. Ruben Fonseca

    Política

    "O futuro líder do CDS"
  15. Ruben Fonseca

    Política

    Mas alguém achava que o PS ia sequer considerar o Chega? Se nem os partidos à direita o consideram, não sei qual é o espanto na mensagem do Costa. Não disse nada que já não se sabia à partida. Analisando os resultados, tal como nas Autárquicas e tal como nas Europeias, a Geringonça favoreceu sobretudo o PS. O BE manteve o número de deputados, mas perde mais de 50 mil votos. A CDU continua o seu caminho para a irrelevância. Está na altura de pensarem a sério na continuidade do Jerónimo de Sousa, e na mensagem do partido, lá no Comité Central. Não acho que o PS vá fazer coligação com algum partido. A minha preocupação era que desse para maioria com o PAN, mas como tal não será possível, vai ter de negociar com o BE/PCP. Acho que vai ser uma geringonça mista: ora vira para o PSD em matérias onde Rui Rio concorda, que não são poucas, ora vira para a esquerda. Destaque para o bom marketing do PAN, que passa de 1 a 4 deputados com uma mera mensagem ambiental. Sim, porque no resto, são uma valente nulidade. E, claro, para o Livre. Não acho que a campanha tenha sido das melhores, mesmo analisando o histórico do Livre. Ainda assim, estou expectante para ver o que vão fazer agora e acho que são uma boa adição ao Parlamento. À direita, acho que não faz sentido pedir já a cabeça de Rui Rio. Esperava-se uma hecatombe do PSD, o que não aconteceu. Poderão nem perder 10 deputados em relação a 2015. Cerca de 28% dos votos é uma derrota, sim, mas não são os catastróficos 20% que se esperavam há um mês. Ilações devem ser, no entanto, tiradas. Quanto ao CDS, aí sim, uma hecatombe. Acho que isto pode ser o início da fragmentação do CDS. Gente que podia ter votado no CDS pelas questões económicas e migrou para a IL. Nas questões sociais, quiçá para o Chega (embora ache que o voto do Chega é mais ambíguo e vem de todos os espectros políticos, tal como acontece no resto da Europa). A mensagem que escolherem no próximo congresso será decisiva. Já o disse várias vezes, mas não estou a ver ninguém, neste momento, melhor que a Cristas para liderar o CDS. Independentemente do que acharem dela, e apesar dos tiros nos pés constantes, a Cristas era das pessoas mais capazes para liderar o partido. Quanto aos novatos: extremamente orgulhoso com o resultado da IL. Goste-se ou não, tiveram das campanhas mais arrojadas de sempre. O "partido do Twitter" calou imensas bocas ontem. Uma mensagem que não é populista, baseada em modelos concretos e aplicados há anos em países com um sucesso cada vez mais evidente. Vai ser uma lufada de ar fresco para a direita, que precisa de ideias, que precisa de ser mais que a muleta do PS quando as coisas correm bem, e bombeiros quando o PS arruína o país. Quanto ao Chega, como já disse, acho que os votos vêm de uma base mais ambígua, à semelhança do que acontece a partidos dessa família política. Tanto que foi Portalegre o distrito onde teve mais votos. Foi, sem dúvida, o ponto mais baixo destas eleições. (E quanto às projeções da Bertrand, tanto riso mas a coisa nem correu tão mal. Acertei no resultado do BE, o do PS está dentro do intervalo, o do PSD/CDS/PAN idem. O PCP teve o pior resultado desde 2002, o Aliança não teve 1% e o Livre entrou na AR. Errei mais na IL/Chega. Projeções Bertrand melhores que a Eurosondagem. )
  16. Ruben Fonseca

    Política

    Resultados oficiais: PS-S&D: 106 (+21) PSD-EPP: 77 (-12) BE-LEFT: 19 CDU-LEFT|G/EFA: 12 (-5) CDS/PP-EPP: 5 (-13) PAN-G/EFA: 4 (+3) CH-ECR: 1 (+1) IL-RE: 1 (+1) LIVRE-G/EFA: 1 (+1) Faltam os resultados de fora do país. Se for igual a 2015, PS acaba com 107 deputados e PSD com 80 deputados (1-3, portanto).
  17. Ruben Fonseca

    Política

    Oficial: IL no Parlamento. João Cotrim Figueiredo eleito por Lisboa!
  18. Ruben Fonseca

    Política

    Sem dúvida. Votei na IL, apesar de estar num círculo que nunca iria eleger um deputado da IL (Castelo Branco, que deu 3 ao PS e 1 ao PSD). Ainda assim, foram a maior lufada de ar fresco em muitos anos na direita portuguesa. A direita precisa urgentemente de deixar de andar a procurar o eleitorado do PS e começar a ter ideias a longo prazo que realmente consigam moldar o país. O PS moldou o país para algo quasi-socialista, onde o estado tem de ter um peso enorme, enquanto sufoca tudo o que é investimento privado. Os resultados são óbvios, mas a maioria não está nem aí porque a direita que tínhamos não tinha ideias capazes de moldar o país e por isso temos um PS com mais de 100 deputados, apesar de tudo o que é serviço público estar a cair aos bocados, apesar do crescimento real para as famílias nos rendimentos ter sido quase nulo, porque dar 10€ e tirar 5€ em impostos e 25€ em serviços públicos não significa nada. A IL muda isso. Segundo a TVI, poderão ter 3 deputados. Seria algo histórico. Espero muito que continuem o trabalho que têm feito até agora, porque as ideias estão lá.
  19. Ruben Fonseca

    Política

    O neoliberalismo dá liberdade a que quem tenha mais não veja o seu dinheiro a ser sugado pelo estado, fomentando o crescimento económico. Aliás, com o salário mínimo que o Livre defende, utilizando a proposta de IRS da IL, pouparia uns 60€ por mês que não iriam para o estado. O problema atual que tens em Portugal é que tens um estado com um peso enorme na sociedade, o que se justifica pela carga fiscal mais elevada de sempre (enquanto que na Irlanda está abaixo dos 25%, por exemplo). Tudo o que é serviços públicos estão na lona porque o Estado não tem capacidade para sustentar o seu próprio peso. Pior, temos o 4º regime fiscal menos competitivo da Europa e o nosso crescimento continua anémico, enquanto que outros, que seguiram o caminho da IL, crescem o dobro que nós. Basicamente, estamos condenados a ser a Venezuela da Europa, com um PIB semelhante ao da Roménia, enquanto tudo o que é licenciados e outros que querem ganhar mais que o salário mínimo emigram para países que utilizam as ideias da IL, e as têm utilizado aos anos.
  20. Ruben Fonseca

    Política

    De facto, aplicar medidas que fazem sucesso na Holanda, na Irlanda, até mesmo em países que há 20 anos eram sinónimo de pobreza extrema como a Estónia, é "ter nojo dos pobres". Pobres esses que ganham o dobro do salário médio (médio, não mínimo) português em muitos casos, como na Irlanda, onde ter nojo dos pobres faz com que eles ganhem uns 1600€ - e a Irlanda estava tão na lama como nós há quase 10 anos. E no que toca a matérias sociais (casamento gay, aborto, eutanásia, touradas, etc), a IL está no extremo oposto do CDS.
  21. Ruben Fonseca

    Política

    Felizmente soube perceber a cada vez maior irrelevância do partido
  22. Ruben Fonseca

    Política

    Por aqui subiu 1%. Pior que isso, tudo rosinha.
  23. Ruben Fonseca

    Política

    Histórico, a Iniciativa Liberal! Nas primeiras eleições, poderão conseguir até mais que um deputado!
×
×
  • Create New...