Colorida

Membros
  • #Conteúdo

    1403
  • Registado Em

  • Última Visita

About Colorida

  • Rank
    TV é comigo!

Profile Information

  • Género
    Mulher
  • Localização
    Lisboa

Quem visitou o meu perfil

6806 visitas ao perfil
  1. Eu, como fã da Eurovisão, não consigo ver o Festival da Canção. Vou ver a canção que ganhar no Youtube, para o embaraço ao vê-la no ESC ser menor. Para quem diz que a Eurovisão tem de representar os países... Isto é um concurso de música!!! Os jogadores de futebol representam os seus países pela seleção e não é por isso que jogam com roupas tradicionais portuguesas. Até a marca que os veste é internacional. Os portugueses ficaram orgulhosos da seleção ter ganho o Euro porque ganhou! Porque ganhar algo internacional dá orgulho a uma nação. Porque é que os cantores portugueses da Eurovisão têm de ir para lá cantar sobre a) Fado, b) Mar, c) Saudade? Porque é que têm de cantar em português? Porque é que têm de ir vestidos com roupas estapafúrdias que supostamente têm um significado tradicionalista qualquer? Isso passa uma imagem péssima de Portugal. Passa a imagem de que Portugal é um país pouco moderno e completamente preso ao passado. Queiram ou não, nós passamos a olhar para um país de forma diferente através destas competições internacionais tão populares. A Suécia é cada vez mais uma potência da música e capitaliza isso muito bem no ESC. Há outros países, não tão atrativos, como os da Europa de Leste e Euroásia, que aproveitam o ESC para mostrar ao resto da Europa "hey, nós também vivemos neste século, somos muito abertos, modernos e temos bom gosto". Muitas vezes mostram-se até mais liberais no ESC do que se formos lá visitar os países (ex.: a Lituânia incluir beijos gay na sua atuação, há 2 anos), mas resulta para o público que o programa atinge e dá uma boa imagem dos países, para esse público. A RTP devia perceber que o ESC é sim uma forma de promover Portugal lá fora, mas não da fora que eles pensam que é. Este público não é o mesmo do Canal História ou do Travel Channel e a imagem que deviam passar é a de um país contemporâneo. Disclaimer: Tal como a intro do "Peace peace love love" refere, às vezes resulta ir na direção oposta, pelo mais tradicional, como as avós russas, mas é preciso que seja algo suficientemente cativante e curioso para ter bom resultado.
  2. Mas acertou quanto a falar de sexo a cada 3 segundos.
  3. Mas quem é que ficou feliz por a revista da Cristina acabar ou já estava à espera? Eu só vi pessoas surpreendidas com a decisão. Eu não gosto quando as celebridades (e isto acontece em todo o mundo) se focam mais na meia dúzia de haters do que nos milhares de fãs. Celebridades que citam e respondem a quem as critica, mas não perdem 1 segundo do seu dia a pôr um like num comentário de uma pessoa que as admira e que perdeu tempo a escrever que é seu fã.
  4. E afinal, quem é que vai fazer de Nossa Senhora?
  5. Li por aí que a Cristina está à procura de um novo parceiro para substituir a Masemba na edição da sua revista.
  6. Precisavam tanto, que o Nuno Eiró saiu da TVI para o cabo.
  7. Este é o concurso de final de tarde, com a Cristina Ferreira e o Pedro Teixeira. O Rúben pode ter sido o "alvo" porque também representa os meninos bonitos da Cristina que ganham programas por serem bonitos e musculados. Quanto ao Rúben apresentar o programa de moda, concordo que faz todo o sentido. No entanto, aposto que a sequência de ideias foi: "temos aqui o Rúben... que programa é que lhe podemos arranjar?" e não "vamos fazer um programa de moda... quem é que podemos arranjar para apresentar?" O mesmo para o Teixeira.
  8. A Mia Rose surpreendeu-me pela positiva. A Sara Barros Leitão é sempre ótima e acho-a muito subvalorizada pela nossa televisão. O elenco de I love it foi muito superior a todos os Morangos (exceto o primeiro). Só os protagonistas e a angolana é que eram novatos. Mas nem bons atores conseguem salvar uma novela sem conteúdo e com personagens básicas estereotipadas.
  9. Não admira que a Iva tenha mandado umas bocas ao Rúben Rua no outro dia. A TVI arranja este programa e põe a apresentar um homem musculado que não tem jeito nenhum para aquilo e uma mulher que já tem um programa diário de 3 horas e outro semanal de horário nobre de 2 horas.
  10. Que ridículo. Mas deve ser o que a Ellen DeGeneres acha também, ao levar strippers masculinos ao programa frequentemente e ao mostrar sempre fotos dos convidados homens em tronco nu, enquanto a audiência dá guinchos desesperados. Eles só estão a agravar a desigualdade de género ao replicar a objetivicação das mulheres, nos homens. Two wrongs don't make a right. E, enquanto feminista, ainda me irrita mais que muitas vezes metam a palavra feminismo pelo meio dessas parvoíces que dizem.
  11. Quem?
  12. Mas o Facebook claramente não quer esses conteúdos lá. Tal como agora começou a banir notícias que se provam ser falsas. Também o Youtube recentemente deixou de permitir pôr anúncios em vídeos com palavrões ou violência. A escolha é das plataformas e se as pessoas não concordam têm outros espaços para colocar esses conteúdos.
  13. Se os prémios forem patrocinados, a TVI até pode fazer dinheiro, em vez de o perder.
  14. O Facebook censura certas fotos para impedir que seja inundado de pornografia. As fotos são banidas de forma automática, por isso é preciso que seja usado um critério objetivo, o que pode levar a que certas fotos artísticas/pinturas ou simplesmente fotos tiradas com bom gosto sejam banidas sem necessidade. Mas eu acho que isso é preferível a deixar que o negócio da pornografia entre também no Facebook. O que interessa são as regras que o Facebook decide, porque o site é deles. Há muita gente que acha que tem o direito a fazer o que quiser na sua página de uma rede social, mas esquece-se que aquilo é apenas o seu cantinho que faz parte de uma grande empresa. No blog, a Jéssica pode fazer o que ela quiser.
  15. Todos sabemos o porquê.