Jump to content

miguelalex23

Moderadores
  • Content Count

    7,183
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by miguelalex23

  1. Sim, não consigo perceber uma RTP que tem mais canais de cabo do que em sinal aberto.
  2. Aí concordo. E se o cabo cresceu tanto, boa parte da culpa também é das generalistas, com a sua qualidade de programação a deixar muito a desejar, e por não terem feito para nada para evitar o que se passou com a TDT.
  3. E pronto, voltamos a 1968. Numa altura em que a maior parte das estaçõess de serviço público aumentam a sua oferta de canais (e em sinal aberto, não é no cabo), o Governo acha que a RTP só deve ter 1 canal, quando isto vai afectar a situação já preocupante do mercado audiovisual. Além do mais, como é que a RTP quer ter um canal próximo da actual RTP1 se esse canal único nem publicidade vai ter (porque se tivesse então aí é que era o descalabro para a SIC e a TVI)? Isto não é sustentável! Vamos ter um serviço mais reduzido, pior (não me parece que consegam fazem com 1 canal o que fazem com 2), e sem forma de se rentabilizar! Mas pronto, o Miguel Relvas já cumpriu a sua função, foi este o principal objectivo dele no Governo.
  4. Não é assim tão inédito, já tem havido registos de liderança da RTP2 mas em horários invisíveis, como ao fim-de-semana às 7h (quando os canais estão todos a dar desenhos animados e a RTP2 dá informativos) ou nas madrugadas. Mas claro, é um feito histórico.
  5. Concordo em parte com o Joel Neto nessa crónica "Juízo de gosto". Acho que nenhum género de música deve ser discriminado nesses programas, mas deviam convidar também outro tipo de bandas e grupos, e rejeitar a falta de qualidade que às vezes se vê. Por falar em Joel Neto, cá vai uma crónica que ele publicou há dias: O humorista no labirinto Tenho escrito aqui sobre os humoristas portugueses e os dolorosos dilemas que se lhes colocam. Reféns da urgência da piada seguinte, na sua vida profissional tanto quanto na pessoal, os humoristas já nascem personagens literárias por excelência. Entretanto, o lusitano anónimo define uma tarde bem passada com a frase: "Ai, a gente rimos-se tanto..." E, como se isso não bastasse, os defuntos Gato Fedorento deixaram tão alta a fasquia da qualidade que deixou de ser possível fazer humor sem ouvir em fundo a lengalenga do "Falam, falam...", como uma espécie de oráculo fantasma. O que Nuno Markl faz em 5 Para a Meia-Noite é, de alguma maneira, expressão disso tudo ao mesmo tempo. Primeiro porque assenta quase em exclusivo nos modelos em que o humor mainstream se deixou acantonar, autodepreciação à cabeça. Depois porque não sente qualquer necessidade de transcender as referências a que a geração em voga conseguiu reduzir-se, particularmente o saudosismo dos muito kitsch, muito ternos e muitíssimo batidos anos 80. E finalmente porque, no meio desse lodaçal de facilitismo, acabam por verter da sua apresentação sinais de um declínio que, na verdade, a sua idade e o seu talento não justificam. Nuno Markl não é Herman José. Não tem a idade de Herman, não tem o património artístico dele e, a avaliar por aquilo que ambos sempre fazem questão de revelar sobre a sua vida pessoal, não tem as contas para pagar que Herman tem. Que use tantas vezes a palavra "eu" ao longo de cada emissão de 5 Para a Meia-Noite não apenas é constrangedor, como é desnecessário. Ao contrário do que talvez tema, o fim do seu tempo não está assim tão próximo. E a resposta do Nuno Markl no facebook: https://www.facebook.com/notes/nuno-markl/resposta-a-um-homem-preocupado/10151131693142387 Às vezes este Joel Neto é de rir.
  6. Antes de o 5PMN começar saíram notícias de que a Joana Cruz tinha sido convidada (como se pode ver na 1ª página deste tópico). Depois escolheram a Filomena Cautela.
  7. Parece-me uma ideia engraçada, mas... Oceana Basílio?
  8. Também gosto do Euronews, e tenho pena que a RTP tenha desistido dele. O que era de valor é porem isto na TDT.
  9. Nunca achei grande piada a este grafismo dos quadrados. Preferi aquele que a SIC usou em 2008.
  10. Já está em repetição desde a semana passada.
  11. Sim, acho que de vez em quando repete debates de semanas anteriores, e no resto do tempo dá música clássica.
  12. Concordo, embora ache que o canal devia ser reformulado e passar a ser um canal a sério. Nos EUA, o C-SPAN (que tem 3 canais e 1 rádio!) tem programas próprios além das transmissões dos debates parlamentares. Claro que isso cá não era possível, muito menos nesta altura de crise, mas penso que algumas mudanças podiam tornar o canal mais dinâmico e interessante.
  13. miguelalex23

    Memórias SIC

    Isso foi de uma série de promos que juntavam diferentes caras e programas da SIC, algures em 2008. Lembro-me de uma com o Herman a apresentar o Jornal da Noite, e de uma em que as VIP Manicure interrompiam o Primeiro Jornal e iam meter-se com o Bento Rodrigues.
  14. miguelalex23

    Vingança

    Lembras-te de Alma Gémea? Do Cravo e a Rosa? Ou, no caso de inéditas (mas isso julgo que fica mais caro), de A Armadilha? Se escolherem uma boa novela para repetir, têm armas para tentar para recuperar o horário. O problema, está visto, é o dinheiro. Veremos quanto mais tempo estarão dispostos a esperar que PAOM recupere, se é que isso vá alguma vez acontecer.
  15. miguelalex23

    Sugestões RTP2

    Eu gostava muito que houvesse um programa de TV ao género do Governo Sombra. Também gosto do Eixo do Mal da SIC Notícias, e acho que fazia sentido a RTP apostar num programa de debate informal e descontraído.
  16. miguelalex23

    Vingança

    Eu adorava rever Cobras & Lagartos, e acho que era uma boa escolha para levantar o horário. Eles querem poupar, mas não deve ser sustentável ter aquele horário na lama como está, ainda para mais acho que no Verão o consumo àquela hora aumenta (lembro-me de há 2 anos a Armadilha ter ratings excelentes na sua recta final, que foi no Verão). E, por princípio, acho que a SIC não deve interromper a exibição de uma novela, portanto PAOM continuaria, mas depois de C&L.
  17. Essa série do Apocalipse da II Guerra Mundial é muito boa, já passou várias vezes na RTP2, e por acaso até me lembro que teve audiências surpreendentes na altura. Quanto ao filme dos últimos dias do Hitler, também já o vi.
  18. Acho que o espaço que resta (fim-de-semana das 6h30 às 8h) é só para cumprir uma obrigação do contrato de serviço público.
  19. Vou ver o documentário sobre a Amy Winehouse.
  20. Acho exactamente o mesmo, isto é tão monótono.
  21. Hoje de manhã vi um bocado do Verão Total em Coruche e não estava ninguém - repito, NINGUÉM - a assistir ao programa atrás dos apresentadores. Ou o público estava noutro sítio, ou estava tudo a almoçar àquela hora. Seja como for, é estranho ver um programa destes feito numa praça vazia!
  22. Olha, um tópico sobre uma coisa quase inexistente. Longe vão os tempos em que a RTP1 apostava nos desenhos animados de manhã e à tarde. Hoje esse papel está (bem) entregue à RTP2. Resta saber como vai ser após a privatização.
  23. Estes números são curiosos, mas se for verdade que a Marktest reduziu em muito o seu painel têm pouca credibilidade. O resultado de Dancin Days é o mais estranho, claro. Outra diferença abismal: o Telejornal com 29% contra 21.1% na GfK. 8 pontos de share! RTP1 com mais 4.6% na Marktest que na GfK, como já se previa. TVI com mais 3% na GfK que na Marktest. SIC, RTP2 e cabo melhores na GfK. Mas pronto, não sei qual deles é menos credível... Seja como for, gostemos ou não, os da GfK é que contam.
×
×
  • Create New...