Jump to content

skizzo

Membros
  • Content Count

    16,615
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    34

Posts posted by skizzo


  1. Pois. Eu acho que ja foi melhor. Mas a nova está boa. O que voces achavam das qu e foram exibidas aí?

    Lembro-me das séries de 1999 até 2005.

    meu ranking:

    1º New Wave 2000/2001 (temporada da introdução de Bia e Cabeção e era muito hilariante), muito sucesso

    2º New Wave 2002/2003 (provavelmente o meu casal de protagonistas favorito, historia fabulosa)

    3º New Wave 2001/2002 (excelente temporada com muito sucesso, a vilã Valéria era porreira)

    4º New Wave 2003/2004 (gostei das personagens novens e da vilã Carla, protagonistas mais ou menos, historia muito boa)

    5º New Wave 2004/2005 (muito sucesso mas não gostei dos vilões Natacha e Catraca)

    6º New Wave 1999/2000 (via só algumas vezes, foi quando me despertou interesse pela série)

    7º New Wave 2005/2006 (de longe a pior, perdi o interesse passados alguns meses, e curiosamente, foi um flop de audiência e foi o fim de New Wave em Portugal)

    Quanto a novelas da Gloco: Uga Uga, Andando Nas Nuvens, Laços De Familia, Suave Veneno, Força De Um Desejo, Celebridade, Torre De Babel, O Clone - foram as que mais gostei.


  2. TVI mais ou menos, RTP e SIC más. Cabo o destaque do dia.

    EI continua imparável, MdP razoavel. MCA péssimos, está visto que não resulta mais ao fim-de-semana.

    Na SIC, o filme não fez muito (embora eu tenha visto), talvez tenha sido demasiado pesado para a tarde? Minutos Mágicos o destaque.

    RTP destaque vai para o Telejornal e O Preço Certo, que embora seja o mesmo programa pelo 4º ano consecutivo, parece ainda cativar os portugueses.

    - O gráfico é o de ontem


  3. Sim, ao início da tarde tinham as repetições de novelas antigas, um truque que ainda fazem regularmente. Lembro-me do À Sombra da Bananeira, até era razoavelmente divertido, se bem que não me lembro se tinha boas audiências ou não. Interessante a total ausência de talk shows nessa época.


  4. Pois realmente nenhuma dessas apostas resultou nesse horário, mas ao menos arriscaram. Mas acho que ter 2 novelas brasileiras no horário 18-20h será a melhor aposta. Não irá fazer grandes números, os dias de fazer 40-50% share como faziam com New Wave terminaram há muito, mas poderão ao menos roubar algo a MCA/Preço Certo e quem sabe fidelizar o público. Têm é de as escolher bem, algo leve e divertido.


  5. prow, estás a falar de Nós Por Cá em vez de uma novela brasileira no final da tarde?

    Emanuelrko, pois essas mudanças de horários são mesmo rudes para com o público. A minha mãe vê Passione e queixa-se disso. Mas também olhando para os números que esta e Lua Vermelha fazem não é de estranhar que tentam experimentar todos os horários a ver o que resulta. Eu novelas não vejo há muito tempo, a última que vi na SIC foi Celebridade e já lá vão 7 anos. Precisam de apostar numa novela da Globo forte para estrear em Horário Nobre porque tá visto que Laços de Sangue não vai lá.


  6. SIC péssima a todos os niveis, unico destaque positivo para A Armadilha. Sinceramente, não tou a ver nada a resultar, os portugueses fixaram-se definitivamente na TVI e nas suas novelas, não tou a ver uma novela brasileira a conseguir liderar as audiências. Estão condenados ao fracasso, o que é uma pena, porque a SIC é a minha referência de criança e adolescente. Mas o pior mesmo é não tentarem melhorar a grelha que está péssima.

    TVI muito bem, novelas com uma performance exemplar, embora não veja nenhuma destas. MCA já tiveram melhores dias. RTP boa ao final da tarde e de manhã, parece que O Preço Certo ainda consegue captivar as pessoas.


  7. A novela «New Wave», skizzo?

    Que saudades! Essa sim, não cheirava a cópia! Tive uma pena quando saíu da SIC. Eu adorava! Corria para a ver!

    Também, era um vício. Aliás, já na época de 2004 quando entrei na universidade, andava toda a gente a sair das aulas a correr para ver a série haha.

    Mas acabou por lhe acontecer, o que aconteceu aos «Morangos», já sem remédio! Nada dura sempre! Quando esticada...deixa de cheirar bem!

    O próprio Moniz previu um prazo de 7 anos no máximo para ela. E já foi com esticadelas, para esse prazo!

    Já vai no 8º ano, penso que não deve durar muito mais

    O target para a novela vai até aos 15 anos!

    Estranho. O da New Wave era de longe os 15/24, com os 4/15 e 25/34 a combater para o 2º lugar do target.


  8. Eu vi os primeiros 3 BB's, e o BB Famos. O 4º não vi porque já enjoava. Mas na altura do primeiro BB a SIC também apostou em Reality Shows, quem se lembra de O Bar da TV e Acorrentados. Ambos com boas audiências, mas não eram líderes. E claro o Masterplan em 2002. A TVI também apostou em mais BB's, em reality shows como Ilha da Tentação e Survivor em 2001, na Quinta das Celebridades, etc...

    Penso que a era de Reality Shows desse género terminou, mas pode estar a começar um novo ciclo, não sei. Os mais novos concerteza não se lembram do 1º BB.


  9. Mas o target dos Morangos não é entre os 15/24? Penso que sim, tal como era o target da New Wave.

    Eu vi apenas a 3ª série dos MCA, curiosamente a que teve mais audiência, e as séries de Verão II e III. A 1ª não vi porque preferia New Wave, a 4ª não me captivou e deixei de ver. E agora já tou fora do target (desde Agosto hehe), parece que não mas a idade altera os nossos gostos. Tal como se ainda existisse a New Wave, penso que não a veria - porém guardo boas recordações dos 5 anos que segui a novela/série entre 2000 e 2005 (a ultima entre 2005-2006 já não assistia porque era mais do mesmo, não captivou, e curiosamente foi essa temporada que foi cancelada a meio em Portugal).


  10. Para recordar:

    SIC segura o leme, TVI segue na esteira

    8 de Setembro de 2000 às 01:00:00

    José Eduardo Moniz prometeu uma TVI renovada em Setembro, capaz de acabar com a supremacia da SIC e equilibrar as audiências entre os três canais. Com o “Big Brother” não conseguiu destronar a estação de Carnaxide, mas levou a RTP 1 á terceira posiçãoNos últimos dias, a “guerra das audiências” invadiu a imprensa nacional. A TVI prometia tornar-se numa nova televisão e equilibrar o share dos três canais comerciais. Nova imagem, nova informação, um concurso diário antes do principal noticiário do dia e o famoso “Big Brother” foram as apostas de José Eduardo Moniz. A SIC, habituada a liderar, respondeu sem grandes alaridos com um Dot mais generoso e com a estreia de Carlos Cruz, também a “oferecer” 100 mil contos por dia. Fora da competição, para já, esteve a RTP 1, que devido á transmissão dos Jogos Olímpicos adiou a nova grelha para Outubro.

    Logo na segunda-feira, dia seguinte á primeira emissão do “Big Brother”, a TVI emitia um comunicado com o título «O “Big Brother” arrasou». Neste, a estação de Queluz afirmava que entre as 20h50 e as 23h20 a TVI liderou as audiências, com 42,4% de share, enquanto a SIC se ficou pelos 39,7% e a RTP 1 pelos 13,3%. No comunicado lia-se ainda que no conjunto do dia a TVI foi o segundo canal mais visto, com uma quota de 26,6%, e com a SIC a obter 41,7% e a RTP 1 24,5%. A SIC não gostou e passou ao ataque. No final do dia, a direcção de programas e informação da estação de Carnaxide fez saber que a TVI estava a proceder a «uma campanha de desinformação», uma vez que «desesperadamente procura esconder o dado essencial das audiências do dia de ontem (domingo)». A SIC adiantava que, de acordo com a Marktest, a novela “O Cravo e a Rosa” obteve no domingo um share de 42,7%, face ao programa “Big Brother”, que registou 42,4% na gala de abertura. Na quarta-feira, dia 6, a TVI anunciava: «TVI renovada bate as novelas brasileiras». Ou seja, «o “Big Brother” em directo com Teresa Guilherme, onde se verificou a saída da primeira concorrente da casa, registou um share de 41,1%, contra os 40,8% da telenovela “Laços de Família” e os 39,7% da telenovela “Aquarela do Brasil”.

    O certo é que durante três dias consecutivos, e de acordo com dados The Media Edge, Audipainel, Marktest Audimetria, a TVI ocupou o segundo lugar no ranking das audiência, colocando sempre a RTP 1 em terceiro lugar. No domingo, dia 3, a gala de apresentação do “Big Brother” entrou para a tabela dos 30 programas mais vistos da semana de 28/8 a 3/9, ocupando a sexta posição. Neste ranking a SIC surge 18 vezes, a RTP 1 nove e a TVI três. A SIC lidera o share todos os dias.

    O dia-a-dia dos três canais

    No domingo, o “Big Brother” foi o programa mais visto, com uma audiência média de 14,7% entre os adultos com mais de 15 anos e um share de 39,9%. Em segundo lugar surge a novela o “Cravo e a Rosa”, com uma audiência de 14,3% e um share de 40,9%, e em terceiro o “Jornal da Noite”, com uma audiência de 12,8% e um share de 41,7%. O quarto lugar foi ocupado pelo “Primeiro Jornal”, novamente um programa da SIC, e a primeira presença da RTP 1 no ranking diário surge na quinta posição, com o jogo Estónia vs. Portugal a contar para o Campeonato do Mundo de Futebol. O jogo obteve uma audiência de 11,8% e um share de 57%. No Top 15 diário, a SIC e a RTP 1 surgem com seis presenças e a TVI apenas com três (“Big Brother”, “Jardins Proibidos” e “Directo XXI”). O maior share do dia foi obtido pela SIC, com 39,1%. Em segundo lugar surge a TVI, com 24,9%, e em terceiro a RTP 1, com 22,9%.

    Na segunda-feira, o “Big Brother” já não despertou tanto interesse. No ranking dos programas mais vistos, desceu da primeira para a sexta posição, com uma audiência de 12,9% e um share de 31,1%. A SIC ocupou as primeiras cinco posições e colocou em segundo lugar a estreia da mais recente cara da estação: Carlos Cruz, com “A Febre do Dinheiro”, conquistou uma audiência média de 19,5% e um share de 47,1%. A novela “Aquarela do Brasil”, outra estreia, ocupou a quarta posição, com uma audiência de 15,3% e um share de 40,9%. A primeira posição pertenceu á novela “Laços de Família”, a terceira ao “Jornal da Noite” e a quinta á novela “Uga Uga”, transmitida perto das 19h00. Em termos de share global, a SIC ocupou a primeira posição, com 43,3%, a TVI a segunda, com 23,9%, e a RTP 1 não chegou aos 20 pontos percentuais, ficando-se pelos 19,4%. No ranking diário, a SIC marcou presença oito vezes, a TVI quatro e a RTP 1 três. O concurso “Dinheiro á Vista”, que marca a transferência de Luísa Castel- -Branco do CNL para a TVI e com o qual José Eduardo Moniz pretendia captar audiências para o período que antecede o “prime-time”, não figura no ranking, tal como o “Jornal Nacional”, que num estúdio totalmente renovado traz de novo Manuela Moura Guedes aos ecrãs da estação.

    Na quarta-feira, dia 5, segundo dia da nova grelha, “A Febre do Dinheiro” conquistou a liderança, com uma audiência de 18,4% e um share de 44,9%. A telenovela “Laços de Família” ocupou a segunda, com uma audiência de 16,8% e um share de 40,6%, e o “Jornal da Noite” a terceira, com uma audiência de 16,2% e um share de 46,9%. O “Big Brother em Directo”, programa no qual se assistiu á saída da primeira “irmã” — conhecida por Riquita, a única concorrente casada e com filhos — e aos restantes “irmãos”, uns mais e outros menos emocionados, a nomearem os companheiros que devem abandonar a casa, ocupou a quarta posição, com uma audiência média de 15,2% e um share de 39,1%. O “Jornal da Noite” voltou a ocupar a terceira posição, com 16,2% de audiência e 46,9% de share, e a telenovela “Aquarela do Brasil” a quinta, com uma audiência de 13,9% e um share de 37,8%. Mais uma vez, o “Jornal Nacional” — que deu em cacha a demissão de Nogueira Leite, secretário de Estado do Tesouro e Finanças —, e o “Dinheiro á Vista” não figuram neste ranking, no qual a SIC ocupa novamente oito lugares, a TVI três e a RTP 1 quatro. A “Grande Entrevista” ao ministro mais polémico deste Governo, Fernando Gomes, surge na última posição, com uma audiência média de 6,3% e um share de 19,1%.

    Para já, e com base na análise destes três dias, a SIC continua líder de audiência, mas a TVI conseguiu destronar a RTP 1. A “guerra” volta a “aquecer” no dia 18, quando a estação estatal começar a transmitir o concurso “Quem Quer Ser Milionário”, a concorrer directamente com “A Febre do Dinheiro”. Como trunfo, a estação de Carnaxide conta com o “DOT”, presente em todo o horário nobre, que obriga os telespectadores que querem habilitar-se aos prémios do “redondinho da sorte” a não mudarem de canal durante todo o programa.

    --------

    Podemos discutir audiências antigas aqui, ou devo criar um outro tópico?

×
×
  • Create New...